ABI lamenta morte de fotógrafo de O Dia


27/02/2009


                   Ernesto Carriço

Em declaração ao jornal O Dia, na edição desta sexta-feira, dia 27 de fevereiro, o Presidente da ABI, Maurício Azêdo, disse que a entidade lamenta a morte do fotógrafo André Alexandre Azevedo e classificou o caso como “violência extrema”:
— A ABI lamenta mais um episódio de violência extrema envolvendo um profissional de imprensa que trabalha e vive no Rio de Janeiro. Lamentamos também porque ele era muito jovem, 34 anos, e com certeza poderia produzir por pelo menos mais duas décadas. A ABI apresenta aos companheiros de O Dia e à família do fotógrafo os pêsames, declarou Maurício Azêdo.

André Alexandre Azevedo, conhecido como André AZ, morreu na noite desta quarta-feira, dia 25 de fevereiro, na Avenida Brasil, em frente ao número 10.500, na Penha, quando passava de moto pela pista em direção ao Centro do Rio. O caso já tinha sido noticiado na seção “Destaque”, do ABI Online, quinta-feira, dia 26.

O Presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murilo de Andrade, criticou o que ele chama de “violência gratuita” que ocorre na cidade do Rio de Janeiro e disse que a instituição vai acompanhar as investigações:
— O que aconteceu com esse jovem é uma rotina no Rio. Não vamos deixar de protestar e iremos acompanhar as investigações e cobrar das autoridades uma resposta para essa tragédia.

Também protestaram contra a morte do fotojornalista o Presidente da Comissão de Justiça da OAB-RJ, José Carlos Tórtima; e Alberto Jacob, Presidente da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio de Janeiro (Arfoc-RJ). O Secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse ao jornal O Dia que vai lutar para dar “uma resposta rápida” sobre o caso.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012