26 de novembro de 2022


TRT reconhece legalidade da greve na Rádio Tupi


24/02/2017


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1) reconheceu nesta quinta-feira, 23, a legalidade da greve dos trabalhadores da Rádio Tupi. Não cabe recurso à decisão, que foi unânime entre os desembargadores que participaram do julgamento do dissídio coletivo de greve.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro informou que os trabalhadores terão que ingressar com ações para garantir o pagamento do que a empresa lhes deve. Os jornalistas podem procurar a entidade para obter orientação jurídica de acordo com seu caso.

O Sindicato dos Radialistas do Estado do Rio de Janeiro divulgou que cerca de 40 profissionais foram demitidos por justa causa, mas terão a opção de retornar ao trabalho por conta da greve ser considerada legal.

Aqueles que foram demitidos arbitrariamente, e por carta, poderão entrar com ação para serem reintegrados ao emprego ou para anular os efeitos da demissão por justa causa – caso não queiram mais trabalhar na empresa.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro acrescenta que os jornalistas que não foram demitidos mas que querem sair da Tupi podem reivindicar à Justiça a rescisão unilateral do contrato de trabalho – que é permitida quando o trabalhador está há mais de três meses sem receber salário.

Os profissionais que desejam continuar na rádio também podem ingressar com ação judicial cobrando o pagamento dos atrasados e a regularização de salários e direitos previstos em lei, como 13º salário e depósitos de INSS e FGTS.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e o Sindicato dos Radialistas do Estado do Rio de Janeiro se colocam à disposição para orientação e apoio aos profissionais.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012