PRIMEIRA PÁGINA

  • Pesquisadores contra violência policial nas favelas

    A Rede Fluminense de Pesquisadores sobre Violência, Segurança Pública e Direitos Humanos adere à Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n° 635, a “ADPF das favelas”, para conter o uso força policial nas favelas do Rio. Representantes de vários setores solicitam ao STF que votem a favor da ADPF 635.

  • Norma Couri: “Jornalista é estado de espírito”

    Para ela, mesmo em quarentena, jornalista quer saber tudo, o tempo todo e se não tiver emprego, paciência, ele continua jornalista... Ela colabora semanalmente com o Observatório da Imprensa, criação de Alberto Dines, seu marido, morto em 2018. A pandemia adiou alguns projetos, mas Norma vai tocando a profissão.

  • Ciclovia do Leblon ganha o nome de Alfredo Sirkis

    A Prefeitura do Rio publicou decreto denominando como Alfredo Sirkis a ciclovia no bairro do Leblon. Sirkis morreu no último dia 10, vítima de acidente de carro. Seu corpo foi cremado nesta segunda-feira, 13. Ambientalista, político, jornalista, sempre foi um defensor da bicicleta como meio de transporte “limpo”.

  • Roquette Pinto suspende pagamentos e produções

    A crise na Roquette Pinto, que administra a Cinemateca e a TV Escola, atinge a TV Ines, dedicada ao conteúdo para surdos, com verba do Ministério da Educação. A entidade, que afirma que tem R$ 13 milhões a receber da secretaria da Cultura, suspendeu pagamentos e interrompeu a produção.

  • Prêmio Vladimir Herzog anuncia inscrições

    Jornalistas, artistas do traço e repórteres fotográficos de todo o Brasil têm até o próximo dia 6/08 para inscrever suas produções e concorrer ao 42º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. O prêmio reconhece trabalhos que valorizam a Democracia e os Direitos Humanos.

  • Norma Couri fala sobre Sirkis, “o descarbonário”

    A jornalista Norma Couri comenta sobre a trajetória do companheiro de muitas lutas, no jornalismo e na política e sobre o seu lado humano e “pândego”. Quando integrou a revista Veja, estava lançando Os Carbonários, que levou o Jabuti de 1981. Ali, avaliava os erros da luta armada e os acertos utópicos da geração.

VÍDEOS

  • ABI debate tortura

  • ABI fala à tv portuguesa RTP sobre ataques à imprensa

  • ABI envia ação de impeachment à Câmara dos Deputados

  • Arnaldo César fala à TVCRio sobre crise do coronavírus

  • Hélio Doyle fala à TVCRio sobre crise do coronavírus

  • Vice da ABI fala à TVCRio sobre crise do coronavírus

  • Nassif na ABI: Lava Jato foi armada nos EUA

  • Mais de 30 artistas em prol da ABI no Circo Voador

  • ABI reúne mais de 500 em ato contra Ditadura

VER MAIS VÍDEOS

GALERIA

  • Glenn Greenwald alerta para risco aos jornalistas

  • Associação Brasileira de Imprensa diz não à intimidação

  • ABI anuncia filiação do jornalista Glenn Greenwald

  • ABI condena celebração
    do golpe de 64

  • Em Foco: Eurico Dantas, A arte no olho do fotógrafo

  • Exposição reúne fotos da “Última Hora”, na ABI

  • Livro e exposição marcam trajetória do fotojornalista

  • Educadores criam espaço em homenagem a João Cândido

  • “A arte da fotografia com herança de família”

A Diretoria decidiu reabrir o prédio da ABI das 9h às 17h, apenas com serviço de portaria, ascensoristas e funcionários da limpeza, seguindo protocolos mínimos:

– Uso de máscaras;
– Termômetro digital para medir a temperatura dos usuários do prédio;
– Distanciamento de 1,5 metros na portaria entre as pessoas para subir no elevador;
– Os elevadores só poderão levar no máximo 2 pessoas e levarão passageiros do 4° ao 8° andar, o acesso ao 2° e 3° andar será feito pelas escadas;
– Os elevadores terão um recipiente de álcool gel para ser utilizado e serão desinfetados a cada 2 horas ;
– Não poderá haver aglomeração em nenhum andar.

Antero Luiz Martins da Cunha
Diretor Administrativo