Três jornalistas são presos durante ação policial em SC


Por Claudia Sanches*

21/12/2015


repórter detida

Três jornalistas foram detidos em Florianópolis neste sábado (19/12) durante ação de reintegração de posse de um terreno às margens da SC-401, que liga o centro da cidade as praias do Norte da Ilha de Santa Catarina. Denominado “Guerreira Dandara”, o grupo formado por cerca de 40 pessoas havia ocupado o terreno na mesma madrugada.

Um dos jornalistas detido pela Polícia Militar foi o repórter fotográfico Marco Favero, do jornal Diário Catarinense, que acabou liberado em seguida. As jornalistas Joana Zanotto e Natália Pilati, do coletivo Maruim, foram levadas com os ativistas para 5ª Delegacia de Polícia e assinaram Termo Circunstanciado por resistência.

O repórter-fotográfico Marco Favero foi preso por policiais militares enquanto cobria a ação da polícia, por volta das 12 horas, quando foi algemado e colocado dentro da viatura. Ao tentar conversar com os policiais ao ser preso, Favero recebeu a justificativa de que estava sendo algemado “para sua própria segurança”, já que estava dentro da área isolada pela PM.  “Os manifestantes saíram da cerca de arame para negociar com os policiais e eu fui junto para acompanhar a situação. Quando voltaram, me agarraram pelo colete. Justificaram que eu ofereci resistência. Fui o primeiro a ser preso. Apesar de ter me identificado como fotógrafo do DC, me algemaram e colocaram na viatura. Vi outros jornalistas dentro do terreno, mas naquele momento só eu fui preso”, contou Favero.

Reincidência preocupa jornalistas

O jornalista Renato Igor, da RBS TV do Rio Grande do Sul lamentou o fato e disse que o que preocupa é a reincidência da violência ao profissional de imprensa na região. O repórter lembrou a prisão da colega Ângela Bastos, do Diário Catarinense, que registrou uma ação policial no terminal central de ônibus, e teve o celular apreendido e as imagens apagadas. “Agora neste sábado os profissionais foram presos, também com o único intuito de evitar o registro a reintegração de posse”, disse ele.

Renato criticou o ataque aos jornalistas, que estão na rua para cumprir seu papel de informar: “Quando a imprensa é agredida e tem material apreendido sem ordem judicial não apenas o jornalista é atacado, mas a sociedade que perde seu direito do acesso à informação do público. Não acredito que isso seja uma ordem do comando da da PM. Espero que os responsáveis sejam identificados e punidos dentro do rigor da Lei”.

*Portal Uol

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012