Mataram 14 jornalistas no Brasil desde 2012


22/04/2013


Desde 20 de janeiro de 2012, quando o repórter e radialista Laécio de Souza, de 40 anos, de Camaçari, Bahia, foi morto depois de sair do trabalho na Rádio Sucesso FM, até  14 de abril corrrente, foram assassinados no Brasil 14 jornalistas,  a maioria vítimas de represálias pela independência com que exerciam suas atividades profissionais. O último abatido foi o fotógrafo  Walgney Assis Carvalho, 43 anos, freelancer do jornal  “Vale do Aço”, morto em Coronel Fabriciano, Minas Gerais, no domingo, 14 de abril.

Levantamento feito pelo jornalista Igor Waltz, repórter da Diretoria de Jornalismo  da ABI, nos registros da  Campanha Emblema de Imprensa (PEC, na sigla em inglês) e nas coleções do jornal “O Estado de S. Paulo”, revela que foram mortos em 16 meses no País estes profissionais:

— Em 9 de fevereiro de 2012, Paulo Roberto Cardoso Rodrigues (Paulo Rocaro), de 51 anos, editor-chefe do “Jornal da Praça” e do site “Mercosul News”, de Ponta Porã, Mato Grosso do Sul;

— No dia 12 desse mesmo mês, Mário Randolfo  Marques Lopes, de 50 anos, editor-chefe do jornal eletrônico “Vassouras na Net”, de Vassouras, Estado do Rio de Janeiro;

— No dia 24 de março, Onei de Moura, de 41 anos, diretor e sócio proprietário do jornal “Costa Oeste”, de Santa Helena, oeste do Paraná;

— No dia 26 de março, Divino Aparecido Carvalho, de 45 anos, apresentador da Rádio Cultura AM, de Foz do Iguaçu, do Paraná;

— No dia 23 de abril, Aldenisio Décio Leite de Sá (Décio Sá), de 42 anos, repórter do jornal “O Estado do Maranhão”, morto em São Luís, após deixar o trabalho;

— No dia 5 de julho, Valério Luiz de Oliveira, de 49 anos, comentarista esportivo da Rádio Jornal, de Goiânia, Goiás;

— No dia 4 de outubro, Luís Henrique Georges, de 44 anos, dono do “Jornal da Praça”, de Ponta Porã, Mato Grosso, morto em sua cidade;

— No dia 15 de outubro, Anderson Leandro da Silva, de 38 anos, jornalista de “Quem TV”, de Curitiba, Paraná;

— No dia 28 de outubro, Edmilson de Souza, de 40 anos, jornalista e apresentador da Rádio Princesa da Serra FM, morto em Itabaiana, Sergipe;

— No dia 21 de novembro, Eduardo Carvalho, de 51 anos, diretor do jornal “Última Hora”, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul;

— No dia 8 de janeiro de 2013, Renato Machado Gonçalves, de 41 anos, da Rádio Barra FM, morto em São João da Barra, Estado do Rio de Janeiro;

— No dia 8 de março, Rodrigo Neto, 38 anos, jornalista do periódico “Vale do Aço” e locutor da Rádio Vanguarda AM, de Ipatinga, Minas Gerais;

— Agora em 14 de abril, Walgney Assis Carvalho, repórter fotográfico freelancer do “Vale do Aço”, de Ipatinga, Minas Gerais, morto no município de Coronel Fabriciano, no mesmo Estado.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012