Jornalistas seqüestrados no México


28/07/2010


A Comissão Nacional dos Direitos Humanos do México (CNDH) denunciou nesta terça-feira, 27, o desaparecimento de quatro jornalistas na cidade Gómez Palácio, em Durango, enquanto cobriam manifestação em um presídio local, cujo Diretor foi acusado de libertar presos para que cometessem assassinatos para um cartel de drogas. 
A CNDH, que exigiu o fim da impunidade e a imediata solução do caso, não divulgou os nomes dos profissionais mas informou tratar-se de um repórter do canal Multimedios, dois cinegrafistas do canal Televisa, e um repórter do jornal El Vespertino. Os três primeiros teriam sido sequestrados por membros do crime organizado por volta das 12h desta terça-feira, e o outro, às 23h.
 
De acordo com informações divulgadas na imprensa, em troca da liberdade dos jornalistas, os sequestradores teriam exigido dos veículos de comunicação a exibição de vídeos nos quais agentes federais admitiriam trabalhar para o cartel de drogas Los Zetas.
 
De acordo com a CNDH, 64 jornalistas foram assassinados no México desde 2000, e 11 desapareceram entre 2006 e 2010.
Mais de 25 mil pessoas foram mortas na guerra contra o narcotráfico desde 2006.

*Com informações do Centro Knight de Jornalismo, La Jornada, EFE, O Estado de S. Paulo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012