Dez lives nas Dicas para assistir em casa. Lives com Gal e Elba animam fim de semana


28/05/2021


Por Vera Perfeito, Conselheira e Diretora de Cultura da ABI


Gal Costa e Elba Ramalho dominam as dez lives do final de semana, mas ouça as gravações em espanhol de Tim Maia, de 1970, com aquele vozeirão; homenageie Nelson Sargento, ouvindo seus sambas maravilhosos; clique no acervo de Vinicius, nosso poetinha. O Claquete Musical exibe documentário do compositor Wilson Moreir e o Cineclube Macunaíma sobre a ditadura enquato o ABI Esporte fala de campeonatos. O livro que inspirou o filme vencedor do Oscar, Nomadland, chega às livrarias no domingo. Cruella está no streaming e nos cinemas. E aqui tem muito mais, além dos sambas de Nelson Sargento para se ouvir, chorando de saudade do mangueirense querido e tomando cachaças premiadas da lista de Dicas! O perigo não acabou:VACINA PARA TODOS!!!!!

 

NELSON SARGENTO

Ontem, o site da ABI trazia a letra de Agoniza, mas não morre, o hino com que Nelson Sargento nos presenteou. Hoje, o Dicas coloca aqui mais duas dele inéditas, em parceria com Agenor de Oliveira, para você (s) se deleitar (em) no final de semana: O nosso amorO nosso amor é um festival de alegria/ Dia e noite, noite e dia/ é uma divina oração/ O nosso amor, espalhando beleza/ com o aval da natureza / pontilhada de emoção / O nosso amor é uma joia rara/ que brilha na  noite clara / iluminando a imensidão / O nosso amor cresce com harmonia/ aliado à magia/ que faz bem ao coração”. E ainda, Saudade: Saudade, dê o braço à solidão / saia do meu barracão / estou cansado de sofrer / Vá cantar em outra freguesia / eu preciso de alegria / para minha vida resolver”.

 

DOAÇÕES

Projetos e iniciativas independentes na Zona Sul estão recolhendo edredons, cobertores e agasalhos, novos e usados, em bom estado, que servirão para centenas de pessoas em vulnerabilidade. O TTK Studio (Rua do Catete, 168 – @ttkatstudio) já começou a distribuição. O Projeto Corrente do Bem – Uns pelos Outros (@correntedobemunspelosoutros) começou a arrecadar agasalhos e garrafas de água de 500 ml. Rua Corre Dutra, 119, também no Catete. O Projeto Voar – Café da Manhã (@projetovoarcafedamanha) pretende, além das refeições, distribuir agasalhos. O objetivo na Zona Sul é entregar tudo as ações  de segunda-feira, que ocorrem no Parque do Flamengo, em frente ao Castelinho; e nas de quinta-feira, na Praça da Glória, em frente À estação do metrô. Para doar, basta entrar em contato pela rede social das iniciativas.

 

VINICIUS

Vinicius de Moraes seis mil registros que contemplam mais de 11 mil documentos originais do acervo do poetinha estão, desde ontem, ao alcance de um clique com o projeto Acervo Digital Vinicius de Moraes (acervo.viniciusdemoraes.com.br). Toda essa documentação está guardada no Arquivo Museu de Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa desde o final da década de 1980. O acervo com poemas, textos em prosa, letras de música, peças, roteiros, discursos e notas, está dividido em três grandes séries: Correspondências, Produção Intelectual e Documentos Diversos. Há bilhetestrocados com parceiros musicais como Baden Powell e Tom Jobim, com amigos estrangeiros como Orson Welles, um papo intelectual com Carlos Drummond de Andrade, Rubem Braga, João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira., a quem ele pede opinião sobre o seu poema Pátria Minha com receio de ter problemas políticos.E ainda uma correspondência com Charlie Chaplin que agradece a Vinicius o envio da primeira edição da revista Filme, fundada pelo poeta quando era diplomata em Los Angeles.


ENTREVISTAS

HOJE

Governo Bolsonaro: Retrocesso e Degradaçãoa série de entrevistas no programa on line Quarentena News foi inspirada por um dos 35 capítulos do livro Governo Bolsonaro: Retrocesso Democrático e Degradação Política (Grupo Autêntica), o Partidos Políticos e o Governo Bolsonaro (do professor Oswaldo E.do Amaral, da Unicamp). O jornalista Jorge Antônio Barros apresenta e entrevista na série do programa que termina na segunda-feira .  HOJE ,  o assunto é sobre Política de Saúde no Governo Bolsonaro: desmonte e negacionismo  com Vanessa Elias de Oliveira e Michelle Fernandes e na 2ª feira, Eu quero que o povo se arme : a política de segurança pública de Bolsonaro com Ludmila Ribeiro. Para assistir:facebook.com/quarentenanews1.

 

Segunda- Feira

19h30  ABI Esporte: Assistir pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube. Começa o Brasileirão das Séries A e B. A bola vai rolar no campeonato brasileiro da Série A, que é o assunto do ABI Esporte na segunda-feira com a participação dos jornalistas esportivos Leo Burla, Marcus Aurélio Carvalho, José Aderval e Leonardo Fister. Além de levar pra casa o troféu, o campeão recebe prêmio de R$ 33 milhões. O torneio também define vagas para a Copa Libertadores, Copa Sul-Americana e a temida zona do rebaixamento. Apresentado pelo jornalista Marcos Gomes, O ABI Esporte também destaca a participação de Vasco, Botafogo e Cruzeiro na Série B.

 

Terça-feira

19h30 – Cineclube Macunaíma  exibe hoje o documentário Você também pode dar um presunto legal( de 1973), de Sergio Muniz, a partir das 10 horas até a próxima segunda-feira. Às 19h30, terá debate com o diretor do filme, Sergio Muniz, o cineasta Silvio Tendler, o diretor de fotografia Zetas Malzoni, o ex- Ministro da Cultura e cineasta João Batista de Andrade  e o jornalista Ricardo Cota que será o mediador. Filme e debate pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube.

 

Quarta-feira

19h30Claquete Musical continua abordando o Puxando Conversa pela terceira semana, um projeto de memória da cultura popular com divulgação das histórias do samba e do cotidiano popular, contado pelos compositores. É uma coleção de 27 documentários, homenageando 49 compositores. Hoje, o documentário é sobre compositor Wilson Moreira e estará disponível, a partir das 10 horas até a próxima terça-feira, no canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube.


FILMES

Premier Acess da Disney Cruella: hoje, a produção com Emma Stone chega a esse canal e também em diversos cinemas. O longa faz parte da estratégia da Disney  de investimentos em presquels, filmes que exploram a história pregressa de vilãs consagradas de seu vasto catálogo. Esse é um filme sobre o passado de Cruella de Vil e sua obsessão por casacos de pele e dálmatas, como assistimos em 101 Dálmatas, em um clima gótico da Londres dos anos 1970 em que se passa a história. Segundo as críticas, trata-se de um conto de fadas enfadonho onde os personagens são cafonas e enfadonhos. Vá conferir.

Cachaças: sob as bênçãos do Papa Francisco (ele afirmou que brasileiros ingerem muito a bebida), podemos tomar nossa cachacinha para aguentar o tranco de ter um presidente genocida. Aí, estão algumas marcas, indicadas pela expert em gastronomia Luciana Fróes, em O Globo de hoje: Tiê,  de Aiuroca, na Serra da Mantiqueira, que teve a melhor pontuação na última prova da Cúpula da Cachaça, R$60; Famosinha , de Papagaios, MG, e premiada no Spirits Selection, principal concurso internacional de bebidas destiladas, R$50; Santa Rosa Essence – de Valença, RJ (RJ), branquinha, Entre R$50 e R$60; Tapinuã dos Reis, de Silva Jardim, RJ, novíssima, mas ótima, R$40; Saliníssima, Salinas, MG, cachaça de sabor supertradicional, R$60; Rainha do Vale, outra premiada pela Cúpula, de Belo Vale, perto de Inhotim, MG; perfeita para caipirinhas e drinques, R$30 e R$35; Volúpia, cachaça clássica e ficou entre as dez melhores na última Cúpula, R$70; Tiziu Virgem, o dono é de Niterói, mas ela é feita em Salinas, MG, 48% alcoólica e não é para iniciantes, mas é um achado, R$50; Primavera, de Ivori, RS, da Weber Haus ( dos mais importantes produtores de cachaça do Brasil que exporta para 30 países), e essa cachaça tem versões que custam R$1 mil, mas seu preço é de R$ 40; Santuário de Minas – Papagaios, MG, armazenada em carvalho, e é meio baunilha, meio caramelo, R$50. Bebam com moderação!!!!


Documentários

Now, Oi, Vivo Play, Google Filmes, iTunes e YouTubeAlvorada: de Anna Muylaert e Lô Politi, mostra bastidores de dias que antecederam afastamento de Dilma Rousseff. Foram três meses de filmagem com a equipe hospedada num hotel ao lado do Palácio da Alvorada e visitas diárias à residência oficial da então presidente Dilma Rousseff, acompanhando seu  cotidiano até o dia 31 de agosto de 2016, quando o Senado aprovou o processo de impeachment e seu mandato cassado. O material com mais de 400 horas de gravação deu origem ao documentário. A visão da obra está focada no dia a dia da ex-presidente e o palácio, que está ligado ao poder institucional do cargo.

Globoplay

 Proibido nascer no paraíso: desde 2004, as mulheres de Fernando de Noronha são forçadas a se afastar de casa para terem seus bebês, pois o único hospital local não está preparado para realizar partos. Aquelas que se recusam, são coagidas a sair. Nem mesmo nativas podem optar por ficar. A proibição coincide com a explosão do turismo na ilha e gera conflito entre empresários e aqueles que têm direito à terra. O documentário acompanha a saga de três gestantes de famílias tradicionais, da gravidez até o parto.

No direction home: com Bob Dylan. É um documentário de Martin Scorsese que traça a vida de Bob Dylan e seu impacto na música popular americana e na cultura do século XX. O filme não cobre toda a carreira de Dylan, focando-se no seu começo e a ascenção do cantor e compositor À fama na década de 1960. Tem duração de 240 minutos e foi lançado em 2005. Acompanha a trajetória do Dylan, do folk ao rock

Fevereiros: com Maria Bethânia. Um registro da vitória da Mangueira, em 2016, que teve um enredo homenageando Maria Bethânia. Além de filmar a escola e os preparativos do barracão, a produção acompanha a cantora nas festas de Nossa Senhora da Purificação, na Bahia. Diretor: Marcio Debellian.

AmazonHermógenes: professor e poeta do yoga: com 1h44m, o documentário mostra a trajetória do professor Hermógenes, um dos pioneiros do Yoga e terapia holística no Brasil que inspirou a vida de diversas pessoas por meio da filosofia oriental e da meditação. Diretora Bárbara Tavares. Com Marcelo Yuka e Jackson Antunes.

MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA- A Mostra Ecofalante é um evento anual, que acontece desde 2012, sempre no primeiro semestre. Na segunda metade do ano, fazemos Itinerâncias em cidades do estado de São Paulo e, em 2018, estreamos nossa Itinerância Nacional. Ao longo do ano, também realizamos exibições com parceiros educacionais e institucionais, democratizando o acesso às obras excepcionais de nossa curadoria e levando cultura e informação, com filmes e debates para cada vez mais lugares.

Até dia 9 de junho, na Semana do Meio Ambiente com:

ESPECIAL AMAZÔNIA.

São filmes premiados e representando diversos países. Ver site

 

Projeto Bolsa Webdocumentário O Instituto Conhecimento Liberta –  criado por Eduardo Moreira e Jessé Souza – está selecionando projetos da periferia, aldeias, acampamentos, do povo negro, dos trabalhadores, para dar bolsas de 50 mil reais (cada bolsa) para produção de webdocumentários contando essa realidade. É uma bolsa de estímulo à produção audiovisual voltada para a observação crítica da realidade brasileira. O projeto fomenta a reflexão plural sobre o país com o objetivo de contribuir para a formação cidadã do povo brasileiro.

Será sobre racismo, guerras religiosas, extermínios de indígenas, da situação dos entregadores, das milícias e do que tem acontecido de verdade neste Brasil invisível. Mas  pretendem deixar que aqueles que sofrem possam falar, gerando empregos e renda nestas comunidades com as bolsas. Wagner Moura é o padrinho do projeto.  Os autores pedem que o projeto seja divulgado nas comunidades e grupos, mostrando a oportunidade de bolsas e de renda, os projetos resultarão em documentários que acredito serão fundamentais para nosso campo no debate eleitoral do ano que vem. Não há restrições de idade ou classe social, porém o projeto atender, principalmente,  jovens de baixa renda e de regiões com carênciade equipamentos culturais (cinemas, teatros, bibliotecas, galerias, salas de concerto, museus, etc).

Entre as ideias enviadas, serão selecionadas propostas das diferentes regiões do país, destacando a expressão local e promovendo a igualdade de gênero, raça e etnia. Os candidatos serão avaliados pelo Conselho do ICL e sua Equipe Curatorial, conforme: 1- a relevância temática da proposta do webdocumentário; 2- a profundidade técnica e informativa da proposta do webdocumentário; 3- a trajetória do (a) candidato (a) e sua participação em equipes plurais. O site do projeto é: obrasildeverdade.com.br. Clique também https://obrasildeverdade.com.br/

2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino apresenta mais de 40 filmes dirigidos por mulheres / Edição 100% online e gratuita até 27 de junho.

Uma seleção de mais de 40 filmes de diversos formatos e gêneros – curtas, médias e longas-metragens de ficção e documentários – vai trazer à tona a multiplicidade dessas cinematografias através de filmes realizados por mulheres em países como Egito, Líbano, Palestina, Sudão, entre outros. O festival é 100% gratuito e os filmes serão exibidos virtualmente no site www.cinemaarabefeminino.com. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O #CCBBemCASA foi criado, disponibilizando conteúdos exclusivos da programação no site bb.com.br/cultura. A programação inclui debates, mesas redondas e uma masterclass com a diretora palestina Larissa Sansour, conhecida pelas obras de ficção científica. Haverá também      um tributo para a diretora libanesa Jocelyne Saab (1948-2019), ex-repórter de guerra que realizou dezenas de filmes ao longo de sua carreira, e uma homenagem para a diretora tunisiana Moufida Tlatli (1947-2021), a primeira mulher árabe a dirigir um longa-metragem, que faleceu este ano por decorrência da COVID-19.

Entre os 27 filmes inéditos em exibição na 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino, destacam-se Escritório de Espera, Barbès e Portão de Ceuta, dirigidos pela marroquina Randa Maroufi, que participará de um debate sobre as produções; Quando Coisas Acontecem (Palestina/Reino Unido), de Oraib Toukan; O Protesto Silencioso: Jerusalém 1929 (Palestina), com direção de Mahasen Nasser Eldin e Você Já Matou Um Urso – ou Tornando-se Jamila (Líbano), dirigido por Marwa Arsanios.


DEBATES:

06/06/2021, às 13h– Marwa Zein (Arábia Saudita), diretora de Khartoum Offside e, às 16hs,Nadine Salib (Egito), diretora de Mãe daquele não-nascido.

16/06 – Randa Maroufi (Marrocos), diretora de Portão de Ceuta. Barbés, Stand-by office, às 14hs (conversa pré-gravada); Salma El-Tarzi (Egito), diretora de Underground na Superfície.

19/06, às 14hs: Mathilde Rouxel, autora do livro Jocelyne Saab: La Mémoire indomptée 1970-2015 e Nour Ouayda, curadora, crítica e cineasta

24/06, às 14h (conversa pré-gravada):Michele Tyan e Myrna Maakaroun, atrizes do filme Once Upon a time in Beirut, de Jocelyne Saab.


MESAS REDONDAS

 26/06, às 15h:Palestinidades: Corpo e Território

28 de maio, às 14h:Proponentes: Daniele Regina Abilas e Fernando Resende/ A Palestina é um território e uma experiência que atravessa corpos. Ela é composta de memórias vividas, sentidas, contadas e recontadas por gerações que se amontoam e transitam por espaços limítrofes, múltiplos e disputados. Convidadas: Mahasen Nasser Eldin (cineasta – “O protesto silencioso”); Riham Isaac (artista performática e professora); Dina Matar (professora e pesquisadora)

13/06, às 15h (horário a confirmar)- Um assunto de família – com Aline Motta (cineasta), Kawthat Younis (Um presente do passado) e Leila Basma (O projeto Adam Basma).Toda memória familiar é parte constitutiva da História, particularmente quando essa memória familiar se projeta também como políticas da lembrança e políticas de apagamento.

20/06, às 15hs (horário a confirmar) – Sul-Sul: curando filmes para/de nós mesmas  – com Alia Ayman (curadora), Analu Bambirra (curadora), Carol Almeida (curadora), Janaína Oliveira (curadora e pesquisadora) e Mary Jirmanus Saba (Um sentimento maior que o amor). Com muita frequência, a experiência de pensar, programar e curar filmes que pertencem ao chamado Sul Global se dá a partir de negociações com as expectativas que os grandes festivais de cinema europeus ou estadunidenses impõem sobre o que os territórios de “alteridade” supostamente devem revelar.


Masterclass

 Um Futuro Anterior: Masterclass com Larissa Sansour – 22/05, às 13h

Larissa Sansour trabalha principalmente com cinema, e também produz instalações, fotografias e esculturas. O que é central em seu trabalho é a dialética entre mito e narrativa histórica. Nascida em Jerusalém Oriental, Palestina.

LUMIÉRE -Loucos por cinema: o festival segue até o dia 29 de maio, às sextas e sábados, 19 hs, apresentados filmes gratuitos on line pelo Facebook – lumiereloucosporcinema/livevideos .

Dia 21Quando voam as cegonhas(1957): A trama da promessa de um amor eterno e do encontro de almas entre Boris e Veronika é de um romantismo ímpar. No entanto, tudo isso rompe com a eclosão da guerra. O tema da ausência e do abandono é o que impulsiona o drama.

Dia 22Moscou não acredita em lágrimas: filme de 1979. No fim da década de cinquenta em pleno regime comunista na Rússia soviética, três mulheres de idades e histórias distintas chegam à cidade de Moscou com objetivos similares: elas estão em busca de trabalho e de um amor para a vida. Em um período de vinte anos, as vidas das três mudam completamente através de conquistas, fracassos, sonhos, desilusões e histórias de amor.

Dia 28A nova Babilônia: de 1929. Entre março e maio de 1871 existiu uma Comuna em Paris. Sua formação e destruição são contadas nessa obra prima da dupla Kozintsev e Trauberg. Do abastado clima burguês, no armazém Babilônia, ao desespero dos trabalhadores famintos, traçamos um caminho permeado de memoráveis interpretações, excelente música e uma fotografia apaixonante.

Dia 29Nós somos do jazz: Comédia musical sobre o surgimento do jazz na União Soviética, nos anos 20 e 30. Kostia é um jovem morador de Odessa que tem a música como grande paixão. Ele monta uma banda de jazz e defende a ideia de que esse estilo musical americano representa a arte proletária. O grupo viaja por várias comunidades soviéticas, vivendo aventuras tragicômicas, mas também fazendo sucesso entre público e crítica.

 

FESTIVAL ESTAÇÃO VIRTUAL 35 anos de cinema brasileiro

É do grupo Estação com streaming com a exibição gratuita de produções nacionais até 31 de maio na plataforma Vimeo (/estacaovirtual) com 180 filmes da mostra e também pela série de debates que acontecem on-line.

IFcinema à la carte– até 10 de junho, uma seleção de filmes franceses gratuitos, do festival de Cannes que acontece em julho. Descubra dois deles que participaram da sessão Un certain regard: Run (2014)e Barbara (2017).Acesso: https://ifcinema.institutfrancais.com/fr/streaming/alacarte

Barbara – uma atriz irá interpretar a icônica cantora Bárbara. Brigitte trabalha a personagem de Bárbara. A personagem vai crescendo dentro dela e começa a invadi-la. Yves, o realizador  também vai trabalhando através de encontros, imagens de arquivo e a música. Parece inspirado por ela. Mas por quem? A atriz ou Barbara?; Run – Run fugiu. Le acabou de matar o Primeiro-Ministro de seu país. Sua vida retorna a ele por flashes: sua infância com o mestre Tourou, quando ele sonhava em se tornar um fazedor de chuvas, suas aventuras com Gladys, e seu passado com um jovem patriota. Durante toda a vida, Run não fez suas escolhas. Em cada momento, ele foi pego por elas, fugindo de uma vida anterior.


Longas

Telecine PlayCaça mortal : o caçador Rayburn (Nikolaj Coster-Waldau) é um homem marcado pelo sequestro de sua filha. Cinco anos depois, ele está trabalhando em um santuário numa floresta quando vê na câmera uma cena chocante: uma jovem parecida com sua filha sendo caçada por um homem misterioso. Lembranças do passado logo vêm  à tona, fazendo com que ele inicie uma busca desenfreada  pelo criminoso ao lado da xerife Alice (Annabelle Wallis).

NetflixDiga-me quando: Wiil trabalha demais, mas decide largar a monotonia da vida em Los Angeles para realizar o último desejo do avô: visitar os principais pontos turísticos da Cidade do México e se apaixonar.

Cinema VirtualDoce Obsessão: Um thriller psicológico que apresenta diferentes pontos de vista sobre a relação entre Françoise, uma mulher bonita, mas frágil, e o médico Lepage, um homem amargurado, opressor e ciumento. Presa há três anos no casamento, Françoise pe vigiada onde quer que vá pelo marido, que sabe dos diversos amantes que a esposa tem. Porém, o mais recente deles, Jacques, torna-se a gota dágua para Lepage, que planeja uma vingança diabólica.

HBO OSLO: a nova produção do canal, que estreia amanhã, recompõe as negociações mediadas pela Noriega durante o acordo de paz entre o governo israelense e organizações palestinas, nos anos 1990. Ruth Wilson e Andrew Scott são as estrelas do elenco.

Site www.pontenordica.com.br  Departamento Q – até segunda-feira, o Festival Ponte Nórdica disponibiliza gratuitamente filmes produzidos na Dinamarca, Noruega, FinlÂndia e Suécia por meio do site. Estão no catálogo três dos quatro filmes da franquia de sucesso Departamento Q, que esmiúça a resolução de crimes dramáticos. Um dos títulos, Embusca da vingança (2018) é o longa dinamarquês de maior bilheteria no país, e produzido pela empresa do cineasta Lars Von Trier.

Prime Me sinto bem com você: diretor e roteirista que despontou com Apenas o fim (2008), Matheus Souza volta com dramas e sutilezas de relacionamentos – como também fez em Eu não faço a menor ideia do que eu tô fazendo com a minha vida (2012), com Clarice Falcão. Rodado, em um mês, o filme estrelado pela cantora, atriz  e ex-BBB Manu Gavassi, acompanha cinco histórias de amor em tempo de isolamento social.

Now, no Google Play, na Apple Tv, iTunes e YouTubeRaia 4: premiado no Festival de Gramado (Júri da Crítica e Fotografia), o longa marca a estreia do diretor gaúcho Emiliano Cunha. A história acompanha as descobertas de uma adolescente tímida que se vê às voltas com um interesse súbito por uma colega da equipe de natação.

Now e Watch TVJudas e o Messias Negro: Daniel Kaluuya ganhou o Oscar de melhor coadjuvantes por esse filme que foi indicado em outras cinco categorias, incluindo a de melhor filme. Baseadda em fatos, a produção reconstitui parte da história de Fred Hampton, líder e ativista dos Panteras Negras. EM 1969, ele foi assassinado após atrair a atenção do FBI.

Reserva Imovision – primeiro longa da diretora sueca Isabella Eklöf – uma das roteiristas do intrigante e elogiadíssimo Border (2018) – acompanha as férias de uma jovem dinamarquesa (Victoria Carmen Sonne) uma região paradisíaca na Turquia. Ao flertar com um turista holandês, ela desperta a fúria de seu namorado, que é rei do tráfico local, inserindo-a numa odisseia marcada por violência, abuso e humilhação.

Supo Mungam PlusTrópico Fantasma: Selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, o longa escrito e dirigido pelo belga Bas Devos segue os passos de Khadija, uma senhora imigrante na Europa que adormece no trem após um longo dia de trabalho. Ao chegar à estação final, ela decide encarar a única opção para voltar para casa: percorrer dezenas de quilômetros a pé. No caminho, esbarra com personagens que mudam sua visão do mundo.

NetflixARMY OF DEAD: INVASÃO A LAS VEGAS: No novo filme de Zack Snyder (Liga da Justiça), os zumbis são musculosos, ágeis e bem organizados. Ambientada numa Las Vegas tomada por mortos-vivos – e cercada por muros – a ´rpdução recheada de sequências de ação conta a história de um homem que precisa cumprir uma missão arriscada: resgatar 200 milhões de um cofre, em 32 horas. O diretor afirma  que há uma intenção crítica por  trás da trama ambientada em cassinos, e cita A noite dos mortos-vivos (1968), clássico de George. A. Romero, como referência. Naquele filme, o diretor usou os shoppings como metáfora para dizer que os consumidores estava, se tornando zumbis. A ideia desses filmes é a mesma: os humanos são piores do que os zumbis. O projeto prevê que vai se tornar uma série de animação.

Google Play, Apple TV, Now, Vivo Play e Sky PlayStardust: a cinebiografia não autorizada de David Bowie chegou ao serviço on demand  na última quarta-feira. O longa, que põe Johnny Flynn, reconstitui a primeira viagem do cantor aos EUA, em 1971. Na ocasião, ele promoveu o disco The man who sold the world e começou a elaborar para si o alter ego celestial Ziggy Stardust, que adotaria nos anos seguintes. Como o filme não tem o aval da família, não há músicas do Camaleão do Rock na trilha sonora.

Filmes inesquecíveis na Netflix:

Pieces of woman (2020) – concorreu ao Oscar 2021: Um parto complicado em casa deixa uma mulher às voltas com profundas consequências emocionais, isolada de seu parceiro e de sua família por um abismo de tristeza. O diretor é Kornél Mundruczó. Com Vanessa Kirby,  Shia LaBeouf  e Molly Parker.

Closer – perto demais (2004) – uma fotógrafa parece satisfeita com marido e um romântico adora sua namorada esquisita. Ele começa a ter um caso com a fotógrafa, dando origem a uma serie de traições. Com Júlia Roberts, Jude Law, Natalie Portman e Clive Owen.

Cidadão ilustre (argentino- 2016) – Daniel Mantovani (Oscar Martínez), um escritor argentino e vencedor do Prêmio Nobel, radicado há 40 anos na Europa, volta à sua terra natal, ao povoado onde nasceu e que inspirou a maioria de seus livros, para receber o título de Cidadão Ilustre da cidade – um dos únicos prêmios que aceitou receber. No entanto, sua ilustre visita desencadeará uma série de situações complicadas entre ele e o povo local. Dirigido pela dupla Mariano Cohn e Gastón Duprat.


SÉRIES

Amazon Prime VideoDom: a série estreia hoje. É um drama policial, de suspense e cada episódio tem 60 minutos. Um pai que vive a combater as drogas e um filho que se entrega a elas. Victor é um policial que lutou contra o tráfico de cocaína durante toda a sua vida. Seu filho é um dependente químico que se tornou um dos mais procurados assaltantes do Rio de Janeiro, o Pedro Dom. Será o amor de um pai suficiente para salvar a vida do filho? No elenco, estão Isabella Santoni, Gabriel Leoni, Laila GArin, Julia Konrad, Digão Ribeiro, Raquel Vilar, Flávio Telezani, entre outros.

Prime VideoPanic: a história se passa numa pequena cidade do Texas, nos EUA, onde todo verão os estudantes do últimos ano de ensino médio participam de uma série de desafios nos quais o vencedor ganha um prêmio – algo que acreditam ser  a única chance para conseguirem uma vida melhor. Nesse ano, o dinheiro é maior e as dificuldades também. A primeira temporada estreia hoje com dez episódios. No elenco, Jessica Sula (Fragmentado), Ray Nicholson (Bela Vingança) e Mike Faist (nova versão de Spielberg de West Side story).

HBO In Treatment: Uzo Aduba (Orange is the new black), a vencedora do Emmy,  é a estrela da quarta temporada da série como a empática terapeuta Dra Brook Taylor. Pautas atuais, como a pandemia, são o pano de fundo para o trabalho que Brooke irá desempenhar, enquanto lida com a vida pessoal.

Netflix

O método Kominsky: na temporada final da série, Sandy Kominky (Michael Douglas) precisa encarar a velhice sem a companhia do amigo Norman (Alan Arkin). Além de tudo, a ex, Roz Volander ( kathleen Turner), volta para complicar a vida dele. O relacionamento dos dois só piora quando ela chega em Los Angeles.

Ragnarok: estreia da segunda temporada deste drama sobre amadurecimento que constrói um anovo ângulo para a mitologia nórdica. A série é ambientada na pequena e fictícia Edda, uma cidade no meio da deslumbrante natureza norieguesa. A trama misterio0sa gira em torno dos habitantes locais.

Globoplay

Hit Parade  – com um pé na comédia e outro no drama, a série original do Canal Brasil Hit Parade, criada por André Barcinski e dirigida por Marcelo Caetano é centrada na trajetória dos produtores musicais Simão (Tulio Starling) e Lídia (Bárbara Colen), que enfrentam o todo poderoso Missiê Jack (Robert Frank). Ambientada na década de 80, a série conta ainda com Nash Laila, Odilon Esteves e com as participações de Maria Alcina, Edy Star e Ovelha.Simão (Tulio Starling) é um cantor idealista, que tem dificuldades em se estabelecer no mercado fonográfico que é convencido por Lidia (Barbara Colen), sua mulher, a procurar qualquer trabalho e colaborar com as contas da casa. Vai até o produtor Missiê Jack, que o convida para criar uma composição para o cantor kitsch Ivanhoé (Edy Star). A música bomba nas paradas musicais, mas a parceria entre compositor e produtor dura pouco. Os métodos de trabalho nada éticos de Missiê frustram Simão, que leva um golpe inesperado do parceiro.

Sessão Terapia: estreia hoje a quinta temporada da série com Rodrigo Santoro, Danni Gutto e Selton Mello. NA trama, Rodrigo interpretada um psicanalista da dupla. Os paciente se encontrarão na sala de espera e acabarão se tornando amigos.

Caso Evandro: série com oito episódios, sendo que quatro já estão disponíveis no canal. Sobre o cruel assassinato de um menino de 6 anos, Evandro Ramos Caetano, em 6 de abril de 1992, cidade de Guaratuba, no Paraná. O corpo foi encontro sem órgãos e desfigurado. O crime envolveu gente de posições sociais distintas. Enquadrar em única categoria fica difícil: sequestro, corrupção, preconceito religioso, violência policial, voyeurismo, tortura, prisões injustas e até fake news embora não houvesse redes sociais na época, mas gente espalhando boatos com efeitos nocivos. Começa como série policial e depois vira suspense, aí vem o terror e percebe-se então a parte doente do país.

Future man: o viajante do tempo: terceira temporada da série que conta a hsitória de Josh Futterman (Josh Hutcherson), que trabalha como zelador em um laboratório. Em cassa, passa o tempo  jpgando videogame. Um dia, ele vira a salvação da Terra quando visitantes enigmáticos o recrutam para evitar que a Humanidade seja extinta.

TV

Canal do Multishow no YouTubeatenção para os vídeos da humorista Alana Azevedo, que vinha fazendo sucesso nas redes e agora está nessa canal. Ela criou uma personagem que é CEO da Globe, rival da Globo. Os vídeos são divertidos.


LIVROS

NomadlandSobrevivendo a América no século XXI (Rocco, R$59,90) – Jessica Bruder. O livro deu origem ao filme vencedor do Oscar 2021, chega às livrarias no domingo. A autora passou a noite do Oscar em um hotel cinco estrelas com duas amigas “nômades” há mais de sete anos , quando saiu com a van “Halen” (nome de seu veículo) para escrever uma reportagem sobre a comunidade nômade que, desde a crise de 2008, não parava de crescer nos EUA. Sem meios para pagar hipotecas de moradias, com investimentos que lhe garantiriam o descanso futuro reduzidos a pó, muitos americanos viram seu sonhos desmoronarem. Restou a pessoas como Linda May e Charlene Swankie, na casa dos 70 anos, pegarem seus últimos dólares e investirem num carro  para chamar de lar. A jornalista ficou dois meses na van Halen, assistindo a como os seres humanos se adaptam a novas realidades. Foi aí que fez amizades com as duas, que se interpretam no belo filme que levou o Oscar, merecidamente.

Lina Bo Bardi –  O que eu queria era ter história( Companhia das Letras, R$89,90): Zeuler R. Lima –Por um ano, entre 1946 (quando chegaram ao Rio) e 1947, a arquiteta italiana Lina Bo Bardi e o marido, o crítico e negociante de arte Pietro Maria Bardi, viveram no Leme. Seguiram para São Paulo quando Assis Chateaubriand incumbiu a arquiteta do projeto do Masp. O autor do livro, professor na Universidade de Washington, diz que Lina tinha como maiores preocupações a justiça social e a vida coletiva. Segundo o aultor, Lina fazia uma arquitetura cotidiana, criando projetos adequados à sociedade industrial e alinhados às propostas modernas, mas  sem romper completamente com a tradição, como Lúcio Costa, responsável pelo desenho de Brasília.

Lina:uma biografia (Todavia, R$ 89,90) – Francesco Perrotta-Bosch. O autor que vive em Veneza, onde Lina está sendo homenagem pela 17ª Mostra Internacional de Arquitetura da Bienal da cidade, conta que a arquiteta romana, naturalizada brasileira, chegou ao Rio, sua paixão, em 1946, e tinha um projeto de país. No Nordeste topou com o “pré-artesanato”ou seja, o  uso criativo de objetos diversos como latas recuperadas para fabricação de louça. Seria um ponto de partida para um modelo econômico genuinamente brasileiro. A arquiteta foi a autora do prédio do Masp e do prédio do teatro Oficina, ambos em SP, e o Museu de Arte Baiana, em Salvador . Após o golpe de 1964, ela dizia que o Brasil escolheu a submissão ao know-how estrangeiro, o que se repete hoje. Em 1970, respondeu a um inquérito militar por ter emprestado sua casa para uma reunião de esquerda armada, a qual o guerrilheiro Carlos Marighella compareceu.

O último gozo do mundo – Bernardo Carvalho (Companhia das Letras, R$49,90). Conta a história de uma professora e socióloga que vê seu casamento desmoronar, após 20 anos juntos. Em plena pandemia, o marido pede a separação depois que ela também perdeu pai e mãe por Covid. Ela, aos 39 anos, parte para uma jornada de descoberta, ao se descobrir grávida de um jovem 15 anos mais jovem que conheceu em uma oficina de crítica literária em uma viagem, antes do final do seu casamento. Mas o livro traz um suspense com desaparecimentos de estudantes. Promete!!

Eisejuaz (Relicário, R$55,90) – Sara Gallardo. Resultado da autora argentina (1931-1988) com o indígena Eisejuaz por ocasião de uma reportagem que a escritora redigiu em 1968 sobre sua trajetória. O romance é a reescrita  dessa história  como ficção. Eisejuaz é uma figura complexa qu e vive entre dois mundos e foi convertido ao cristianismo pela Assembleia de Deus e missão norueguesa e  e rebatizado como Lisandro Veiga, mas não deixa de ser filho de xamã, sendo que no livro ele se torna, além de protagonista, também narrador de sua própria história. O romance consiste em captar as “voz” do indígena assim como as vozes que ele ouve, enigmaticamente. Como filho de xamã, o personagem ouve ao mesmo tempo vozes da mata, dos bichos e de outros seres.

A nova América Latina (Zahar, R$69,90) –  Fernando Calderón e Manuel Castells. Os dois principais sociólogos da atualidade, traçam um painel amplo da região  analisando suas dimensões políticas, econômicas, sociais e culturais. Crises de legitimidade, corrupção e violência fazem parte do estudo, assim como os novos movimentos por liberdades, ecologia e contra o racismo.

A criação do Brasil (Planeta, 2018) – Thales Guaracy. No  século XVII, por ordem de Felipe II, rei da União Ibérica formada por Espanha e Portugal, Dom Fradique de Toledo Osório comandou a expulsão dos holandeses da Bahia. Na celebração de seu sucesso, em Madri, Dom Fradique, relatou o que havia sofrido com o povo local para reorganizar a cidade. Eles mesclou as armações da população com os longos dias de sol quente e torturante, que terminavam sempre em chuvas intensas o fim da tarde. Segundo Dom Fradique, “no Brasil até os céus mentem”. O[ Isso viralizou desde então, tornando-se um mote europeu sobre o nosso país. Recomendação do cineasta Cacá Diegues, em seu artigo dominical de O Globo.

Ripley subterrâneo  (Intrínseca, R$ 59,90) – Patricia Haigsmith. Segundo dos cinco volume da série iniciada com O talentoso Ripley. Aqui o sociopata mora no sul da França ao lado  da mulher, herdeira de uma fortuna, circulando com desenvoltura pela alta sociedade da Europa e gerenciando um lucrativo esquema de falsificação de quadros.

Diogo na cozinha: livro do cantor e compositor Diogo Nogueira, único brasileiro indicado, junto com outros 12 internacionais, na categoria de chefs celebridades ao francês Gourmand Awards Internacional, considerada uma das maiores premiações de editoração de gastronomia e vinhos, com o vencedor sendo anunciado no começo de junho.

O imenso azul entre nós (Globo Alt, R$44,90) – Ayesha Harruna Atah. A autora nascida em Gana e, hoje, morando no Senegal, conta a hsitória das gêmeas  Hassana e Husseina, separadas após um ataque à sua aldeia, em 1892. Escravizadas, uma permenece na África e a outra é levada para a Bhia, onde é iniciada no candomblé. Mesmo separadas, alimentam o sonho do reencontro.

Amores confinados (Bloco Narrativo, R$ 45) –  Luciana Neiva e Marcela Esteves. A coletânea que leva como subtítulo Histórias românticas em tempos virulentos, reúne textos escritos por jornalistas e roteiristas durante o longo isolamento provocado pela pandemia, e foi pensada como uma obra que pudesse ser vista no futuro como um retrato desse período. Os contos versam sobre amor, solidão, encontros e desencontros.

Tudo (e mais um pouco) da Editora 34 –  em comemoração aos 70 anos de Chacal, a editora acaba de lançar uma nova edição (estava esgotada) do livro que reúne as obras do poeta  até 2016. E ele prepara dois novos livros.

Guerra pela Eternidade: o Retorno ao tradicionalismo e a Ascenção da Direita (Unicamp, R$ 52,80): Benjamin R. Teitelbaum. Para o autor os governos dos EUA, Brasil e Rússia são influenciados por três intelectuais com forte ação nas instituições governamentais: Steve Banon, Olavo de Carvalho e Aleksandr Dugin. Com atuações diferentes, os três contam com discípulos nos quadros de governo e têm em comum uma obscura doutrina intelectual, o Tradicionalismo. Seus preceitos fazem críticas à modernidade, que seria responsável pelo declínio da espiritualidade e da influência religiosa nas instituições, tornando necessária uma verdadeira batalha espiritual para pôr fim a valores que remontam ao Iluminismo. Elaborado a partir de entrevistas, o livro traça um contexto histórico detalhado e aborda aséctos de enorme interesse para o público.

Os supridores (Todavia, R$ 59,90) –  de José Falero. Ao criar um narrador culto e perspicaz, o autor gaúcho mostra em seu primeiro romance que é um dos nomes mais relevantes da nova literatura brasileira. Um retrato único e cativante de personagens aos quais prestamos pouca atenção. Para entender as entranhas da periferia, a atração pelo lado B, e quem são essas criaturas que a gente julga sem conhecer.


EXPOSIÇÃO

Festival FotoRio: teve início na quarta-feira, em edição on-line gratuita no site fotorio.fot.br. e tem 25 fotos do fotógrafo gaúcho Flávio Damm ( que morreu em outubro do ano passado, aos 92 anos) com cenas do cotidiano que ele clicou, a partir de 2001, em diversas cidades como Lisboa, Praga, Niterói, Congonhas, Ouro Preto, Paraty, Paris e Rio de Janeiro. São fotografias de um flâneur , com fotografia de rua, segundo orientação do fotógrafo francês Henri Cartier-Bresson. Flávio  ficou famoso ao fotografar para a Revista do Globo, em 1948, o então ex-presidente Getúlio Vargas, que descansava da vida política em sua fazenda em São Borja, a 600 km da capital gaúcha, após ser deposto em 1945.

MADES: quer ser um?  Entre no canal do YouTube, Traveleiros e em suas redes sociais. Eles também desenvolvem um curso on-line sobre o tema, com 42 aulas, vídeos e apostilas. Outra dica é o canal Philomena Estradeira do YouTube.

FOTOS: Lee Mumford é um dos profissionais que vêm angariando seguidores com os cliques que faz durante os seus trajetos pelo mundo. Piloto de linha aérea há seis anos, o britânico já esteve em mais de 40 países e tem registros de locais como o Parque Nacional Canyonlands, em Utah, nos Estados Unidos, e a famosa Ponte dos Nove Arcos, no Sri Lanka, entre outros.Todas as imagens estão disponíveis no Instagram de Lee, que chegou a quase 20 mil seguidores. Ele acredita que o fechamento das fronteiras por conta da pandemia da Covid-19 deixou os fãs de viagem com saudade e, por isso, muitos começaram a buscar nas redes perfis como o dele.


DANÇA

18hs, 19h30 e 21hs HOJE  a DOMINGO O que você separou de mim: nove bailarinos transformarão, ao vivo, suas casas em palco. Idealizadores do espetáculo de dança, os bailarinos e coreógrafos Dinis Zanotto e Tamires Coutinho estreiam hoje, em curta temporada virtual. O espetáculo fala sobre as coisas que ficaram guardadas; que ficaram nas pessoas que amamos com essa separação; eles dançam para que o amor seja compartilhado e ainda pela proximidade da cura com que todos sonham. A encenação remota mistura texto, música e dança. A história remete a dois homens em diferentes fases de vida, mas que se enxergam um no outro. E também duas mulheres que desenvolvem uma forte amizade, mas que não sabem direito se a relação que cultivam desperta algo maior. E ainda, uma pessoa tentando manter a sanidade diante da mesmice e da indiferença dos dias atuais. Alé de Tamires e Zanotto, participam do espetáculo Iago DAmazio, Júlia Moraes, Caroline Monlleo, Anna Franco, Davi Benaion, Thais Mothé e Nathalia Amata. Para assistir: Whatsapp, YouTube e Instagram, os dois últimos com direito a interação. Ingressos a R$20 pelo Sympla (www.cutt.ly/ubWjFdp)


MÚSICA

Tim Maiao cantor gravou um disco, em 1970, en español, com músicas de seus dois primeiros LPs. As ditas foram encontradas agora pelo filho que deu uma recauchutada e colocou no streaming o disco Yo te amo com nove faixas de Tim soltando a voz em clássicos como Azul color del mar, Cristina, Yo te amo, cuja versão dá nome ao disco, além de Fuíste tu, Risas, Coroné Antonio Bento, Cristina número 2, Padre Cícero e Primavera. Tim morreu, em 1998, aos 55 anos, de falência múltipla dos órgãos, após sentir-se mal durante um show no Teatro Municipal de Niterói.

Bob Dylan – em seu 39º álbum Rough and Rowdy Ways  que saiu em junho do ano passado, teve ótimas críticas e ainda é muito ouvido no streaming, principalmente agora que o Prêmio Nobel de Literatura  está completando 80 anos. Nas 10 faixas estão músicas   My own version of you, False Profet, Ive made up my mind to give myself to you e Murder most foul.


LIVES

HOJE

18hFestival não existe, da Gop Tun
Atrações: Badsista, Arthur Joly, Eli Iwasa e outros nomes da cena de música eletrônica brasileirayoutube.com/gopgoptun

19hs Maria Teresa Madeira (piano) e Paulo Sergio Santos( clarinete)  revivem A Música da Belle Époque Carioca. No programa, uma visão geral da música dos tempos do fim do Império até o brilho da antiga capital federal, com obras que vão desde Henrique Alves de Mesquita até Jacob do Bandolim. Programa: Henrique Alves de Mesquita (1830 – 1906) – Batuque; Joaquim Callado (1848 – 8880) – Flor Amorosa; Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959) – Valsa da Dor; Chiquinha Gonzaga (1847 – 1935) e Ernesto Nazareth (1863 – 1934) – Mix de Gaúcho e Brejeiro; Chiquinha Gonzaga (1847 – 1935) – Lua Branca; Ernesto Nazareth (1863 – 1934) Escorregando; Ernesto Nazareth (1863 – 1934)Atlântico; Sinhô (José Barbosa da Silva) (1888 – 1930) – Jura; Radamés Gnattali (1906 – 1988) – Valsa Triste;  Radamés Gnattali (1906 – 1988) – Remexendo; Carolina Cardoso de Menezes (1913 – 2000) – Expressinho; Carolina Cardoso de Menezes (1913 – 2000) – Eu sou do Barulho; Abel Ferreira (1915 – 1980) – Chorando baixinho (clarinete solo); Pixinguinha (1897 – 1973) – Choro de gafieira (piano solo); Pixinguinha (1897 – 1973) – Lamento; Jacob do Bandolim (1918 -1969) – O voo da mosca.

Maria Teresa Madeira é solista e já esteve à frente de diversas orquestras nacionais e internacionais. Como camerista, apresentou-se ao lado de alguns dos mais importantes artistas do país como Altamiro Carrilho, Rildo Hora, Léo Gandelman e Quinteto Villa-Lobos, entre outros; Paulo Sergio Santos  atua no Quinteto Villa-Lobos desde 1975, e na Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro desde1977. Apresentou-se com  importantes músicos de choro como Joel Nascimento, o pessoal da Camerata  Carioca e Raphael Rabello além de fazer vários espetáculos dedicados à  obra do compositor Guinga.

O espetáculo será presencial (R$40 na Sympla e R$20 na bilheteria da sala) e on line no YouTube da Sala e TV Alerj canal 12 Net e 10.2 UHF  Link para compra pela internet:

https://bileto.sympla.com.br/event/67735/d/98515

 

20 hs – A cantora Gal Costa foi a artista escolhida pelo Teatro Bradesco para protagonizar a live de maio. Celebrando 75 anos de idade em 2021, uma das maiores vozes da música brasileira se apresenta hoje em transmissão gratuita e exclusiva pelo YouTube do Teatro. No setlist, canções como Meu Bem, Meu Mal, Negro Amor, Coração Vagabundo, Só Louco e Baby, entre outras. Ela cantará também as músicas de seu recente álbum de estúdio, lançado em fevereiro, Nenhuma Dor reunindo os dez singles que Gal lançou com outros grandes artistas nas plataformas digitais desde novembro de 2020.Em sua segunda live, Gal Costa faz um espetáculo estritamente musical, em que os protagonistas são sua voz e as canções.

20hsDiogo Nogueira – em comemoração aos dois anos de existência do Teatro Prudential, na Glória, haverá uma live com o cantor e convidados em uma mistura inédita de forró, funk e samba. O artista receberá no palco da casa de espetáculos, sem plateia, Fernanda Abreu, Lucy Alves e Mumuzinho. O apresentador será o ator, cantor e compositor Claudio Lins. A transmissão grátis será pelo canal do teatro no YouTubube.

21hMauro Senise Quarteto-  o saxofonista homenageia Johnny Alf (1929-2010). Na live que marca o lançamento de Ilusão à toa – Mauro Senise toca Johnny Alf, o músico e banda interpretam canções como Rapaz de bem, Ilusão à toa, Eu e a brisa. youtube.com/bluenoterio | youtube.com/bluenotesp

 

BADO

10hsViva a mata brincando: promovida pela Fundação SOS Mata ATlÂntica, a live reunirá o duo Palavra Cantada, o grupo Beatles para crianças e a turma do Mundo Bita, três fenômenos da música infantil, em um evento virtual  para conscientizar crianças sobre a importância da proteção das florestas. A artista Estéfi Machado completa a programação com uma oficina de brinquedos. YouTube (/sosmata).

16h30 SIM À IGUALDADE RACIAL: a quarta edição do prêmio que homenageia pessoas e instituições que atuam pela igualdade racial no Brasil terá apresentações de Elza Soares, Ludmilla, Xande de Pilares, Agnes Nunes, MC Carol, Gloria Groove e Brô MC’s. O trio formado por Jéssica Ellen, MAjur e Mc Xamã apresenta  a noite. Multishow e Facebook (/salveidbr).

17hOs Barões da Pisadinha –   banda musical brasileira de forró eletrônico e tecnobrega formada pelos baianos Rodrigo Barão e Felipe Barão. O grande sucesso da banda é a música Rocheda. O grupo ganhou notoriedade nacional quando o jogador Neymar dançou a música e publicou em seu Instagram. youtube.com/OsBaroesdaPisadinha

20hsNando Reis e Sebastião Reis: a dupla formada por pai e filho – que lançou, recentemente, EP Nando e Sebastião, apresenta, em formato de voz e violão, um show com sucesso de carreira do ex-titã, como All Star, Relicário e O Segundo Sol, com novos arranjos feitos por Sebastião. O cantor e compositor Chico Chico faz um pocket show de abertura (/portalsescrio).
20hJorge & Mateus + Leonardo + Bruno & Marrone + Marília Mendonça Live Cachaça Cabaré 4- YouTube

20h Elba Ramalho    a cantora paraibana apresenta alguns de seus maiores sucessos em live promovida pelo SESC, com doaões para projeto Salve – Unidos contra a Fome, que arrecada alimentos para famílias em vulnerabilidade social. Músicas como De volta pro aconchego, Frevo Mulher e Bate coração estarão no roteiro. YouTube (/sescminas).

20 hs Festival #Ziriguidumemcasa. Atrações: Ivan Lins faz dueto com o filho, Claudio Lins, em edição especial do festival que presta homenagem a Beth Carvalho. A festa para a sambista, que teria completado 75 anos anos no dia 5 deste mês, também vai ter apresentações de Valéria Oliveira,Arranco de Varsóvia, Carlinhos Sete Cordas, Claudio Lins, Dayse do Banjo, Ivan Lins, João Pinheiro, Leo Russo, Nilze Carvalho e outros. No: youtube.com/tvziriguidum

21hs Verônica Sabino e Luís Felipe de Lima: dando continuidade ao projeto Nosso Samba, que promove lives do gênero,  a cantora Verônica Sabino e o violonista Luís Felipe de Lima celebram a obra de Martinho da Vila com releitura de canções como Disritmia, Ex-amor, Canta, canta minha gente, Chora viola e Quero, quero. Participação especial do percussionista Marcos Suzano. YouTube(/sambabook).

 

DOMINGO

15h – BUENA VISTA, SOUL, JAZZ & BLUES FESTIVAL

Atrações: Bruno Marques convida Alessandra Salerno & Auder Jr. + Doctor Ray Blues Band + Vinícius Mendes Quarteto
youtube.com/sionproducoes

 

QUINTA-FEIRA

21hsKleiton&Kledyr: os dois engenheiros gaúchos que partiram para formar uma dupla musical se apresentam no palco do Teatro Claro Rio, em Copacabana, sem público e on line, comemorando 40 anos de carreira. Eles cantarão Deu pra ti, baixo astral, Maria Fumaça, Vira virou, Paixão e Nem pensar, entre outras. A transmissão gratuita será pelos canais da dupla e do Teatro Claro Rio no YouTube, e ainda pelo canal 500 da Claro TV.


TEATRO

ESTREIA

20hs às 23hs Como devo chorá-los: a peça-performance de Marina Viana  estreou terça-feira on-line e trata do luto na pandemia. Com Chandelly Braz, Bernardo Marinho, Pedro Henrique Müller, Zahy Guajajara e Juliana França. É um projeto que faz a releitura de Antígona, mesclando teatro, cinema, artes visuais e intervenção urbana, identificando as ressonâncias da tragédia grega no Brasil de hoje. Até domingo (2/5) no site comodevochoralos.com.br.

 

HOJE

20 hs Protocole Volpone – Um clássico em tempos pandêmicos: Com Helena Ranaldi, Daniel Alvim e mais oito atores, ganha temporada virtual, previamente gravada. Na trama, um homem que finge estar agonizante se diverte cm seu s bajuladores que o enchem de favores. Sextas e sábados. Gratuito, com transmissão via YouTube. Até 5 de junho.

Angustia-metexto: Julia Spadaccini e Marcia Brasil; direção: Alexandre Mello. Com Fábio Ventura, Leandro Baumgratz, Maria Adélia, Noemia Oliveira, Raquel Rocha e Rogério Garcia.A comédia dramática mergulha nas angústias de seis pessoas em situações inusitadas. O espetáculo segue disponível gratuitamente no Youtube com ingressos retirados pelo SymplaAté 30 de junho.

A melhor versão : Ana Paula Secco, Armando Babaioff e Michel Blois estrelam a peça com texto de Julia Spadaccini. A história retrata uma família carioca representativa de uma tradição e moral que atravessa décadas, desde os anos 50 até 2020. Até domingo disponível gratuitamente no Sympla.

Terra em trânsitoUma solista se encontra enclausurada dentro de um camarim. Ela conversa o tempo todo com um cisne judeu enquanto o alimenta, com a finalidade de fazer foie gras. Está aí o pontapé para o elogiado espetáculo com texto e direção de Gerald Thomas, e interpretado pela atriz Fabiana Gugli. Até 31 de maio, com transmissão gratuita via YouTube.

19hs e 20h30O homem do besouro – do romeno Matéi Visniec. A história adaptada pelo grupo Lunar de Teatro esmiúça as inquietações de um homem solitário enclausurado no apartamento onde vive. Depois de reparar na presença constante de um inseto em casa, o personagem repensa hábitos, desejos e medos.Gratuito, com transmissões pelo YouTube (no canal  da companhia).

18h30 e 20hs:O plantio das palavras – com Emilie Becker e Janaína Mello, traz o passado para o presente do Brasil. Em 2021, após acordar de um pesadelo, uma mulher encontra cartas escondidas no assoalho de casa: são poemas escritos por uma antiga moradora, em 1964, com planos para uma revolução contra a ditadura, Gratuito, com transmissões via YouTube (no canal Infinito Ontem).

20, 20h30 e 21hs: C.R.I.A.S.: filhos de empregadas domésticas, os atores Éer Augusto Marcos, Maria Rosa e Paloma Rodrigues se debruçaram sobre histórias de suas famílias para criar o espetáculo, também oinspirado no clássico As criadas, de Jean Genet. Os profissionais sonham com ouras vidas. Gratuito por meio do Sympla.

Ela e eu – Vesperal com chuvacom Suely Franco. É o primeiro monólogo da atriz, inspirado em um conto de Lúcia Benedetti e se concentra nas memórias de uma senhora sobre fatos corriqueiros da infância, amores do passado, decepções e sonhos que ficaram para trás. A montagem pode ser vista em qualquer horário até julho, A partir de R$ 20, por meio da plataforma Funarj Em Casa. 45 minutos. Até 22 de julho.

A melhor versão : Ana Paula Secco, Armando Babaioff e Michel Blois estrelam a peça com texto de Julia Spadaccini. A história retrata uma família carioca representativa de uma tradição e moral que atravessa décadas, desde os anos 50 até 2020. Até 30 de maio disponível gratuitamente no Sympla.

17hs – Fragmento de um sorriso: texto: livremente inspirado em entrevistas de Elisa Lucinda. Direção: João Artigos. Com Vilma Melo. O monólogo reflete sobre a expressão “quase da família”, utilizada muitas vezes para para se referir às mulheres que prestam serviço doméstico há muitos anos numa casa. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. Até 30 de outubro.

20 hs –  O pior de mim: Texto e atuação: Maitê Proença. Direção: Rodrigo Portella. Em cena, a atriz traz à tona momentos e características pessoais que ela sempre manteve discretos. O espetáculo é transmitido do Teatro Petra Gold. Em entrevista sobre a peça, Maitê Proença diz: “Todos somos inseguros, mesmo os que têm verniz brilhoso, como eu”. R$ 20, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 14 anos. Até 30 de outubro.On line.

20 hs –  Minha amiga John Lennon: na 21ª Conferência de Depoimentos Inúteis, uma palestrante conta um fato inusitado, que transformou sua vida durante o período de isolamento social. Sex e sáb, às 20h. R$ 25, por meio do Sympla. 30 minutos. Até 31 de outubro. On line

20 hs – A protagonista:  texto: Carol Barbosa, Juliana Soure e Tatiane Santoro. Direção: Juliana Soure. Com Aliny Ulbricht, Carol Barbosa, Rosa Nogueira e outras. A peça acompanha o dia a dia de quatro funcionárias de uma empresa que atua de maneira remota. Sex a dom, às 20h. Para ter acesso, é preciso se inscrever no Instagram (@coletivoparalelas) ou por e-mail (contato.coletivoparalelas@gmail.com). 60 minutos. 14 anos. Até 11 de outubro.

21 hs – Kamikaze: texto e direção: Oscar Saraiva. Com Ana Julia Hammer, Carolina Alfradique, Eduardo Parreira e outros.Com narrativa fragmentada, a montagem cruza a história de personagens confinados e mostra como eles lidam com questões afetivas e eventos inesperados. Sex e sáb, às 21h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (em bit.ly/33zd1Zo). 56 minutos. Até 31 de outubro.

 

BADO

Terra em trânsitode Gerald Thomas. Quando estreou em 2006, a peça escrita e dirigida por Gerald Thomas tecia críticas ao então presidente dos EUA, George W.Bush, cuja política bélica endureceu após os ataques de 11 de setembro de 2001. Passados 15 anos, o texto foi atualizado para a estreia em formato virtual. Nessa npva versão, o dramaturgo e diretor expressa seu desgosto com Donald Trump, Jair Bolsonaro e o atual estado do Brasil e do mundo, o que inclui a pandemia do novo coronavirus. Um solista (Fabiana Gugli) está prestes a entrar no palco para interpretar a ária Liebestod, da ópera Tristao e Isolda, de Richard Wagner. No camarim, ela começa a perder a noção da realidade enquanto dialoga consigo mesma diante do espelho – ou da câmera, na versão gravada. Tudo fica ainda mais alucinante com a entrada do cisne judeu (manipulado por Isabela Carvalho e com a voz do ator Marcos Azevedo) que é alimentado à força para virar fois-gras. O espetáculo conta com a participação de Ney Latorraca, que faz uma falsa chamada de vídeo com Fabiana Gugli. Os dois travam um diálogo metalinguístico sobre a peça e citam o jornalista Paulo Francis, cuja voz abria a versão anterior.A partir daí começam as falas alucinadas que têm relação com a realidade. Sábado e domingo, às 20 hs.  Até  domingo, disponível no YouTubeAcesso pelo link: bit.ly/terraemtransito. Gratuito.

18 hs – Novos normais: sobre sexo e outros desejos pandêmicos’Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Alessandra Nassi, Alex de Felix, Alex de Jesus e outros.O espetáculo do grupo Os Satyros aborda os desafios do mundo atual em relação a afetos na pandemia. Dom, às 18h. A partir de R$ 5, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. 18 anosAté 26 de outubro.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012