30 de setembro de 2022


Lei Seca salva 10 mil vidas


17/04/2013


Por Igor Waltz*

Transcorridos quatro anos desde a implantação, no Rio de Janeiro, da política pública Operação Lei Seca, a estimativa é de que mais de 10 mil vidas tenham sido salvas, de acordo com o Deputado Federal Dr. Carlos Alberto (PMN/RJ). Formulador da política e ex-coordenador da Operação por dois anos, ele aponta o reconhecimento público como o principal ponto positivo para o sucesso da Lei Seca.
“A população e os condutores de veículos no Rio de Janeiro aprovaram a Operação Lei Seca, segundo o Instituto Brasileiro de Pesquisa Social, com 97%”, afirma Carlos Alberto. “Com alegria vemos que esse trabalho não tem sido em vão, porque já é objeto de pesquisas por 15 estados, que têm vindo ao Rio para saber como formulamos e operacionalizamos a política pública”, completa.
Ao longo dos quatro anos, foram fiscalizados mais de 1 milhão de condutores, dos quais 89,4 mil apresentavam quadro de embriaguez. O número de flagrados dirigindo após o consumo de bebidas alcoólicas saltou de 10 mil em 2009 para 33 mil em 2012, graças ao aumento do número de ações de fiscalização, que aumentaram de 598 para 2.577 no mesmo período. Em 2013, já foram flagrados 3,6 mil motoristas alcoolizados.
O número de acidentes de trânsito com vítimas também apresentou redução significativa se comparado aos anos de 2008 e 2011. Em ambos, a queda foi de 34%. A implementação da nova resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) n° 432, em janeiro de 2013, deixou a OLS ainda mais rigorosa. Agora, há tolerância zero para uso de álcool ao volante e a multa aumentou para R$ 1.915,30. No caso de reincidentes, o valor da multa dobrou e passou a ser R$ 3.830. Além disso, os agentes da operação podem gravar vídeos que comprovem casos de motoristas alcoolizados. Ao longo dos quatro anos da Operação, mais de 200 mil motoristas foram multados.
Ao lado do trabalho de fiscalização, a OLS também realiza ações de conscientização, contando com a participação de agentes cadeirantes que foram vítimas de acidentes de trânsito provocados pelo consumo de álcool. Com esse objetivo, mais de 322 palestras educativas já foram oferecidas em escolas, universidades e empresas por todo o estado.
Para o professor de Engenharia de Transportes da Coppe/URFJ Paulo Cezar Ribeiro, a OLS o êxito da ação se dá pelo constante trabalho de fiscalização. – Os motoristas só aprendem e tomam precauções quando há patrulhamento intensivo nas ruas. É uma ação válida, que ajuda a melhorar a segurança no trânsito no Rio de Janeiro – disse Ribeiro.
* Com informações do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012