Jornalistas correm perigo na AL, aponta relatório


27/12/2010


Segundo relatório da ONG Campanha Emblema de Imprensa (PEC), a América Latina é o continente mais arriscado para o exercício da profissão de jornalista. Segundo o levantamento, em 2010 foram registradas 35 mortes, quatro delas no Brasil. Logo depois vem a Ásia, com 33 mortes. Na África morreram 14 profissionais e na Europa 12. No Oriente Médio ocorreram11 assassinatos.
 
O documento aponta que os dois países recordistas em mortes em 2010 foram México e Paquistão, com 14 mortes cada. No total, 105 jornalistas foram mortos neste ano em 33 países. Nos últimos cinco anos o número sobe para 529, e uma média de dois profissionais de imprensa mortos por semana.
 
No ranking mundial, o Brasil aparece em sétimo lugar. Entre os países da América Latina, o País sobe para a quarta colocação, atrás somente de México (14), Honduras (nove) e Colômbia (quatro).
 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012