8 de dezembro de 2022


Governador recusa ajuda de tropas federais e vai investigar vândalos


Por Cláudia Souza*

19/07/2013


Governador Sérgio Cabral Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Governador Sérgio Cabral Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Sérgio Cabral disse, em entrevista coletiva nesta sexta-feira, 19, que grupos internacionais estão incentivando a violência durante as manifestações no Rio.

— Nestes atos, sabemos que há presença de organizações internacionais, que estimulam o vandalismo e o quebra-quebra. Pela internet, é mais fácil hoje haver essa participação, disse Cabral, que anunciou a criação de uma comissão para investigar a ação de vândalos durante as manifestações.

— Tenho certeza que a comissão dará maior efetividade às investigações, que é o que a sociedade deseja, diante da indignação diante de atos que acontecerem não só no Rio, mas em vários estados do Brasil. Nós temos o dever de dar essa resposta à sociedade. Da maneira que (os protestos) vêm ocorrendo, nós nunca vimos. É um aprendizado. Estamos tentando aperfeiçoar os aparelhos de segurança.

O procurador-geral de Justiça, Marfan Vieira, falou nesta quinta-feira, 18, a respeito da da comissão para investigar atos de vandalismo. O grupo deverá ser formado por representantes do Ministério Público e das polícias Civil e Militar, ligados diretamente ao gabinete do governador Sérgio Cabral. O objetivo é identificar os suspeitos de incitar depredações e estabelecer a relação entre os grupos responsáveis pelo vandalismo. Eles serão indiciados por formação de quadrilha, crime mais grave e inafiançável.

Também nesta quinta, a Polícia Civil informou que, desde o dia 10 junho, foram presas 62 pessoas em flagrante por crimes como furto qualificado, formação de quadrilha e porte de explosivos, mas 37 acabaram liberadas após pagar fiança. Vinte e cinco menores também foram detidos durante os protestos.

Papa Francisco

Sérgio Cabral confirmou que a Presidente Dilma Rousseff ofereceu a ajuda de tropas federais para conter os distúrbios, mas disse que o apoio não será necessário, pois a polícia do Rio está preparada para lidar com os atos de vandalismo. Ele lembrou que a ajuda federal será usada na segurança da Jornada Mundial da Juventude

O governador confirmou o encontro da próxima segunda-feira, dia 22, no Palácio Guanabara, com Dilma Rousseff e o Papa Francisco, e manifestou confiança na realização do evento:

— O Rio vai receber o Papa como o Cristo Redentor, de braços abertos.

*Com informações do jornal O Globo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012