Acusado de matar jornalista em MG irá à júri popular


Por Cláudia Souza*

27/05/2015


Walgney Carvalho e Rodrigo Neto (Reprodução www.em.com.br)

Walgney Carvalho e Rodrigo Neto (Reprodução: “O Estado de Minas”)

Alessandro Neves Augusto, o Pitote, acusado de matar o repórter Rodrigo Neto de Faria, na madrugada de 8 de março de 2013, irá a júri popular no próximo dia 19, no Tribunal do Júri do Fórum Valéria Vieira Alves, em Ipatinga, no Vale do Aço (MG). A data foi confirmada pelo juiz Antônio Augusto Calaes de Oliveira, que preside o caso na 2ª Vara Criminal da Comarca da cidade. O magistrado disse ainda que as audiências transcorrerão sob forte esquema de segurança e acesso restrito ao tribunal.

Alessandro atuava nos bastidores da Polícia Civil de Ipatinga sem pertencer aos quadros da instituição. De acordo com relatório do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Ministério Público, o acusado disparou contra Rodrigo Neto de Faria, em frente a bar no bairro Canaã, em março de 2013, e contra o fotógrafo Walgney Carvalho, cerca de um mês depois, em Coronel Fabriciano, em uma ação de “queima de arquivo”. Alessandro, que está detido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). vai responder por homicídio qualificado e duplamente qualificado.

O julgamento marcado para o próximo dia 19 será o segundo relacionado ao assassinato de Rodrigo Neto Faria. Em 28 de agosto de 2014, o policial civil Lúcio Lírio Leal foi considerado culpado pelo Júri Popular e sentenciado a 12 anos de prisão. De acordo com o inquérito policial, Lúcio Lírio foi o responsável por monitorar o perímetro onde Rodrigo Neto estava. Minutos antes do crime, o veículo de propriedade do policial foi visto circulando nas imediações do local do crime. Alessandro Neves Augusto, que ocupava o banco traseiro de uma motocicleta, disparou contra o jornalista, que era especializado na cobertura policial, tendo denunciado diversos crimes, inclusive os que envolviam policiais militares e civis entre os autores. Um inquérito complementar em aberto investiga os mandantes dos crimes, a motivação e quem pilotava a motocicleta.

Alessandro Neves Augusto conduzido por policiais (Foto: Portal Diário do Aço)

Alessandro Neves Augusto conduzido por policiais (Foto: Portal Diário do Aço)

A defesa de Alessandro tentou derrubar a pronúncia do acusado, por entender que não existem elementos suficientes no processo para submetê-lo ao júri, mas o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) negou recurso.

A primeira audiência de Alessandro no processo sobre a morte de Walgney Carvalho acontecerá no dia 19 de agosto, em Coronel Fabriciano, na região do Rio Doce, conforme divulgado pelo TJ-MG.

*Com aconteceunovale.com.br

 

 

 

RECESSO DE CARNAVAL

    Não haverá expediente administrativo na ABI no período de 1 a 10 de março de 2019, retornando às atividades no dia 11 de março de 2019.

   Os serviços essenciais funcionarão cumprindo escalas.

Rio de Janeiro, 25 de fevereiro de 2019.