Bernardo Cabral toma posse na AIDE


10/05/2010


A Constituição de 1988 tem a marca do talento e da cultura do seu relator Senador Bernardo Cabral, segundo dedicatória do Presidente da Constituinte Deputado Ulysses Guimarães no primeiro exemplar da nova Carta Magna que ele doou ao ex-Senador no ato da promulgação solene realizado em 5 de outubro daquele ano.

Esse episódio foi lembrado pelo ex-Ministro da Fazenda Ernâne Galveas na solenidade realizada na tarde desta segunda-feira, 10 de maio, quando Bernardo Cabral foi recebido como titular da cadeira nº 7, da Academia Internacional de Direito e Economia (AIDE), na qual sucede ao professor Benedito Ferri de Barros.

Bernardo Cabral agradeceu a investidura em um discurso que prendeu a platéia durante mais de 40 minutos, e no qual ele citou nominalmente várias das personalidades presentes, entre os quais o jurista Rui Patrício, ex-Ministro da Justiça de Portugal.

A cerimônia foi realizada no auditório da Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo sob a Presidência do Presidente da Academia Internacional, Desembargador Nei Prado e com assentos à Mesa do Presidente da CNC, Antonio Oliveira Santos; dos Presidentes da Academia Brasileira de Letras (ABL), Marcos Vinicios Vilaça, Academia Nacional de Medicina, Pietro Novelino, Academia Brasileira de Filosofia, João Ricardo Moderno, da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Maurício Azêdo, e do Presidente da Academia Amazonense de Letras, Cláudio Chaves, acompanhado do professor Edvaldo Pereira de Brito, Secretário Geral da entidade. O Presidente do Jornal do Commercio, Maurício Dinepi, também esteve presente ao evento.

Entre os presentes encontravam-se os acadêmicos Arnaldo Niskier e Murilo Mello Filho; o escritor Marcio Souza, autor do romance “Galvez, o imperador do Acre”; o ex-Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Célio Borja; os jornalistas Helio Fernandes e Orpheu Santos Sales; o advogado Alexandre Farah, a esposa do homenageado, Zuleide Cabral, e seu irmão Felipe Cabral, que embarcou de manhã de Manaus, para onde retornaria à noite, porque sua esposa se encontra gravemente enferma. Último a chegar à solenidade, o jurista Aurélio Wander Bastos, como muitos dos presentes foi saudado com muito carinho por Bernardo Cabral.

Ao fazer a saudação em nome da Academia, o ex-Ministro Ernâne Galveas salientou a trajetória de Bernardo Cabral como advogado e Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil nos anos 70, sua atuação como parlamentar, desde Deputado estadual no Amazonas, seu estado, pelo qual se elegeu também Deputado federal e Senador.

Um dos citados com destaque por Bernardo Cabral foi o advogado Theophilo de Azeredo Santos, sobre o qual lembrou um episódio que impressionou a assistência. Num encontro com inúmeros advogados Theophilo perguntou quais dos presentes tinham sido seus alunos em curso de Direito, pedindo-lhes que levantassem a mão. Todos o fizeram à exceção de Bernardo Cabral que arrematou e evocação dizendo: “Eu era o único que não fui aluno de Theophilo de Azeredo Santos, mas sou seu discípulo”.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012