Cobertura negativa do Brasil bateu novo recorde em 2013


Por Igor Waltz*

09/01/2014


Capa de 2009 da revista <i>The Economist</i> apontava o Brasil como maior caso de sucesso da América Latina. Capa de 2013 questiona se o País teria estragado tudo. (Crédito: Reprodução)

Capa de 2009 da revista The Economist apontava o Brasil como maior caso de sucesso da América Latina. Capa de 2013 questiona se o País teria estragado tudo. (Crédito: Reprodução)

O número de reportagens negativas sobre o Brasil na imprensa internacional bateu recorde no terceiro trimestre de 2013, aponta o levantamento da agência Imagem Corporativa desde 2009. Das 1.101 notícias publicadas sobre o país nos 15 veículos analisados, como El País, Le Monde e The New York Times, 42% tinham um tom crítico.

Os problemas de infraestrutura para a Copa e a política econômica adotada pelo governo foram alguns dos temas abordados pela mídia. O especial de 14 páginas da revista inglesa The Economist intitulado “O Brasil estragou tudo?” foi uma dos destaques do período.

A crise nas companhias de Eike Batista também favoreceu a cobertura negativa sobre o país.

Nos nove primeiros meses de 2013, o número total de referências ao Brasil caiu 14,74% na comparação com o mesmo período de 2012. As reportagens negativas, porém, cresceram 22,34%. No período, foram veiculadas 3.337 notícias sobre o país.

* Com informações da Folha de S. Paulo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012