Situação financeira de jornal preocupa o sindicato


18/02/2016


jornal-correio-braziliense-2013-2222O portal Comunique-se postou sobre a iniciativa do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (SJPDF) que reivindicou, junto a profissionais da imprensa, a criação de uma “Comissão de Crise” para acompanhar os problemas financeiros do jornal Correio Braziliense e iniciativas da empresa para resolvê-los. Na terça-feira, 15, a entidade voltou a cobrar reunião com representantes do veículo para discutir o assunto.

Segundo a publicação, o sindicato informou que os funcionários do jornal querem que a comissão seja montada por repórteres, editores e representantes do SJPDF. Os profissionais já manifestaram em diversas ocasiões preocupação com as pendências atuais, como a falta de repasse do FGTS e com os novos problemas que possam surgir em 2016.

O sindicato acrescentou que, no último ano, o Correio Braziliense atrasou salários, o pagamento da primeira parcela do 13º e o recolhimento do FGTS. O objetivo é que os integrantes da comissão tenham ciência da situação financeira do veículo e, consequentemente, que a gestão da empresa seja mais participativa e transparente nas resoluções.

Segundo o sindicato, a direção do veículo não se posicionou, mas sinalizou a possibilidade de reunião com os trabalhadores no auditório da empresa. O encontro, no entanto, ainda não foi marcado.
Outras questões

O Comunique-se acrescenta que outro tema a ser tratado pela comissão é a regularização do FGTS dos funcionários. Em julho de 2014, o Sindicato oficiou o Correio a partir de relatos de que havia atraso no depósito das parcelas do benefício. Em agosto e setembro, novo ofício cobrava esclarecimentos e a solução do problema.

A empresa prometeu resolver a questão até março de 2016. “Por este motivo, o Sindicato quer saber em que estágio está a questão.
Os diretores do SJPDF também irão solicitar calendário do pagamento das obrigações da Convenção Coletiva de Trabalho, como o retroativo do reajuste salarial e a Participação nos Lucros e Resultados”, informou a entidade.

Outro ponto discutido será o cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) estipulado entre o Ministério Público do Trabalho e o Correio Braziliense. O termo trata dos plantões, do descanso semanal remunerado e do intervalo intrajornada. O acordo foi firmado em março de 2015 com o objetivo de sanar algumas irregularidades dentro do veículo. Os funcionários reclamam também do excesso de horas-extras.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012