Jornalistas são condenados por charge de Maomé


Por Claudia Sanches

29/04/2016


charlie imagemNesta quinta-feira (28) a Justiça da Turquia sentenciou dois jornalistas de oposição ao governo a dois anos de prisão por ter publicado a controversa capa da revista satírica francesa “Charlie Hebdo” que mostra uma caricatura do profeta Maomé.

Segundo a agência de notícias estatal Anadolu, um tribunal de Istambul condenou os colunistas do jornal Cumhuriyet Ceyda Karan e Hikmet Cetinkaya por fomentar “ódio e inimizade”. Os dois podem ser condenados até quatro anos de prisão. O tribunal os absolveu das acusações de “insulto aos valores religiosos”.

Os jornalistas devem apelar da decisão. O “Cumhuriyet” publicou uma seleção de caricaturas e artigos em uma demonstração de solidariedade ao Charlie Hebdo, logo após o ataque terrorista ao escritório da revista no ano passado. Os dois jornalistas incluíram imagens da capa da Charlie Hebdo em suas colunas na mesma edição.

No dia 7 de janeiro de 2015 homens armados invadiram a redação da  revista francesa Charlie Hedbo na Capital da França e mataram 12 funcionários, entre eles jornalistas e chargistas.

Os assassinos queriam se vingar dos autores das charges que faziam piada com o profeta Maomé, o “Deus” do Islamismo.

Um dos piores locais para profissionais de imprensa

Segundo a Associação de Jornalistas da Turquia, há hoje 32 jornalistas presos no País e outras 24 sendo processados por ofender o presidente Recep Tayyip Erdogan. Quinze canais de TV foram excluídos de todas as plataformas digitais e satélites do país.

Assossiated Press

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012