30 de setembro de 2022


Leila Diniz e Beatles em Dicas


15/10/2021


Leila Diniz e Beatles animam  a semana

O filme Leila Diniz, de Luiz Carlos Lacerda, é o cartaz do Cineclube Macunaíma. Em 2022, completam 50 anos que a atriz morreu em um desastre de avião na Índia. Vejam o trailer dos Beatles, antes da estreia de um seriado no final de novembro, com o quarteto gravando Let it be(1970).O cineasta Silvio Tendler será o entrevistado de Encontros e dê uma olhada na 45ª Mostra de Cinema Internacional de São Paulo. Aposte na série Impeachment: Guilty Part sobre a secretária da Casa Branca que se tornou confidente de Monica Lewinsky e gravou suas ligações sobre Bill Clinton. Em livros, há duas dicas: A vida de Henrique e Gabriella Lage – donos do Parque Lage – que é contada em dois livros sobre cada um deles do historiador Clovis Bulcão e de Marina Colasanti, sobrinha-neta da cantora lírica italiana. Tem ainda o da jornalista Míriam Leitão. Francis e Olivia Hime fazem show na Sala Cecília Meireles com repertório de “Dois Chicos”: o Hime e o Buarque de Holanda. Na tevê, estreia Verdades Secretas II que vai dar o que falar com cenas picantes de sexo e os ex-Cassetas estreiam o programa “Conversa piada”. Na música: MPB, rock, samba e rap com Ana Carolina, Toninho Geraes, Gabriel o Pensador, Barão Vermelho e Ira! E o decreto do prefeito Eduardo Paes determina que não é mais obrigatório o resultado do exame negativo para os shows presenciais. Só a o comprovante de vacinação. Mas use máscara, por favor. A pandemia ainda não acabou. Boa semana.

Por Vera Perfeito, diretora de Cultura e Lazer da ABI

NA ABI

Segunda-feira

19h30 – ABI Esporte: apresentação do jornalista Marcos Gomes. A pauta de hoje é Uma conversa afiada tem que ter futebol, música literatura e política. Xico Sá, Álvaro Costa e Silva, o Marechal, e Fernando Molica, que exercem com maestria os ofícios de jornalista e escritor, têm encontro marcado com você nesse programa. Os três amigos também vestem alvinegro do Santos de Pelé e do Botafogo de Garrincha, respectivamente. Pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube – bit.ly/3uZn84f .

Terça-feira

19h30 – Cineclube Macunaíma exibe hoje, a partir das 10h e até segunda-feira, Leila Diniz, de Luiz Carlos Lacerda, o Bigode, uma homenagem da ABI à atriz e mulher revolucionária que morreu em um desastre de avião na Índia, aos 27 anos. Em 2022, completam 50 anos do sua morte. Às 19h30, haverá debate sobre a obra com o diretor do filme, o cineasta Silvio Tendler, a atriz Louise Cardoso, que interpretou Leila, e o roteirista Fernando Severo. O jornalista Ricardo Cota será o mediador. Assista pelo canal da ABI do YouTube.

Quinta-feira

19h30 – Encontros da ABI com a Cultura– com apresentação da jornalista Vera Perfeito, o cineasta Silvio Tendler será entrevistado pelos jornalistas Cristina Serra, Ricardo Cota e Zezé Sack. Silvio é um dos maiores documentaristas do país e seu último filme A bolsa ou a vidamostra o Brasil que vivemos hoje. De seu currículo constam as biografias de Jango, JK e Tancredo Neves, além de Marighella, exibido na semana passada no Cineclube Macunaíma. Pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube.

 

TELEVISÃO

TV CULTURA – quatro ex-integrantes do humorístico “Casseta & Planeta Urgente” – que ficou no ar por 18 anos na Globo –  se reúnem em um novo projeto, “Conversa Piada”, que estreia amanhã, às 22 h. Hélio de la Peña, Claudio Manoel, Hubert Aranha e Beto Silva comandam a atração, em clima de bate-papo informal. Eles vão reproduzir um encontro deles para falarem sobre tudo. Com direção de Mauro Farias, o programa v ai abordar assuntos de política, esporte, economia, crime, televisão, cinema, música, comportamento. Eles não darão opinião e terão o quadro “Quatro contra um”, em que um artista convidado responderá perguntas feitas pelos apresentadores. Os humorista também comentarão os vídeos que bombaram nas redes sociais na semana e liberarão enquetes para o público participar.

TV GLOBO

Sábados após o Altas HorasSeleção do samba: estreia amanhã, o programa “Seleção do samba” com o narrador Luis Roberto em o novo programa na TV Globo. Ele apresentará uma atração sobre a escolha dos sambas das escolas do Grupo Especial do Rio para o próximo carnaval. Teresa Cristina e Milton Cunha serão os comentaristas. As gravações são na Cidade do Samba. Paolla Oliveira, rainha de bateria da Grande Rio participa do programa gravado na Cidade do Samba. Atual vice-campeã do carnaval carioca, a escola de Duque de Caxias contará histórias e manifestações culturais ligadas ao candomblé, no enredo “Fala, Majeté! Sete chaves de Exu”. E tem ótimo samba-enredo.

22h20hThe masked singer Brasil: na final do programa na terça-feira, o grupo de jurados, Taís Araújo, Simone, Eduardo Sterblicht e Rodriho Lombardi, fará uma apresentação musical no palco com Ivete Sangalo.

Após o Jornal da GloboConversa com Pedro Bial: procure no Globoplay o programa em que o jornalista entrevista Romeu Evaristo e Dandara Mariana, pai e filha, abordando televisão, carnaval, e inúmeros aspectos da cultura nacional.

YouTube e Apple TV – programa do jornalista, roteirista e humorista Jon Stewart. O programa The problem with Jon Stewart acabou de ser lançado, abordando sempre um tema único sempre com humor. Ele já discutiu o drama dos veteranos de guerra nos EUA e mostrou pessoas doentes por exposição À queima de lixo em acampamentos do exército, uma história pouco divulgada.

4ª feira GLOBOPLAY -estreia de Verdades Secretas II, trama de Walcyr Carrasco com direção artística de Amora Mautner, Romulo Estrela (Cristiano) é um ex-policial que sofre um processo e foi afastado do cargo. Ele acredita que se desvendar um grande crime, poderá ser readmitido. Quando é contratado por Giovanna (Agatha Moreira), vê na investigação da morte de Alex (Rodrigo Lombardi) sua chance. Aceita se passar por modelo da agência de Blanche (Maria de Medeiros) para se aproximar de Angel (Camila Queiroz) e conseguir as provas que procura. Aliás, Maria de Medeiros manterá um caso com Joseph (Ícaro Silva), mas se apaixonará por Ariel (Sergio Guizé). A trama mostrará a vida de Angel (Camila Queiroz) nos dias atuais, sendo investigada pelo assassinato de Alex (Rodrigo Lombardi). A primeira parte desta nova temporada terá 20 capítulos, que serão liberados na íntegra para os assinantes.

VINHOS DE PORTUGAL a oitava edição do evento será realizada em formato digital nos fins de semana de 16 e 17/10 e 23 e 24/10, transmitida de Lisboa para o Brasil, e contará as últimas novidades sobre vinhos, indicando ainda harmonizações. Os críticos, produtores, sommeliers, chefs e convidados brasileiros participarão de 33 talk shows durante os quatro dias do evento. Alguns participantes dos talk shows: Leonor Freitas, da Casa Ermelinda Freitas, que produz em Setubal, na região dos Vinhos Verdes e no Douro; ou Anna Jorgensen, que desenvolve um projeto de sustentabilidade na Cortes de Cima, no Alentejo; e ainda Celso Pereira e Jorge Alves, os bem-humorados sócios da Quanta Terra, no Douro. Eles e os 66 produtores participantes desta edição estarão em conversas descontraídas, também transmitidas ao vico, sempre ao lado de um dos críticos e de convidados brasileiros, entre eles os chefs Claude Trigros e Jeffeson Rieda que estão escalados já amanhã, a sommelière  Cecília Aldaz e a atriz Monique Alfradique. O ingresso dá direito a assistir a todos, além de haver a entrega em casa de um vinho surpresa de um dos produtores e brinde estão À venda no site do evento.

As provas serão comandadas pelos críticos do evento: Dirceu Vianna Junior, único Master of Wine de língua portuguesa; o crítico brasileiro Jorge Lucki; Manuel Carvalho, diretor do jornal “Público”; e a jornalista portuguesa Alexandra Prado Coelho. São 17 provas, sendo três delas premium, todas com ingressos à venda no site vinhosdeportugal2021.com.br. Assinantes das provas: R$ 109 (provas gerais e premium sem garrafa de vinho), R$ 544 a R$ 880 (provas gerais com garrafas de vinho entregues em casa) e R$ 1.060 (provas premium com garrafas de vinho entregues em casa). Valores dos talk shows: R$ 82 (sem garrafa s=de vinho) e R$ 109 (com garrafa de vinho entregue em casa).

EXPOSIÇÕES

Amazônia – os sortudos que estão na Europa ou viajarão para lá este mês, poderão ver a exposição de Sebastião Salgado, simultaneamente, em Paris, Londres e Roma. Segundo a matéria de O Globo, de domingo, assinada por Ruth de Aquino, de Paris, a exposição “é um tributo a nossa maior riqueza ambiental. Intocada. É também uma descoberta, jamais vista antes, de montanhas e “rios voadores” amazônicos, duplicados por reflexos”. Ela conta que é como entrar na floresta pela terra e pelo céu através das 200 fotos expostas na Filarmônica de Paris. Entrar na exposição é empurrar uma porta para a floresta tropical e entrar em uma jornada de fotografias em preto e branco que caminham na penumbra, como uma expedição na selva. A viagem é acompanhada por música composta para a ocasião pelo compositor francês Jean-Michel Jarre, um dos pioneiros da música eletrônica. Desde as primeiras vistas aéreas, que fez acompanhando o Exército em missões na Amazônia brasileira, Salgado transforma a natureza exuberante em uma arte cuja força reside numa estética imaculada. O fotógrafo lembra a cada clichê que esse ecossistema que ocupa quase um terço do continente sul-americano e que engloba nove países, principalmente o Brasil, é a soma de elementos. A  Amazônia, na opinião de Salgado, é o “Paraíso na terra” e dentro estão os indígenas, retratados ali com nobreza, escutados em vídeo como os senhores das terras mais preservadas do Brasil. “ Os índios são o homem antes do pecado original. As tribos são boas, não são violentas. Somente os indígenas que convivem com nossa sociedade dura se permitem alguma agressividade. Os indígenas são os grandes guardiões da floresta junto com as Forças Armadas” – diz Sebastião. A exposição só virá para o Rio e São Paulo em 2022. Salgado, de 77 anos, tinha a intenção de convidar à inauguração lideranças indígenas para fazer ouvir suas vozes contra a destruição de seu habitat e suas consequências para o planeta. Ele espera fazer isso assim que a pandemia diminuir.

 

Objetos de fé afro-brasileiros Para quem estiver ou pretenda ir à cidade mineira de Tiradentes não deixe de visitar essa exposição, inaugurada esta semana, com oratórios, alguns com apenas cinco centímetros e outros com 2,5 metros de altura. Um deles, a morada de Nossa Senhora da Conceição – reverenciada no candomblé como Oxum – , é de madeira recortada e pintada do século XIX. Ap seu lado, seis imagens de Cosme e Damião, os santos dos médicos.

FacebookTwitterE-mailPinterestMais…

FESTIVAIS DE CINEMA

45º Mostra de Cinema Internacional de São Paulo

O maior e mais esperado festival de cinema do Brasil está de volta até dia 3 de novembro. Fique de olho em filmes como A Crônica Francesa, de Wes Anderson, Noite Passada em Soho, de Edgar Wright, e Bergman Island, de Mia Hansen-Love, além de Má Sorte ou Pornô Acidental do romeno Raul Jude  que ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim deste ano. A exibição é presencial e on line. A presencial está em 15 cinemas da cidade com ocupação de 50% das salas, distanciamento social e exigência de comprovante de vacinação. Este ano, a mostra reúne 264 títulos, de mais de 50 países, com olhar especial para as produções latino-americanas (29 no total) e brasileiras (outros 40 filmes, na Mostra Brasil). A seleção de títulos para a mostra on line está disponível Mostra Play, Sesc Digital e Itaú Cultural Play. No site da mostra você pode conferir tudo.

Fique de olho também nos seguintes filmes: Titane, de Julia Ducoumau ( Palma de Ouro em Cannes, deste ano), Annette, de Leos Carax (Melhor direção em Cannes, 2021), Zalava, de Arsalan Amiri (vencedor da Semana da Crítica no Festival de Veneza, de 2021), Encontros, de Hong Sang-Soo (Vencedor de melhor roteiro no Festival de Berlim), Sr Bachman e seus alunos, de Maria Speth (vencedor dos Prêmios de Júri do Público no Festival de Berlim).

Na programação paralela e gratuita, a experiência de ver um filme ao ar livre (e no vão do Masp) está entre os destaques. Na lista do museu estão Summer of  Soul (…ou Quando a Revolução não pode ser televisionada ), de Quest Love, Bob Cuspe, nós não gostamos de gente, de Cesar Cabral e a estreia mundial  de A viagem de Pedro, de Lais Bodanzky. Há também debates, cursos e oficinas. Os ingressos gratuitos estão no Vão Livre do Masp, Vale do Anhangabaú, Centro Cultural da Juventude – Ruth Cardoso e Centro Cultural Tiradentes.Ingressos nos cinemas: R$ 24 e R$ 12 (meia) e nos finais de semana: R$30 e R$ 15. Os filmes da Mostra on line: após a aquisição do ingresso pelo site, o interessado terá três dias para assistir ao título escolhido e 24 horas a partir do acesso a cada um. Gratuito: Sesc Digital e Itaú Cultural Play. Na plataforma  www.mostraplay.mostra.org.

 

Curta!On, em outubro, o clube de documentários disponível no NOW e no Tamanduá, está completando um ano de estrada, mas quem ganha o presente é você! Durante todo o mês, a programação do acervo estará disponível gratuitamente no Tamanduá. Para assistir, basta fazer o seu login ou cadastro na plataforma, acessar o plano Curta!On, apertar em “experimente grátis” e inserir o cupom “aniversariocurtaon“. São mais de 500 filmes organizados por temas de interesse para você aproveitar!

Inscrição de Filmes1ª etapa do Cinema Sem Fronteiras 2022 ; 25ª Mostra Tiradentes;  e 17ª Cine Ouro Pretoaté 26 de outubro de 2021. Nos sites dos festivais.

 

II Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!”.

Serão exibidos seis longas, sendo cinco inéditos. Todos com legendas em português e acesso gratuito via CineSesc. A mostra faz parte das comemorações do Dia da Reunificação da Alemanha, 3 de outubro. A Alemanha atua em todo o mundo pela igualdade de gênero e a promoção dos direitos das mulheres. Os longas serão exibidos  até 27 de outubro, com estreias às quintas-feiras. Cada obra permanecerá na plataforma por uma semana. As transmissões podem ser acompanhadas no site Cinema em Casa, do SESC.

Em outubro serão exibidos os seguintes filmes:

até 20 de outubro – Jibril- (Jibril, Alemanha, 2018, 83 min., ficção, 12 anos).Direção: Henrika Kull. Elenco: Susana Abdulmajid, Malik Adan, Doua Rahal, Emna El-Aouni, Regina Schulte am Hülse. A professora de alemão Maryam (Susana Abdulmajid)  é uma mãe divorciada que vive com suas três filhas. Um dia, Maryam reencontra Jibril (Malik Adan) e iniciam um relacionamento, mesmo ele estando preso. O relacionamento é usado como uma forma de preencher seus vazios internos, fazendo com que a autoestima dos dois dependa, exclusivamente, da atenção que recebem um do outro. Porém, quão bem Maryam e Jibril podem realmente se conhecer?

até 28/10 – O dia que mudou o mundo .(Copilot, Alemanha e França, 2021, 118 min., ficção, 14 Anos, inédito).Direção: Anne Zohra Berrached. Elenco: Canan Kir, Roger Azar, Jana Julia Roth, Ceci Chuh, Nicolas Chaoui, Özay Fecht. Em um ângulo inédito do 11 de setembro, um jovem casal está pronto para começar a vida juntos como imigrantes na Alemanha. O futuro deles parece brilhante até que ele faz uma escolha que mudará o mundo. Baseado em uma história real. Selecionado na Berlinale 2021.

FILMES

Com a reabertura das salas de cinema, guardando as regras sanitárias da pandemia, há uma boa indicação:

O último duelo a volta da parceria Matt Damon e Ben Afleck, lançado, ontem, nos cinemas do país, após 25 anos de “Gênio indomável” (1997) quando a dupla conquistou o Oscar de melhor roteiro original.  O fim=lme é uma superprodução ambientada na França medieval com direção de ninguém menos do que Ridley Scott. O título refere-se ao último duelo mortal oficialmente autorizado no  país, travado em 1386 entre Sir Jean de Carrouges (Damon) e Jacques Le Gris ( Adam Dtiver), dois amigos que se tornam rivais. O motivo do combate é o drama vivido por Marguerite, personagem de Jodie Comer, casada com Jean de Carrouges, que leva à frente a acusação de estupro contra LE Gris, o que representa para ela um risco de vida já que, naquela época, as mulheres não podiam contar com as leis para se defender. O longa é dividido em três atos, cada um deles partindo de uma perspectiva de um dos personagens do triângulo protagonista . As filmagens foram na Irlanda e na França, entre castelos preservados e a recriação de Paris na Idade Média. Bem Afleck interpreta o promíscuo Conde Pierre D’Alençon.

Nas Redes Kinoplex, Cinemark, UCI, Cinépolis, Espaço Itaú , resedrva Cultural, Estação Net e outros.

SÉRIES

Disney+The Beatles: Get back: a esperada minissérie documental sobre o quarteto de Liverpool dirigida por Peter Jackson ganhou um trailer que já pode ser visto no YouTube. Dividida em três episódios, a produção é o resultado da edição de quase 60 horas de imagens inéditas de John, Paul, George e Ringo feitas em 1969, enquanto eles ensaiavam e faziam novas canções para “Let it be” (1970), último e icônico álbum da banda. O lançamento está previsto para acontecer ao longo dos dias 25, 26 e 27 de novembro. Com quase quatro minutos de duração, o trailer mostra o que está por vir, com as imagens do estúdio que mostram a intimidade dos músicos compondo sob pressão em um curto período de tempo e os ensaios para o que viria a ser a última apresentação do grupo. O famoso show, no topo do edifício da Apple Corps (empresa fundada pela banda), em Londres, é mostrado pela primeira vez na íntegra da minissérie. Meio improvisada, durou 42 minutos e teve de terminar mais cedo por intervenção da polícia. “Devíamos fazer um show em lugar proibido e ser expulsos”,  diz McCartney. Originalmente, o projeto de Pete Jackson previa um longa para os cinemas, mas o corte final rendeu seis horas de duração e acabou sendo levado para o streaming. Já estáYouTube, o trailer.

Apple TV+

The morning show: A série, que foi o grande chamariz para o lançamento do Apple TV+ em 2019, tornou-se aclamada, principalmente após as diversas indicações ao Emmy de 2020, e retornou para a segunda temporada. A primeira temporada terminou com um grande gancho, quando Alex junto de Bradley resolveu expor todos os podres do canal UBA ao vivo, durante o The Morning Show. Agora, a segunda temporada retoma os conflitos, e os fãs estão ansiosos para ver como ela vai desenrolar. Na trama da segunda temporada, acompanhamos os bastidores de um programa matinal, após um dos apresentadores, Mitch (vivido por Steve Carrell), receber acusações de abuso. Com isso, cabe a sua parceira de TV, Alex Levy (Jennifer Aniston) segurar as pontas até a chegada de uma novata na bancada – Bradley (Reese Witherspoon). Mas a dinâmica entre as duas torna-se frágil a partir do momento que se questiona as reais intenções de Alex, frente a ambição de Bradley. Enquanto isso, elas lutam, cada uma de sua maneira, para derrotar a cultura tóxica que existe na emissora em que trabalham. A segunda temporada de The Morning Show contará com dez episódios, todos eles sendo exibidos nas sextas feiras. 5º episódio: “Ghosts”,  HOJE; 6º episódio: A Private Person”, 22 de outubro; 7º episódio: “La Amara Vita”, 29 de outubro; 8ºepisódio: “Confirmations”, 5 de novembro; 9º episódio: “Testimony”, 12 de novembro; 10º episódio: “Fever”, 19 de novembro.A segunda temporada de The Morning Show avança oito meses após os acontecimentos da primeira temporada, e pega a história na virada do ano novo de 2019 para 2020. Enquanto a pandemia ainda não é o foco da história, Cory luta para reerguer a UBA diante das acusações que foram feitas.

Impeachment: American Crime Story – série onde a majestosa atriz Sarah Paulson interpreta Linda TRipp, a secretária da Casa Branca – depois transferida para o Pentágono – que esteve no centro do processo de impeachment contra Bill Clibton (Clive Owen), em 1998. Ela tornou-se confidente de Monica Lewinsky (Beanie Feldstein) mesmo sendo 20 anos mais velha do que ela. Ela também gravou inúmeras conversas telefônicas em que a moça abria seu coração sobre a relação com o presidente. Linda entregou o material ao procurador de Justiça e inimigo político de Clinton, Kenneth Starr (Dan Bakkedahl). É figura pesada, manipuladora. Confira.

Acapulco – a nova série investe num filão bem explorado pelo cinema e pela televisão: as gramas que transitam pelo inglês e pelo espanhol. A história, ambientada num resort de luxo que hospeda sobretudo clientele americana, no México. A ação se desenrola em duas cronologias. No presente, o milionário Malibu Maximo  (Eugenio Derbez)recebe a visita do sobrinho Hugo (Raphael Alejandro), prestes a entrar na adolescência. E abre para ele a história de sua vida quando, em 1984, era um menino pobre que vivia nas vizinhanças do hotel, alimentava o sonho de trabalhar ali. Ele acabou se tornando o dono do empreendimento. A história se mistura a doses de humor e a cenários lindos. Soma-se a isso o fato de Derbez ter sido eleito pelo Variety em 2014 o comediante hispânico mais influente na indústria do entretenimento. A série foi lançada no dia 8. Só há um episódio disponível e tomara que se torne mais adulto.

The morning show: a série está na segunda temporada

PRIME VIDEO (AMAZON) LulaRich: série documental em quatro episódios. Narra a trajetória de Mark e DeAnne Stidham, o casal que abriu uma confecção de fundo de quintal, em 2012, na Califórnia, onde levava uma vida de classe média baixa, com dificuldades para manter uma família  numerosa – com 11 filhos, somando os de ambos, nascidos de casamentos anteriores. Começaram produzindo saias longas feitas com malha barata. DeAnne vendia para as amigas e vizinhas que vendiam também. A rede foi se multiplicando e eles ficaram bilionários. A empresa LuLaRose, ao final de 2016 somava US$ 1,3 bilhão em vendas e contava com mais de 60 mil representantes espalhados pelos EUA. As representantes da marca tinham que pagar uma tax para ingressar no time de vendedoras e arregimentar novas vendedoras que “debiam ser magras”. A série faz um mergulho num universo paralelo de má-fé , estética duvidosa e obsessão pelo dinheiro. Há entrevistas com o casal e diversas antigas colaboradoras próximas dele. A ascensão da dupla foi meteórica, mas a queda também. Confira.

GLOBOPLAY D.P.A – Detetives do Prédio Azul: em sua Fantástica Farmácia de Ondion” é a segunda temporada do título “Vlog da Berê”. Os episódios inéditos são comandados pela feiticeira Berenice (Nicole Orsini), agora na “bruxolescência”. Os capítulos contam com um novo cenário: a Fantástica Farmácia Filomilos, em Ondion, local mágico e milenar dedicado aos estudos de alquimias bruxescas e ocasiomais consultas para os mais variados pacientes. Nesta nova fase, o Vlog tem participações especiais. Letícia Pedro retorna como Mila, a primeira capa vermelha do prédio azul; Juliana Alves será a Dra Sigfrida, a renomada alquimista à frente da farmácia; Livian Aragão chega como NAjara, a bruxa bailarina; Totia Meireles será a tia Teodora, mordida por seu filho Drácula. Em novembro, a produção estará no canal Gloob.

NETFLIX

You – na terceira temporada da série de suspense psicológico, Joe e Love estão casados, têm um bebê e moram no norte da Califórnia. Joe está decidido a cumprir seu novo papel de marido e pai, mas teme a impulsividade letal de Love. Além disso, o coração não ajuda porque a mulher que ele procura a vida inteira pode morar na casa ao lado.

O Clube das Babás: a série acompanha um gripo de garotas que organizam um serviço de babás na cidade de Stoneybrook. Na segunda temporada, o movimento dos negócios aumenta, além de trazer novos relacionamentos e lições importantes. O que não muda é a amizade das meninas.

Maid – Com problemas financeiros e familiares, Alex (Margareth Quailey), 25 anos, deixa para trás um relacionamento abusivo e encontra um emprego como faxineira para sustentar sua filha e construir um futuro para as duas. A mãe de Alex (Andie MacDowell, mãe de verdade de Margareth Quailey) também  sofre abusos de seus parceiros, mas prefere se autoenganar, acreditando que fazem isso por amor. Maid é sobre cortar o laço com a dor psíquica.

DISNEY+ Just Beyond (Um pouco além): a série conta histórias inesperadas e instigantes sobre uma realidade além daquelas que conhecemos. Cada episódio apresenta novos personagens, que saem em uma jornada de autodescoberta em um mundo sobrenatural de bruxas, alienígenas, fantasmas e universos paralelos.

PARAMOUNT+ Guilty Party (Parte culpada): nessa nova série, chegada a um humor negro, Beth Baker (Kate Beckinsale) é uma jornalista desesperada por salvar sua carreira. Para isso, ela investe em uma história sobre uma jovem mãe condenada à prisão perpétua por mutilar e assassinar seu marido, e que alega inocência. Enquanto Beth tenta descobrir a verdade, sua vida vira de ponta-cabeça. Comédia dark com dez episódios que foi gravada no Canadá e conta com diversas na tela – além de Kate, Jules Latimer, Laurie Davidson, Tiya Sircar,  e Alanna Ubach. A essência do seriado é a abordagem de personagens “femininas, inteligentes e engraçadas, ambiciosas e profundamente complicadas, segundo Kate Beckinsale.

STARZHeels: Dois irmãos rivais, que interpretam papéis diferentes no ringue, lutam para manter o legado do pai na luta livre, em uma pequena cidade da Geórgia. Um drama familiar com uma temática de luta livre para ser entregue aos espectadores. Em uma pequena cidade da Geórgia, os espectadores são apresentados a uma rivalidade muito interessante, focando nos dois irmãos protagonistas.No início, Jack Spade é apresentado como um protagonista que parece carregar muita coisa em sua bagagem, incluindo inúmeros problemas pessoais e financeiros. Tudo isso é necessário para promover um negócio que está tentando emplacar, relacionado à sua rotina enquanto lutador.

HBO (também disponível no NOW) – Catch and kill:The podcast tapes: Ronan Farrow (filho de Mia Farrow e Woody Allen) comanda a série, baseada em seu livro sobre  as acusações que levaram Harvey Weinstein à cadeia em 2018. Ambra Gutierrez, uma ex-modelo italiana teve papel central nesse episódio. Ela ajudou a polícia e usou uma escuta. Os artigos de Ronan ajudaram o movimento #Metoo. Na produção de seis capítulos, ele conversa com Amber e outras vítimas, além da atriz Rosanna Arquette que rechaçou os avanços de Weinstein no início de sua carreira e não foi mais chamada para trabalhar.

HBO22hs –  Sucession: a terceira temporada estreia no domingo com o ator escocês Brian Cox interpretando o intragável milionário Logan Roy, indicado ao Emmy de melhor ator em 2020. Brian detesta Trumpo e Bolsonaro e quer a Escócia independente do Reino Unido. Segundo as imagens já divulgadas pela emissora, é possível que uma verdadeira guerra familiar literalmente acabe acontecendo, sobretudo por conta de Logan Roy e seu filho, Kendall.

SEMINÁRIO

A USP realiza um seminário internacional – com apoio da Câmara Brasileira de Livros e do governo francês – sobre os 40 anos da Lei Lang, nome do ex- ministro da Cultura francês, Jack Lang, com o objetivo de evitar o fechamento de pequenas livrarias, impondo limite à prática de descontos por grandes redes. Na França, foi aprovada uma emenda que impede a varejistas on line como a Amazon de conceder descontos superiores a 5% e o frete grátis. Essa medida já existe também na Alemanha e Inglaterra. Aqui, tramita no Congresso um projeto igual, PL 40/2015, da ex-senadora Fátima Bezerra.

CARTAS

Em tempos de pandemia escrever cartas voltou a ser moda entre brasileiros. O aplicativo Slowly já permite até troca de cartas digitais e dependendo da distância que separa o remetente e destinatário, a missiva pode leva dias de um celular a outro como nas cartas. Para a Índia a demora pode chegar a 35 horas. Desde o início da pandemia o número de usuários do aplicativo cresceu 85% e chegou a 4,8 milhões, dos quais 380 mil são brasileiros.  O clube de cartas Envelope de Papel, criado pela estudante de jornalismo mineira Mariana Loureiro em junho de 2017, tinha cerca de 500 inscritos em janeiro de 2020. Em outubro deste ano, ultrapassou 3.100 pessoas. Os membros do Clube recebem uma planilha com os endereços uns dos outros e cada novo integrante se corresponde com uma pessoa de cada região do país e uma do exterior . Brasileiros que vivem em Portugal , França, EUA, Japão e Austrália participam do clube. A própria Mariana estima ter entre 30 a 40 correspondentes. WhatsApp, Twitter, FAcebook e afins que se cuidem.

EXPOSIÇÕES

FLITI  – termina amanhã a Feira Literária de Tiradentes (FLITI) que homenagei a escritora Paula Pimenta e o ilustrador Roger Mello e mais 50 convidados.

LIVROS

Lula, biografia, volume 1(R$74,90)  Fernando Morais, em pré-venda na Amazon. A aguardada biografia do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, escrita pelo jornalista e biógrafo Fernando Morais, entrou em pré-venda nesta segunda. O primeiro volume de “Lula” (Companhia das Letras e Penguin), de 416 páginas, será lançado oficialmente no dia 16 de novembro e já aparece em livrarias on-line custando R$ 74,90. Os bastidores da maior perseguição política ao ex-presidente Lula, os momentos históricos da sua vida e o legado em defesa da democracia serão contados na primeira biografia sobre um dos maiores líderes políticos internacionais.

O livro, que conta a trajetória pessoal e política de Lula e será dividido em dois volumes, começou a ser escrito em 2011 pelo jornalista Fernando Morais. Na primeira parte, que tem 416 páginas, o autor fala sobre a infância do ex-presidente, as greves do ABC Paulista quando ele foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, a fundação do Partido dos Trabalhadores (PT),  a primeira campanha eleitoral, o balanço dos seus governos como presidente da República, a prisão em 2019 e as anulações das condenações judiciais. O jornalista acompanhou Lula por uma década para escrever a sua biografia.

“Grudei nele a partir de 2011, logo que ele deixou a Presidência, antes de ele ser diagnosticado com câncer, para poder recuperar determinadas passagens, [saber dos] bastidores de governo. Era uma oportunidade de ouvi-lo dentro de um avião, por exemplo, longe de telefone, secretária, de audiência, isso e aquilo”, conta Fernando Morais.

Anos de chumbo e outros contos  – Chico Buarque de Holanda (Companhia das Letras), em pré-venda no site da editora e lançamento no dia 22. Chico, aos 77 anos, vencedor do Camões (2018), o mais importante prêmio literário de língua portuguesa, preparou uma prosa de atmosfera, com alusões “À barbárie do presente”. No novo livro de contos, as tramas são carregadas de sexo, perversidade, desalento e delírio. No texto, há a pergunta: “O que ocorre quando um  país inteiro – metade numa direção, metade em outra – se deixa levar por esse tio de sedução?”. Após seis romances, Chico chegou ao livro de contos. Em Anos de chumbo, os oito contos estão redondinhos, sendo seis deles situados no Rio. A primeira história, “Meu tio”, é sobre um tipo que desfila pelas ruas com ares superiores com seu carrão, humilhando pobres e tem uma relação perversa com a sobrinha. “O passaporte”  é sobre o grande artista que pode ser o próprio Chico, um homem famoso de esquerda odiado pelos da direita e quando o odiado também passa a odiar mostra um Brasil como está hoje. Em “Os primos de Campos”, há milícias e polícia violenta, além da questão racial. “Cida” se passa no  Leblon, mas foca em uma mulher miserável que vive da migalha dos outros, focando também na questão racial. “Copacabana”, um narrador adolescente entrelaça Pablo Neruda, Walt Disney, Ava Gardner, Richard Burton, Romy Schneider e o chefe do tráfico do Morro da Babilônia. Em “Para Clarice Lispector com candura”, o autor fala de experiência própria, pois, muito jovem, foi algumas vezes à casa da escritora. No conto, o personagem se torna obcecado por Clarice e publica textos na internet como se fossem dela.  Em “O sítio” há muita aflição. A trama começa no Rio, mas vai para o campo durante a pandemia e, nesse período maior, há muito ciúme, tensão, desalento e momentos de suspense.  “Anos de chumbo” é um retrato do Brasil, mas não mostra só os tempos atuais. O autor prepara uma prosa de atmosfera, com alusões “à barbárie do presente”. As tramas são carregadas de sexo, perversidade, desalento e delírio. No dia 22 de outubro, a Cia das Letras lança um edição especial de 30 anos do romance de Chico “Estorvo”, acrescida de textos e Roberto Schwarz, Sérgio Sant’Anna, Marisa Lajolo e Augusto Massi, com projeto gráfico especial. Alguns livros do autor: Fazenda Modelo (1974), Estorvo (1991), Budapeste (2003), Leite derramado (2009), O irmão alemão (2014) e Essa gente (2019).

O educador: Um perfil de Paulo Freire (Todavia -2019 R$ 51,90) -Sérgio Haddad. “Chega de doutrinação marxista, basta de Paulo Freire!” Era comum encontrar frases assim nas manifestações contra o governo Dilma Rousseff, em 2015. Com a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, as críticas a Freire ganharam reforço contundente. O educador, perfil biográfico de Paulo Freire, traz sobriedade a esse debate contaminado pela polarização ideológica; recupera a experiência exitosa de alfabetização em Angicos, no Rio Grande do Norte, às vésperas do golpe de 1964; e conta em detalhe a perseguição que Freire sofreu dos militares. Depois vieram a prisão, o exílio, a fama internacional, as vivências na África, a volta ao Brasil após a anistia, a retomada da carreira acadêmica e a experiência como secretário de Educação em São Paulo. O livro ilumina aspectos pouco conhecidos da vida de Freire. Ele nunca foi comunista. Ainda é mais lido nas universidades do exterior do que nas brasileiras. Nunca pregou uma educação partidária nas escolas. Com discrição e generosidade, Sérgio Haddad, um dos mais importantes estudiosos da obra de Paulo Freire no Brasil, refaz o percurso do educador sem aderir à disputa ideológica, revelando as muitas facetas de um intelectual complexo e decisivo para a cultura brasileira. Entre janeiro e abril de 1963, os cerca de nove mil habitantes de Angicos, no serytao do Rio Grande do Norte fizeram parte de uma revolução da educação. A cidade tinha 75% de sua população formada por analfabetos e 300 deles apresenderam em 40 horas de aulas, ministradas por uma equipe de jovens universitários liderada por Paulo Freire. A última aula, em 2 de abril,  foi dada pelo próprio presidente da República, João Goulart.

Operação Condor: Uma década de terrorismo internacional no Cone Sul (Companhia das Letras – 2005) – jornalista americano John Sturges.
História política e governo, terrorismo de Estado, contra terrorismo, relato/reportagem sobre o período de 1973/1980 no Cone Sul da América, em busca de verdade e justiça. Investigação centrada em depoimentos de partícipes, integrantes de estruturas de governo, Chile e USA e documentação antes coberta por sigilo. O autor, correspondente do jornal Washington Post para a América Latina, radicado no Chile, foi um observador privilegiado. Viveu a queda do governo Allende e a instalação da ditadura de Pinochet. Encerrada a missão jornalística, passou às atividades investigativas em busca da documentação antes secreta. Esclarece que “quando houve conflito entre documentos e lembranças, atribuiu maior autoridade aos documentos”, que “o caráter secreto não os resguarda da imprecisão, e eles são tão factuais quanto às reportagens e as fontes que as divulgaram”. Ele recebeu o prêmio Maria Moors Cabot, pela cobertura jornalística na América Latina. O livro vai virar o filme de animação “They shoot the piano player”, do premiado diretor espanhol Fernando Trueba , ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro com “Sedução”, e vai focar na tragédia de Francisco Tenório Cerqueira Júnior, o Tenório Jr, pianista brasileiro desaparecido durante uma turnê de Toquinho e Vinícius de Moraes em Buenos Aires, nos anos 1970. Ele foi  sequestrado, torturado e morto por paramilitares dias antes do golpe militar na Argentina, em março de 1976. O corpo de Tenorinho, como era conhecido, nunca foi encontrado. O ator americano Jeff Goldblum dará voz ao jornalista americano.

 

Belo mundo: onde você está (Companhia das Letras, R$54,90) – Sally Rooney. A autora proibiu a tradução desse livro para o hebraico. Ela cita violações de direitos humanos por Israel em relação à Palestina. Com uma prosa única e brutal, Sally Rooney constrói mais um romance inigualável sobre o que significa amadurecer sem deixar a si mesmo para trás.

A democracia na armadilha: Crônicas do desgoverno (Intrínseca) – Míriam Leitão. O livro foi lançado na quarta-feira com transmissão pelo Instagram e no canal da editora no YouTube. É uma seleção de textos escritos entre 2016 e 2021, traçando, do início ao fim, um cdenário de impasse institucional, fazendo um raio-X das ações do governo vigente e de um projeto autoritário. Ela chama a atenção para a politização das forças armadas, da intimidação às instituições, o desmonte dos mecanismos de preservação ambiental e disseminação das fake news.  Ela ressalta que as ameaças à democracia são o pior de Jair Bolsonaro. É o 13º livro da jornalista de economia em dez anos e cujo primeiro romance “Tempos extremos” foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura (2015). Ela também se consolidou como uma das principais autoras infantojuvenis do Brasil. Aos inúmeros prêmios como jornalista se juntaram dois Jabutis.

Jack e porquinho de Natal (Rocco, R$ 59,90) J.K.Rowling. A autora de Harry Potter sabe como contar boas histórias e prender seus leitores de várias idades em muitos volumes de uma saga.  Nesse livro, que chegou ao Brasil no Dia das Crianças ela mostra seu talento mais uma vez. A história tem pitadas de Carroll e Dickens e pode virar um novo Harry Potter. O livro é uma mistura de “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll com os filmes “Toy Story” e “DivertidaMente”. O livro fala de perdas que objetos, sentimentos e costumes. A aventura está em reencontrá-los, abandoná-los de vez ou ressignificá-los. A história começa no mundo real , quando um menino, Jack, perde , metaforicamente o pai – que está se separando da mãe -, os colegas de escolas e seu bichinho de pelúcia de estimação, um porquinho. A obra transcorre no mundo onírico.

Meio sol amarelo ( Companhia das Letras) – a nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie é uma feminista e escritora nigeriana, detentora de vários prêmios. Ela é reconhecida como uma das mais importantes jovens autoras anglófonas de sucesso,44 anos, atraindo uma nova geração de leitores de literatura africana. O livro virou filme em 2013com direção de Biyi Bandele. Tendo como pano de fundo a guerra do Biafra, a história narra as distintas trajetórias das gêmeas Olanna e Kainene.

Os pensadores – coleção lançada pela Folha de São Paulo de livros de pensadores: Karl Marx, Platão, Rousseau, Maquiavel, Santo Agostinho,  Kant, Schopenhauer, Adam Smith, Aristóteles,  Bastiat, Leo Strauss, Thomas Hobbes, Ludwig Feuerbach, Edison Carneiro, Fréderich Hayek, John Stuart Mill, Emile Durkheim, Ruth Benedict, Étienne de la Boétie, Luiz Gama, Ludwig von Mises, Carter G.Woodson, Comte, Max Weber, Voltaire, Lévi-Strauss, Michel Foucault, Mary Woolstonecraft e bell hooks. Na compra da coleção com cartão de crédito, divide em 12 x sem juros para RSP,RJ,MG e PR. Pelos telefones: (11) 3234 – 3090 (Grande São Paulo, das 8 às 14hs, de segunda a sábado, exceto feriados).

A autobiografia da minha mãe (Alfaguara) – Jamaica Kincaid, 72 anos,  é uma escritora de Antígua e Barbuda radicada em North Bennington, Vermont, EUA, durante os verões,  sendo professora de estudos africanos e afro-americanos na universidade de Harvard, onde mora no período dos anos acadêmicos. É ganhadora de diversos prêmios literários, entre eles o Prix Femina e o PEN Faulkner.

Um belo diploma (2020) –  de Scholastique Mukasonga é uma escritora tutsi de Ruanda nascida em 1956 e residente na Normandia, França. Foi sobrevivente dos massacres no Ruanda ocorridos na década de 1990. O roteiro do livro é sobre como salvar uma filha de uma morte certa? Talvez, como crê o pai de Scholastique Mukasonga, confiando-a à escola, a fim de que ela obtenha um “belo diploma”. Assim, ela não será mais nem tutsi nem hutu. Ela atingirá o status inviolável de “evoluída”. É justamente para obter um diploma, que a menina será obrigada a tomar o caminho do exílio. Ela passará de país em país, do Burindi à Djibouti, até chegar à França. Ao longo da travessia, às vezes, as chances prometidas por este papel parecem uma certeza. Noutras, desaparecem como uma miragem. Mas ao fim, como lhe havia dito seu pai, este “belo diploma” será um talismã, para sempre uma fonte de energia, que permitirá a ela superar a desesperança, a desilusão e a desventura. Em “Um belo diploma”, Scholastique Mukasonga volta à sua veia autobiográfica, com seu estilo fluido, pleno de humor e de fantasia, que resulta em apaixonantes relatos de suas memórias – dolorosas sim, mas também belas e inspiradoras.

João de Deus, o abuso da fé (Globo Livros) – da jornalista Cristina Fibe. O livro será lançado na quinta-feira e conta que o médium foi acusado de abuso sexual de uma garota de 16 anos antes das diversas denúncias virem à tona na imprensa, em dezembro de 2018.

O homem do casaco vermelho (Rocco, R$79,90) – Julian Barnes. A partir de uma pintura ( “Dr Pozzi em casa”, de John S.Sargent -1881), o autor rompe as barreiras do gênero, entrelaçando histórias e contando a saga do mulherengo e sedutor “Doutor Amor”. O escritor inglês e francófilo assumido em seu mais recente livro parte da vida, das contribuições científicas e das aventuras sexuais do cirurgião e ginecologista francês Samuel-Jean Pozzi (1846-1918). O livro abre-se para a constituição de uma complexa rede de relações artísticas e amorosas durante a distante Belle Époque francesa, sempre tratado com fina ironia que notabiliza Barnes.

Mundo real (Fósforo, R$ 74,90) – Brandon Taylor. O romance de estreia do autor nascido no Alabama, em 1989, parte de uma narrativa de um fim de semana na vida de Wallace – jovem negro e queer que ganha uma olsa de estudos numa prestigiada universidade – para entrelaçar temas como violência sexual, racismo, machismo e homofobia, além de expor as entranhas da vida acadêmica. A obra foi finalista do Man Booker Prize de 2020.

Vista Chinesa (Todavia, R$49,90) – É assim que Júlia Jabace, a arquiteta e diretora de tv de “Diário de um confinado” junto com o marido Bruno Mazzeo, é a personagem do recém-lançado livro. Ela desabafa sobre a pressão grande — e machista — em cima da mulher para que ela seja corajosa o tempo todo, termine tudo o que começou, esconda sua fragilidade, mesmo quando ela é vítima de uma das maiores perversidades que o homem comete contra ela: a violação de seu corpo, o estupro.  Sua história será transformada em filme: ela sofreu um estupro quando corria na região da Vista Chinesa.

Escute as feras ( 34, R$ 46) – Nastassja Martin. Numa viagem à Rússia em busca de famílias do povo even, que vive nas florestas siberianas, a antropóloga francesa tem um encontro inesperado e terrível com um urso. A partir desse acidente que deixa marcas e do estudo das tradições dos even, a autora constói uma reflexão sobre o slimites entre a cultura e a natureza, emtre o humano e o natural, entre a construção simbólica e a violência.

O amigo perdido ( Rua do Sabão, R$ 40) – Hella Haasse. Publicado em 1948, o romance é considerado obra-prima da autora, que morreu em 2011 e ficou conhecida como “a grande dama da literatura holandesa . Ambientado na Índias Orientais Holandesas (Indonésia) narra a história de um menino holandês criado numa plantação colonial, que trava amizade com um indonésio. Questões raciais, gierra e política marcam a trama.

Renato, o Russo ( Garota FM Books) – Julliana Mucury. Pelos 25 anos de morte de Renato Russo, a autora está lançando este mês o livro que é o resultado de sua tese de doutorado em literatura brasileira sobre o cantor/compositor que morreu aos 36 anos por complicações decorrentes da AIDs. E tem como eixo a análise dos versos que o artista escreveu. A análise parte da obra do cancionista Renato Russo da banda Legião Urbana, da qual foi vocalista e principal compositor. Como objetivo principal, o trabalho propõe uma leitura das suas letras de canção de autoria exclusiva como memórias-presentes e registro de um tempo mutante, crítico, no eixo da mudança da década de 1980 para a de 1990, delineando seu projeto poético de criação, a partir do qual se torna possível captar a relevância estética de suas canções.

O último duelo (Intrínseca, R$ 49,90) –  est-seller de Eric Jager, que chegou às livrarias esta semana , junto com a estreia do filme de mesmo nome e baseado na obra. À época em que as mulheres nem eram consideradas seres humanos e eram propriedade do pai e depois do marido, foi de imensa coragem a acusação de estupro por uma mulher.  A protagonista Marguerite diz que não vai se calar mesmo depois de se deparar com a realidade de que só poderá enfrentar o homem que a estuprou através do marido. Ele deve agir em seu nome. E ela permanece no controle de toda a forma que pode, até o fim.

Henrique Lage do historiador Clóvis Bulcão (Record, R$ 49,90) e Vozes da batalha ( Tusquets, R$54,90), de Marina Colasanti. Os dois livros se entrelaçam. Henrique Lage (1881-1941), foi um dos maiores empresários da história do país e o livro é focado nos feitos do patriarca, que revolucionou a indústria nacional com o tripé aço, carvão e navios. Em 1922, ele já pensava em avião. A história de Henrique Lage é a história dos movimentos econômicos nas primeiras décadas do século XX. A expansão de sua frota, a Costeira, representou a integração do mercado nacional. Os seus famosos navios Itas entraram na cultura popular, virando nome de música de Dorival Caymmi (“Peguei um Ita no norte”). Ele transformou  o Jardim Botânico em um bairro de elite. Foi casado por quase duas décadas com a cantora lírica italiana Gabriella Besanzoni Lage (1888-1962), de renome internacional. Em Vozes da batalha, a jornalista e escritora Marina Colasanti mistura elementos de romance e memorialismo para resgatar a figura de Besanzoni – tanto a diva respeitada em todo o mundo quanto a mulher à frente de seu tempo. Os dois livros são irmãos, que se complementam muito bem. Foi graças a uma apresentação dela no Teatro Colón, de Buenos Aires, que o mercado argentino se abriu para os navios do marido. Ela fez do Rio também um lugar mais cosmopolita, não apenas organizando as festas espetaculares na antiga casa – Escola de Artes Visuais no Parque Lage – como também financiando músicos brasileiros. Marina Colasanti, nascida na Eriteia (Asmara), era sobrinha-neta de Besanzoni.  Em 1948, mudou-se para a residência da família no Jardim Botânico e, lá, conviveu com a tia-avó, testemunhando seu período de viuvez e sua longa luta judicial pelo espólio após a morte do magnata. Antes de se tornar o Parque Lage, Besanzoni idealizou ali um conservatório de música.. Com a eclosão da Segunda Guerra,  Bulcão e Colasanti mostram como o Estado teria se aproveitado do conflito para engolir as empresas da família e se apropriar de parte do patrimônio de Besanzoni (o processo de recuperação do espólio ainda segue na Justiça). Ainda rica apesar das perdas, a viúva acabou voltando para a Itália. O Teatro Colón reverência a diva até hoje, ao contrário do Municipal que guarda pouca documentação sobre ela. Os livros já estão à venda, mas em 11 de novembro haverá o lançamento pelo canal da Travessa do YouTube.

LAZER

Com saudades de uma viagem ao exterior? Com o preço do dólar nas alturas é melhor pensar no seu passeio pelo continente mesmo. A Argentina  já abriu suas fronteiras a turistas brasileiros  e organizou o programa La Ruta Natural , com 17 roteiros e 25 experiências.

Caminos de los Sete Lagos: a poucos quilômetros ao norte da Bariloche sempre lotada.  É um dos trechos mais cênicos da mítica Ruta Nacional 40, a rodovia que da fronteira com a Bolívia, ao norte, ao sul da Patagônia, sempre aos pés da Cordilheira dos Andes. Neste pedaço, ela atravessa o Parque Nahuel Huapi e conecta San Martin de los Andes  e Viulla la Angostura, duas cidadezinhas charmosas na província de Neuquén; Circuito das Geleiras: um dos visuais mais impactantes da Argentina é o Glaciar Perito Moreno, paredão de gelo de 5km de largura e 60m de altura, que avança sobre o Lago Argentino e solta blocos gigantes, que caem com estrondo na água, causando comoção na plateia. A geleira pe a estrela do Parque Nacional Los Glaciares, a principal atraçãoda bucólica El Calafate, em Santa Cruz. El Chaltén, mais ao norte, é uma opção aos amantes de trekking e montanhismo. É o ponto de partida de Huella de los Glaciares, uma travessia a pé entre Argentina e Villa O”Higgins, no Chile, passando por paisagens espetaculares; Santiago del Estero capital da província do mesmo nome, ao norte do país, é a mais ntiga cidade da Argentina, de 1553. Apontada como berço do folclore nacional e comida deliciosa com receitas à base de milho, como a mazamorra (mingau), o locro (ensopado), o tamal e a humita (próximos da pamonha)., além dos biscoito moroncitos e bolanchao, doce eito com frutas da região. E os asados de carne de cabrito, porco ou vaca, À moda tradicional, na brasa ou em forno de barro; San Juan – amantes de vinho já visitaram ou pretendem visitar Mendoza. Mas uma visita à região de Cuyo, no Noroeste do país, fronteira com Chile, não pode se resumir a vinícolas. As bebidas produzidas nas bodegas da região combinam com as estrelas já que essa província, vizinha de Mendoza, é pretencente à mesma região , e um dos melhores destinos do país para o astroturismo. A altitude elevado ( a partir de 2.200m) e o tempo seco criam uma condição climática, que, além de n=boas uvas, permite um céu límpido. No Parque Nacional El Leoncito, área de preservação do sistema d=semidesértico da região, repleta de  guanacos (parentes das lhamas) estão dois importantes observatórios, o COmplejo Astrnômico EL Leoncito e o Observatório Astronêmico Carlos Ulrico Cesco.; Chubut – na Península Valdés, na província patagônica de Chubut, as temporadas de observação da vida marinha são bem marcadas. Entre junho e outubro está por lá as baleia-franca-autral. São vistas em passeio de barco que saem de Puerto Pirámides. As colônias de elefantes-marinhos aparecem entre setembro e novembro, principalmente em Punta Delgada. Entre março e maio vai admirar as orcas, atraídas pelos filhotes de lobos-marinhos que já se aventuram na água. Muitos passeios saem de Puerto Madryn, principal porta de entrada para a Península. Para entrar a Argentina, o turista deve estar com as duas doses da vacina, recebidas 14 dias antes, além de apresentar teste PCR negativo realizado 72 horas antes.do embarque. Quem não estiver totalmente vacinado deve se submeter  o teste de antígeno na chegada e cumprir 7 dias de quarentena e se submeter a um novo PCR que deve ser negativo. Com crianças, a família deve ter sete dias de quarentena.

PODCAST

Brasil por EL PAÍS – O primeiro podcast do novo canal o Brasil por EL PAÍS traz um especial que contará histórias do país e dos brasileiros pelo olhar dos repórteres do jornal.   Há 80 anos, os pescadores Jacaré, Tatá, Jerônimo e Manuel Preto começavam uma saga que entraria para a história. A bordo de uma jangada, construída por eles mesmos com uma madeira típica da região, percorreram 2.700 quilômetros entre a praia do Mucuripe, em Fortaleza, e a baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, para pedir ao presidente Getúlio Vargas que fossem incluídos na reforma trabalhista do Estado Novo, que estava em discussão na época. A odisseia, narrada diariamente pelo rádio e nos jornais da época, acabou sendo acompanhada por todo o Brasil e chegou aos ouvidos do cineasta norte-americano Orson Welles, que viu no líder daqueles homens o “verdadeiro herói americano”. A repórter Beatriz Jucá recuperou essa história e conta em uma reportagem especial a saga de 61 dias que terminou em tragédia um ano depois, durante as gravações do filme de Welles. De volta ao Mucuripe de hoje, ela também mostra como os pescadores antes vistos como heroicos agora são tratados como um estorvo ao progresso e precisam lutar para seguir no mar. O especial traz também um podcast, o primeiro do novo canal o Brasil por EL PAÍS, que contará histórias do país e dos brasileiros pelo olhar dos repórteres do jornal.

A reta final da CPI e as 600 mil mortes por Covid-19por Lauro Jardim e Fernando Gabeira. O Globo.

MÚSICA

Airto Moreirapai da percussão moderna, o catarinense esteve presente em momentos decisivos da história da música. Com o Quarteto Novo, em 1967, quando Edu Lobo e Marília Medalha venceram o Festival da Música Brasileira com “Ponteio”; com Miles Davis, em 1970, quando o trompetista inventiou o fusion ;com a mulher Flora Purim, o pianista Chick Corea e o baixista Stanley Clarke, em 1972, na criação do supergrupo de jaz Retirn to Forever. Aos 80 anos, o músico lançou nas plataformas, pelo selo Ars Magna, o o álbum “Eu canto assim”, no qual solta a voz em clássicos da MPB de 50 anos como “Canção dos olhos tristes” (Tito MAdi), “A noite do meu bem” (Dolores Duran), “As praias desertas” (Tom Jobim), “Ilusão à toa” (Johnny Alf) e “Canção que morre no ar” (Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli). No disco, ele toca percussão e bateria, acompanhado por David Sartori (piano) e Thiago Duarte (contrabaixo), com direção musical de Flora.

The Atlas Underground Fire – Após seu elogiado e inovador álbum The Atlas Underground, de 2018, o ícone duas vezes indicado ao Grammy Tom Morello anuncia seu último projeto que chega hoje ao streaming. The Atlas Underground Fire apresenta um elenco com  Bruce Springsteen, Eddie Vedder, Chris Stapleton (também no novo disco de Santana), Mike Posner, Damian Marley e mais, a guitarra de Morello estará em plena exibição, levando o instrumento para o futuro e forjando uma obra-prima alternativa/rock/EDM com lendas de todos os tempos e marcas de vanguarda.

Blessing and Miracles – 26º álbum do Santana (grupo com o qual o guitarrista lança seus discos) lançada hoje nas plataformas. Por mais de cinco décadas, o músico mexicano tem sido a força visionária por trás da arte de dobrar gêneros, desde os primeiros dias de sua banda, Santana, como um inovador grupo afro-latino-blues-rock fusion em São Francisco para sua introdução no Rock and Roll Hall of Fame. Essa obra é em colaboração com grandes nomes pop, inclusive com Rob Thomas (grupo Matchbox Twenty) com a canção Move. Há dueto  de santa com Kirk Hammett (guitarrista do Metallica) e Marc Osegueda (vocalista do Death Angel), a pesada canção America for Sale (America à venda), falando das desgraças impostas pelos colonizadores aos povos indígenas.

CRIOLLO “Somos apenas números na mão dessa gente. Eles esquecem que temos pai, mãe, filho, irmã. No meu caso, já não tenho mais.” É assim que o rapper Criolo resume não apenas a situação do Brasil na pandemia mas um drama pessoal: em seu novo clipe, usa a semiótica e aparece ao lado dos pais para homenagear Cleane, sua irmã que morreu aos 39 anos vítima da covid-19, em junho. Em tom de manifesto contra a violência, a pobreza e a desigualdade, o músico falou ao jornal EL PAÍS de suas referências e da motivação política por trás de sua arte: “Não estão nem aí se vai morrer todo mundo. É da minha família? Não? Então quero saber dos meus interesses. Esse é o pensamento”.

Alice Caymmi o quinto álbum da cantora carioca com vozeirão, neta de Dorival e filha de Danilo, chegou às plataformas, ontem, cercada de simbolismos. No clipe de “Serpente”, single lançado em setembro, a cantora se mostra à vontade com seu próprio corpo, apesar dos 20 kg que ganhou na pandemia. A produção, ela fez em parceria com Vivian Kuczynski que também está entre as participações especiais que tem ainda Urias, Number Teddie e Mulú.

Aline Calixto – primeiro álbum gravado pela cantora e compositora mineira para o público infantil, Pontinhos de amor  foi lançado na terça-feira, Dia das Crianças. A intenção foi convidar a criança a entrar no universo mitológico dos orixás e entidades que povoam as religiões e culturas afro-brasileiras. Umbandista, Calixto apresenta dez orixás e quatro entidades para as crianças ao longo das 15 músicas desse disco. Encerrado com Festa no ayiê (Pai Ricardo, Mãe Sheila, Michelli Pessoa e Gabriel Ricardo), tema-bônus criado por integrantes da Casa de Caridade Pai Jacó do Oriente, o álbum Pontinhos de amor entra na cadência do samba de roda em Dançando com os caboclos (Aline Calixto) e, no ritmo do congo, perfila Ogum em Super Ogum (Aline Calixto e Makely Ka), saúda Iansã em Vento bailarino (Aline Calixto e Déa Trancoso) e aborda a vovó Nanã em Nanaê, Nanã (Aline Calixto e Chico Alves), música cujo refrão embute fragmento de ponto de umbanda.A artista cai no suingue do carimbó em O dono do arco-íris (Aline Calixto) e evoca cantiga de ninar em Pombinha de Oxalá (Aline Calixto e Helder Quiroga). Em repertório que também inclui saudações a Iemanjá (em A rainha do mar, parceria de Calixto com o viçosense Thyaga), a Oxossi (Dançando com Oxossi, da artista com Marina Gomes) e a Oxum (Ela mora na cachoeira, tema de Calixo com Déa Trancoso), a artista apresenta duas parcerias com Tavinho Leoni, Atotô é orixá e Xangô, mestre do amor. Em Oni beijada, faixa que celebra Cosme & Damião, a sambista Júlia Rocha é parceira e convidada de Aline Calixto na criação e gravação da composição.

 

Marcia Castro reúne no álbum, que será lançado quinta-feira, Axé as três maiores cantoras da música afro-pop-baiana rotulada como axé music. Além das já sabidas participações de Ivete Sangalo em Holograma (Tiago Simões) e de Margareth Menezes em Arco-íris do amor (Fábio Alcântara, Magary Lord e Lucas Santtana), música apresentada em single editado em fevereiro de 2020, Daniela Mercury também participa do disco.O encontro entre as conterrâneas Daniela Mercury e Marcia Castro acontece na faixa As Paulinas dos Jardins, música de Carlinhos Brown – um dos compositores mais relevantes do universo da axé music – e André Lima.A faixa As Paulinas dos Jardins será a próxima música de trabalho do álbum Axé, na sequência do single Ver a maravilha, editado em 16 de setembro com a gravação de composição inédita de Teago Oliveira, artista – com Marcia Castro – nascido na Bahia, mas residente na cidade de São Paulo (SP). Além das músicas já citadas, o repertório do álbum Axé inclui Bolero lero (Russo Passapusso e Seko Bass), Coladinha em mim (Fábio Alcântara, Marcelo Flores e Marcia Castro) e Namorar no mar (Pedro Pondé).

Leão Etíope selo musical que está lançando nas plataformas digitais o single “Segura” do grupo fluminense Amplexos de Volta Redonda, e que conta com a participação de Lenine e Digitaldubs. Todas as coleções do selo – discos, EPs e coletâneas – colocarão bandas independentes do país em contato com músicos já consagrados, para que a carreira de artistas menos conhecidos seja impulsionada .

 

FESTIVAL DE ROCK NO RIO

Canal Brasil e Canal Rock Brasil do YouTube – O Festival Rock Brasil 40 Anos, maior festival de música do ano e primeiro grande evento-teste de cultura ao ar livre do Rio de Janeiro desde que foi decretada a pandemia, acontece nos finais de semana até 1º de novembro, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro e na Praça da Pira, na Candelária, trazendo uma programação completa regada a muita música e arte para homenagear a história do rock nacional e transmitido pelo Canal Rock Brasil do YouTube e pelo Canal Brasil . Cazuza, que este ano faz 30 anos de falecido, será o grande homenageado do evento. O festival contará com diversas atrações, algumas gratuitas, como pocket-shows, musicais, documentários, exposições de arte e foto, palestras, além de grandes apresentações, nos fins de semana, com os principais nomes do rock brasileiro. Todos os protocolos sanitários exigidos pela Prefeitura do Rio de Janeiro por meio da Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária serão seguidos à risca para garantir a segurança do público.

Shows: 23 e 24 de outubro– shows de Plebe Rude, Camisa de Vênus,João Penca e Paulo Ricardo.

30 e 31 de outubro o festival apresenta Nenhum de Nós, Biquini Cavadão, Flausino & Sideral com Bebel Gilberto, terminando a noite com Marina Lima. Quem não puder comparecer terá a chance de conferir todas as apresentações ao vivo pelo canal do Rock Brasil no Youtube. Protocolos – Para participar do evento-teste, o público deve estar vacinado e fazer um exame 48 horas antes do evento, além de seguir uma série de protocolos.  Todas as noites da Praça da Pira serão abertas com a apresentação da Orquestra Petrobras Sinfônica, que preparou um repertório totalmente dedicado ao rock nacional. Nos dias 16 e 17 de outubro, a Orquestra se apresenta sob a regência do maestro Felipe Prazeres. Na lista, sucessos como A Cruz e a Espada, do RPM, A Dois Passos do Paraíso, da Blitz; Alice (Não Me Escreva Aquela Carta de Amor), do Kid Abelha, entre outros. Nos demais fins de semana (23, 24, 30 e 31 de outubro) a regência ficará a cargo do maestro João Carlos Martins, tocando outras canções que marcaram época, como, Maluco Beleza, de Raul Seixas; Pro Dia Nascer Feliz, do Barão Vermelho; Codinome Beija Flor, de Cazuza, Tempo Perdido, do grupo Legião Urbana; e Meu Erro , sucesso do Paralamas.

Mostra de cinema – Com entrada franca, a mostra de cinema vem recheada de títulos, entre documentários e filmes de ficção. São eles: Barão Vermelho – Por que a gente é assim? (2007), com direção de Mini Kerti, doc musical que traz a história de uma das bandas precursoras do rock nacional; Faroeste Caboclo (2013), dirigido por René Sampaio, baseado na música homônima do grupo Legião Urbana; Blitz O Filme(2019), de Paulo Fontenelle, que conta a trajetória da banda sucesso nos anos 80; Titãs: A vida parece uma festa (2009), documentário com direção de Oscar Rodrigues Alves e Branco Mello, um dos fundadores do grupo; Somos tão Jovens (2013), cinebiografia do lendário vocalista do Legião Urbana, Renato Russo, com direção de Antonio Carlos da Fontoura; e Cazuza – O Tempo não Para (2004), outra cinebio, que traz a história de Cazuza, com direção de Sandra Werneck e Walter Carvalho.

Exposições – Para quem gosta de arte e fotografia, o festival preparou duas exposições, ambas também com entrada franca. A primeira delas traz uma seleção de cerca de 60 fotos dos anos 80, clicadas por Cristina Granato, um dos maiores nomes do fotojornalismo brasileiro. A segunda é uma exposição de arte com obras de Luiz Stein e Zé Carratu, artistas plásticos que surgiram junto com o rock brasileiro dos anos 80. Para fechar, a cada semana, o jornalista e crítico musical Nelson Motta apresenta uma palestra sobre a história do rock brasileiro e todo o contexto histórico que ele nasceu.  Nos dias de shows externos, o público poderá conferir ainda um vídeo mapping animado em 3D, criado pelo artista multimídia Batman Zavareze, que será projetado na fachada do CCBB, trazendo imagens de bastidores e os melhores momentos do rock nacional dos anos 80, além de depoimentos inéditos e exclusivos com os protagonistas do festival.

Para os eventos com entrada franca, o público deverá também retirar seu ingresso pelo site Eventim. O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro funciona de quarta a segunda (fecha às terças), das 9h às 19h aos domingos, segundas e quartas; e das 9h às 20h às quintas, sextas e sábados. A entrada do público é permitida apenas com agendamento online (eventim.com.br). O festival Rock Brasil 40 Anos começa no Rio de Janeiro, mas na sequência terá edições em Belo Horizonte (26 de janeiro a 21 de fevereiro de 2022), São Paulo (23 de março a 21 de abril de 2022) e Brasília (20 a 24 de abril de 2022).

Festival Rock Brasil 40 anos -o evento do CCBB que reúne shows, peças teatrais, filmes e exposições para celebrar o rock brasileiro dos anos 1980 promove, nos finais de semana, apresentações ao ar livre, numa grande área  junto à Pira Olímpica, na Candelária.  Sábado:  Orquestra Petrobras Sinfônica (17h30), Ira! (18h45), George Israel () e Barão Vermelho (21h). Domingo: Orquestra Petrobras Sinfônica 20h10(17h30), Kiko Zambianchi (18h45), Fernando Magalhães (20h10) e Dinho Ouro Preto (21h).  Segundo novo decreto do prefeito Eduardo Paes, não é mais preciso fazer teste de Covid-19, mas a apresentação do comprovante de vacinação continua obrigatória. Ingressos para os show ao ar livre (a partir de R$ 60): www.ingressocerto.com.

SHOWS/LIVES

 

HOJE

ID: Niterói: Braço musical do evento ID : Rio — que oferece, hoje e amanhã, palestras, talks e mesas redondas gratuitas sobre moda, cultura e empreendedorismo, além de desfiles, no Reserva Cultural Niterói —, o evento promove shows até domingo.  Hoje: Felipe Roale (16h), Luiza Reis (18h), Blood Mary (20h), Felipe Roale (21h). SábadoFelipe Roale (16h), Thalita Pertuzatti (18h), O Zunido (19h30), Rodrigo Santos (20h30), Felipe Roale (21h). Domingo: Felipe Roale (16h),  Mira Callado(18h), Hexotria (19h), Gabriel O Pensador (20h30). Reserva Cultural NiteróiAv. Visconde do Rio Branco 880, São Domingos, Niterói. De hoje a domingo. A entrada também é gratuita, mas é preciso reservar ingressos no site Sympla, no qual é possível checar toda a programação.

Reserva Cultural Niterói: Av. Visconde do Rio Branco 880, São Domingos, Niterói. De hoje a domingo.  A entrada também é gratuita, mas é preciso reservar ingressos no site Sympla, no qual é possível checar toda a programação.

 

 

19hs – show  “Dois Franciscos” com Francis Hime, Olivia Hime e Hugo Pilger. Sala Cecília Meireles, apresenta dentro da série Sala Jazz, “Dois Franciscos”, com Francis Hime (piano e voz), Olivia Hime (voz) e Hugo Pilger (violoncelo). O espetáculo será presencial e terá transmissão pela TV Alerj e pela YouTube da Sala Cecília Meireles.

 Sala Cecília Meireles segue o Protocolo de Segurança Sanitária elaborado pela FUNARJ, ratificado pela Secretaria Especial da Covid-19 do Estado do RJ e adotado pelo Governo do Rio de Janeiro, via decreto.“Dois Franciscos” foi idealizado por Olivia visitando a obra de Chico Buarque e Francis Hime. O repertório se baseia nas composições dos dois compositores, seja nas parcerias entre eles ou com outros parceiros. Os arranjos são de Francis, a direção de Flavio Marinho, a luz de Marcelo Linhares e a preparação vocal de Felipe Abreu. Ingressos: R$ 40,00 Transmissão pelo YouTube e TV Alerj.  Série Sala Jazz: Francis Hime, piano; Olívia Hime, voz; e Hugo Pilger, violoncelo. Link para compra pel internet:https://bileto.sympla.com.br/event/69142/d/110098

PROGRAMA: Francis Hime.

Abertura: Chico Buarque – Futuros amantes; Francis Hime / Chico Buarque – E Se, Outros Sonhos, Morro Dois Irmãos. Mar e Lua, Meu Guri, Atrás da Porta, Trocando em Miúdos; Passaredo, Embarcação, Pivete, Luísa, Saudade de amar; Cristóvão Bastos / Chico Buarque – Todo Sentimento, O que será; Francis Hime / Olivia Hime – Choro Rasgado, Laura; Francis Hime / Vinícius de Moraes – Anoiteceu; Francis Hime – Baiãozinho.

21h Ana Carolina. A cantora passeia pelos maiores hits de sua carreira, como “Garganta”, “Elevador” e “Quem de nós dois”, e apresenta canções de seu último álbum “Fogueira em alto mar”, além de interpretar sucessos de Rita Lee, Seu Jorge e Guilherme Arantes. Tem ainda uma pandeirada com Thiago Anthony e Leo Reis. As vendas acontecerão apenas para mesas inteiras de 2, 3 ou 4 lugares, não sendo possível a compra unitária de ingresso. Vivo RioAv. Infante Dom Henrique 85, Flamengo. Sex (15), às 22h. Sáb (16), às 21h. R$ 250 via Eventim.  18 anos.

SÁBADO

10 às 17h Feirinha da Pavuna e DJ GoranmoEm uma conexão entre Zona Norte e Zona Sul, a tradicional roda de samba Feirinha da Pavuna se apresenta na Feirinha do Sérgio Porto, no Humaitá, após quase um ano sem subir aos palcos. O evento, que reúne música, artesanato e gastronomia, conta ainda com o DJ Goranmo, do Baile do Ademar. A entrada é gratuita. Espaço Cultural Sérgio Porto: Rua Humaitá 163 (entrada pela Rua Visconde e Silva). DJ Goranmo, das 10h30 às 12h. Feirinha do Pavuna, das 13h às 14h30 e das 15h às 16h30. Retirada de ingressos pelo Sympla.

11hMúsica no MuseuA apresentação do Trio Caxangá traz ritmos do Nordeste no evento “Sons do Brasil“, que celebra a diversidade musical brasileira das cinco regiões do país. Centro Cultural Parque das Ruínas: Rua Murtinho Nobre 169, Santa Tereza.

INFANTIL

17hs Concertinhos de Eva  – para o público infanto-juvenil e toda a família será pelo Canal Eva Klabin no Youtube. Nessa terceira apresentação o foco será o PIANO, a música de câmara e o repertório internacional. A parceria será com os músicos da Orquestra Jovem Paquetá e Instituto Zeca Pagodinho – Orquestra Viva Xerém – que têm como objetivo o amor pela música,  a formação de plateia e como também têm como pioneira dos projetos nas duas regiões,  a pianista e educadora musical JOSIANE KEVORKIAN. Os responsáveis pela Casa Museu Eva Klabin, foram os idealizadores dos 4 Concertinhos ,a fim de oferecer ao público um panorama sobre os instrumentos da orquestra, histórias e curiosidades. O casal Josiane e José Kevorkian criou há 20 anos o projeto Bem Me Quer Paquetá e ofereceu todo o ensino musical para crianças, a partir dos 5 anos, moradores da Ilha; hoje são músicos formados, integrantes de diversas orquestras e premiados em concursos no exterior. A Ilha de Paquetá é o único bairro do Rio de Janeiro com uma orquestra , – a ORQUESTRA JOVEM PAQUETÁ  – mantida sem apoio oficial, mas com uma rede de padrinhos que permite sua continuidade. Associe-se a eles e apadrinhem um músico.

 

Ana Carolina . A cantora passeia pelos maiores hits de sua carreira, como “Garganta”, “Elevador” e “Quem de nós dois”, e apresenta canções de seu último álbum “Fogueira em alto mar”, além de interpretar sucessos de Rita Lee, Seu Jorge e Guilherme Arantes. Tem ainda uma pandeirada com Thiago Anthony e Leo Reis de tirar o fôlego. As vendas acontecerão apenas para mesas inteiras de 2, 3 ou 4 lugares, não sendo possível a compra unitária de ingresso.

 

DOMINGO

13 hs – 80 homenagens áureas: todos os domingos nesse horário, a cantora Áurea Martins reúne vários cantores que homenageiam  um nome do cenário musical. Serão 80 shows virtuais em homenagem as 80 anos de Áurea que não pode ser comemorado no ano passado, por causa da pandemia. Transmitida através do seu canal no YouTube. As lives ficam disponíveis no canal. https://www.youtube.com/channel/UCj70JFrxgQka3_5qGqZLX1A  

18 às 22h Toninho Geraes. Autor de sucessos como “Mulheres”(Martinho da Vila), “Seu balancê” (Zeca Pagodinho) e “Me leva” (Agepê), o cantor e compositor mineiro Toninho Geraes faz show no tradicional reduto do samba Renascença Clube. Renascença ClubeRua Barão de São Francisco 54, Andaraí. Dom, das 18h às 22h. R$ 25 via Sympla. Segue as regras sanitárias da pandemia.

SEGUNDA-FEIRA

19hOrquestra Petrobras Sinfônica – “Mix Bahia”. Clássicos que embalam os foliões carnavalescos agora ganham arranjo sinfônico, sob regência de Carlos Prazeres, em uma live gratuita. Releituras de sucessos como “Baianidade nagô”, “Faraó” e os hits do grupo de axé É o Tchanfazem parte do repertório “Mix Bahia Sinfônico”. Transmissão onlinepelo YouTube do Teatro Riachuelo (www.youtube.com/TeatroRiachueloRio)

QUARTA-FEIRA

16hsMárcio Gomes. O cantor romântico está de volta ao Imperator com seu show “Eternas canções”, que traz homenagens a artistas como Nelson Gonçalves, Ângela Maria, Cauby Peixoto, Agnaldo Timóteo e Amália Rodrigues. Teatro ImperatorRua Dias Cruz 170, Méier. R$ 60. Ingressos na bilheteria ou pelo site Eventim.

20h30 Arlindinho – Filho do consagrado sambista Arlindo Cruz, o cantor e compositor apresenta o show “Pagode do Arlindinho”, com um repertório que inclui os sucessos “Você é espinho, não é uma flor”, “Num sonho lindo”, “Frasco pequeno” e “Meu filho”. Bar do Zeca PagodinhoShopping Vogue Square. Av. das Américas 8585, Barra. (3030-9097). R$ 30.

QUINTA-FEIRA

20hs – “Aretha Franklin Tribute”. A banda FourPlusOne interpreta os maiores sucessos da cantora,  ícone da música negra norte-americana. No repertório, estão canções que foram imortalizadas ao longo de mais de 60 anos de carreira como “I say a little prayer”, “Respect”, “Think” e “A natural woman”.Teatro Prudential: Rua do Russel 804, Glória. Qui e sex (dia 21). R$ 80 presencial e R$ 15 ( on-line), via Sympla.

19hCIRCO VOADOR (reabertura) – hoje, show com 50% da capacidade (mil pessoas) de Marcelo D2. Para amanhã e sábado (dias 22 e 23),os ingressos estão esgotados para o show das 23h30. “Assim tocam meu tambores” álbum de 2020 que ele lança nos três shows e acaba de ser indicado ao Grammy Latino. Ele canta as músicas do álbum, mas tb sucessos de carreira e receberá convidados. Circo Voador: Rua dos Arcos, Lapa. Qui (21), às 19h. Sex (22) e sáb (23), às 23h30 (esgotados). R$ 180, via Eventim ou na bilheteria (pagamento em dinheiro): Ter a qui, das 12h às 19h; sex, das 12h a 0h; sáb, das 14h a 0h; e sempre 2h de cada evento. Classificação 18 anos.

TEATRO

Diariamente

Gaivota A peça de Tchékhov transpõe o palco para o meio do mato.Anton Tchékhov (1860-1904), autor que é figura central da dramaturgia do teatro russo, ganha uma versão inédita de um de seus clássicos, A Gaivota, interpretada pela Cia. BR116, que estreou esta semana no canal do YouTube do grupo. Gaivota – sem o artigo “a” das traduções mais comuns – é a segunda empreitada cinematográfica da trupe que, ao longo da pandemia, tem se dedicado a testar os limites de coexistência entre o teatro e o cinema através de uma nova linguagem, o teatrofilme. A motivação para realizar a obra surgiu a partir da própria peça, no quarto ato, quando a jovem atriz Nina diz: “Eu tenho fé e não sinto tanta dor. E, quando penso na minha vocação, eu não tenho medo da vida”

‘Era Medeia’Texto e direção: Eduardo Hoffmann. Com Isabelle Nassar e Eduardo Hoffmann. A relação pessoal entre um diretor e uma atriz é exposta durante o ensaio aberto de uma adaptação da tragédia Medeia. Disponível em qualquer horário. Gratuito, no YouTube. 60 minutos. 14 anos. Até domingo, às 19hs.

SEXTA-FEIRA

18h30 – Festival de Teatro Virtual: a primeira edição do evento promovido pela Fundação Nacional de Artes (Funarte) exibe 25 espetáculos on-line de todas as regiões do país.  Qui e sex, às 18h30. Gratuito, com transmissão pelo YouTube. Livre. Até 28 de outubro. A programação é alterada semanalmente.

19hs – ‘Virá’–  Texto e direção: Giordano Castro. Com Bruno Parmera, Erivaldo Oliveira, Giordano Castro, Lucas Torres, Mário Sergio Cabral.O novo espetáculo sensorial do grupo Magiluth acontece por meio de uma chamada telefônica. No enredo, um grupo de pessoas espera por algo que não se sabe o que, mas mesmo assim, é algo aguardado com muito desejo e alegria. Sex e sáb, às 19h. Gratuito, com inscrições pelo site do Sesc SP.

21h‘Pessoas perfeitas’Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Os Satyros.Medalha é uma jovem mística que busca experiências espirituais. Ela sai do interior para morar no centro de São Paulo, fugindo da solidão após a morte dos pais. Sex e sáb, às 21h. Dom, às 20h. Gratuito, por meio do Sympla. 90 minutos. Até 10 de outubro.

SÁBADO

 

15h – ‘Que os mortos enterrem seus mortos‘- Texto: Samir Yazbek. Direção: Marcelo Lazzaratto. Com Helena Ranaldi e Maria Fernanda Cândido. Ao tentar recomeçar a sua vida no Líbano, terra de seus antepassados, uma mulher recebe a visita de sua mãe já morta, insistindo para que ela retorne ao Brasil. Gratuito, por meio do site do Itaú Cultural. 120 minutos. 14 anos.

18hs‘Cabaret Dada’: Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Os Satyros. O espetáculo parte do estudo do Dadaísmo, movimento vanguardista do início do século XX. Sáb e dom, às 18h. Dom, às 21h. Gratuito, com transmissão no Sympla. 70 minutos. Até 31 de outubro.

19h ‘Gays, modos de amar’. Texto: Flávio Braga. Direção: Gláucia Rodrigues. Com Rafael Canedo. Através do humor, a peça procura refletir sobre questões do universo gay — os preconceitos enfrentados, a busca do amor e do prazer, a auto-aceitação. A peça pode ser vista, a partir de sábado, às 19h, em qualquer horário. Gratuito, no YouTube. 40 minutos. Até 31 de outubro.

20h ‘Alethea dreams’ Texto: Rafael Souza-Ribeiro. Direção: Jorge Nassarala e Miwa Yanagizawa. Com Francine Flach, Henrique Manoel Pinho, Luciana Malavasi, Monique Franco e Sabrina Faerstein. A história de uma empresária premiada que recorre a um misterioso experimento para reprogramar a própria identidade, na tentativa de sanar uma crise existencial. Após a estreia, o espetáculo estará disponível on demand, 24 horas por dia. Gratuito, com transmissão no YouTube. 60 .Até 31 de outubro.

21hElis Regina – com Laila Garin protagonizando a cantora e cantando. Teatro Vivo em casa, com transmissão on line gratuita.

21h Pousada Refúgio – com Daniel Dottori, Glaucia Libertini, Leonardo Cortez, Maurício de Barros e Tatiana Thomé. O texto deste espetáculo é de Leonardo Cortez e a direção de Pedro Granato. Ao vivo e online . Os ingressos podem ser acessados gratuitamente na plataforma Vivo Valoriza ou no perfil @Vivo.Cultura, no Instagram. Os convites ficam disponíveis para resgate a partir da segunda-feira anterior ao espetáculo.

DOMINGO

18hPousada Refúgio – com Daniel Dottori, Glaucia Libertini, Leonardo Cortez, Maurício de Barros e Tatiana Thomé. O texto deste espetáculo é de Leonardo Cortez e a direção de Pedro Granato. Ao vivo e online.Os ingressos podem ser acessados gratuitamente na plataforma Vivo Valoriza ou no perfil @Vivo.Cultura, no Instagram. Os convites ficam disponíveis para resgate a partir da segunda-feira anterior ao espetáculo.

QUARTA-FEIRA

21 hs ‘G.A.L.A.’ – Texto e direção: Gerald Thomas. Com Fabiana Gugli. Uma mulher num barco à beira do naufrágio, sozinha como a população do mundo em tempo de pandemia, briga com o autor-diretor dizendo que “Beckett não está mais lá” e que “chega de Beckett!”. O título faz referência a Gala, mulher de Salvador Dalí. Gratuito, com transmissão no YouTube. 45 minutos.

QUINTA-FEIRA

18h30 – Festival de Teatro Virtual: a primeira edição do evento promovido pela Fundação Nacional de Artes (Funarte) exibe 25 espetáculos on-line de todas as regiões do país. Sex: “A cripta de Poe”, com a Companhia Nova de Teatro.  Sex: “Limita-ações: as coisas que guardamos”, do Dionísos Teatro. Qui: “Bodas de Sangue”, de Merun Filmes/Estupenda Trupe.  Qui e sex, às 18h30. Gratuito, com transmissão pelo YouTube. Livre. Até 28 de outubro. A programação é alterada semanalmente.

19hs – Dias 21 e 28 de outubro. Herói às avessas – Teatro PetraGold. On line: Facebook (@teatropetragold) e teatropetragold.com.br. Com Adriana Birolli.  A peça conta a inusitada história de amor entre o hacker de codinome Deadpool e a stripper autointitulada Mulher Maravilha, que se conhecem pela internet, se apaixonam e entram juntos para o submundo do crime. A trama, uma homenagem ao universo Geek (formado por fãs de tecnologia, jogos eletrônicos, quadrinhos, mangás, livros, filmes e séries), é repleta de referências a personagens de séries como X-Men, Os Vingadores e A Liga da Justiça. INGRESSOS PARA TRANSMISSÃO AO VIVO E ON-LINE: a partir de R$20,00. INGRESSOS PARA PLATEIA PRESENCIAL: R$60 E R$30 (meia).ONDE COMPRAR E ASSISTIR: https://site.bileto.sympla.com.br/teatropetragold/ ou na bilheteria com ate 1h de antecedência para plateia presencial.DURAÇÃO: 60 minutos / CLASS. INDICATIVA: 14 anos / GÊNERO: comédia / TEMPORADA: até 28 de outubro.

20h30‘Parabéns Sr. Presidente, in concert’- Texto: Fernando Duarte e Rita Elmôr. Direção: Fernando Philbert. Com Claudia Ohana e Juliana Knust. A comédia biográfica transporta a plateia para o ano de 1962 ao contar a história de Marilyn Monroe e Maria Callas, dois dos maiores mitos da feminilidade do século XX. Gratuito, com transmissão pelo YouTube e pelo canal 500 da NET, na televisão. 75 minutos.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012