29 de setembro de 2022


Passeio


06/05/2005


/TR>

“Acabo de visitar um lugar adorável, onde passei dias de sonho, deslumbrado com a natureza (especialmente as flores), a bela urbanização, a cidadania exemplar e a poesia urbana que permite contemplações vespertinas de arco-íris e pôr–de-sol. Que maravilhoso lugar para a descontração e o lazer que é Gramado. Penso agradecer aos anfitriões que receberam um carioca encantado com o luxo da Serra Gaúcha. As porteiras do paraíso estão abertas ao visitante cordial que chega, cansado da vida cosmopolita, para se embrenhar na beleza luxuriante dos parreirais saudáveis que produzem o melhor vinho nacional. Se é que me faço entender: ir à Serra Gaúcha e não desfrutar as muitas vinícolas, para degustar vinhos e espumantes incríveis, é caminhar até a metade do caminho da felicidade. Na hora das refeições, visite os espetaculares restaurantes — franceses, italianos, portugueses, alemães, nacionais — e impressione-se com as iguarias, os sabores perfumados e… a cortesia do atendimento! Numa simples lojinha, O Pasteleiro, ao lado da Matriz e do Palácio dos Festivais de Cinema, em frente à Rua Coberta, a variedade e o atendimento deixam visitantes boquiabertos: como é possível tanta gentileza no atendimento, tanto sabor num pastel tão singular? A Serra Gaúcha pode ser um azimute para turistas nacionais e todos deveriam visitá-la uma vez. E o melhor exemplo de sucesso turístico que me ocorre é exatamente a belíssima Gramado, a Cidade das Flores, que devia servir de exemplo a outros paraísos brasileiros, levando a competência turística mais adiante.” 

Toni Marins, jornalista e sócio da ABI

 “Recomendo o passeio de maria-fumaça de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. Dos cinco que existem no Brasil, é o melhor — bem, ainda não fiz o trajeto Campinas—Jaguariúna, mas não demoro a fazer. Custa R$ 43,00, com tudo incluído, inclusive transbordo e apresentação da peça ‘Epopéia italiana’, que conta a história da migração para a Serra Gaúcha, num imenso teatro em que você caminha através dos cenários. Quem quiser mais detalhes, é só dar uma olhada na matéria que fiz para a revista eletrônica www.alvinews.com.br. O atalho para chegar à reportagem é Coluna/Jornalismo/MariaFumaca.”

Romildo Guerrante

“Minha sugestão é a bela praia de Tambaba, no município do Conde, litoral Sul da Paraíba, onde recentemente realizou-se o 31º Congresso Internacional de Naturismo. Seus mais de 3 mil participantes, vindos de mais de 30 países, tiveram a oportunidade de conhecer e aproveitar as belezas naturais do lugar, uma das principais praias de naturismo do País, a única do gênero no Nordeste e a primeira, fora do eixo europeu, a abrigar uma edição do evento. Protegida por rochas e falésias, Tambaba oferece ao visitante segurança e respeito, permitindo que mesmo quem não é adepto do naturismo aproveite um cenário paradisíaco, com mar calmo, de águas mornas e piscinas naturais formadas pelos arrecifes, e vegetação preservada. Quem quiser mais informações pode acessar www.tambaba.tur.br.”

Elinaldo Rodrigues, assessor de imprensa e documentarista

“Para quem mora no Rio ou está passando um tempo por aqui, uma boa dica de passeio é Miguel Pereira, onde, aliás, fica o hotel da colega jornalista Belisa Ribeiro, que tem comida bem-feita, atendimento personalizado e, quase todo fim de semana, uns eventos bacanas. A região é linda, com rios, lagos, cachoeiras e outros lugares que merecem ser visitados, como o Museu da Cachaça e a Aldeia Arcozelo. A Aldeia, que foi comandada pelo Paschoal Carlos Magno, também tem, entre outros atrativos, um museu, onde se realiza anualmente um festival de teatro. Já o Museu da Cachaça fica ali pertinho e oferece uma gostosa degustação não só de aguardentes, mas também de licores. Vale a pena.”

Ana Lúcia Rangel, jornalista e professora de Jornalismo da UniverCidade-RJ

“Os jornalistas que vierem à Bahia não devem deixar de conhecer a Galeria Pouso 
da Palavra, em Cachoeira (Praça da Aclamação, 8), uma magia para todos que a visitam. Não tem como errar, pois fica em frente à Casa de Câmara e Cadeia, patrimônio histórico da cidade. No ambiente — tão aconchegante que não dá nem vontade de sair — respirarmos literatura, artes plásticas, cultura popular, música, fotografia… Bem, não é de estranhar, já que o idealizador desse empreendimento é um poeta, escritor, jornalista e fotógrafo, Damário da Cruz.”

Regina Ferreira, Diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba)

“Minha sugestão vai para quem vê seus fins de semana serem consumidos pelo estresse, pela falta de grana, pela insegurança que ronda os grandes centros urbanos e também para os que vivem em lugares lindos, mas não encontram tempo para se desligar das tarefas e responsabilidades e aproveitar. Vista seu olhar com a roupa alegre e colorida dos turistas estrangeiros e deixe-se surpreender pelas paisagens que as demandas do cotidiano esconderam de você: aquela árvore esplêndida que hospeda cigarras em dia de calor e fica bem ali na sua calçada; aquele mar de águas verdes que extasia toda gente que vem de fora, e às vezes você nem vê; a montanha linda que se ergue majestosa por trás do seu prédio; ou a planta elegante que nasceu no meio da favela que cresceu nesta mesma montanha. E as estrelas naquele céu de inverno? Ah, as estrelas… Relaxe e pense: o universo é um grande balneário do qual podemos nos valer a qualquer dia, em qualquer horário, qualquer lugar, principalmente nos fins de semana. O caminho que leva até lá está na reconversão do olhar. Tenho feito isso aos domingos aqui no Pará. E para quem está em Belém e já não consegue mais se admirar, a sugestão é pegar um barquinho ‘popopó’, atravessar o Rio Guamá e se embrenhar na floresta da Amazônia paraense. Não sem antes, é claro, parar em um dos poucos restaurantes rústicos da beira desse imenso rio, comer um peixe na brasa, acompanhado de uma cerveja bem gelada — especialmente de uma certa marca da região que no Rio (o de Janeiro) custa uma fortuna. Bom fim de semana para todos e sigam em qualquer direção, viajem!”

Joseti Marques, ex-Diretora de Jornalismo da ABI, professora e consultora em Comunicação; atualmente, está em Belém reestruturando o Jornalismo e a programação da TV Cultura do Pará

“Você já imaginou acordar pela manhã com pássaros cantando à sua janela? Caminhar por trilhas que levam ao interior da mata atlântica intacta, explorar grutas e cavernas, tomar banho de cachoeira, subir ao mirante de onde se pode observar boa parte dos Parques do Alto Ribeira e Carlos Botelho e a Estação Ecológica de Xitué? E, se você der ‘sorte’, pode encontrar pelo caminho uma jaguatirica… O Parque Estadual de Intervales é uma das mais belas reservas de mata atlântica do País, com 49 mil hectares e a 270 km de São Paulo. Foi declarado Reserva da Biosfera pela Unesco e está situado em cinco municípios: Guapiara, Iporanga, Eldorado Paulista, Sete Barras e Ribeirão Grande, onde fica a sede do Parque e por onde há o melhor acesso a ele. São muitas as opções de passeios do lugar: cachoeiras da Água Comprida e do Mirante; grutas Colorida, do Cipó, do Tatu, dos Meninos, do Fogo, da Santa, Jane Mansfield, do Minotauro, da Mão e do Zé Maneco; Mirante da Anta; Roda d’água; Caçadinha… Há hospedagem com boa infra-estrutura e ótima comida caseira, com um detalhe importante: quase todos os alimentos servidos são produzidos no local. As diárias costumam incluir três refeições. Então, se quiser levar um lanche para um passeio mais longo, avise com antecedência. Mais informações pelos telefones (15) 3542-1511 e 3542-1245.”

Claudio Rostellato, correspondente do Estado de S.Paulo na região de Sorocaba

“Quem for a Peru não pode deixar de conhecer o tradicional point de encontro da boemia limenha Bodega Bar Juanitos. Localizado no distrito de Barranco, o lugar foi fundado há mais de 60 anos por Juan Casual Villacorta, que até hoje, juntamente com sua família, o administra e preserva com todas as características do passado — incluindo-se aí o mobiliário. É comum encontrar escritores famosos fazendo anotações em papéis sobre as velhas mesas do Juanitos, ou, na madrugada, ouvir poetas recitando seus poemas, músicos anônimos e famosos entoando canções criollas e tocando o cajón (instrumento de percussão típico do Peru). Acolhedor e mágico, o Juanitos tem como melhor pedida, no setor bebidas, o bom e velho vinho, sempre acompanhado de pão. Os petiscos também são deliciosos! Aproveite e experimente o jamón del medio-día con las cebollas y los chiles, divino! E o atendimento é nota mil!”

Sibely M. Vieira, Diretora-administrativa do jornal Mercado Rural e do Jornal do Comércio de Santa Helena-GO

“Para quem gosta de conhecer lugares bonitos, recomendo o município de Bananeiras, no Brejo Paraibano. Localizado entre vales e serras verdejantes, o lugar é privilegiado pelas dádivas da natureza, cujo encantamento revela-se através da exuberância paisagística e da alegria de seus habitantes. Distante 140 quilômetros da capital João Pessoa, Bananeiras constitui-se num cenário ideal para prática do turismo ecológico e de aventura. Através de trilhas, pode-se apreciar a variedade da vegetação, em ambientes repletos de nascentes de rios, cachoeiras e sítios arqueológicos.”

Elinaldo Rodrigues, assessor de imprensa e documentarista

“Famosa pelo rio do mesmo nome que corta a cidade baiana, Correntina faz a alegria da população e dos milhares de turistas que para lá vão desfrutar de uma natureza exuberante. Os filhos de Correntina que de lá saem em busca de melhores oportunidades suspiram quando falam da terra distante, para onde voltam a cada verão, ou em qualquer oportunidade que lhes apareça. A cidade vive em torno do movimento que o rio atrai. Lojas, restaurantes, hospedagem, principalmente no verão, aguardam a chegada dos turistas, que, por sua vez, aproveitam os banhos tranqüilos, de água tépida. Lá, tudo gira em torno da praia de rio, que tem a vantagem de não oferecer maiores riscos aos banhistas. O acesso a Correntina se faz, principalmente, pelo Distrito Federal — e contam os que gostam de natureza que, no meio do caminho, um pouco mais à esquerda, a gente também pode conhecer as cachoeiras de Mambaí. Obviamente, como há apenas trilhas em local um tanto inóspito, não é um lugar que atenda ao perfil de qualquer turista.”

Ritamaria Pereira, jornalista especializada em Turismo (CET/UnB)

“Se a idéia é sentir frio de verdade no inverno, o carioca deve sair de sua cidade. E uma boa idéia é ir para Minas. Se a cidade mineira escolhida for Ouro Preto, minha sugestão de hospedagem é a Pousada Minas Gerais (Rua Xavier da Veiga, 33). Construída em 2004, tem o conforto moderno e o estilo que se harmoniza com a cidade colonial. Depois das indispensáveis visitas às igrejas — como as de São Francisco de Assis e a Matriz de Nossa Senhora do Pilar —, entre outras preciosidades barrocas, sugiro um bom almoço no restaurante de comida regional Casa dos Contos. À noite, as pizzas do restaurante O Passo são uma ótima pedida, assim como as comidinhas do Café Geraes. Para chocólatras como eu, a loja da Chocolates de Ouro Preto (Rua Getúlio Vargas, 66) é perfeita.”

Tilde de Oliveira

“Cidade de Petrópolis, estado do Rio, Rua Ypiranga… Lá existe uma casa construída nos anos 1800 — uma das cinco únicas daquele século, no Brasil, a manter a arquitetura original — conhecida como a Casa dos Sete Erros. A curiosidade é que cada um dos membros da família dona do imóvel deu seu palpite na construção, resultando num visual completamente irregular. A casa é aberta a visitação e, no espaço onde antes eram guardados os cavalos e as carruagens, foi instalado um restaurante bem ao estilo da época, muito charmoso, com uma comidinha saborosa e a preços bem acessíveis. Vale a pena! O lugar, agradável em qualquer temporada, é ainda melhor nesse climazinho frio de agora. E na serra, quando entardece, esfria mesmo.”

Sergio I. Távora, assessor de Comunicação

“O Ceará tem praias lindíssimas e, entre elas, a minha dica é o mar da Taíba, propício para a prática de esportes aquáticos como surfe, o windsurfe e o bodyboarding. As noites são festivas, com o forró esquentado, o pagode e o samba no pé. Ao longo da praia de Taíba, em São Gonçalo do Amarante, há barracas que servem bons pratos, os quais geralmente incluem o caranguejo, o peixe frito, o camarão e a lagosta. Próximo a Taíba, também merecem ser visitadas as praias do Pecém e de Cumbuco, a 58 km de Fortaleza, com acesso pela Rodovia Costa do Sol Poente, uma das sete maravilhas naturais do estado do Ceará.”

Alaércio Flor, freelancer

“Como de costume, passar o inverno em Santa Catarina é a grande pedida da temporada. Sem contar os inúmeros eventos, curtir o friozinho com cara de Europa sem sair do Brasil já virou mania no turismo nacional. No Planalto Serrano e no Meio Oeste catarinense, você encontra desde piscinas termais em estâncias hidrominerais, como Piratuba, até eventos culturais, como as peças encenadas no Teatro Alfredo Sgwallt, em Joaçaba, sem contar a tradicional Festa do Pinhão, na cidade de Lages. Vale a pena conferir a ótima estrutura hoteleira da região, principalmente nesta época do ano.”

João Carlos Toledo Sampaio, editor do Jornal do Meio Oeste Catarinense

“Lima tem muitos encantos! Há mais de 400 anos, foi chamada Cidade dos Reis pelo conquistador espanhol Francisco Pizarro. Hoje, aquela mesma cidade que surgiu nas terras do cacique indígena Taulischusco é uma metrópole de mais de 7 milhões de habitantes que conserva com orgulho seus conventos e grandes casas coloniais, símbolos da velha e nobre tradição. Uma das muitas atrações da capital peruana é o distrito de Miraflores, coração pulsante da cidade. Localizado ao lado do Oceano Pacífico, é um verdadeiro cartão-postal e point de turistas de todo o mundo. Em Miraflores está localizado o famoso Larcomar, um moderníssimo shopping a céu aberto e à beira-mar, cheio de lojas, restaurantes, bares, quiosques de artesanato, livrarias e cinemas. Há ótimos restaurantes em Miraflores, como La Rosa Nautica, La Tiendecita Blanca, Don Vito e Las Brujas de Cachiches (experimente o delicioso coquetel de pisco). Os melhores hotéis na região são Ariosto, Sonesta Posada del Inca, Marriot e Miraflores Park Plaza.”

Sibely M. Vieira, Diretora-administrativa do jornal Mercado Rural e do Jornal do Comércio de Santa Helena-GO

“Uma boa dica para quem vier a Salvador neste mês de junho.é curtir a grande festa de São João que está sendo organizada na cidade pelo Governo do Estado. Vai haver muito forró no Pelourinho, com apresentação de várias bandas e quadrilhas, além de trezena de Santo Antônio, culinária típica, fogueiras e fogos de artifício. Quem pensa que baiano só entende de carnaval pode vir e conferir nossos festejos juninos. Quem quiser mais informações pode acessar o site www.saojoaobahia.com.br.”

Regina Ferreira, assessora de imprensa

“Já ouviu falar em Porto Feliz? Se ainda não, caso esteja passando pela Rodovia Castelo Branco, vale a pena ir à cidade que ficou marcada por ser o ponto de onde partiam os bandeirantes, em seus batelões, para explorar o ouro do Centro-Oeste brasileiro. Conhecida antigamente como Araritaguaba, Porto Feliz está localizada à margem do Rio Tietê e concentra vários haras e condomínios residenciais de altíssimo padrão, e tem no ‘cearense’, seu prato típico, o maior orgulho. Segundo a história, a iguaria foi criada no início do século passado, por pescadores que não estavam dando sorte no trabalho e cujo suprimento de alimentos tinha terminado. Um deles foi escalado para subir o rio até o povoado mais próximo, para comprar comida. O camarada chegou ao vilarejo e, no primeiro boteco que encontrou, resolveu tomar uns tragos. Quando se lembrou do motivo de estar ali, o comércio já havia fechado as portas. Só encontrou um açougue, onde havia apenas as sobras da carne. Comprou aquilo mesmo e, quando chegou no rancho, cozinhou tudo junto com o feijão que tinha sobrado. O primeiro a experimentar gostou, mas, diante do visual do prato, exclamou que parecia comida cearense, e assim ficou. Parecido com uma feijoada, sem o feijão preto, o ‘cearense’ atrai admiradores de várias cidades vizinhas, como os paulistanos, que estão a 120 km de lá. Há outros atrativos, como o museu onde está a cadeira ocupada por Dom Pedro II quando visitou Porto Feliz, o Parque das Monções, a Gruta Nossa Senhora de Lourdes e a igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens (Matriz), com quase 300 anos. Atenção: dois restaurantes têm o ‘cearense’ no cardápio, mas o prato não é servido todos os dias. Para saber mais, ligue para (15) 3262-3010 ou (15) 3262-3026.”

Claudio Rostellato, correspondente do Estado de S.Paulo na região de Sorocaba

“Para quem gosta de teatro e cinema, está supergostosa a nova ‘Estação Vivo Gávea’, no Shopping da Gávea. Além de contar com cinco ótimas salas de exibição, com lugares marcados, os freqüentadores ainda podem fazer aquela horinha degustando as delícias do Atelier Culinário, com destaque para a já tradicional porção de minipão de queijo, no saquinho — sem falar que os bares-restaurantes do Atelier são dos pouquíssimos do Rio onde são servidos scones, tradicionais bolinhos doces ingleses, com recheios diversos. Recomenda-se em especial o de banana, acompanhando um cafezinho.”

Vanda Vasconcellos, jornalista e psicoterapeuta

“Um lugar de que gosto muito é o Rio Araguaia, considerado a praia dos goianos e cuja importância pode ser medida pela quantidade de teses acadêmicas que enseja. As famílias de Goiás, principalmente as mais abastadas, montam às suas margens acampamentos com luxo, conforto e riqueza. Aliás, essas prerrogativas é que medem por lá o prestígio e o poder dessas pessoas, que têm, inclusive, seus pontos fixados e contam com o serviço de muita gente nos acampamentos. Por outro lado, há uma série de programas paralelos. Para os que gostam de tomar banho de rio, é um prato cheio — mas é bom recorrer antes a quem conhece as regiões adequadas aos mergulhos, uma vez que o Araguaia é povoado de traiçoeiras piranhas. Mas é um lugar ímpar, fabulosamente brasileiro e rico de história, atrativos e oportunidades. A margem das mais disputadas está no pedaço de Luiz Alves-GO. Estive por lá e, se tempo houvesse então, teria arrumado um meio de, por aquela cidade, subir até o Xingu, que, contam os conhecedores, é outro ponto fantástico do nosso território.”

Ritamaria Pereira, jornalista especializada em Turismo (CET/UnB)

“Para quem ainda não sabe, visitar o interior do estado de São Paulo é um ótimo programa. Os colegas vão encontrar lugares maravilhosos e um povo muito acolhedor. Vale a pena conhecer cidades lindas como Brotas, com excelentes opções de ecoturismo; Dois Córregos, com suas paisagens bucólicas e tradição de cultura caipira; Jaú, famosa pelo feito do aviador João Ribeiro de Barros e onde é possível encontrar a beleza do rio Tietê; e muitas outras que são verdadeiros paraísos. Há muito a se explorar aqui no interior paulista, eu garanto.”

João Alvarez Otero Pontes, freelancer

“O amante da natureza deve aproveitar o clima quente para se deliciar em um dos lugares mais lindos de Guapimirim, no Estado do Rio: o Poço Verde. Localizado na Sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, o lugar se caracteriza por uma grande piscina natural de água cristalina, ornamentada por pedras que se equilibram de forma harmoniosa, numa arquitetura natural sem par. O Parque está aberto para visitação diária e o visitante paga apenas uma taxa de R$ 3. O telefone da sede em Guapimirim é (21) 3633-1898.”

Paulo Toscano, repórter-fotográfico

“Fico feliz de encontrar um lugar onde a paz ainda está presente nesta cidade que não pára. E o lugar é o Parque das Ruínas, em Santa Teresa (Rua Murtinho Nobre, 169, aberto de terça a domingo, das 8h às 20h). De lá, é possível contemplar uma vista extraordinária de uma parte do Rio, desde o Aeroporto Santos Dumont até a Urca, e ‘fragmentos’ do Centro (Arcos da Lapa, Catedral Metropolitana). O parque, antigo Palacete Murtinho Nobre, abriga sala de exposição, auditório e café. Além desses espaços, há uma extensa área ao ar livre — e em todos os ambientes acontecem shows, rodas de leitura e exposições. Quem é apreciador de arquitetura com certeza ficará maravilhado com a estrutura da casa: uma combinação harmoniosa de tijolos, metal e vidro. Juntar poesia, música, arquitetura e a magia da natureza… é covardia. Pra mim, é a melhor ‘bomba’ para irrigar, com mais força, as artérias que se ligam à vida. O único risco é elas entupirem de tanta sensibilidade — mas tudo bem, ninguém morre disso.”

Ana Paula D’Ariévilo, freelancer

“Quem for ao Ibirapuera não pode deixar de visitar o Museu da Aeronáutica, onde está o hidroavião Jahú, tombado pelo patrimônio histórico e recentemente restaurado. Foi com essa aeronave que João Ribeiro de Barros atravessou o Oceano Atlântico, há 80 anos. O piloto, primeiro comandante brasileiro a realizar a façanha, saiu de Cabo Verde, na África, e, 12 horas depois, veio parar em Fernando de Noronha, isto em 1927.”

Gésner Las Casas, radialista e jornalista da Rede CBS

“Como boa carioca, curto muito o verão. Com estes dias lindos de sol, nada melhor do que ver a beleza da cidade do alto. A trilha da Pedra Bonita, em São Conrado, é uma ótima opção de passeio. São cerca de 30 minutos de subida leve, com direito a ver belos trechos do bairro. No topo da Pedra, é possível ter uma vista maravilhosa de São Conrado, Barra da Tijuca, Recreio e até de um pedaço da Lagoa Rodrigo de Freitas. E, com sorte, se verá também diversas asas-deltas colorindo o céu. Para chegar à trilha, basta seguir pela Estrada das Canoas e entrar no mesmo acesso à rampa usada por quem voa de asa-delta e parapente. Uma dica: o ideal é levar protetor solar, água e frutas e começar o passeio cedo, quando o sol é mais ameno.” 

Patricia Stanzione, assessora de imprensa

“A 26 km de Lima Duarte, o distrito de Conceição do Ibitipoca é uma daquelas cidadezinhas do interior de Minas onde parece que o tempo parou. As ruas com calçamento de pedra, a igrejinha e as casas simples emolduram um estilo de vida que em nada se parece com a correria da cidade grande. Nas pousadas, restaurantes e bares locais, o visitante é recebido mais como um novo amigo do que como turista. Para os amantes da caminhada, o Parque Estadual do Ibitipoca, com cerca de 1 mil 500 hectares, é rico em grutas, cachoeiras e lagos de uma surpreendente água cor de mate e paisagens estonteantes. Mais informações no site http://www.ibitipoca.tur.br/.”

Maria Vitória Vélez, subeditora multimídia da Agência France Presse

“O bairro do Grajaú — que é reduto e esconderijo de diversos coleguinhas, e por esse motivo não posso declinar os nomes de meus vizinhos (não é mesmo Michel Filho, Nilson de Oliveira e Monica Puga?) — abriga também o já conhecido Bar do Adão. Ali, o forte é o pastel dos mais diversos sabores e o chope (claro ou escuro) muito bem tirado. O bar tem um simpático atendimento, os garçons não enguiçam. A casa está sempre cheia, seja no almoço família ou na night mais agitada. Experimente também o ‘escondidinho de camarão’ ou de frango, a ‘bandeja de filé mignon’ ou de salmão (maravilhoso!). Tem ainda uma boa macarronada, que já vem no prato-feito. Para quem não larga o laptop, a casa oferece ainda um petisco tecnológico: ‘internet wireless’. Como se vê, é botequim para todos os gostos. ”

Cláudio Carneiro, assessor de imprensa da Fundação Getúlio Vargas

“Cabo Frio têm lindas praias, mas quem visita a cidade não pode perder uma chegada à Praia das Conchas, um paraíso que se estende até a divisa com a Praia do Peró, outra maravilha da natureza. Os dois locais são muito bem freqüentados por jovens e famílias cujo desejo, num lindo dia de céu azul, é apenas estender os bons momentos até o pôr-do-sol. Mar claro, areias muito brancas e finas, praia agradabilíssima… Quem não quer?”

Catarina Lattanzi Cariello, assessora de imprensa e especialista em marketing

“Uma novidade dos trens do metrô de São Paulo e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) é que eles não oferecem mais apenas viagens de ida e volta ao trabalho, ou coisas do gênero. Agora, lugares históricos, paradisíacos, inusitados, diferentes e de grande valor informativo-cultural também são devassados pelos ‘cavalos de ferro’. O Bilhete Lazer do metrô e da CPTM dá desconto de 30 centavos por viagem de passeio por lugares pitorescos e de entretenimento. Começou a funcionar no fim de outubro, das seis da tarde de sábado e durante todo o domingo, com validade ainda para os feriados estaduais ou nacionais, podendo ser recarregado nos postos do Bilhete Único, em bancas de jornal e nos estabelecimentos credenciados. O Bilhete Lazer ainda tem a vantagem de poder ser usado por mais de uma pessoa, sem restrições de acesso. Em caso de perda, o bloqueio pode ser feito nos postos de atendimento dos cartões de fidelidade e lazer nas estações Brás da CPTM e Sé do metrô, ou pelo telefone 0800-7710118.”

Gésner Las Casas, radialista e jornalista da Rede CBS

“Recomendo as praias do Pontal do Atalaia, em Arraial do Cabo, no Estado do Rio. A cidadezinha acanhada só realça o exotismo das águas caribenhas, de praias remotas, cuja areia fina e branca dispensa cadeira e toda a parafernália que disputa espaço com banhistas na Zona Sul carioca. Ali, o pulo do gato é interagir com a natureza. Os mais tranqüilos podem recorrer à Praia do Forno, onde famílias e casais se refrescam sem pressa, enquanto fortalecem o comércio de bebidas, refeições e petiscos oferecidos por restaurantes bem rústicos. Se estiver de carro, confira a praia situada no ponto extremo do Pontal. A vista já vale a visita e, para completar, a praia é mesmo divina! Mas, se quiser mesmo explorar esse recanto, não deixe de fazer um passeio de barco, que sai todas as manhãs do porto da cidade. O lugar conta com alguma infra-estrutura e amplo estacionamento. Relaxado, você pode curtir, por algumas horas, a beleza da praia do Farol, da Gruta Azul e das praias já citadas. Os mais radicais podem até se aventurar no sandboard. As dunas são altas o bastante para a brincadeira, que custa barato. Durante as altas temporadas, há locação de pranchas. Ah, se tiver sorte pode topar com espécies incomuns às praias fluminenses, como tartarugas e até pingüins.”

Raquel Medeiros, assessora de imprensa do Procon/RJ

“Imagino o quão corrida é a vida de todos hoje em dia, vide a minha. É exatamente por isso que hoje eu tenho trocado o tédio de caminhar na esteira de uma academia de ginástica por agradáveis caminhadas no Jardim Botânico do Rio. Quem não tiver tempo para isso nos dias de semana deve experimentar o passeio em uma tarde ensolarada de sábado ou domingo. Faz o maior bem! Nem sempre o que é bom custa muito. Vale a pena curtir o que a natureza nos dá.”

Paola Santos, assessora de imprensa

“Não existe nada mais belo que o céu e o cerrado do Nordeste goiano. A Chapada dos Veadeiros é uma coisa indescritível, para ser sentida e pensada. Também os mananciais de águas cristalinas, alguns ainda intocados pela poluição, fazem crer que este mundo ainda tem jeito. É só colaborar um pouquinho que a natureza é pródiga. Recomendo o Nordeste goiano para quem quer sentir a natureza com todas as suas nuances — colorido, águas cristalinas, misticismo, tradição kalunga e tantas outras alternativas. Vale a pena!”

Adelmo de Paula, editor do jornal Tribuna de Goiás e da revista Society Goiano

“Recomendo a região serrana de Macaé, no interior do Estado do Rio, um dos melhores lugares do País para a visitação e para a prática de esportes radicais. No distrito de Glicério — no rio São Pedro — há o maior trajeto oficial para a pratica de rafting e canoagem. Há várias empresas e instrutores dando suporte no local para que as pessoas (até aquelas que nunca praticaram nenhum desses esportes) possam se aventurar. Além disso, a região é cercada por lindas cachoeiras. Outros distritos, como Sana, Frade e Córrego do Ouro, também são conhecidos por suas belas cachoeiras, rios de águas cristalinas, montanhas fantásticas e recantos inesquecíveis. Como viram, sou apaixonado por esta região. Para mais informações, recomendo entrar no site da Secretaria de Turismo local: www.macaetur.com.br.”

André Luiz Cabral, editor-chefe do Expresso Regional

“O Instituto Moreira Salles (Rua Marquês de São Vicente, 476 — Gávea — Rio de Janeiro-RJ) é uma boa dica para quem quer conhecer um centro cultural atraente não apenas por seu acervo, mas também por ocupar uma casa que representa uma importante escola da arquitetura brasileira. Antiga residência do banqueiro, embaixador e Ministro Walter Moreira Salles, a casa, monumental, é um projeto do famoso arquiteto Olavo Redig de Campos, em que os jardins de Burle Marx ocupam uma área de 10 mil metros quadrados. Outra obra desse artista, um grande painel, destaca-se, ao lado da piscina. O IMS abriga salas de exposição, cinema (único espaço de acesso não gratuito), loja de arte, cafeteria e ateliê e tem um excelente acervo fotográfico, que inclui nomes como Marc Ferrez e José Medeiros. Este mês, estão abertas exposições de Pixinguinha (fotos, documentos e manuscritos do compositor), Portinari (desenhos), Mario Gruber (gravuras) e Benjamin Mulock (fotos da Bahia, feitas pelo inglês no fim do século XVII). No ateliê, costuma haver atividades infantis nas tardes de domingo. Ou seja, é um programa para toda a família.”

Amicucci Gallo, repórter-fotográfico e Conselheiro da ABI

                                                            

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012