2 de julho de 2022


Filmes indicados ao Oscar e FLUP sãos as Dicas da semana


11/02/2022


Por Vera Perfeito, diretora de Cultura e Lazer da ABI.

Filmes do Oscar na TV e programação da FLUP estão em Dicas

Assista em casa a vários filmes indicados ao Oscar nas plataformas e ao documentário A semana de Arte Moderna com debate no Cineclube Macunaíma. Tem ainda novas séries, mas se estiver disposto a uma aglomeração não perca os eventos, mesas e shows que acontecem na Festa Literária das Periferias (FLUP) no MAR e no Muhcab com Teresa Cristina, Moacyr Luz e muito mais. “Moisés Negro”, livro do franco-congolês Alan Mabanckou, que fará palestra na FLUP, mostra as condições de vida em seu país. Ele falará da violência contra imigrantes e arte africana no Modernismo. Ele vê o seu conterrâneo Moisés Kabagambe, assassinado a pauladas em quiosque na Barra, como um herói. Tem ainda livros, shows. Divirta-se e tenha uma boa semana.

NA ABI

Terça-feira

19h30 Cineclube MacunaímaA Semana de Arte Moderna, de Maria Maia será o filme exibido. Às 19h30, haverá um debate com a diretora, o cineasta Silvio Tendler, a jornalista e diretora da ABI Norma Couri, além do professor e escritor brasileiro João Cândido Portinari, único filho de Candido Portinari, fundador e diretor-geral do Projeto Portinari. Link para assistir o filme, a partir das 10h de hoje e até segunda-feira: bit.ly/3uZn84f. Link para o debate: bit.ly/3uZn84f.

TELEVISÃO

Terça-feira

TV GLOBOProfissão Repórter: o programa retorna com Caco Barcelos, após o Big Brother Brasil. O jornalista, que está completando 50 anos de reportagem, vai produzir e filmar algumas de suas matérias pelo celular.

11a FLUP

FLUP 2022 celebra modernismo negro na Pequena África. Este ano o Festival Literário das Periferias homomenageia Pixinguinha, Lima Barreto e Josephine Baker com, o tema 100 anos de Modernismo Negro. Os eventos são no Museu d Arte do Rio (MAR) e Museu da História e Cultura da África Brasileira (MUHCAB)

Programação:  HOJE
15h30 –  Abertura da exposição “Pixinguinha, um maestro batuta”

Curadoria: Julio Ludemir, Marcelo Campos e Maurício Barros de Castro

Local: MAR – Térreo e Quinto Andar; 16h30 – 17h-Saudação aos Orixás

Local: MAR – Palco Debate; 17h15 – 17h45 – Mesa – Pixinguinha por Haroldo Costa, MAR – Palco Debate; 18h – 19h- Apresentação da Escola de Samba Vizinha Faladeira – MUHCAB – Pátio; 19h – 20h – Samba Retrô com Renan Oliveira – MUHCAB – Pátio; 19h – 20h30, MESA – Fluxos transatlânticos – Alain Mabanckou e Kim Butler, mediação: Luciana Diogo no MAR – Palco Debate; 20h30 – 22h – Show da Velha Guarda do Império Serrano – MUHCAB – Pátio; 21h – 22h – Samba que elas querem, no MAR – Palco Música; 23h – 01h00 – Moacyr Luz e Samba do Trabalhador recebem Leci Brandão, MAR – Palco Música.

Amanhã:
15h30 – 17h, Cortejo Folia de Reis Flor do Oriente, MAR – Palco Música;

 16h – 17h – Prêmio Maria Firmina dos Reis, Debate com Valeska Lins (ficção), Felipe Santana (poesia) e Elisiane dos Santos. Mediação: Karine Bassi – editora e criadora do prêmio, MAR – Auditório; 17h – 18h45 – Roda de Samba da Pedra do Sal -MAR – Palco Debate; 17h – 18h, Apresentação do Grupo Cultural Caxambu do Salgueiro, MUHCAB – Pátio; 17h30 – 19h

MESA – Série Nova Semana de 22 – Colecionismo: os novos agentes negros da Arte Contemporânea Brasileira, Ademar Britto Jr. e Amanda Carneiro / Mediação: Sabrina Fidalgo, MAR – Auditório; 18h – 19h-

Apresentação do Jongo da Serrinha, MUHCAB – Pátio; 19h – 20h30

MESA – Uma Experiência Luminosa –  O Jazz, a Lei Seca e o Exílio em Paris-Jeffrey G. Ogbar e Anais Flechet / Mediação: Ale Santos, MAR – Palco Debate; 19h30 – 22h – Apresentação do Coco da Mãe Beth de Oxum

Local: MUHCAB – Pátio; 21h – 22h – Apresentação da Velha Guarda da Portela, MAR – Palco Música; 23h – 00h30 – Show de Teresa Cristina

MAR – Palco Música.

Domingo: 16h30 – 17h30 – Programação Infantil – Bailinho da Elis MC

Local: MUHCAB – Pátio; 16h – 17h – EXPERIÊNCIA AFROFUNK

MESA – Se quiser falar de amor, fale com homens pretos Nego Bispo, Mauro Baracho e Rafael Mike,Mediação: Taisa Machado, MAR – Palco Debate;16h – 17h30 – O Boi no Telhado – uma História das Vanguardas Francesas com Anais Flechet e Audrey Pulvar, Mediação: Julio Ludemir,

MAR – Auditório; 16h – 20h – Sarau nas Alturas – Homenagem a Sonia Rosa – Praça Mauá; 17h30 – 19h – MESA – Série Nova Semana de 22-

Tomada de poder: o topo da arte contemporânea e os artistas negros

Marcia Falcão e Maxwell Alexandre / Curadoria e mediação: Sabrina Fidalgo, MAR – Auditório; 18h – 19h – Samba das Matriarcas, MAR – Palco Música; 18h – 19h – Contação de histórias – Nos Mares de João Candido – o Almirante Negro – com Graciana Valladares, MUHCAB – Auditório; 19h30 – 20h30 – Sarau da Esperança, Lançamento do livro “Cartas para Esperança”,resultado do processo formativo da Flup de 2021,

MUHCAB – Pátio; 19h – 20h30 – MESA – Da Expropriação à Reapropriação, Bonaventure Ndikung e Maboula Soumahoro / Mediação: Audrey Pulvar, MAR – Palco Debate; 20h30 – 22h – Roda de Samba Nó na Madeira, MUHCAB – Pátio; 20h30 – 01h – EXPERIÊNCIA AFROFUNK

DJ MSE, Lekin, Big Bllakk,DJ Jonathan da Provi, Rennan da Penha, MC Smith, DJ Trilogia do Santo Amaro, MAR – Palco Música.

Acompanhe a programação até o dia 18/2 pelas redes.

SÉRIES

HBO MAX The girl before .Este suspense de quarto episódios é adaptação do livro “Quem era ela” (JP Dellaney). Na história a atriz Gugu  Mbatha-Raw  interpreta Jane, uma mulher que se muda para uma casa high-tech, onde coisas eestranhas começam a acontecer, inclusive em torno do arquiteto  que está por trás do imóvel.

STAR+Snowdrop: nova opção de K-drama nos stereamings nacionais. Esta produção, agora no Star+, é ester lada pela atriz e cantora Jisoo, do grupo blackpink, e pelo ator Jung Hae-in. Ele faz o papel de um espião norte-coreano que, nos anops 1980, infiltra-se emu ma universidade do SUl e se apaixona por uma das estudantes, interpretada por Jisoo.

GLOBOPLAYAs fabulosas aventuras dos freak Brothers: Na San Francisco de 1969, berço da contracultura Americana, os três irmãos Freak e uma gata falante fumam uma maconha mágica que os deixa for a de órbita até 2020. Quando acordam, estãio num mundo de valores completamente diferentes e precisam se adaptar a uma realidade que passa longe da Woodstock em que viveram.

NETFLIXInventando Anna: Julia Garner (“Ozark”) é Anna Delvey, alter ego de Anna Sorokin, russa que deu golpes em milionários em Manhattan (NY), fingindo ser herdeira alemã. A minissérie é baseada em história real, e Anna saiu da prisão ano passado. A adaptação para o streaming foi feita por Shonda Rimes, de “Grey’s Anatomy”.

PRIME V IDEOWith love. Encontrar um propósito para a vida é a grande missão da família Diaz nesta série criada por Glória Calderón Kellett, uma das produtoras executivas de “Jane the virgin”. Cada episódio mostra como os irmãos Jorge e Lily vivewm os altos e baixos das relações amorosas em festas como Natal, Ação de Graças e Dia dos Namorados.

FILME

YOUTUBE: Elizabeth II, 70 anos no trono – veja três vídeos com cenas raras da coroação e discursos da então princesa.

Onde ver no streaming alguns filmes indicados ao Oscar que acontecerá em 27 de março:

NETFLIX

 Ataque dos Cães, de Jane Campion, que acumulou 12 nomeações. Em 1925, um fazendeiro durão, Phil Burbank (Benedict Cumberbatch), trava uma guerra silenciosa contra a nova esposa (Kirsten Dunst) do irmão (Jesse Plemons) e seu filho adolescente (Kodi Smit-McPhee), a quem ele considera muito afeminado. Eis que antigos segredos vêm à tona e transformam a realidade do cowboy. Melhor filme, direção, ator (Benedict Cumberbatch), atriz coadjuvante (Kirsten Dunst), ator coadjuvante duas vezes (Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee), roteiro adaptado, fotografia, trilha sonora original, som, edição e design de produção.   

Não Olhe Para Cima – escrito e dirigido por Adam McKay, o filme conta a história de dois astrônomos pouco conhecidos (Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence) que embarcam em um tour midiático para alertar a humanidade sobre a aproximação de um cometa prestes a destruir a Terra, mas precisam enfrentar o negacionismo e os interesses econômicos por trás disso. Melhor filme, roteiro original, trilha sonora original e melhor edição.

Tick, Tick… Boom! – adaptação do musical autobiográfico de Jonathan Larson, que revolucionou o teatro com a peça Rent. O longa, que é protagonizado por Andrew Garfield, se passa na Nova York da década de 1990 e é comandado por Lin-Manuel Miranda. Melhor ator (Andrew Garfield) e edição.

A Filha Perdida – adaptação do livro de Elena Ferrante, o filme da estreante Maggie Gyllenhaal acompanha Leda (Olivia Colman), que curtia sozinha as suas férias em uma praia, até começar a observar uma família e reviver antigas memórias de quando foi mãe de filhas pequenas. Melhor atriz (Olivia Colman), atriz coadjuvante (Jessie Buckley), roteiro adaptado.

Mães Paralelas (nos cinemas e a partir de 18 de fevereiro) – no mais recente trabalho de Pedro Almodóvar, Janis (Penélope Cruz) e Ana (Milena Smit) são duas mulheres solteiras que engravidaram por acidente. Por coincidência, dão à luz no mesmo quarto de hospital. Janis, já com mais idade, está radiante, mas Ana ainda é adolescente e está com medo e traumatizada. Com o objetivo de ajudar, Janis conversa com Ana pelos corredores do hospital, e as poucas palavras trocadas criam um vínculo forte que vai mudar a vida das duas. Melhor atriz (Penélope Cruz) e melhor trilha sonora original.

A mão de Deus de Paolo Sorrentino. Conta a história de um menino, Fabietto Schisa (Filippo Scotti), na tumultuada Nápoles dos anos 1980. Ele mora com seu pai e mãe, mas ele não tem muita amizade com as pessoas locais. Não tem amigos e nem alguém para amar. Sonha em estudar filosofia, mas só vê jogos de futebol com Diego Maradona, que joga pelo time do local. Seu irmão Marchino é um aspirante a ator e está fazendo uma audição para um figurante em um filme. Enquanto isso, a família não é tão feliz e funcional quanto parece de fora. O pai, Saverio Schisa, tem um caso fora do casamento. Mas quando uma tragédia é acarretada, os dois irmãos são deixados a mercê do destino e do universo. Tal acidente foi um impacto tão forte para Fabietto que ele decide cursar outra coisa na faculdade, em vez de filosofia, Fabietto agora quer estudar cinema. Melhor filme internacional.

DISNEY+

 Encanto – a animação conta a história dos Madrigal, que vivem em uma casa mágica nas montanhas da Colômbia, liderando uma alegre cidade. A magia abençoou todos da família com um dom único, desde superforça até o poder de curar. Todos, exceto Mirabel. E, mesmo sem poderes, quando ela descobre que o encanto que os cerca está em perigo, a jovem decide agir para evitar que isso aconteça. Melhor animação, canção original, trilha sonora original.

Luca – a produção da Pixar acompanha Luca, que compartilha aventuras com seu novo melhor amigo, mas toda a diversão é ameaçada por um segredo muito bem escondido: Luca é um monstro marinho de um mundo logo abaixo da superfície da água. Melhor animação.

Raya e o Último Dragão – há muito tempo, no mundo de fantasia de Kumandra, humanos e dragões viviam juntos em harmonia. Mas quando uma força maligna ameaçou a Terra, os dragões se sacrificaram para salvar a humanidade. Agora, 500 anos depois, o mesmo mal voltou e cabe a uma guerreira solitária, Raya, rastrear o lendário último dragão para restaurar a terra despedaçada e seu povo dividido. Melhor animação.

HBO Max, Apple iTunes, Google Play, Microsoft Store: Duna, de Denis Villeneuve, apareceu com 10. Dirigido por Denis Villeneuve, Duna conta a história de Paul Atreides (Timothée Chalamet), jovem talentoso e brilhante que nasceu com um destino grandioso, para além até da sua própria compreensão, e precisa viajar ao planeta mais perigoso do universo para garantir o futuro de sua família e de seu povo. Enquanto forças malévolas levam à acirrada disputa pelo controle exclusivo do fornecimento do recurso mais precioso existente no planeta, capaz de liberar o maior potencial da humanidade. Melhor filme, roteiro adaptado, fotografia, trilha sonora original, som, edição, efeitos visuais, cabelo e maquiagem, design de produção e figurino.

Amazon Prime Video, Google Play, Apple iTunes, Looke No Ritmo do Coração – Ruby (Emilia Jones) é a única pessoa que escuta em uma família com deficiência auditiva. A vida da jovem sempre foi ajudar o irmão e os pais nas tarefas do dia a dia e no negócio de pesca que eles mantêm, mas logo ela se envolve no coral da escola e se vê dividida entre seguir seu sonho na música ou ajudar a família. Melhor filme, ator coadjuvante (Troy Kotsur) e roteiro adaptado.

HBO Max, Now, Apple iTunes, Looke, Google Play, Microsoft Store –  King Richard: Criando Campeãs 

O longa, baseado em uma história real, acompanha a jornada de Richard Williams (Will Smith), pai que, utilizando métodos próprios — e até controversos — tem como foco educar e criar duas das atletas mais talentosas da história do tênis mundial, que marcaram o esporte para sempre: Venus e Serena Williams.  Melhor filme, ator (Will Smith), atriz coadjuvante (Aunjanue Ellis), roteiro original, canção original, edição.

Amazon Prime Video – Apresentando os Ricardos: na trama dirigida por Aaron Sorkin, Lucille Ball (Nicole Kidman) e Desi Arnaz (Javier Bardem) ficam muito famosos após estrearem uma das mais memoráveis sitcoms norte-americanas: I Love Lucy. Entretanto, quando tudo parecia estar indo bem, os dois são envolvidos em uma trama de acusações chocantes que ameaçam sua vida pessoal e profissional. Melhor atriz (Nicole Kidman) e ator (Javier Bardem) .

APPLE TV: A Tragédia de Macbeth – baseada na peça de William Shakespeare, a adaptação segue a história do lorde Macbeth (Denzel Washington) e de sua esposa (Frances McDormand), que planejam o assassinato do rei atual da Escócia e, assim garantir, o reinado de Macbeth.

Melhor ator (Denzel Washington), fotografia e design de produção.Netflix, Google Play, Claro Video, Microsoft Store, Apple iTunes: A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas – o longa acompanha a viagem de uma família excêntrica e disfuncional que vira um caos total quando eles se veem no meio de um apocalipse robô. E para piorar, eles são a única esperança da humanidade. Melhor animação. TELECINE: Summer of Soul (…ou, Quando a Revolução Não Pôde Ser Televisionada) – o documentário explora o Harlem Cultural Festival de 1969, evento que reuniu grandes nomes da música negra. Apesar de sua magnitude, as imagens do festival ficaram guardadas por décadas. Melhor documentário.

NOS CINEMAS

O Beco do Pesadelo – remake comandado por Guillermo Del Toro, O Beco do Pesadelo acompanha um homem de poucas palavras e ambicioso (Bradley Cooper) que aprende no circo os truques de ser um bom mentalista. Ele, então, coloca essas habilidades em prática enganando a elite de Nova York em apresentações de mediunidade. Essa ambição leva a uma intriga de cobiça e ressentimento. Melhor filme, fotografia, figurino e design de produção.

Spencer – o casamento da princesa Diana (Kristen Stewart) com o príncipe Charles (Jack Farthing) está recheado de rumores e polêmicas, com o relacionamento dando sinais de que está por um fio. E com a proximidade das festividades de Natal, Diana precisa passar uma nova temporada com o marido e os filhos, na casa de campo da família real, obedecendo respectivos rituais da realeza. Cercada de dúvidas sobre seu futuro, a única certeza que ela tem é de que está cada vez mais difícil continuar com o triste jogo de aparências. Melhor atriz (Kristen Stewart).

Próximos lançamentos 

Amor, Sublime Amor: passou nos cinemas gaúchos, mas, no momento, não está mais em cartaz e nem disponível em serviços de streaming. Com sete indicações, o filme de Steven Spielberg deve estrear no Disney+ ou no Star+, mas ainda sem data para isso.

Belfast: com sete nomeações ao Oscar, o filme de Kenneth Branagh deve chegar aos cinemas nacionais em 10 de março.

Licorice Pizza: tem previsão de estreia para o dia 17 de fevereiro. O longa de Paul Thomas Anderson teve três citações no Oscar, incluindo melhor filme e direção.

Drive My Car: mesmo surpreendendo no Oscar, sendo indicado a quatro prêmios, incluindo melhor filme e melhor direção, o longa japonês sequer tem data para chegar ao Brasil.

Fleeo longa dinamarquês que fez história ao ser indicado como melhor animação, melhor documentário e melhor filme internacional também não tem previsão de estrear em território nacional.

NOW Boca Fechada: Assassinato de jornalistas é tema de documentário: documentário recém-lançado em serviços de streaming, pelo menos 64 comunicadores foram assassinados no Brasil de 1995 a 2018 em função do exercício da profissão. Na América Latina, o país só fica atrás do México, que é “um ponto fora da curva” nas palavras de Artur Romeu, da ONG Repórteres sem Fronteiras. O documentário relata três assassinatos e seis

em cada dez jornalistas assassinados no Brasil nesse período trabalhavam em cidades com população abaixo de 200 mil habitantes. É o caso de Bragança, no nordeste do Pará, onde locutor Jairo de Sousa foi morto com dois tiros nas costas quando entrava na rádio Pérola, em 2018. O acusado de ser o mandante do crime, o vereador César Monteiro (PR), conseguiu um habeas corpus que o manteve longe das grades —ele só foi preso meses depois de encerradas as filmagens.

No período de que trata o documentário, apenas 11 mandantes de crimes desse tipo foram a julgamento no Brasil. Em Camocim, Gleydson Carvalho, também radialista de tom contundente, foi assassinado com três tiros em agosto de 2015. O pistoleiro que o matou foi preso, mas os mandantes não, segundo o documentário.Três meses depois da morte de Carvalho, em novembro de 2015, o alvo foi Israel Silva, o terceiro caso retratado pelo filme. Foi morto em uma papelaria em Lagoa de Itaenga, no interior de Pernambuco. A família acredita, com convicção, que o crime teve motivação política.

 “Boca Fechada” é, por vezes, desolador. “As pessoas antes tentavam comprar [os jornalistas]. Agora, não. Elas removem o problema. Que jeito? Mandam matar”, diz Felipe Gilé, do Sindicato dos Jornalistas do Pará.“A profissão de jornalista é perigosa? É, sempre corremos riscos, sempre foi assim. Você denuncia fatos que ninguém quer que venham a público”, diz Angelina Nunes, ex-presidente da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo).Ao retratar de modo objetivo e sóbrio esses três assassinatos, que simbolizam um quadro bem mais abrangente, “Boca Fechada” provoca incômodo e indignação. É um jeito de levar o Brasil a se olhar no espelho, e o que se vê é ruína.

NETFLIXO golpista do Tinder: a produção mostra como vítimas foram enganadas por israelense que foi expulso de aplicativo após roubar mais de US$10 milhões. Shimon Hayut, 31 anos, deixou Israel em 2011, após ser indiciado por fraude. Ele é investigado por um esquema criminoso praticado por meio do mais famoso aplicativo  de encontros amorosos, o Tinder. Ele fingiu ser o herdeiro de Lev Leviev, passando-se por Shimon Leviev. Seduzia as mulheres e depois afirmava correr perigo, inventando que estava sendo perseguido por rivais no negócio e pedia para usar o cartão de crédito das moças, por um período curto,. Assim, roubou mais de US$10 milhões. Na sexta-feira passada, ele foi banido do aplicativo com seus inúmeros pseudônimos. Ele diz que dará sua versão da história hoje. As três vítimas que aparecem no documentário ainda pagam suas dívidas.

 

LIVROS

Violeta (Bertrand Brasil, R$59,90) –  Isabel Allende vive na Califórnia (EUA) há muitos após deixar o Chile. Quarenta anos depois, a autora retorna ao clã dos Del Valle com “Violeta”, livro que se passa durante o século vivido pela personagem-título, da gripe espanhola à pandemia de Covid-19, em um país muito parecido com o Chile. A história tomou forma após a morte da mãe da autora, Francisca, em 2018, aos 98 anos. Assim como a mulher que a escritora descreve como “o mais longo amor de sua vida”, Violeta nasceu cercada de privilégios. O ser da ficção, no entanto, experimentou as independências financeiras e comportamentais conquistadas pelo feminismo no século XX. Sua conscientização política é marcada pelas violências e conivências com a ditadura militar. O livro começa com a protagonista escrevendo, em setembro de 2020, uma carta ao neto. Isabel Allende completará 80 anos em agosto, vive seu terceiro casamento, escreve seu terceiro livro. E ela está feliz com a vitória de Gabriel Boric, de 35 anos, para a presidência do Chile e com mais mulheres no poder.

Contos russos juvenis ( Kalinka, R$79,90) –São 12 autores desde a imperatriz Catarina II (1729-1796) a Danil Kharms (1905-1942). È quase um século e meio as história e da cultura russas num livro em que o miolo culmina com o suspense de Tolstói em “O prisioneiro do Cáucaso”. Ótimo.

Um tempo para não esquecer (Bazar do Tempo) – Margareth Dalcomo. São 81 textos da pesquisadora da Fiocruz publicados entre 7 de abril de 2020 e 2 de novembro de 2021 em sua coluna das terças-feiras em O Globo onde ela cita mais de 70 autores ( Nietzsche, Homero, Santo Agostinho, Shakespear, e, Albert Camus, Sérgio Buarque de Hollanda, Vargas Lhosa, Yourcenar, Beauvoir, Petrarca, Lima Barreto, Elie Wesel, entre outros) a quem recorre para aprofundar suas reflexões sobre a pandemia e o luto e até para combater negacionistas.

A sociedade democrática e seus inimigos – Karl Popper. Sobre o paradoxo da tolerância. Ele achava que todo pensamento intolerante devia ser suprimido desde que se pudesse combatê-lo com argumentos racionais, e mantê-lo em xeque frente à opinião pública.

Moisés Negro (Tag Editora, R$ 83,99) – do franco-congolês Alan Mabanckou. O autor narra a trajetória do órfão Moïse (mesmo nome do congolês assassinado a pauladas na Barra, no Rio).Uma mistura de Oliver Twist com Scarface, ele sobrevive no submundo do Pointe Noire no Congo. E acaba formando uma gangue dedicada a pequenos furtos, que terá destino trágico. O autor está no Rio participando da 11ª edição da Festa Literária das Periferias (Flup) que começa hoje e segue até o dia 18.

MÚSICA

Nelson Motta fez uma crônica em O Globo sobre o revisionismo cultural (e, principalmente, musical!) surgido após a declaração de Chico Buarque que não cantaria mais uma de suas mais belas canções: “Com açúcar e com afeto” por subjugar a mulher. Julgue você se pode continuar ouvindo músicas antigas de famosos compositores consideradas, hoje, racistas, sexistas e discriminatórias mas que foram cantadas nos palcos e pelas ruas (algumas ainda bastante tocadas no Carnaval como “Teu cabelo não nega”, de Lamartine Babo) desde o século passado. Essas músicas não saem de cartaz e são ainda cantadas com o maior carinho. Perdão, Chico.

Vamos lá: Camisa amarela (Ary Barroso), Camisa listrada (Assis Valente), Meu moreno fez bobagem(Assis Valente), Nega do cabelo duro (David Nasser e Rubens Soares), Nega maluca (Fernando Lobo), Vatapá (Dorival Caymmi), Mulata assanhada (Ataulfo Alves, um sucesso na voz de Elza Soares). Mas “Quero ser o teu escravo” (“pra viver acorrentado nos teus braços/ quero ser o teu escravo”…), clássico de Waldick Soriano, pode¿ Fica a critério de cada um. Cartas para a redação.

SHOWS

SÁBADO

20h Circo Voador Sepultura a banda de heavy metal criada em 1984 pelos irmãos Max e Igor Cavalera em Belo Horizonte, Minas Gerais, apresenta-se hoje. Com uma sonoridade que combina death metal e thrash metal com elementos de música tribal indígena, africana, japonesa e outros estilos, o Sepultura ganhou respeito e fama na década de 1990 com discos como Arise e Chaos A.D., e tornou-se forte influência para inúmeras bandas de death metal, groove metal e nu metal.

21h Vivo RioOswaldo Montenegro. Oswaldo Montenegro  é um músico brasileiro. Além de cantor, compõe trilhas sonoras para peças teatrais, balés, cinema e televisão. Tem uma das parcerias mais sólidas da MPB ao lado de Madalena Salles, que o acompanha com suas flautas. Preço: R$180 a R$300.

22h Morro da UrcaNando Reis.

02 Ingressos Pista Arena Unissex Meia PROMOÇÃO CASAL APAIXONADOR$ 300,00 + (Taxa R$ 30,00). Serviço do Bondinho (Morro da Urca) incluso

Na compra de 1 ingresso desta promoção, o cliente receberá 2 ingressos!!

Pista Arena Unissex Meia; 6º Lote R$ 200,00 + (Taxa R$ 20,00).

Serviço do Bondinho (Morro da Urca) incluso.

22hFundição ProgressoPitty. A baiana mais conhecida pelo nome artístico Pitty uma cantora, compositora, produtora, escritora, empresária, apresentadora e multi-instrumentistabrasileira. `Preço: de R$100 a R$400.

TEATRO

Eu de vocêmonólogo com Denise Fraga com relatos de de pessoas comuns, fragmentos de vida, casos de família e pequenas alegrias. As histórias foram costuradas com textos, poesias ou canções de autores consagrados como Tchekhov e Chico Buarque e o espetáculo tem direção de Ricardo Villaça, marido da atriz. No palco há uma banda só de mulheres e ela canta até Elvis Presley. CCBB, de quarta a sábado, às 19h. Dom – 18h. Até 20/2. R$30. Classificação: 12 anos.

Quando eu for mãe quero amar desse jeito – com Vera Fischer, Mouhamed Harfouch e Larissa Maciel. A peça mistura tensão e humor ácido e a trama gira em torno de uma mãe obcecada pelo filho que entra em pé de guerra com a noiva dele. Sesc Copacabana. De quarta a domingo, 19h. Sessão extra dia 19/2 (sáb), 16h. Até 20/2. R$30. Classificação:12 anos.

A cor púrpura –   com 17 atores, 8 músicos, 90 figurinos, um palco giratório de 6 metros de diâmetro e uma escada curva com sistema de travelling em volta do cenário. “A história é universal: fala do ser humano, em especial das mulheres. É imediata a identificação com o momento do país, onde há tantas histórias de opressão às mulheres. e “Quase Normal”. Tadeu Aguiar prioriza a interpretação como força motriz da cena. O espetáculo já conta com duas indicações ao Prêmio Shell e 8 indicações ao Prêmio Cesgranrio. Escrito há mais de 35 anos, A COR PÚRPURA é um musical baseado em uma história passada na primeira metade do século XX, na zona rural do Sul dos Estados Unidos, com personagens típicos dessa região. A saga de Celie é permeada por questões sociais de extrema relevância até os dias atuais como a desigualdade, abuso de poder, racismo, machismo, sexismo e a violência contra a mulher. São 32 números musicais. De quinta e sexta às 20h00, sábado às 16h00 e 20h30, domingo às 18h00, até 20 de Fevereiro. Teatro Riachuelo RJ – Rua do Passeio , 40, Rio de Janeiro – Rio de Janeiro. Ingressos entre R$ 25,00 e R$ 170,00. Pague em até 12x. Lembre-se das medidas de prevenção ao COVID-19.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012