Edição 2016 do Prêmio Esso
é suspensa após 60 anos


Por Edir Lima

20/05/2016


19238081Depois de julgar mais de 33 mil trabalhos jornalísticos nos últimos 60 anos, premiando mais de mil profissionais da imprensa do país, o Prêmio Esso, concurso mais importante do jornalismo brasileiro, está suspenso nesse ano de 2016. Em nota, a multinacional de petróleo e gás norte-americana ExxonMobil, que patrocina a iniciativa, afirma que fará uma pausa para reavaliar o formato da premiação de modo a “contemplar tanto as tradicionais quanto as novas formas em que a atividade vem sendo exercida no país”.

“A ExxonMobil está suspendendo a produção do Prêmio ExxonMobil de Jornalismo, antigo Prêmio Esso, e revisando o programa. A companhia vai reavaliar o formato da premiação de modo a contemplar tanto as tradicionais quanto as novas formas em que o jornalismo vem sendo exercido no Brasil”, diz o comunicado da empresa.

A notícia sobre a suspensão do Prêmio Esso gerou vários comentários sobre o motivo da medida. A recessão no Brasil, somado à crise que afeta o setor de óleo e gás, foram apontados como principais causas da decisão da empresa. A ExxonMobil não se pronunciou sobre essas questões. A entidade não afirma se voltará a premiar produções jornalísticas a partir de 2017 nem se a pausa tem relação com questões orçamentárias.

O Globo publicou a opinião de alguns editores sobre o Prêmio Esso.

Ricardo Pereira, diretor executivo da Associação Nacional de Jornais (ANJ), lamentou a decisão:

“É uma notícia triste. Trata-se de uma premiação que há 60 anos vem reconhecendo o bom jornalismo produzido no Brasil. Espero que seja realmente uma pausa e que seja retomada em breve”, ressaltou.

O presidente do Fórum Mundial de Editores, Marcelo Rech, também lastimou a interrupção. Ele destacou preocupação com premiações “aventureiras”:

“O ExxonMobil é o prêmio mais ambicionado e de maior credibilidade no jornalismo, julga de forma independente. Mas é uma decisão empresarial e que pode refletir uma mudança de estratégia do patrocinador. Neste momento, tem preocupado os editores em geral o surgimento de prêmios aventureiros e esporádicos, com aval de setores que premiam reportagens de forma direcionada”, observou.

Na edição 2015, foram distribuídos mais de R$ 123 mil em prêmios, entre a escolha principal e outras 13 categorias.

No ano passado, além do prêmio principal, o concurso foi dividido em 13 categorias: fotografia, educação, informação econômica, informação científica, tecnológica ou ambiental, primeira página, criação gráfica/jornal, criação gráfica/revista, regional Norte-Nordeste, regional Centro-Oeste, regional Sul, regional Sudeste e telejornalismo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012