Jornalistas sofrem ataques na Rússia


10/11/2010


A imprensa russa divulgou imagens de uma câmera de segurança que registrou o espancamento do jornalista Oleg Kashin, por dois homens, no último dia 6, em Moscou. O repórter do jornal Kommersant teve a mandíbula, os dedos e os joelhos fraturados. No dia seguinte, passou por uma cirurgia no cérebro, teve um dedo amputado e permaneceu em coma induzido.  

Na última segunda-feira, 8, Anatoly Adamchuk, repórter do jornal Jukovskie Vesti, também foi brutalmente agredido por dois desconhecidos quando saía da redação. Ele sofreu traumatismo craniano e comoção cerebral, declarou seu colega, Serguei Grammatin.

Adamchuk publicou vários artigos criticando o projeto das autoridades locais para eliminar uma parte da floresta de Jukovski para dar lugar a uma rodovia, iniciativa que suscitou grandes protestos entre os habitantes.
 
O editor de Oleg Kashin afirmou que o ataque pode ter relação com a cobertura sobre partidos da oposição.
 
O Presidente da Rússia, Dimitri Medvedev, ordenou às autoridades de seu país que investiguem com rigor os casos de agressão contra os jornalistas.
 
Segundo o Comitê de Proteção a Jornalistas, nos últimos anos, dezenas de profissionais de imprensa foram mortos na Rússia. Desde 2000, ao menos 18 assassinatos estão sem solução, como o da jornalista da Anna Politkovskaya, ocorrido em Moscou, em 2006.
 
Em 2009, o Instituto Internacional da Imprensa (IPI, em inglês) classificou a Rússia como um dos países mais perigosos do mundo para o trabalho jornalístico.
 
*Com informações da AFP, Portal Imprensa.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012