Cinegrafista Santiago Andrade é homenageado com nome de rua onde residia


Por Cláudia Souza

23/12/2014


Santiago Andrade no momento em que é atingido por um explosivo (Foto de Domingos Peixoto / O Globo)

Santiago Andrade no momento em que é atingido por um explosivo (Foto de Domingos Peixoto / O Globo)

 

Na manhã desta segunda-feira,  dia 22 de dezembro, foi inaugurada uma placa com o nome do repórter cinematográfico Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, morto aos 49 anos, ao ser atingido na cabeça, no dia 6 de fevereiro último, por um artefato explosivo lançado por manifestantes durante um protesto contra o aumento das passagens de ônibus no Centro da cidade, próximo ao terminal da Central do Brasil.

Logo após ser socorrido por colegas de profissão, Santiago Andrade foi submetido a uma neurocirurgia para estancar o sangramento e estabilizar a pressão intracraniana. De acordo com o boletim médico, além de afundamento craniano, o cinegrafista  perdeu parte da orelha esquerda. Quatro dias depois, em 10 de fevereiro, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro anunciou a morte cerebral do câmera, que teve seus órgãos doados.

Homenagem

A antiga Rua 184, no Jardim Atlântico, em Itaipuaçu, onde Santiago Andrade morou por nove anos, recebeu o nome do cinegrafista. A proposta da homenagem foi aprovada após  votação no último mês de  maio,  na Câmara de Vereadores de Maricá, na Região Litorânea. A solenidade de inauguração da placa contou com a presença de parentes e amigos do cinegrafista, e do ex- prefeito de Maricá, Washington Quaquá.  De acordo com membros da família, a casa de Itaipuaçu era o lugar preferido de “Santi”, como era conhecido,  e onde costumava reunir-se com amigos e parentes nos fins de semana.

Segundo a Secretaria Municipal de Obras, além da placa, a Rua Repórter Cinematográfico Santiago Ilídio de Andrade, esquina com Carlos Marighela, integra o planejamento de modernização da Prefeitura e foi recentemente drenada e asfaltada. Segundo o prefeito, a sugestão para renomear a via partiu da família e foi prontamente atendida:

— Concordei na hora. Ficamos consternados com a tragédia e essa é uma forma de eternizar a memória do Santiago, que deixou um legado muito grande”, declarou o prefeito. “Agradeço de coração. Santiago adorava vir para cá e o sonho dele era ver a rua asfaltada. Obrigado prefeito por ter aceitado o meu pedido”, disse a viúva Arlita Andrade. O pai do cinegrafista, João Manoel de Andrade, também se emocionou e afirmou que “estava chorando de alegria pela homenagem ao filho”.​

 Prêmio Esso

Domingos Peixoto, do Globo, venceu o Prêmio Esso de Fotografia 2014 com a sequência de imagens de Santiago de Andrade sendo atingido por um rojão na cabeça. Fábio Raposo, acusado de acender o rojão, e Caio Silva, de arremessar o artefato, estão presos e respondem por tentativa de homicídio.

A Secretaria de Estado de Saúde divulgou, nesta segunda-feira,  dia 22 de setembro, na abertura da Semana Nacional da Doação de Órgãos, que o Rio de Janeiro é o segundo estado em números absolutos de doações no ranking nacional, ficando atrás apenas de São Paulo.  O número de transplantes de órgãos dobrou em três anos e por isso, a fila de pessoas aguardando transplantes caiu cerca de 70%. Em 2014, de janeiro a setembro já foram feitas 195 captações e 1.025 transplantes de órgãos e tecidos no Rio.

Na cerimônia de abertura da Semana Nacional da Doação de Órgãos a família de  Santiago Andrade recebeu a medalha do doador concedida pelo programa norte-americano Gift of Life, dos Estados Unidos. A medalha foi concedida pelo gesto da família em doar os órgãos do cinegrafista,  ajudando a salvar cinco pessoas que aguardavam na fila para a doação.

*Com Agência Brasil ,  siterio@band.com.br , BandNews FM, jazevedo@band.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BandNews FM e James Azevedojazevedo@band.com.br

 

 

 

 

Agência Brasil

Redação Rio siterio@band.com.br

Dois acusados de envolvimento na morte do cinegrafista Santiago Andrade, da Band, atingido por rojão enquanto cobria manifestação no Centro do Rio, irão a júri popular.

Caio Silva de Souza e Fábio Raposo, ambos de 22 anos, responderão por crime de homicídio triplamente qualificado, constituído por motivo torpe, uso de explosivo e impossibilidade de defesa da vítima.

A decisão foi tomada pelo juiz  Murilo Kieling, do 3º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. Data do julgamento ainda é indefinida.

Caio Silva e Fábio Raposo são acusados de disparar rojão que atingiu e matou Santiago Andrade Agência Brasil,  siterio@band.com.br

 

v

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012