9 de agosto de 2022


Os 80 do Rei, Tancredo Neves e Dia do Índio nas Dicas


16/04/2021


Nas Dicas estãoTancredo Neves, os 80 do Rei e Falas da Terra

 

O Dia do Índio, segunda-feira, tem voz no programa Falas da Terra da TV Globo com mulheres e homens de diversos povos na luta pelos direitos indígenas e ainda um pedido de inscrição no canal da comunidade de Mangueirinha para que possam fazer lives durante a próxima semana. Inscrevam-se aqui: https://youtube.com/channel/UCSTB-2EdNkD4A0oxIAw6lrA .

No mesmo dia, o Rei Roberto Carlos comemora seus oitentinha em casa e sem aglomerações na porta de seu prédio. Mas, hoje, tem live com seu cover, Charles Evanney e um show de Gilson Peranzetta com artistas como Mônica Salmaso, Ivan Lins e Áurea Martins, entre outros.Um podcast da Globoplay fala da facilidade da compra de armas e de um assalto sofrido por Bolsonaro. Vale ouvir. Veja no festival É tudo Verdade filmes sobre Gorbachev, Ziembinsky e o fundador da Newsweek  que está enterrado em Santa Catarina. E tem também muitos filmes candidatos ao Oscar para você ver antes da cerimônia, dia 25. Não perca  o dinamarquês Druk. No Cineclube Macunaíma há uma homenagem a Tancredo Neves que morreu em 21 de abril de 1985, com a exibição do documentário Tancredo – A travessia, de Silvio Tendler, seguido de debate. Duas jornalistas e ex-embaixatrizes lançam livros de poemas na seção Livros. Tem muito mais. Vá lendo. 

E continue em casa, mas lutando pela vacina para todos!!!

TELEVISÃO

TV GLOBO –  São 14 lideranças indígenas femininas contra sete masculinas embora o maior protagonismo ainda seja deles. O programa Falas da Terra da TV Globo comemora o Dia do Índio, na segunda-feira, após o BBB21, levando ao ar a voz de 21 indígenas que se destacaram e conseguiram dar fala a seus povos massacrados desde a Descoberta do Brasil. E por falar nos indígenas, um pedido: Neste ano, por causa da pandemia, as escolas indígenas de Mangueirinha se uniram para produzir um canal no YouTube, no qual serão transmitidas, ao longo da semana do dia 19 de abril, várias atividades e eventos, com o intuito de divulgar a cultura e os saberes indígenas! Para isso, eles precisam de, no mínimo, 1000 inscritos (para poder fazer live)! Vocês poderiam se inscrever no canal? https://youtube.com/channel/UCSTB-2EdNkD4A0oxIAw6lrA 

ENTREVISTAS

DOMINGO

TV EMAentrevista com Vereador Reimont (PT/RJ)

SEGUNDA-FEIRA

19h30  ABI Esporte: apresentado por Marcos Gomes, o programa reúne os jornalistas Cid Benjamin, Ricardo Carvalho, Caco Schmitt e Carlos Monforte para um bate-papo sobre Futebol e Política. Em destaque a estreia do Flamengo e Palmeiras e outros cinco times brasileiros na fase de grupo da Copa Libertadores e, na geopolítica, o confronto entre Manchester City e Paris Saint Germain, ou não seria Emirados Árabes e Qatar?

22hs – Roda Viva – Ailton Krenak, no Dia do Índio, é o entrevistado dessa segunda-feira do programa na TV Cultura, site e redes sociais da emissora.

TERÇA-FEIRA

19h30 –o Cineclube Macunaímaexibe o documentário Tancredo – A Travessia (de 2011 e com 1h44m de duração), de Silvio Tendler e que, a partir das 10 hs, estará à disposição do público. Às 19h30, haverá um debate com o cineasta Silvio Tendler e convidados, entre eles, Ricardo Kotscho. Ricardo Cota será o mediador. O filme, exibido no festival É tudo Verdade 2011, apresenta a trajetória do primeiro presidente civil eleito do Brasil pós-ditadura, Tancredo Neves, que morreu a 21 de abril de 1985 sem ter assumido o cargo.

QUARTA_FEIRA

19h30 – Memória Musicalo produtor cultural Paulo Figueiredo apresenta o programa que faz homenagem ao compositor mineiro Geraldo Pereira, tendo como convidado um dos autores do livro Um Escurinho Direitinho, Vida e Obra de Geraldo Pereira, Luiz Pimentel, entre outros.

QUINTA-FEIRA

19h30 – Rumos do Jornalismo: a diretora de Jornalismo, Andrea Penna, apresenta o programa Rumos do Jornalismo, com convidados.

FESTIVAIS

É TUDO VERDADE

A 26ª edição do Festival É tudo verdade oferece 69 documentários de 23 países com exibição grátis e on-line. As sessões têm hora marcada e é preciso fazer um cadastro gratuito na plataforma LOOKE. Os longas internacionais têm limites de visualização. A programação do festival, que segue até domingo, está no site etudoverdade.com.br. Esta é a segunda vez que, por causa das restrições da pandemia, o evento acontece apenas virtualmente. Aqui, alguns dos filmes que serão exibidos.

Hoje 15/4 (21hs) e amanhã (15hs) – Os arrependidos: dirigido por Ricardo Calil e Armando Antenore, conta a história de presos políticos que foram torturados e obrigados pela ditadura militar brasileira a mostrar arrependimento público, num gesto de elogio ao regime.

Domingo 18/4 (15hs) – Leonie, atriz e espiã: dos palcos À espionagem. A diretora holandesa Annete Apon recria os passos de Leonie Brandt (1901-1978), que depois de trabalhar como atriz serviu de espiã pela Holanda em plena Alemanha nazista.

Até 18 de abril – Gorbachev.Céu: aos 90 anos (88 durante as filmagens), Gorbachev é o protagonista, documentário do diretor russo Vitaly Mansk que integra a programação do festival. O filme é uma longa entrevista que revela como vive hoje o último líder soviético e quais suas lembranças do passado. Ele não é de falar muito, mas Mikhail Gorbachev , o político russo mudou a geopolítica do planeta ao promover mudanças que levaram ao fim da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), diz ao diretor do filme: “Você sabia que eu quase chutei o balde?”. Ele vive solitário em uma mansão perto de Moscou, paga as contas com dinheiro de palestras. Ele se declara socialista e tem ainda Lênin como “nosso Deus”. Chama Yeltsin de “idiota” e “maluco”. E se cala para não bater de frente com Putin. Fala de seu período como Secretário-Geral do Partido Comunista (entre 1985 e 1991).

Tio Tommy – sobre Thomas J.C. Martyn, o homem que fundou a Newsweek, veio para a América do Sul e foi enterrado, anonimamente, em Agrolândia, em Santa Catarina, embora em seu túmulo esteja escrito: Fundador da Newsweek.

Zimba – sobre a vida e a obra do ator/diretor Ziembinsky. Aborda sua versão para a peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues. Mestre de vanguarda e expressionismo.

FANTASPOA

O Fantaspoa é o maior festival de cinema dedicado exclusivamente a filmes de gênero fantástico (fantasia, ficção-científica, horror e thriller) da América Latina. Ocorrendo anualmente na cidade de Porto Alegre desde 2005, este ano o Fantaspoa terá sua segunda edição totalmente virtual e gratuita, repetindo a bem-sucedida parceria com a plataforma de streaming Darflix. Até 18 de abril, a conta com mais de 160 filmes (entre curtas e longas-metragens) de 40 países, que poderão ser assistidos em todo território nacional. Cada título ficará disponível até atingir a marca de 3.000 visualizações.O XVII Fantaspoa também oferece diversas atividades paralelas, como lives com conversas com cineastas, debates sobre inclusão no audiovisual, sessões musicadas, uma festa online e a exposição “Riso da Medusa”, com trabalhos de 20 artistas mulheres sobre o universo do fantástico. Além disso, estão disponíveis no Youtube do Fantaspoa, 14 atividades formativas sobre as mais diversas temáticas do audiovisual, ministradas por grandes nomes da área.Todas as atividades são online e podem ser acessadas gratuitamente.

Todos os filmes do XVII Fantaspoa estarão disponíveis gratuitamente no serviço de streaming Wurlak/Darkflix, exclusivamente para dispositivos dentro do território brasileiro. Para assistir ao conteúdo do XVII Fantaspoa na Wurlak/Darkflix, você deverá realizar um cadastro gratuito na plataforma (www.wurlak.com.br) e ativar a assinatura para o festival (não é necessário efetuar nenhum pagamento). Ao acessar o site com seu usuário logado, basta buscar os filmes do festival, que estarão na categoria Fantaspoa, e clicar sobre o que deseja assistir. Em seu primeiro acesso, surgirá o texto “CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES”. Você deverá clicar em “Ver Planos” e, depois, em “Assinar gratuitamente”. Assim, sua conta dará acesso aos títulos do XVII Fantaspoa. Lives, debates e palestras serão transmitidos por meio do canal do Fantaspoa no Youtube.

Telecine – Frankieuma atriz francesa (Isabelle Huppert) convida a família para uma viagem a Sintra. A história e paisagem da cidade emolduram os dramas do atual marido, do ex, do filho, da enteada e de uma amiga (Marisa Tomei).

AMAZON – 5 vezes comédia–  com Katiuscia Canoro.

Prime, Now, YouTube/Google Play, OiPlay e Apple Tv – Entre facas e segredos: comédia dramática de mistério (2019) e a trama  brinca com autores detetivescos como Agatha Christie e terá duas continuações. A morte de um escritor policial (Christopher Plummer) é investigada por detetive (Daniel Craig –James Bond) que reúne a família do morto e vê expostas as desavenças entre eles. Pistas sugerem um assassinato e suspeitos não faltam.´

YouTube/Google Play – Álbum de família(2013): em torno de uma matriarca (Meryl Streep) que recebe a visita da família. Diálogos irônicos e agressivos incendeiam o rancor entre a mãe e três filhas (Julia Roberts, Julinne Nicholson e Juliette Lewis), mas sobram labaredas também para os homens. Também com Ewan McGregor, Sam Shepard, Chris Cooper e Benedict Cumberbatch.

YouTube e Google Play – O casamento de Rachel (2008): com Anne Hathaway, a irmã da noiva que sai da clínica de reabilitação para assistir ao casamento e quase implode a família.

YouTube e Google Play – Gata em teto de zinco quente(1958): da peça de Tennessee Williams, dirigido por Richard Brook com Paul Newman e Ellizabeth Taylor que receberam indicações para o Oscar como o turbulento casal quando ele, um ex-atleta alcoólatracenfrenta o pai dominador (Burl Ives) e a mãe manipuladora (Judith Anderson) que se agasta com a nora.

YouTube e Google Play – Sonata de outono(1978): de Ingmar Bergman. Com Liv Ulllmann e Ingrid Bergman protagonizam um dos grandes momentos do conflito familiar, surdo e represado. Ingrid é uma pianista internacional que visita a filha, Liv, depois de longo afastamento geográfico e emocional. A sequência com as duas ao piano, materializa uma nuvem pesada de  ressentimento, angústia e dor.

FILMES CONSAGRADOS FAZEM 50 ANOS EM 2021

O Judeu – ao contar a história de João José da Silva, o diretor Jom Tob Azulay escolheu para o papel principal o ator brasileiro Felipe Pinheiro, morto aos 33 anos no hiato das filmagens. O filme começou a ser rodado em 1987, mas só concluída em 1994, depois de brigas por causa das diferenças em relação à mesma língua e da falta de verba.O ator arrasou, segundo o diretor, ao interpretar o dramaturgo brasileiro queimado na fogueira da Inquisição em 1739, numa Lisboa onde foi denunciado e cindenado por praticar a fé judaica. É o último filme de Dina Sfat. No NOW.

Ânsia de amar- As jornadas amorosas de dois amigos de personalidades contrastantes são mostradas ao longo do tempo nesse filme conduzido com apreciável contenção por Mike Nichols e apoiado no bom rendimento do elencoNo Belas Artes à la Carte.

As aventuras de M. Hulot no tráfego louco-Jacques Tati retoma o personagem Hulot em filme marcado pelas gags visuais e pelo registro clownesco característicos de seu cinema. No Belas Artes à la Carte.

Bang bang –assinado por Andrea Tonacci, o filme é um legítimo representante do cinema marginal brasileiro. O termo, que desagradou alguns diretores, diz respeito a projetos de natureza experimental, marcados pela concepção radical e valorização do vigor autoral. No Looke.

A classe operária vai ao paraíso –obra emblemática de Elio Petri, que expõe as relações conflituosas dentro de uma fábrica diante do difícil cotidiano enfrentado pelos operários. O filme dividiu a Palma de Ouro no Festival de Cannes com “O caso Mattei” (1972), de Francesco Rosi, também com Gian Maria Volonté no elenco. No YouTube.Como era gostoso o meu francês – filme singular, com humor irônico, de Nelson Pereira dos Santos sobre o convívio entre um francês e os tupinambás, que planejam devorá-lo por acreditarem se tratar de um português, no século XVI. As falas em tupi ficaram a cargo do cineasta Humberto Mauro. No Now e no YouTube. Decameron – Pier Paolo Pasolini transporta para a tela contos de Boccaccio nessa primeira parte da Trilogia da Vida – complementada por “Os Contos de Canterbury” (1972) e “As Mil e uma Noites” (1974). Imprime humor e reproduz o universo popular de Nápoles. No Youtube.

Dirty Harry – Perseguidor implacável – Clint Eastwood revela carisma nessa produção, a cargo de Don Siegel, que inaugurou a franquia. Na trama, um homem avisa que matará aleatoriamente uma pessoa por dia até que receba US$ 100 mil. Na Globoplay e no Youtube.

Sob o domínio do medo – desde os primeiros minutos da projeção, um sentido de ameaça atravessa as jornadas de um matemático e sua esposa, que se estabelecem numa casa em região isolada. O trabalho de montagem acentua o efeito perturbador desse filme de Sam Peckinpah. No Youtube

Encurralado- Steven Spielberg demonstra habilidade para mexer com os nervos do espectador ao mostrar a via-crúcis de um homem em seu carro, perseguido pelo motorista de um caminhão – que nem ele e nem o público conseguem ver. No Telecine, YouTube, Google Play.

Ensina-me a viver – a história de amor entre uma idosa repleta de entusiasmo, Maude, e um rapaz sombrio, Harold, apresentada nesse filme de Hal Ashby, preserva o mesmo potencial de encantamento. A atuação de Ruth Gordon é um capítulo à parte. No Prime Video.

A fantástica fábrica de chocolate – bem antes de Tim Burton apresentar a sua versão, a jornada das crianças dentro da fábrica de chocolate de Willy Wonka conquistou multidões nesse primeiro filme dirigido por Mel Stuart e protagonizado por Gene Wilder. No Looke, YouTube, Google Play.

Klute, o passado condena – filme de Alan J. Pakula que rendeu o Oscar de atriz a Jane Fonda e ganha ainda com a fotografia de Gordon Willis. No Amazon Prime, Google Play e Apple TV.

Laranja mecânica – escorado em romance de Anthony Burgess, Stanley Kubrick apresenta uma obra desestabilizadora que confronta o público com o sadismo de Alex, que pratica atos ultraviolentos até ser capturado e submetido a uma lavagem cerebral. No Looke, YouTube, Vivo Play, HBO GO.

 Macbeth – adaptação tradicional de Roman Polanski para a célebre tragédia de William Shakespeare. O cineasta se vale do recurso da narração em off para os solilóquios do texto. No YouTube e no Google Play.

Morte em Veneza –  Luchino Visconti transporta para a tela a novela de Thomas Mann, sobre a paixão de um homem maduro (personagem inspirado em Gustav Mahler) por um adolescente, com extremo requinte, que se estende das interpretações ao padrão de produção. No Belas Artes à la Carte, YouTube, Google Play.

Operação França – à frente dessa produção celebrada no Oscar, William Friedkin demonstra domínio das ferramentas cinematográficas, perceptível na ambientação da trama numa Nova York desglamourizada, na hábil realização de sequências de ação, no ritmo ágil e na trilha sonora que favorece a tensão. No Telecine.

Quando explode a vingança – western de Sergio Leone, fiel às características do cinema do diretor, com James Coburn e Rod Steiger no elenco e emoldurado pela música de Ennio Morricone. No Telecine e no Amazon Prime.

O sopro no coração – ambientado em 1954, o filme de Louis Malle descortina o comportamento dos integrantes de uma família burguesa a partir da jornada de um adolescente. A história surpreende com potencial para a polêmica ao abordar o tabu do incesto. No Telecine.

Um violinista no telhado  a história de Sholem Aleichem (autor do conto original, que rendeu peça de Joseph Stern) sobre o cotidiano dos moradores do vilarejo de Anatevka – em especial, a família do leiteiro Tevye (papel de Topol) – desembarcou no cinema pelas mãos de Norman Jewison. O resultado é uma explosão de alegria. Na Apple TV.

007 – Os diamantes são eternos – a abertura marcada pela perseguição ao vilão já evidencia a fidelidade às conhecidas características da franquia. Esse exemplar, dirigido por Guy Hamilton, é valorizado pela presença de Sean Connery, pelo humor do roteiro e pelos personagens coadjuvantes. No Telecine, YouTube e Google Play.

Três filmes para se comemorar o Dia do  Beeijo que aconteceu na quarta-feira:

E o vento levou – com Clark Gable e Vivian Leigh com a cena do beijo entre os dois atores. No Google Play.

O beijo no asfalto – ficou famoso o beijo entre Aprígio (Tarcísio Meira) e Arandir (Ney Latorraca) na versão de Bruno Barreto para a peça de Nelson Rodrigues, 1960 (Prime Video). O filme ganhou remake dirigido por Murilo Benício em 2018 (Google Play)

A um passo da eternidade – de Fred Zinnemann sempre é lembrado pelo beilaço entre Deborah Kerr e Burt Lancaster numa sequência quente na beira da praia. Google Play.

OSCAR

Parte dos filmes indicados ao Oscar 2021 já está disponível em plataformas de streaming no Brasil. Produção da Netflix, Mank”, do diretor David Fincher, lidera em número de indicações, com dez no total, incluindo melhor filme, direção e ator (Gary Oldman). A cerimônia do Oscar será dia 25.

Melhor filmePrime Video –  O som do silêncioNetflixMank e Os 7 de Chicago –

Direção – Netflix: Mank (David Fincher)Now, iTunes/Apple TV, Google Play e YouTube Filmes – Druk — Mais uma rodada (Thomas Vinterberg) –

Atriz – Netflix:A voz suprema do Blues (Viola Davis) Pieces of a woman (Vanessa Kirby

Ator – O som do silêncio (Riz Ahmed) – Prime Video; Netflix: A voz suprema do blues (Chadwick Boseman)Mank (Gary Oldman)

Roteiro adaptado – Prime Video: Borat: Fita de cinema seguinte ; Uma noite em Miami; Netflix – O tigre branco

Roteiro original: Prime Video – O som do silêncioNetflix – Os 7 de Chicago

Atriz coadjuvante- Prime Video- Borat: Fita de cinema seguinte (Maria Bakalova); Netflix:Era uma vez um sonho (Glenn Close)Mank (Amanda Seyfried) 

Ator coadjuvante: Netflix – Os 7 de Chicago (Sacha Baron Cohen)Prime Video – Uma noite em Miami (Leslie Odom Jr.) –

Filme internacional: Now, iTunes/Apple TV, Google Play e YouTube Filmes – Druk — Mais uma rodada (Dinamarca)

Design de produção: Netflix: A voz suprema do Blues Mank, Relatos do mundoYouTube e Google Play– Tenet 

Fotografia: Netflix- Mank Relatos do mundoOs 7 de Chicago

Animação (longa-metragem): Disney +- Dois irmãosNetflix:A caminho da LuaShaun, o carneiro, o Filme: A fazenda contra-ataca ; Disney+- SoulApple TV +- Wolfwalkers.

Animação (curta-metragem): Netflix – Se algo acontecer… Te amo.

Figurino: Telecine – EmmaNetflix: MankA voz suprema do Blues Disney +- Mulan.

Edição/Mixagem de som: Netflix:Mank Relatos do mundoDisney+- SoulPrime Video – O som do silêncio.

Trilha sonora: NetflixDestacamento BloodMank Relatos do mundoDisney – Soul

Efeitos visuais: Netflix – O céu da meia-noite ; Disney +:O grande IvanMulanYouTube e Google Play– Tenet.

Edição: Netflix– Os 7 de Chicago ; Prime Video– O som do silêncio .

Cabelo e maquiagem: Telecine – EmmaNetflix:Era uma vez um sonhoA voz suprema do bluesMank.

Canção original: Netflix: Os 7 de Chicago (pela canção Hear my voice) – Festival Eurovisão da Canção: A história dos Fire Saga (pela canção

Husavik)Rosa e Momo (pela canção Io Sì)Prime Video – Uma noite em Miami (pela canção Speak now).

O protocolo de Auschwitz – Freddy e Walter, dois jovens judeus eslovacos que foram deportados para Auschwitz em 1942 e dois anos depois conseguem fugir para divulgar evidências para comprovar as brutalidades que aconteciam no campo de concentração. Entrou na disputa para o melhor filme internacional do Oscar. Não levou, mas vale entrar aqui. Now,Looke, Vivo Play, Google Play, Microsoft, Apple TV e Sky Play.

SÉRIES

Fox Premium – Riviera: a terceira temporada de Riviera promete outra vida para sua protagonista, Georgina (Julia Stiles). Depois de morte do marido milionário, explosão de um iate, perseguições em estradas estreitas nas paisagens do Sul da França, ela tenta uma nova carreira. Vive em Londres e dá aulas numa universidade, trabalhando também para devolver obras de arte a famílias judias espoliadas pelos nazistas. A bandonou o sobrenome Clios e voltou a usar Ryland, de solteira.  O que vale na sperie são as locações  e os figurinos sensacionais. É uma distração ótima. Georgina logo sai de Londres para Veneza, visitando os palazzos mais lindos atrás de Picassos e Klees em festas privadas. Ela se alia a Gabriel Hirsch ( Rupert Graves), figura misteriosa. Juntos, vivem mil aventuras.

HBO – The Nevers: a trama de época segue os tocados (touched): pessoas, a maioria mulheres, que de repente manifestam habilidades incomuns – algumas encantadoras, outras perturbadoras – enquanto são perseguidos pelas autoridades da época. Este grupo de superdotados é liderado por Amalia True (Laura Donnelly), uma viúva misteriosa e impulsiva.

Globoplay – Um milhão de coisas: estreou a primeira parte da terceira temporada, passada durante a pandemia. Nos novos episódios, Eddie (David Giuntoli), Rome (Romany Malco), Gary (James Roday), Regina (Christina Moses), Katherina (Grace Park) e Delilah (Stephanie Szostak) só confirmam o que sempre souberam: com o apoio dos amigos, você pode superar os problemas.

Star Channel – The walking deado episódio final da décima temporada mostra Carol (Melissa McBride) levando Negan (Jeffrey Dean Morgan) emu ma viagem, na esperança de minimizer a tensão crescente. Lá, ele reflete sobre o que o empurrou a este ponto e tira conclusões sobre seu futuro. A nova temporada estreia no segundo semestre deste ano.

Netflix- O maior roubo de arte de todos os tempos: No dia de São Patrício em 1990, obras lendárias de Rembrandt, Vermeer e outros, que hoje valeriam mais de meio bilhão de dólares, foram roubadas do Museu Isabella Stewart Gardner, em Boston. A série conta como foi a investigação desse mistério, que até hoje não foi resolvido.

TELEVISÃO

2ª feira –TV Globo – Falas da Terra: o especial vai ao ar depois do BBB21, reunindo depoimentos em primeira pessoa de 21 indígenas brasileiros de diversos povos, entre eles, Daniel Munduruku, escritor, professor e vencedor de prêmios de literatura. As histórias pretendem dar luz à pluralidade cultural e diversidade indígena brasileira, que conta com mais de 300 povos, que falam mais de 200 línguas diferentes. Entre muitas temáticas, todos falam sobre sua luta pelo direito de ser e existir neste país que por anos tentou apagar sua história. Entre os depoimentos, está a história de Fêtxawewe Tapuya Guajajara, estudante de Ciências Sociais da UNB uma das grandes jovens lideranças indígenas brasileiras. Filho do Pajé Santxie Tapuya, assumiu o comando da comunidade indígena Santuário dos Pajés, em Brasília, após a morte do pai, em 2014. Acredita que o ativismo jovem traz questões novas e fundamentais para o movimento indígena. O especial tem direção artística de Antonia Prado e consultoria de Ailton Krenak.

PODCAST

Globoplay – Projetos HumanosSão quatro temporadas de ótimas histórias, entre elas, o Caso Evandro, imperdível. Parte 1: episódios de 1 a 6; parte 2 – As confissões, parte 7 a 12; parte 3:Coisas estranhas e Argumentos de acusação – de 13 a 16; parte 4 – álibis e testemunhas de acusação – 17 a 24; Extras: direito de resposta de Diógenes Caetano e episódio 25; parte 5 – O corpo – de 26 a 32; parte 6 – Outros suspeitos, de 33 a 36. Os episódios são sempre lançados às treças-feiras. Dia 6 de  de 1992, em Guaratuba, litoral do Paraná, Evandro Ramos Caetano, 6 anos, desapareceu. Poucos dias depois, seu corpo foi encontrado sem as mãos, cabelos e vísceras. A suséita: rituaç satâico. Havia, à época, um surto de crianças desaparecidas. O caso ficou conhecido como As bruxas de Guaratuba.

À mão armadao primeiro podcast produzido pela Globoplay que conta com cinco capítulos, liberados sempre aos domingos e com Sonia Bridi.O primeiro deles aconteceu em julho de 1995. À espera dee abrir o sinal de trânsito em Vila Isabel, zona Norte do Rio, Jair Bolsonaro, então deputado federal, foi assaltado por dois bandidos armados. Levaram a moto e tambpem a pistola ue ele mantinha debaixo da jaqueta. No dia seguinte, o ex-capitão contou que se sentiu desprotegido no momento do assalto. A narrativa documental quer mostrar as contradições da política armamentista do atual governo. Nos dois primeiros anos do governo Bolsonaro o número de armas registradas no Brasil dobrou em relação aois anos anteriores e estatísticas da Polícia Federal e do Exército mostram que , anualmente, 11 mil equipamentos bélicos caem em mãos de criminosos. Nos assaltos, as armas caem em mãos criminosas.

MUSEUS

MUSEU DO OSCAR –  só será inaugurado dia 30 de setembro no centro de Los Angeles, projeto de quase um século da Academia de Artes e Ciências Cinematográfica de Hollywood e promete ser o maior espaço dedicado ao cinema de todo o mundo.  Mas, você pode ir esquentando os motores para a cerimônia do Oscar, no dia 25, frequentando o site do museu que estará no ar no dia 22 de abril numa programação virtual gratuita com debates, exibição de filmes, galerias e um tour on-line com fotos antigas e contemporâneas por locais relacionados ao Oscar. O campus tem 28 mil m2, foi projetado pelo arquiteto italiano Renzo Piano, vencedor do Prêmio Pritzker de 1998, e tem sete andares. É formado por imensa estrutura esférica que se conecta ao antigo prédio da loja de departamentos May Company, hoje Edifício Saban. As duas construções são ligadas por pontes de vidro batizadas com os nomes da atriz Barbra Streisand e do empresário do ramo do entretenimento Casey Wasserman.

O museu conta com dois teatros; no prédio esférico fica  o David Geffen Theatre, de mil lugares, e o Edifício Saban abriga o Teatro Ted Mann, com 228 assentos e exibições diárias de filmes, painéis de debate e simpósios. Na andar de cima fiam o restaurante, café, a loja do  Museu da Academia e a Galeria da família Spielberg com mais de 700 filmes de todo mundo reproduzidos em 10 monitores suspensos e presos ao teto.

LIVROS

O demitido (e-galáxia, R$70, o impresso e R$ 40 o e-book): Felipe Pinheiro. O livro fala da trajetória curta, mas intensa, do autor (1960-1993), ator, diretor e dramaturgo que morreu precocemente ao mesmo tempo em que evoca um período efervescente da atividade teatral brasileira – em especial os anos 1980, marcado pelo surgimento de grupos e movimentos. É uma reunião de textos de Felipe, escritos para o teatro e TV, complementados por depoimentos afetivos e informativos do diretor Amir Haddad, das atrizes Fernanda Montenegro e Ângela Rebello e do músico Tim Rescala. Amir fala da importância de Felipe dentro do besteirol e das montagens dele com Pedro Cardoso e como ele influenciou a comédia na Tv, manifestada com a criação da TV Pirata.

Roberto Carlos: por isso essa voz tamanha  (Todavia, R$67,92: e é autografado na compra pelo site da editora até segunda-feira, dia 19 de abril, aniversário do “Rei”): Nos 80 anos de Roberto Carlos, a Todavia lança sua biografia, escrita por pelo jornalista e crítico musical Jotabê Medeiros, que se tornou uma espécie de setorista do cantor desde a infância, em Cachoeiro de Itapemirim, dos primeiros passos buscando ser João Gilberto até os anos de glória. Avesso a biografias  – chegou a pedir o banimento, em 2007, de uma escrita de Paulo César Araújo – , Roberto também não deu entrevista para esta.

Lutando na Espanha(Biblioteca Azul, (R$44,90) George Orwell. Memórias do escritor sobre o confkito armado na Espanha, em 1936, e reúne textos de dois livros: Homenagem à Catalunha e  Recordando a Guerra Civil Espanhola.

Revolta da vacina ( Darkside, R$59,90): André Diniz. O país em crise econômica, muitos brasileiros mortos e uma campanha por vacinação em massa marcada por um embate entre governo e sociedade. Não é um retrato do Brasil de hoje, mas do que acontecia, em 1904, no Rio de Janeiro, então capital federal, e com o registro trocado: ali, era a população que se rebelava contra a vacinação ampla ordenada pelo sanitarista Oswaldo Cruz, junto a uma severa reforma urbana, para tentar controlar doenças como a varíola, febre amarela e peste bubônica que assolavam o país.

O consentimento (Verus, R$44,90): Vanessa Springora. A obra traz o relato da autora sobre a relação abusiva que teve, na adolescência, com Gabriel Matzneff, 36 anos mais velho e um dos escritores mais célebres da França. O livro causou grande comoção e levou ass autoridades do país inclusive a abrir inquéritos para apurar outros possíveis abusos cometidos por ele.

Terra fresca da sua tumba (Jandaíra, R$49) –Giovanna Rivero. Em seu primeiro livro lançado no Brasil, a autora boliviana , uma das vozes celebradas da nova literatura latino-americana, apresenta contoom histórias familiares marcadas por contornos fantásticos, aterrorizantes e repulsivos. Os contos se centram em histórias de pequenos núcleos familiares cuja rotina teria tudo para ser trivial, mas ganha contornos fantásticos.

Guerra cultural e retórica do ódio (Caminhos) – João Cezar de Castro Rocha e Eles em nós (Record) – Idelber Avelar. Os autores definem a questão que o preocupa: “Como teve lugar isso que os aconteceu?” O pronome demonstrativo aponta para Jair Bolsonaro. Castro estuda as práticas da nova extrema-direita bolsonarista na chamada “guerra cultural”. O presidente brasileiro e seus aliados entenderiam essa guerra em termos absolutos, como um jogo de soma zero:o objetivo não seria apenas a vitória eleitoral sobre o adversário de esquerda, mas a eliminação do inimigo comunista. O primeiro capítulo do livro de Avelar começa com os discursos de Getulio Vargas, passa pelo ufanismo do governo Médici – com obras faraônicas como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niterói – e pelo desenvolvimento do governo  Geisel até chegar à euforia da ascenção social no governo Lula e desaguar no voluntarismo econômico de Dilma Roussef.

POEMAS – as jornalistas Christina Autran (JB, Veja, TV Globo) e Tite de Lamare (JB), ambas ex-embaixatrizes que moraram na Europa e América do Sul e, atualmente, vivem no Rio, lançaram seus livros de poemas esta semana. Carlito Azevedo na apresentação do terceiro livro de poesia de Christina, Pelos Poros, diz que a sua poesia “tem algo de oriental, tem algo de matérias heterogêneas se reunindo e tem um mundo inesperado surgindo”. Do livro de Tite, O que não cabe na boca, Carlito analisa “com seu multiverso, sua ambiguidade, suas derivas (artista é aquele cuja mão treme, disse Dante), sua exigência implacável, sua nenhuma condescendência e nenhum facilitarismo, tem que caber nesse mundo homogeneizado e empobrecido de hoje”. Os livros são da Editora 7 Letras e estão à venda no site da editora e da Amazon, nas  livrarias Argumento, Travessa Ipanema e Shopping Leblon, e Martins Fontes.  livrarias Argumento, Travessa Ipanema e Shopping Leblon, e Martins Fontes.

MÚSICA

Sorriso Negro – D. Ivone Laranovo EP da grande dama do samba no streaming.

Os Gilsons – a banda é formada pela trinca José Gil, o caçula de Gilberto Gil, 29 anos, e seus netos Francisco, filho de Preta, 26, e João, filho de Nara, 30.  Com os palcos fechados o êxito passou para outro lugar: as plataformas de streaming onde o grupo coleciona números robustos com suas canções que passam pelo pop, MPB e ritmos afro-baianos. Várias queixas, por exemplo, foi ouvida mais de 24 milhões de vezes no Spotify. Aproveitaram para entrar em parcerias e lançaram Índia, com Júia Mestre; Devagarinho, com Mariana Volker; Besteira, com o Duo Yoún; Algum ritmo, com a banda Jovem Dionísio

LIVES

HOJE

19h30 – Carlos Evanneycover de Roberto Carlos, faz live em homenagem aos 80 anos do cantor na segunda-feira, no palco do Teatro Rival. Será transmitida pelo YouTube oficial do Teatro Rival Refit gratuitamente. Mas quem quiser ajudar o cantor e a casa de shows pode fazer contribuição voluntária pelo site da Sympla usando o QR Code  exibido na transmissão. Ele jogará rosas vermelhas para a câmera.

20hs – 2x Chico Buarque : Claudio Lins estreia Chicoteatro em que interpreta canções como Roda Viva, Tatuagem, Gota d’água, além de desfiar histórias curiosas por trás das letras. As apresentações acontecem Às 6as e 3as, até 7 de maio. Ingressos a partir de R$ 20, por meio do Sympla (/TeatroPetraGoldONLI NE).

20 hs –Botequim da Teresa – com música, petiscos e bate-papo com artistas e cantores, além de receitas de bares famosos do Rio. YouTube.

20 hs – Poemúsica– Festival de Bolso de Música Brasileira – reúne shows e performances de poesia com apresentações inéditas previamente gravadas no teatro Sonora, em Conservatória. Hoje, Guinga é o convidado. A programação vai até o dia 27 de abril com Áurea Martins na próxima sexta-feira (dia 23). Sextas e terças, às 20 hs. A transmissão gratuita é por YouTube, no perfil da Planetário Produções Culturais.

21hs – Gilson Peranzetta comemora seus 75 anos na quarta-feira, fazendo hoje um show com músicas ue marcaram sua carreira com a participação de um time de convidados que inclui Áurea Martins, Ivan Lins, Jane Duboc, João e Mauro Senise, Leila Pinheiro, Mônica Salmaso, Rosa Passos, Teco Cardoso e Wanda Sá. No YouTube (/bluenoterio e /bluenotesp). Ingresso consciente pelo Sympla a partir de R$ 30.

SÁBADO

18 hs – 8ª Festival de Mulheres no Hip Hop  – o evento que celebra o protagonismo das mulheres na cena do rap nacional apresenta os shows de Rap Plus Size (17) e Agbara Crew MC (18), além de debates e palestras em torno do tema. Programação completa no Facebook (/FrenteNacionalMulheresnoHipHop). Sáb e dom, às 18h. No Facebook (/FrenteNacionalMulheresnoHipHop). Grátis.  

19 hs – Lê Almeida –Acompanhado de João Casaes (guitarra), Bigú Medine (baixo) e Joab Régis (bateria), o compositor apresenta o show de “Aulas”, seu sexto álbum da carreira.  No YouTube (/sescsantana). Grátis.

19hs  GABRIELLA PACE INTERPRETA CICLO DE CANÇÕES – tema é FEMINICÍDIO / presencial e terá transmissão pelo YouTube pelo canal da Sala Cecília Meireles.Série Música de Câmara, o duo formado por Gabriella Pace (soprano) e Katia Balloussier (piano). No programa, o ciclo de canções “Passionis de la Flamma”  de Eli-Eri Moura. O compositor paraibano se inspirou em três histórias de violência contra mulheres, no Brasil e na Nicarágua, para compor o ciclo de canções, escritas especialmente para a soprano Gabriella Pace. Completam o programa seis Lieders de Franz Schubert. Presencial (40,00) e #SalaDigital (na transmissão online não haverá cobrança de ingressos)Série Música de Câmara:Gabriella Pace, soprano e Katia Balloussier, piano.PROGRAMA: Eli-Eri Moura (1963) – Ciclo “Passionis de la Flamma”:I – Chama da Vida (Hildegard Von Bingen;II – Maldição de Pandora; III – Mulheres de Queimadas;IV – Maria: Um Sol Me Parecei; V – Fogo de Héstia; VI – La Malora;VII – Mayara Carbonizada; VIII – Todo O Fogo Telúrico Profundo;IX – Chama da Paixão;X – Malleus Maleficarum; XI – Bruxa da Nicarágua; XII – Phoenix. Franz Schubert (1797-1828)– Lieder:1.     Amalia (Schiller; 2.     Des Mädchens Klage op. 58 nº3 (Schiller); 3.     Suleika I op 14 nº 1 (Goethe); 4.     Gretchen am Spinnrade (Goethe); 5.     Impromptu op. 90 no.3; 6.     Die junge Nonne (Craigher); 7.     Lied der Mignon (Goethe); 8.     Rastlose Liebe (Goethe) 19h30 – Elas cantam Zé Keti : as cantoras Grazzi Brasil, Iracema Monteiro, Nana Kozak e Cacá Nascimento interpretam músicas do sambista (1921-1999) como “A voz do morro”, “Diz que fui por aí”, “Opinião” e “Máscara negra”. No YouTube (/teatrorivalrefit). Doação amiga a partir de R$ 15 no Sympla.  

21hs – Moyseis Marques: o músico e compositor apresenta músicas autorais, como “Poeta é outro lance”, “Panos e Planos” (com Luiz Carlos Máximo) e “Entre os girassóis” (com Edu Krieger), e outras canções como  “Coração vulgar” (Paulinho da Viola), “Subúrbio” (Chico Buarque) e “Nomes de Favela” (Paulo César Pinheiro) pelo projeto Nosso Samba.  Link liberado pelo Sympla. Grátis (colaboração consciente).

SEGUNDA-FEIRA

12 hs– Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca Villa-Lobos no show “Como é grande o meu amor por você”, a orquestra celebra os 80 anos de Roberto Carlos com repertório dedicado ao cantor, sob a regência de Vinícius Louzada. No YouTube (/orquestranasescolas). Grátis.

21 hs – Festival da Casa do Choro  – o festival reúne os seguintes shows: Homenagem a Zé Menezes e Dominguinhos com mestres da Escola Portátil de Música (19); Mostra de Compositores, uma seleção da produção atual de novos compositores do choro (20); Trio Julio (21); João Lyra (violão) e João Camarero (violão)(22); e Cristóvão Bastos (piano), Mauricio Carrilho (violão) e Rui Alvim (clarinete) (23). Seg a sex, às 21h. No site www.casadochoro.com.br/digital. Grátis.

QUINTA-FEIRA

20 hs – Poemúsica: o festival mistura poesia e música com apresentações de Guinga (16), Juliana Maia (20) e Áurea Martins (23). Quinta e sexta de abril. No YouTube da Planetário Produções Culturais.

20 hs – Ellefante : a banda brasiliense formada pelo vocalista e guitarrista Fernando Vaz, pelo baixista Adriano Pasqua e pelo baterista João Dito faz show em versão acústica com músicas do disco Mansidão, entre outras canções.  No Sympla. A partir de R$ 10.

20 hs – Meneio: a banda encerra a temporada de shows on-line “Sonhos movediços”, com participações de Dani Nega, MC Sombra e Nathalia Leal. No YouTube (/meneiomeneio). Grátis.

TEATRO

HOJE

Terra em trânsitode Gerald Thomas. Quando estreou em 2006, a peça escrita e dirigida or Gerald Thomas tecia críticas ao então presidente dos EUA, George W.Bush, cuja política bélica endureceu após os ataques de 11 de setembro de 2001. Passados 15 anos, o texto foi atualizado para a estreia em formato virtual. Nessa npva versão, o dramaturgo e diretor expressa seu desgosto com Donald Trump, Jair Bolsonaro e o atual estadp do Brasil e do mundo, o que inclui a pandemia do novo coronavirus. Um solista (Fabiana Gugli) está prestes a entrar no palco para interpretar a ária Liebestod, da ópera Tristao e Isolda, de Richard Wagner. No camarim, ela começa a perder a noção da realidade enuanto dialoga consigo mesma diante do espelho – ou da câmera, na versão gravada. Tudo fica ainda mais alucinante com a entrada do cisne judeu (manipulado por Isabela Carvalho e com a voz do ator Marcos Azevedo) que é alimentado à força para virar fois-gras. O espetáculo conta coma participação de Ney Latorrac, que faz uma falsa chamada de vídeomcom Fabiana Gugli. Os dois travam um diálogo metalinguístico sobre a peça e citam o jornalista Paulo Francis, cuja voz abria a versão anterior.A partir daí começam as falas alucinadas que têm relação com a realidade. Dias 17, 18, 24 e 25 de abril, às 20 hs. Entre 1º e 31 de maio, disponível no YouTubeAcesso pelo link: bit.ly/terraemtransito. Gratuito.

Youtube – Macbeth 2020: um dos textos mais célebres de Shakespeare carrega a fama de maldito, com toda uma mística de acidentes em encenações desde o século XVII. Este é o mote do espetáculo em formato de teatro dirigido por Luis Lobianco, que ficará disponível gratuitamente até 30 de maio no YouTube. Ao lado parceiros da Cia Buraco Show (criada em 2012 e recém fechada no Buraco da Lacraia, na Lapa) como Simone Mazzer, Pedroca Monteiro, Sidnei Oliveira e Letícia Guimarães. Numa estrutura de falso documentário personagens como Rejane Galdán,, diretora de teatro contemporâneo, a diva portuguesa Brigitte Fausta e o performer Su Weismann narram suas experiências com a “peça escocesa”, como o clássico é chamado por quem quer evitar o mau agouro de pronunciar o título.

17hs – Fragmento de um sorriso: texto: livremente inspirado em entrevistas de Elisa Lucinda. Direção: João Artigos. Com Vilma Melo. O monólogo reflete sobre a expressão “quase da família”, utilizada muitas vezes para para se referir às mulheres que prestam serviço doméstico há muitos anos numa casa. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. Até 30 de outubro.

20 hs – Condomínio Visniec: reúne tipos absurdos em ensaio sobre a solidão .Espetáculo online dirigido por Clara Carvalho — e com ingressos gratuitos — se baseia em monólogos do dramaturgo romeno Matéis Visniec – Uma fauna de contornos surrealistas dá as caras em “Condomínio Visniec”, montagem levada à cena pela primeira vez em 2019, em São Paulo, ganha temporada virtual — as sessões acontecem de quinta-feira a sábado, às 20h, e aos domingos, às 18h, com ingressos gratuitos por meio do site Plataforma Teatro, até 25 de abril.

20 hs –  O pior de mim: Texto e atuação: Maitê Proença. Direção: Rodrigo Portella. Em cena, a atriz traz à tona momentos e características pessoais que ela sempre manteve discretos. O espetáculo é transmitido do Teatro Petra Gold. Em entrevista sobre a peça, Maitê Proença diz: “Todos somos inseguros, mesmo os que têm verniz brilhoso, como eu”. R$ 20, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 14 anos. Até 30 de outubro.On line.

20 hs –  Minha amiga John Lennon: na 21ª Conferência de Depoimentos Inúteis, uma palestrante conta um fato inusitado, que transformou sua vida durante o período de isolamento social. Sex e sáb, às 20h. R$ 25, por meio do Sympla. 30 minutos. Até 31 de outubro. On line

20 hs – A protagonista:  texto: Carol Barbosa, Juliana Soure e Tatiane Santoro. Direção: Juliana Soure. Com Aliny Ulbricht, Carol Barbosa, Rosa Nogueira e outras. A peça acompanha o dia a dia de quatro funcionárias de uma empresa que atua de maneira remota. Sex a dom, às 20h. Para ter acesso, é preciso se inscrever no Instagram (@coletivoparalelas) ou por e-mail (contato.coletivoparalelas@gmail.com). 60 minutos. 14 anos. Até 11 de outubro.

21 hs – Kamikaze: texto e direção: Oscar Saraiva. Com Ana Julia Hammer, Carolina Alfradique, Eduardo Parreira e outros.Com narrativa fragmentada, a montagem cruza a história de personagens confinados e mostra como eles lidam com questões afetivas e eventos inesperados. Sex e sáb, às 21h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (em bit.ly/33zd1Zo). 56 minutos. Até 31 de outubro.

21 hs – A arte de encarar o medo: texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Ivam Cabral e outros.Num futuro distópico, pessoas tentam reconstruir histórias de uma vida anterior à pandemia. Sáb, às 21h. Dom, às 16h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 50 minutos. Até 14 de dezembro.

SÁBADO

11hs – Circo de pulgas: esétáculo infanto-juvenil com a atriz Vanessa Dias dando vida à sonhadora Ermínia Tcha Tcha, palhaça que é filha, neta, bisneta e tataraneta de figuras tradicionais do circo. A montagem virtual mosta a menina que vê oesias em coisas singelas, como uma trilha de formigas ou um ovo de pulga. Na página do Circo Teatro Estrela Prateada, no YouTube. Até 18 de abril.

18 hs – Novos normais: sobre sexo e outros desejos pandêmicos’Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Alessandra Nassi, Alex de Felix, Alex de Jesus e outros.O espetáculo do grupo Os Satyros aborda os desafios do mundo atual em relação a afetos na pandemia. Dom, às 18h. A partir de R$ 5, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. 18 anos. Até 26 de outubro.

20 hs  A peste: Texto: Albert Camus. Direção: Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia. Com Pedro Osório. O médico Bernard Rieuxse se dirige ao público após lutar, durante um ano, contra o bacilo de uma peste, metáfora da miséria moral provocada pela guerraA partir de R$ 10, por meio do Sympla (/APESTE). 45 minutos. Até 17 de outubro. A sessão é seguida de debate com o jornalista e escritor Eduardo Bueno. On line.

20 hs – Parece loucura mas há método: texto de Paulo de Moraes e Jopa Moraes. Direção: Paulo de Moraes. Com Charles Fricks, Luis Lobianco e outros.Nove personalidades shakespearianas se enfrentam numa arena de ideias. O público é convidado a participar de enquetes neste espetáculo que funciona como um jogo.20h  Dom, às 18h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla. 70 minutos. 12 anos. Temporada por período indefinido. On line.

20 hs – Tudo que brilha no escuro:texto: Luiz Felipe Reis e Julia Lund. Direção: Luiz Felipe Reis. Com Julia Lund.<SWO> espetáculo da Cia Polifônica acompanha uma mulher que visita lembranças reais e inventadas. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/polifonicacia). 50 minutos. Até 11 de outubro.

21h – Homem de Lata : com Mouhamed Harfouch. Em busca de respostas para questionamentos surgidos durante o isolamento social, um homem reflete sobre temas como machismo, paternidade e fracasso profissional.A partir de R$ 20, por meio do Sympla (/aladimrioproducoes). 60 minutos. 12 anos. Até 31 de outubro.

21 hs – Paulo Freire, o andarilho da utopia: texto: Junio Santos. Direção: Luiz Antônio Rocha. Com Richard Riguetti. A peça recompõe a trajetória do educador. Dom, às 17h. A partir de R$ 25, por meio do Sympla (/paulo-freire-o-andarilho-da-utopia). 80 minutos. 12 anos. Até 1º de novembro.

DOMINGO

15hs  Eu matei Sherazade- Confissões de uma árabe em fúria: subverte a clássica história de As mil e uma noites para tecer um relato contundente sobr eo que significa ser uma mulher no Oriente Médio. É um monólogo com a atriz Carol Chalita. YouTube (/carolchalita). Uma gravação ficará disponível ao vivo até 15 de maio.

18 hs – A Lua vem da Ásia: com Chico Diaz a peça tem transmissão on-line do Teatro Petra Gold. Levanta questões sobre os limites do poder, das hierarquias e o lugar de cada cidadão na sociedade. A obra surrealista é carregada de humor ácido e retrata o diário de um homem hospedado em um hotel de luxo ou talvez em um campo de concentração ou em um manicômio. Acesso através do site do Teatro Petra Gold, com ingressos a R$20. Todos os domingos até 18 de abril.

19 hs – O amor é uma conexão interrompida: não há ninguém perto de você: texto: Lola Arias. Direção: Marco Antonio de Oliveira. Com Camila Carreira, Camila Raquel, Gabriela De Melo e Maria Horn. Isoladas em suas casas, quatro pessoas se encontram num jogo virtual. Elas querem ser vistas pela plateia, sobretudo para que não estejam mais sozinhas. A partir de R$ 15, por meio do Sympla (/oamor). 40 minutos. Até 18 de outubro.

20 hs  – A alma imoral – de Nilton Bonder. Adaptação, direção e atuação: Clarice Niskier. O monólogo questiona conceitos milenares da história da civilização, como as definições de corpo e alma, certo e errado, traidor e traído. Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon —8 2529-7700. R$ 50 (vendas apenas pela internet). 80 minutos. 18 anos. Até 28 de novembro.

20hs – Todos os sonhos do mundo: texto de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Ivam Cabral.Textos de Drummond, Clarice Lispector e Fernando Pessoa se cruzam para abordar a depressão.Seg, às 21h. Ingressos grátis ou a partir de R$ 10, por meio do Sympla(/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. Livre. Até 15 dezembro.

20 hs – Fronteiras invisíveis em processo: texto –  criação coletiva. Direção: Daniel Herz e Luiz Felipe Sá. Com Charles Fricks, Clarissa Pinheiro, Verônica Reis.Fronteira é o tema da peça da Cia Atores de Laura. O espetáculo é formado por esquetes que apresentam situações em que coletividade e intimidade estão entrelaçadas. Ingressos a partir de R$ 10 (vendas pelo Sympla). 65 minutos. Até 11 de outubro.

TERÇA-FEIRA

10 hs – Sombras no final da escadaria: Texto: Luiz Carlos Góes. Direção: Amir Haddad. Com Vannessa Gerbelli. Uma atriz realiza um projeto independente num Brasil que não privilegia a cultura. Após o fracasso da estreia, ela se questiona: como seguir? A peça é transmitida do Teatro Petra Gold. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. 16 anos. Até 27 de outubro.

20 hs – Contraçõestexto: Mike Bartlett. Tradução: Silvia Gomez. Direção: Grace Passô. Com Débora Falabella e Yara de Novaes.A gerente de uma corporação usa cláusulas para manipular uma funcionária. A montagem online celebra os 15 anos do Grupo 3 de Teatro.A transmissão acontece no Zoom, por meio do site www.itaucultural.org.br. 80 minutos. Até 20 de outubro.

QUARTA-FEIRA

17 hs – Diários do abismotexto: Maura Lopes Cançado. Adaptação: Pedro Brício. Direção: Sérgio Modena. Com Maria Padilha. A trajetória da escritora mineira Maura Lopes Cançado, que ao longo da vida foi vítima de sessões de eletrochoque em instituições psiquiátricas. A peça é transmitida do Teatro Petra Gold. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. 12 anos. Até 28 de outubro.

QUINTA-FEIRA

17 hs – Coisas de mãe: texto: Adília Belotti, Hilda Lucas, Regina Amaral, Suzete Capobianco e Vera Tarantino. Adaptação, direção e atuação: Clarice Niskier.Baseada no livro “Coisas de mãe para filha”, coletânea que reúne cartas sobre a maternidade, a peça se debruça sobre o  R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. Até 19 de outubro.

20 hs – A lista: texto: Gustavo Pinheiro. Direção: Guilherme Piva. Com Lilia Cabral e Giulia Bertolli.Impossibilitada de sair de casa por causa da pandemia, uma senhora recebe a ajuda da jovem vizinha. A peça é transmitida do Teatro Petra Gold, no Leblon. A peça coloca Lilia Cabral ao lado da filha, Giulia Bertolli, no palco.R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 12 anos. Até 25 de setembro. On line.

20h30 – Ser José Leonilson:texto e atuação: Laerte Késsimos. Direção: Aura Cunha.Com referências à biografia do artista plástico José Leonilson (1957-1993), o monólogo mescla experiências do ator em cena para levantar questões sobre temas como família, sexualidade e trabalho.A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/serjoseleonilsonaudiovisual). 95 minutos. 16 anos. Até 19 de novembro. On line.

ESTREIAS

Condomínio Visniec: reúne tipos absurdos em ensaio sobre a solidão.Espetáculo online dirigido por Clara Carvalho — e com ingressos gratuitos — se baseia em monólogos do dramaturgo romeno Matéis Visniec .Uma fauna de contornos surrealistas dá as caras em Condomínio Visniec, montagem levada à cena pela primeira vez em 2019, em São Paulo, e que a partir desta quinta-feira (15/4) ganha temporada virtual — as sessões acontecem de quinta-feira a sábado, às 20h, e aos domingos, às 18h, com ingressos gratuitos por meio do site Plataforma Teatro, até 25 de abril.

Na boca do cão:a ópera com libreto do escritor imortal Geraldo Carneiro ganha uma adaptação audiovisual em versão on-line. Sob direção de Bruce Gomlevsky, o espetáculose inspira num trauma real vivenciado pela atriz e soprano Gabriela Geluda, estrela da montagem e que, aos 2 anos, teve a cabeça abocanhada por um cachorro. Até 25 de abril, com ingressos gratuitos via Sympla. Baseado em seis solos reunidos na coletânea “O teatro decomposto ou O homem-lixo”, do dramaturgo romeno Matéi Visniec, o espetáculo aborda aspectos da solidão nos dias de hoje ao acompanhar seis tipos absurdos que vivem no mesmo prédio. A montagem é dirigida por Clara Carvalho. Até 25 de abril, com ingressos gratuitos, por meio da Plataforma Teatro.

Terra em trânsito: Uma solista se encontra enclausurada dentro de um camarim. Ela conversa o tempo todo com um cisne judeu enquanto o alimenta, com a finalidade de fazer foie gras. Está aí o pontapé para o elogiado espetáculo com texto e direção de Gerald Thomas, e interpretado pela atriz Fabiana Gugli. Até 31 de maio, com transmissão gratuita via YouTube.

Sob o mesmo teto: o espetáculo da Cia Gravitá mistura as linguagens de circo, teatro e audiovisual para contar a história de um professor cheio de manias que tem a sua rotina transformada após resgatar uma gata. Até 17 de abril, com transmissões ao vivo no YouTube.

A melhor versão : Ana Paula Secco, Armando Babaioff e Michel Blois estrelam a peça com texto de Julia Spadaccini. A história retrata uma família carioca representativa de uma tradição e moral que atravessa décadas, desde os anos 50 até 2020. Até 30 de maio disponível gratuitamente no Sympla.

A árvore: na peça-filme estrelada por Alessandra Negrini, uma mulher enfrentan um estranho e inexplicável processo de metamorfose ao ver seu corpo transformar-se em uma estrutura vegetal. Até 18 de abril, com ingressos a partir de R$ 30, por meio do site Tudus.

As mariposas: no ano de 2121, um grande desastre ecológico destrói o planeta. Não existem mais florestas, e a maioria das espécies foi dizimada. É esse o cenário da nova trama distópica encenada pelo consagrado grupo Os Satyros. Até 25 de abril, com ingressos a partir de R$ 10, por meio do Sympla.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012