Homenagem póstumaa jornalistas nos EUA


09/08/2011


A Associação de Jornalistas Hispanos de San Francisco (SAAHJ), nos EUA, realizou no último dia 29, uma homenagem póstuma aos jornalistas mortos ou desaparecidos no México.
 
Os jornalistas Javier Garza, Diretor do jornal El Siglo de Torreón, e Sandra Rodriguez, repórter do jornal El Diário de Juarez receberam o Prêmio Henry Guerra a la Trayectoria de Vida em nome dos colegas assassinados no exercício da profissão, grande parte durante coberturas relacionadas ao narcotráfico.
 
—Creio que pela primeira vez uma organização jornalística dos EUA homenageia repórteres, editores e fotógrafos que perderam a vida cobrindo a guerra às drogas no México”, diz a SAAHJ em seu site.
 
De acordo com o Comitê de Proteção a Jornalistas (CPJ), 30 jornalistas foram mortos no México desde 2006. Já a Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH) contabiliza 68 assassinatos de profissionais da imprensa no mesmo período.
 
—Nossa entidade está preocupada com o impacto da guerra do narcotráfico para os jornalistas e suas famílias e também para a liberdade de expressão no México”, afirmou Elaine Ayala, Presidente da SAAHJ.
 
Na opinião de Javier Garza, os assassinatos contra jornalistas aumentam em função da impunidade:
—Eu raramente ouço falar que pegaram o assassino de um jornalista. Como as autoridades não investigam os ataques à imprensa, os criminosos acreditam que podem ficar impunes. Não há resposta exemplar nem castigo. Esta homenagem representa um gesto de solidariedade de nossos colegas que conhecem as ameaças à liberdade de expressão.
 
*Com informações do Knight Center for Journalism.
 
 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012