Jornalista holandesa presa na Turquia deve ser deportada, diz agência de notícias


10/09/2015


Frederike Geerdink 1De acordo com informações da agência de notícias Anadolu da Turquia, a jornalista holandesa Frederike Geerdink deverá ser deportada do país, após ter sido presa no último domingo (6/9) por cobrir uma manifestação na cidade de Yuksekova, no sudeste do país.

A jornalista foi detida enquanto cobria uma manifestação de paz em Yuksekova, cidade dominada pelos curdos. Os manifestantes teriam organizado um “escudo humano” como apelo ao fim do confronto entre o exército turco e as forças armadas curdas. Desde 2006 a jornalista cobre os conflitos da questão curda.

Um oficial de segurança turco que não quis se identificar afirma que Geerdink vai ter que deixar o país não por causa do jornalismo, mas por suas supostas ligações com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que a Turquia vê como uma organização terrorista. Os combatentes do Exército e do PKK turcos têm sido nos últimos anos envolvido em uma batalha sangrenta. A repórter é acusada de ser uma ativista pró-curda.
Esta foi a segunda vez que Frederike acabou detida na Turquia. A repórter freelancer faz coberturas sobre o conflito entre o governo e os curdos. Ela foi detida em janeiro deste ano sob a acusação de envolvimento em propaganda para a causa dos rebeldes.
Além dela, os jornalistas britânicos Jake Hanrahan e Philip Pendlebury, da Vice, já haviam sido deportados na Turquia neste mês de agosto.

Geerdink , que reside no estado de Hakkari, capital da província que tem o mesmo nome, tem mais com cinco outros deportação pendentes, de acordo com a Anadolu.

*Com informações da agência de notícias Anadolu da Turquia

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012