Assassino do cartunista Glauco é condenado a 61 anos de prisão em Goiânia


Por Cláudia Souza*

27/08/2015


Carlos Eduardo Sundsfeld Nunes (Foto: Christian Rizzi/agência de notícias Gazeta do Povo)

Carlos Eduardo Sundsfeld Nunes (Foto: Christian Rizzi/agência de notícias Gazeta do Povo)

Carlos Eduardo Sundsfeld Nunes, o Cadu, réu confesso da morte do cartunista Glauco Villas Boas e do filho dele Raoni Vilas Boas, em 2010, foi condenado nesta quarta-feira, 26, a 61 anos e seis meses de prisão, pela juíza Bianca Melo Cintra, da 5ª Vara Criminal de Goiânia por crimes cometidos em 2014.

Em 2010 Cadu foi considerado incapaz de responder criminalmente pelas mortes do cartunista Glauco e do filho Raoni por conta de um laudo médico que atestava esquizofrenia.

Na sentença proferida nesta quarta, 26, Cadu vai cumprir 54 anos de prisão pelas mortes do estudante Matheus Pinheiro de Morais e do agente penitenciário Marcos Vinícius Lemes d’Abadia, assassinados em 2014, após serem assaltados em Goiânia. A sentença prevê ainda mais 2 anos e 6 meses de prisão pelo crime de receptação – Cadu foi preso dirigindo um dos carros que roubou, 5 anos de cadeia pelo crime de porte de arma, além de 630 dias-multa.

Na dosimetria da pena a magistrada ressaltou que a culpabilidade do réu “é excedente em relação aos homicídios, uma vez que ele foi o responsável direto pelas mortes das vítimas, além de ter demonstrado maior grau de periculosidade e frieza. O fato de já ter ceifado a vida de dois seres humanos não obstante inimputável à época (2010), indica sua repulsa ao bem maior alheio”, afirmou a juíza na sentença.

*Com Estadão

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012