19 de agosto de 2022


Dicas indica programas para o Dia das Mães, finde e a semana


07/05/2021


Cantores animam Dia das Mães

Pela falta de prevenção desse governante que trata seu povo como gado, a Covid continua matando milhares de pessoas indefesas e sem vacina. Essa semana levou nosso maior comediante, Paulo Gustavo, que tanto fazia rir esse povo sofrido. Mas ele deixou filmes e séries que você pode assistir. Nas Dicas. Nosso cineasta “imortal” Cacá Diegues estará no debate do Macunaíma e o deputado Eliomar Coelho, presidente da Comissão de Cultura da Assembleia do RJ será o entrevistado nos Encontros da ABI com a Cultura. O ABI Esporte tem como pauta os Jogos Paralímpicos. Alcione e Teresa Cristina, Fafá de Belém e Mariana Belém, Mônica Salmaso e Teco Cardoso, Ivete Sangalo, Luan Santana, Fernando e Sorocaba, Alexandre Pires e Daniel animam hoje, amanhã e domingo as mães com suas lives. Se você já “levou um fora” ou um “perdido”saiba que, nas redes sociais, agora tem outro nome: ghosting (fantasma). E tudo em inglês infiltrado no português. Confira na indicação de Copo vazio, em Livros. Tem podcasts também, um deles com o senador Renan Calheiros, o relator da CPI da pandemia, além de teatro, festivais, cinema e mais. Feliz Dia das Mães sem aglomeração, por favor! E muita vacina para qualquer idade e todas as categorias!!!

 

ENTREVISTAS

Segunda- Feira

19h30  ABI Esporte: tem como pauta, hoje, os Jogos Paralímpicos. Participam do programa o jornalista Paulo Vitor Ferreira, o PV, a mesatenista Danielle Rauen, a esgrimista em cadeira de rodas, Fabiana Soares e o professor Luiz Rojo do Departamento de Antropologia da UFF. A apresentação é do jornalista Marcos Gomes.

 

Terça-feira

19h30 – Cineclube Macunaíma exibe hoje, a partir das 10hs, o filme premiado em festival  na Espanha, Chuvas de Verão, de Cacá Diegues, sobre um homem que se aposenta e tem que reaprender a viver (Jofre Soares), enfrentando problemas familiares e a redescoberta do amor. Estão no elenco Marieta Severo e Daniel Filho, entre outros. Às 19h30, começa o debate sobre o longa com os cineastas Silvio Tendler e Cacá Diegues, a

escritora e pesquisadora de cinema Mariza Gualano e o crítico de cinema Rodrigo Fonseca. A mediação será de Ricardo Cota.

 

Terça-feira

19h30 – O Cineclube Macunaíma  exibe hoje, a partir das 10hs, o longa Chuvas de verão, um drama de Cacá Diegues, de 1978, com 1h26m de duração e que foi vencedor como melhor filme do Festival de Cine Iberoamericano de Huelva, recebendo o prêmio Colón de Oro for Best Feature. Com música composta por Paulinho da Viola, o enredo é sobre Afonso (Jofre Soares) que, ao se aposentar durante um tórrido verão, quer a tranquilidade no subúrbio onde mora, quando começa com Isaura (Mirian Pires), sua vizinha de tantos anos, uma relação de amizade, amor e respeito. No elenco estão ainda Marieta Severo, Miriam Pires, Roberto Bonfim, Mariano Procopio, Daniel Filho e Zaira Zambelli, entre outros. Às 19h30, começa o debate sobre o filme com os cineastas Sílvio Tendler e Cacá Diegues, o crítico de cinema Rodrigo Fonseca e a escritora e pesquisadora de cinema Mariza Gualano. Ricardo Cota será o mediador. Assistir o filme, que estará no ar até a próxima segunda-feira, e o debate pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube.

 

Quarta-feira

19h30 – Claquete Musical : o produtor cultural Paulo Figueiredo apresenta o programa com filmes e música.

Quinta-Feira

19h30Encontros da ABI com a Cultura:  o entrevistado de hoje é o deputado estadual Eliomar Coelho, presidente da Comissão de Cultura da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. Os entrevistadores serão a cantora Ana de Hollanda, ex-Ministra da Cultura, o cineasta Silvio Tendler e o jornalista  e professor Vitor Iório. A apresentação será da jornalista Vera Perfeito, diretora de Cultura da ABI.

GASTRONOMIA

20 programas que podem ser assistidos na Tv ou no streaming:

INICIANTES: GNTCozinha Prática com Rita Lobo ( início mesmo); GNTTempero de família com Rodrigo Hilbert receitas simples);  NetflixMandou bem (entrada e prato principal prontos, vá para a sobremesa); Globoplay + CanaisChefe ao pé do ouvido. INTERMEDIÁRIO: GNT- Bela cozinha com Bela Gil (novos caminhos); Band/ Discovery Home/ HealthMasterChef  Brasil (com cronômetro); GNTQue seja doce (sobremesa); SBT/Discovery Home&HealthBake Off Brasil: Mão na Massa (para grande confeiteiro);  Globoplay + canaisDiário do Olivier (receitas do mundo todo). AVANÇADO: GNT Perto do fogo (pratos sofisticados na churrasqueira com o chef Felipe Bronze); GNTQue marravilha! Com Claude Troigros (cordeiro e paella); Record TV YouTubeBatalha dos Confeiteiros Brasil com Buddy Valastro; NetflixChefe’s Table ( para chef profissional); Discovery Home&Health/YouTubePesadelo na cozinha com Érick Jacquin ( dicas e broncas para salvar o “restaurante”);  Netflix: Zumbo’s just desserts – para encar o dsafio de recriar receitas à alturade um profissional com Adriano Zumbo); Prime Video/YouTubeMasterChef Profissionais (vendo outros profissionais errando a mão); Record TV/YouTubeTop Chef Brasil (nem tudo tem receita); Globoplay+ CanaisThe Taste Brasil (competição entre Claude Troigros, Felipe Bronze, André Mifano e Helena Rizzo); NetflixThe final table (competição imternacional com rivais de várias partes do mundo); GloboMestre do sabor ( desafio com receitas requintadas e pratos que parecem obra de arte. Se chegou até aqui, vc é um novo mestre).

 

FILMES

Os filmes de Paulo Gustavo:

Os Homens São de Marte… E É pra Lá que Eu Vou
Adaptação da peça de Mônica Martelli, o filme acompanha Fernanda, uma mulher de 39 anos que trabalha organizando cerimônias de casamento, mas é solteira. Durante sua busca pelo grande amor da sua vida, ela conta com a ajuda do amigo, interpretado por Paulo Gustavo. O filme ganhou uma sequência, lançada em 2018, “Minha Vida em Marte”.

Brasil, 2013. Direção: Marcus Baldini e Marcus Vinícius. Com: Marcos Palmeira, Mônica Martelli e Paulo Gustavo. No Globoplay e Telecine. 14 anos.

Minha Mãe É uma Peça
Sucesso absoluto, o filme fez com que Paulo Gustavo conquistasse a bilheteria do cinema nacional. No primeiro longa da trilogia, o ator interpreta Dona Hermínia, uma mãe dedicada aos filhos que a consideram chata. Desprezada, ela decide passar um tempo na casa de sua tia para desabafar e relembrar o passado. Com recordes de bilheteria, a história teve mais duas sequências no cinema.
Brasil, 2013. Direção: André Pellenz. Com: Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo e Suely Franco. No Globoplay e Telecine. 12 anos

Vai Que Cola – O Filme
Valdomiro Lacerda perdeu todo o seu dinheiro ao ser envolvido em uma falcatrua da sua empresa. Quando um ex-sócio o procura com um plano para recuperar suas finanças, os moradores da pensão para a qual ele se mudou põem seu projeto em risco. Em 2019, foi lançado ‘Vai Que Cola 2: O Começo’, filme que conta a história de como os personagens do enredo original se conheceram.
Brasil, 2015. Direção: César Rodrigues. Com: Jonathan Haagensen, Paulo Gustavo e Luana Piovani. No Globoplay e Telecine. 12 anos

 

 hs DOMINGO Canal Brasil: “João Bosco e Aldir Blanc – Parceria é isso aí”- documentário de Marcus Fernando sobre Aldir, que morreu de Covid há um ano.

LUMIÉRE -Loucos por cinema: o festival segue até o dia 29 de maio, às sextas e sábados, 19 hs, apresentados filmes gratuitos on line pelo Facebook – lumiereloucosporcinema/livevideos .

Hoje Um homem com uma câmera: Um documentário de 1929 que mostra um dia normal, bastante típico. Um cinegrafista (Michail Kaufman) filma um dia despretensioso na vida da cidade moderna: Primeiro as ruas vazias ao amanhecer que vão gradualmente se enchendo, depois os habitantes de Moscou, ou de outra cidade soviética no trabalho ou no lazer. São as pessoas comuns mostrando a verdade da vida cotidiana.

AmanhãCuidado com o carro:

Dia 21Quando voam as cegonhas(1957): A trama da promessa de um amor eterno e do encontro de almas entre Boris e Veronika é de um romantismo ímpar. No entanto, tudo isso rompe com a eclosão da guerra. O tema da ausência e do abandono é o que impulsiona o drama.

Dia 22Moscou não acredita em lágrimas: filme de 1979. No fim da década de cinquenta em pleno regime comunista na Rússia soviética, três mulheres de idades e histórias distintas chegam à cidade de Moscou com objetivos similares: elas estão em busca de trabalho e de um amor para a vida. Em um período de vinte anos, as vidas das três mudam completamente através de conquistas, fracassos, sonhos, desilusões e histórias de amor.

Dia 28 – A nova Babilônia: de 1929. Entre março e maio de 1871 existiu uma Comuna em Paris. Sua formação e destruição são contadas nessa obra prima da dupla Kozintsev e Trauberg. Do abastado clima burguês, no armazém Babilônia, ao desespero dos trabalhadores famintos, traçamos um caminho permeado de memoráveis interpretações, excelente música e uma fotografia apaixonante.

Dia 29 – Nós somos do jazz: Comédia musical sobre o surgimento do jazz na União Soviética, nos anos 20 e 30. Kostia é um jovem morador de Odessa que tem a música como grande paixão. Ele monta uma banda de jazz e defende a ideia de que esse estilo musical americano representa a arte proletária. O grupo viaja por várias comunidades soviéticas, vivendo aventuras tragicômicas, mas também fazendo sucesso entre público e crítica.

Netflix O voyeur:o documentário inspirado no livro-reportagem homônimo de Gay Talese, ícone máximo do novo jornalismo americano, mostra a história de um homem que se tornou proprietário de um motel, nos EUA, para bisbilhotar a vida alheia, escrevendo relatórios minuciosos sobre o comportamento sexual dos hóspedes. A obra gerou polêmica à época do lançamento, e o próprio Talese admitiu determinados deslizes cometidos durante a investigação. Inegável, porém, dizer que o filme é uma pérola intrigante. 

Globoplay Histórias de arcanjo: o documentário dirigido por Guilherme Azevedo é um retrato afetivo sobre Tim Lopes, jornalista assassinado por um bando de traficantes em 2002, no Rio, quando fazia uma reportagem sobre abuso de menores e tráfico de drogas em um baile funk no bairro da Penha. A produção descortina causos pitorescos para recompor o perfil irreverente do repórter movido pela aventura, e que algumas vezes se disfarçou para dar prosseguimento a determinadas investigações.

Now

The Post: a guerra secreta: em 1971, o governo americano fez o possível e o impossível para impedir a publicação de uma série de reportagens do “Washington Post” com documentos secretos sobre a Guerra do Vietnã. O caso é reconstituído num dos mais recentes filmes de Steven Spielberg, de 2018, e que tem os medalhões Tom Hanks e Meryl Streep no elenco.

Spotlight: segredos revelados – vencedor do Oscar de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original em 2016, o longa de Tom McCarthy se baseia numa história real para mostrar como uma equipe de repórteres investigativos revelou uma série de crimes de abusos sexuais cometidos por padres nos EUA. Integram o elenco do thriller de ritmo firme, sem romantismo ou apelos emotivos, nomes como Mark Ruffalo, Rachel McAdams e Michael Keaton. 

GloboplayCercados: produção recente, lançada no fim de 2020, o documentário dirigido por Caio Cavechini (de “Marielle: o documentário”) mostra a rotina de profissionais da imprensa na cobertura da pandemia de Covid-19. A narrativa escancara os bastidores do jornalismo brasileiro, como uma reunião de pauta do “Jornal Nacional”, e expõe os percalços de produtores e repórteres diante do negacionismo do governo Bolsonaro.

HBO Go  The Newsroom: a série de Aaron Sorkin (de “A rede social”) é definida pelo próprio como “uma declaração de amor ao jornalismo”. Em três temporadas, a elogiada produção encerrada em 2014 acompanha o dia a dia na redação de um telejornal, e tem Jeff Daniels como protagonista.

YouTube

Resistir é preciso: a série produzida pela TV Brasil em 2014, e narrada pelo ator Othon Bastos, conta a história da imprensa alternativa que lutou contra a ditadura militar no Brasil, como as publicações O PifPaf, O Pasquim e Opinião. Os dez episódios estão disponíveis gratuitamente.

O Jornal: a produção de 1994, com Glenn Close, Michael Keaton e Robert Duvall no elenco, retrata o ambiente das redações com olhar bem-humorado, algo que resvala para a comédia, com um tom crítico em certos momentos. A história dirigida por Ron Howard mostra o editor de um pequeno jornal em Nova York dividido entre aceitar um novo emprego dos sonhos e ir atrás de uma história bombástica que pode lhe dar um prêmio”

NowMr Dreamer – documentário que mostra que os sonho não podem ser adiados, pois quando se olha, estamos com 60. “Envelhecer é algo que não passava pela minha cabeça”, diz Pedro Sirotsky, o Mr.Dreamer. Portanto, não desistam, de seus sonhos na juventude.

SÉRIES

Globoplay

Paulo Gustavo na estrada: a série documental de 2014 acompanha Paulo Gustavo com as turnês, Brasil afora, dos espetáculos “Minha mãe é uma peça” e “Hiperativo”. 

A vila: com quatro temporadas e elenco que inclui também as atrizes Monique Alfradique e Katiuscia Canoro, a sitcom lançada em 2017 apresenta Rique (Paulo Gustavo), um ex-palhaço que estaciona seu trailer em uma vila e acaba fazendo amigos por lá.

Além da ilha: lançada em 2018, a série de apenas uma temporada, com dez episódios, conta a história de um grupo de amigos (interpretados por Paulo Gustavo, Katiúscia Canoro, Monique Alfradique, Letícia Lima e Gabriel Godoy) que, após ganharem na loteria, vão fazer um passeio de barco, mas se perdem e acabam numa ilha deserta misteriosa.

 Vai que cola (série): Paulo Gustavo interpreta Valdomiro Lacerda, um malandro que, para fugir da polícia, deixa uma vida de luxo no Leblon e vai morar em uma pensão no Méier.

220 volts: com cinco temporadas, o programa que estreou em 2011 é um dos trabalhos mais marcantes da carreira televisiva de Paulo Gustavo. Ele apresentava esquetes cômicos baseados no cotidiano e interpretava personagens como a Senhora dos Absurdos, a Mulher Feia, o Sem Noção e, claro, a Dona Hermínia.

 *********

Paramount+chegou a quarta temporada da saga das aias. June (Elizabeth Moss) conseguiu organizar a fuga de nove mulheres e 86 crianças para o Canadá. Ela ficou em Gilead, onde vive uma de suas duas filhas. Porém, obteve uma vitória importate. Foi baleada, mas a polícia não conseguiu captura-la. Junto com outras aias consegue chegar a uma fazenda onde há um núcleo de resistência a Gilead e parte de uma rede denominada MayDay.

HBO Escravidão – Século XXI: dirigida por Bruno Barreto e Marcelo Santiago e idealizada por Luiz Carlos Barreto, a produção percorre todas as regiões do país para mostrar que a independência é um direito que muitos ainda desconhecem na cidade, no campo, ou entre as “quatro paredes” das casas de família. De acordo com pesquisas, em 2020, foram encontrados 942 trabalhadores em situação análoga à escravidão (580 deles no meio rural; 362, no urbano). Fernando Henrique Cardoso e Celso Amorim, ex-chanceller do governo Lula, estão na série e discutem a escravidão hoje.

HBO Go The Newsroom: a série de de Aaron Sorkin (Os 7 de Chicago e A rede social)  é a única da lista não baseada em acontecimentos reais, mas foi definida por ele como “uma declaração de amor ao jornalismo”. Em três temporadas, a elogiada produção encerrada em 2014 acompanha o dia a dia na redação de um telejornal e tem Jeff Daniels como protagonista.

Globoplay -Onde está meu coração:  Amanda (Letícia Colin) é uma médica viciada em crack. Nascida em família de classe média alta, é casada com o arquiteto Miguel (Daniel Oliveira) e filha da executiva Sofia (Mariana Lima) e do médico David (Fábio Assunção). Sua ambição é provar que pode ser uma médica boa como o pai.

StarzplayThe girl friend experience: na terceira temporada Iris (Julia Goldani Telles) é uma estudante de neurociência que deixa a vida acadêmica para trabalhar numa start up em Londres, onde se torna acompanhante de luxo. A série é produzida por Steven Soderbergh. O que leva Iris, estudante brilhante, a trocar a vida que levava pelo novo universo é a doença do pai, com Alzheimer. A protagonista é filha de uma brasileira e um mexicano. Nasceu em Los Angeles e veio para o Brasil ainda bebê e diz que sua primeira língua é o português embora não tenha ficado por aqui muito tempo. Ela morou no Rio enquanto esteve por aqui, mas se considera gaúcha devido a origem de sua mãe.

Netflix: Os filhos de Sam: Loucura e conspiração. Dirigido por Joshua Zeman, a série acompanha o trabalho do jornalista Maury Terry, convencido de ue David Berkowitz – acusado de matar seis pessoas nos anos 1970, em NY – não agiu sozinho. Com imagens de arquivo, depoimentos e relatos do próprio Terry, Zeman tenta desvendar o caso.

Globoplay : Power. Jmaes “Ghost” St Patrick ( Omari Hardwick) é o dono de uma boate freuentada pela elite de NY. Mas leva uma vida dupla: além de empresário, é também chefão de uma lucrativa rede de drogas da cidade. Ele entra em risco quando decide largar o tráfico.

LIVROS

Biblioteca Digital Mundial já está na internet através do site www.wdl.org  com mapas, textos, fotos, gravações e filmes de todos os tempos em sete idiomas. Há diversos documentos históricos.

Copo vazio Natália Timerman (Todavia): o romance da escritora, psiquiatra e psicoterapeuta conta a história de Mirela, uma mulher inteligente e bem sucedida, que acaba submergida em afetos perturbadores quando se apaixona por Pedro. Há algo de ancestral, atemporal, no  sofrimento de Mirela, que ecoa a dor de todas essas mulheres. De repente, ele desaparece sem explicações depois do conhecimento pela internet. É o que autora chama de ghosting (fantasma), a nova forma de “levar um fora”. Atualmente, há outros termos do glossário de relacionamentos: Cloacking –  sumir sem dar satisfações, como ghosting, mas ainda bloquear nas redes; Zombie-ing: quando a pessoa aue deu ghosting (virou fantasma) volta (como se fosse um zumbi); Breadcrumbing: distribuir migalhas só para deixar uma pessoa interessada; Love bombing: quando alguém de apaixona muito rapidamente e assusta a outra com “bombardeios de amor”; Orbiting: continuar interagindo com a pessoa nas redes sociais após o término do relacionamento; Benching: brincar com as expectativas da pessoa, deixando-a “no banco”; Curving: quando o sumido reaparece cheio de desculpas esfarrapadas,  mas mesmo assim dá um jeito de nunca marcar o date; Stalkeamento: quando a pessoa é vigiada virtualmente.

Quichotte Salman Rushdie (Companhia das Letras, R$89,90). A obra de Miguel de Cervantes, publicada originalmente em 9 de maio de 1605 com o título “As aventuras  do engenhoso fidalgo dom Quixote de La Mancha”, é considerado o primeiro romance da literatura universal, inaugurando o gênio literário que abraçou a modernidade e deixou o mundo antigo para trás. Sua influência está expressa  em obras de inúmeros autores. A jornada do nobre cavaleiro e seu fiel escudeiro Sancho Pança é também a inspiração do escritor britânico de origem indiana, lançado agora no Brasil. O cenário é outros: os EUA de Donald Trump e o nobre errante é um velho e atrapalhado vendedor  de produtos farmacêuticos, Ismail Smile, que após perder o emprego se lança em longa viagem pela América na companhia de Sancho, seu filho imaginário. E quer conquistar o coração de uma jovem estrela de TV, de origem indiana como ele, e lhe envia cartas românticas com o pseudônimo de Quichotte. Na jornada pelo país ele e o filho se deparam com violência, racismo, viciados em opioides, grilos italianos e armas falantes.

A idiota (Companhia das Letras, R$99,90) – Elif Bautman. Selin Hanim tem 17 anos e quer ser escritora. Filha de pai e mãe turcos, é caloura em Harvard. Mas, no círculo acadêmico, Selin pe também Sõnia, nome pelo qual atende nos EUA. Essas é uma das ambiuidades que atravessam a anarrativa autobiográfica da autora, que recupera a vida no campus universitário de Cambridge, no anos 1990, onde se tornou doutora em literatura comparada. Foi finalista do Prêmio Pulitzer de 2018.

Eu chamo de amor – Fernanda Young (Melhoramentos). Está em pré-venda essa coletânea de contos  que incluirá o texto inédito La Zorra, de 2018. A antologia que apresenta ppontos de vista distintos sobre o amor nos dias atuais, traz ainda contos de Laura Cardoso, Mariana Carvalho, Giulia Paim, Vinícius Grossos e Fernanda de Castro \lima, jovens talentos da literatura contemporânea. Um trechinho do La Zorra, de Fernanda: “- quando a gente pensa que não dá pra piorar, piora mais um pouquinho.

-É o Brasil. Muito pouca noção de justiça. Nenhuma, zero, Dá vontade de fazer justiça com as próprias mãos – disse a manicure, rindo, pois estava lixando os dedos da outra.

A lista de convidados (Intrínseca, R$49,90) – Luci Foley. Numa ilha afastada na costa da Irlanda, convidados se reúnem para celebrar a união de uma estrela de TV em ascenção e uma editora de revista. Mas a inveja e o ressentimento afloram no ambiente e um corpo é encontrado. À espera da polícia, a única certeza pe que o assassino é um dos convidados.

A invenção das mulheres (bazar do Tempo, R$69,90) – Oyérónké Oyewùmí. A socióloga nigeriana apresenta uma nova abordagem de compreensão do papel social da mulher a partir de referências africanas, especificamente da cultura ioruba. Ela recupera conceitos que acabaram apagados ´pelo colonialismo, e constrói uma crítica da tradição ocidental que alterou o modo como os estudos de gênero se articulam.

PODCASTS

Malu tá on: novo podcast do Globo, comandado por Malu Gaspar. A estreia é como senador Renan Calheiros, (MDB-AL), relator da CPI da Pandemia e uma das figuras centrais da política brasileira no momento. A proposta do podcast é trazer uma conversa com personalidades ligasdas ao poder nas suas mais diferentes esferas.

Outros podcasts do Globo:

Ao ponto de 2ª a 6ª feiras, 6 hs, com apresentação de Carolina Morand, da Rádio CBN, e de Roberto Maltchik, jornalista de O Globo. A dupla aborda os principais temas do Brasil e do mundo, com convidados que trazem informações em primeira mão sobre assuntos como política, tecnologia e cultura.. O púnblico também acompanha os bastidores das reportagens da casa, com jornalistas destacando detalhes de entrevistas e histórias narradas em texto ou vídeo.

Lauro e Gabeira3as, 17hs. É apresentado pelos colunistas de O Globo, Lauro Jardim e Fernando Gabeira. A dupla debate, semanalmente, os fatos mais relevantes da política brasileira, trazendo a temperatura das relações entre os poderes aos ouvintes, nos bastidores de Brassília ou em relação a eventos de destaque em qualquer outro popnto do Brasil, assim como fatos que impectem as relações internacionais.

Todos os programas podem ser acessados na página de Podcast do Globo, no Spotify, iTunes, Deezer, ou em qualquer outro agregador de podcasts.

MÚSICA

Gonzaguinha: o repertório do cantor/compositor  que morreu em um acidente de carro há 30 anos, no Paraná, estão no streaming. Gonzaguinha tem um legado de 294 músicas composta e 348 gravações e contabiliza 800 mil ouvintes mensais no Spotify e O que é, o que é?, sua composição mais gravada continua ecoando em 2021. O filho, Daniel, homenageou o pai em seu canal, a Rhytmica (www.rythmicawebtv.com) na semana retrasada.

Marcos Sacramento: o cantor/compositor acaba de lançar em seu canal (https://youtu.be/1KpWtAksFiM) do YouTube o álbum audiovisual Crônicas do apartamento 20. A música “O bagulho é sinistro” ganhou esse título, após Marcos se tocar que a pandemia veio para ficar por um tempo. Ele conta a experiência da solidão potencializada com o isolamento social nas letras ue escreveu e musicou.

Canções e epidemias: é o nome do disco em homenagem a Aldir Blanc ue o cantor Augusto Martins e o pianista Paulo Malaguti Pauleira gravaram e vão lançar em forma de singles mensais. O primeiro, que acaba de chegar às plataformas digitais foi Caça à raposa, parceria do cantor e compositor morto por Covid no ano passado com João Bosco. O próximo, Por favor, composto com Ivan Lins, será lançado no dia 28 de maio.

Não me quer? Saravá, paz e bem – é o que o grupo Casuarina canta no single que acaba de lançar nas plataformas digitais, em parceria com a cantora e compositora Elisa Fernandes, afilhada musical de Monarco e autora da música.  A beleza da melodia e a assertividade da letra da canção, faz um alerta sobre comportamentos abusivos em relações amorosas.

Atlantika: primeiro álbum de inéditas da cantora e cineasta Carolina Sá, a partir de hoje nas plataformas digitais. Morte, desilusão renascimento e superaçãosão alguns dos temas explorados pela carioca, 45 anos, que iniciou a vida profissional como modelo e hoje se divide entre a música e o cinema.. O processo de criação do álbum está em seu Instagram@carolina oficial. Ela fez a série documental Música Libre, após voltar de Cuba

LIVES

HOJE/ SHOWS

20hs – 2x Chico Buarque : Claudio Lins estreia Chicoteatro em que interpreta canções como Roda Viva, Tatuagem, Gota d’água, além de desfiar histórias curiosas por trás das letras. As apresentações acontecem . Ingressos a partir de R$ 20, por meio do Sympla (/TeatroPetraGoldONLI NE). Último dia.

21hs Mônica Salmaso e Teco Cardoso:  a cantora e o marido, flautista e saxofonista, apresentam um show gravado dedicado ao cancioneiro de Chico Buarque, com as participações de Guinga, Marco Pereira, Cristovão Bastos, Nelson Ayres, Paulo Aragão e Paulão 7 Cordas. Músicas como “A história de Lily Braun”, “Tem mais samba”, e “A Banda” estão no  roteiro. Gratuito no YouTube (/bluenoterio e /bluenotesp).

SÁBADO

21hsLuan Santana, Fernando e Sorocaba:o cantor sertanejo Sorocaba abre as portas de seu haras no interior de São Paulo para uma live com seu parceiro Fernando, e Luan Santana. Batizado de “O início” e dedicado ao Dia das Mães, o show terá 3h30 de duraão e participações de Diego e Victor Hugo, Tarcísio do Acordeon e Mocelim. O repertório terá músicas que marcaram a carreira da dupla e do cantor e os espectadores poderão doar para o projeto “Mães da Favela 2021”, da Central Única das Favelas. Gratuito, YouTube (/LuanSantana e/FernandoeSorocaba).

DOMINGO

Homenagem às Mães

13hs Alexandre Pires e Daniel: os cantores se unem para comemorara data com o projeto “Samba, sertão e brasa”, uma live com repertório que mistura canções dos dois. O cenário é uma fazenda do século XIX, no interior de São Paulo. A transmissão vai ser pelo YouTube (/danieloficial e/apnpires).

16hsFafá de Belém e Mariana Belém: diretamente do terraço de sua casa, Fafá e as filha Mariana fazem live que celebra o Dia Das Mães, interpretando canções de amor. Show gratuito no canal da cantora do Youtube (fafadebelemoficial). Gratuito.

18 hs Ivete Sangalo: em apresentação com três cenários diferentes, simulando dia, tarde e noite em um jogo de tecidos e luzes, a baiana canta seus maiores hits como Live do Dia das Mães. O show é gratuito e tem transmissão pelo YouTube (/ivetesangalooficial).

20h30 -– show de Alcione com apresentação de Teresa Cristina no canal TNT e pelo YouTube (TNT-Brasil). As duas sambistas unem forças para deleite dos fãs em 1h30 de programa. A Marrom interpreta seus grandes sucessos e, juntas, cantam outros como Pode esperar (“Sou mulher que encara um desacato/ se eu não devolver no ato/ amanhã pode esperar”). Gratuito.

TEATRO

HOJE

Angustia-me: texto: Julia Spadaccini e Marcia Brasil; direção: Alexandre Mello. Com Fábio Ventura, Leandro Baumgratz, Maria Adélia, Noemia Oliveira, Raquel Rocha e Rogério Garcia.A comédia dramática mergulha nas angústias de seis pessoas em situações inusitadas. O espetáculo segue disponível gratuitamente no Youtube a partir da estreia (hoje), com ingressos retirados pelo Sympla. Até 30 de junho.

20hs Peixe fora d’água: texto e direção: Marcello Airoldi. Com Giovani Tozi.Depois de 901 dias dentro de um bunker, um homem se vê diante de seu último tubo de oxigênio. O que lhe resta de ar é o tempo que ele tem para registrar em vídeo qual o legado que gostaria de deixar para a humanidade . Sex a dom. Gratuito, com retirada de ingressos por meio do Sympla. 50 minutos. Até 9 de maio.

20 hs Palácio do fim: texto: Judith Thompson. Direção: Carlos Ramiro Fensterseifer. Com Liane Venturella e Nelson Diniz.A peça acompanha três pessoas que estiveram envolvidas na Guerra do Iraque. A montagem é levada à cena pela Cia Incomode-te, do Rio Grande do Sul. Qua a dom, às 20h. R$ 10, por meio do site do espetáculo. 90 minutos. Até 16 de maio. 

19 hs Riobaldo: texto: Guimarães Rosa. Adaptação e atuação: Gilson de Barros. Direção: Amir Haddad. Adaptação do livro “Grande sertão: veredas”, a peça acompanha o ex-jagunço Riobaldo, hoje fazendeiro, em lembranças de sua vida e mulheres que determinaram sua trajetória: Diadorim, Nhorinhá e Otacília. Ter, às 19h. A partir de R$ 20, por meio do Sympla. 70 minutos. Até 25 de maio.

20 hs Solano, vento forte africano: texto: Solano Trindade, Elisa Lucinda e Geovana Pires. Direção: Geovana Pires. Com Val Perré, Elisa Lucinda, Valéria Monã, Nando Rodrigues, Damiana Inês, Regina Café e Rozan. A montagem lança luz sobre o aspecto humano e político da obra de Solano Trindade, poeta pernambucano que manteve o olhar sempre voltado à realidade do negro brasileiro. Gratuito, com transmissões via YouTube. 90 minutos. Até 13 de maio.

19hs e 20h30: O homem do besouro – do romeno Matéi Visniec. A história adaptada pelo grupo Lunar de Teatro esmiúça as inquietações de um homem solitário enclausurado no apartamento onde vive. Depois de reparar na presença constante de um inseto em casa, o personagem repensa hábitos, desejos e medos.Gratuito, com transmissões pelo YouTube (no canal  da companhia).

18h30 e 20hs:O plantio das palavras – com Emilie Becker e Janaína Mello, traz o passado para o presente do Brasil. Em 2021, após acordar de um pesadelo, uma mulher encontra cartas escondidas no assoalho de casa: são poemas escritos por uma antiga moradora, em 1964, com planos para uma revolução contra a ditadura, Gratuito, com transmissões via YouTube (no canal Infinito Ontem).

20, 20h30 e 21hs: C.R.I.A.S.’: filhos de empregadas domésticas, os atores Éer Augusto Marcos, Maria Rosa e Paloma Rodrigues se debruçaram sobre histórias de suas famílias para criar o espetáculo, também oinspirado no clássico As criadas, de Jean Genet. Os profissionais sonham com ouras vidas. Gratuito por meio do Sympla.

19 hs – Uma peça para salvar o mundo: Os Satyros apresenta o 11º espetáculo on-line de seu repertório. Em cena, um personagem-máquina interpretado por Thiago Mendonça convoca alguns espectadores para responder a questões sobre arte, afeto e memória. Hoje, amanhã e 2ª feira, às 19hs, e domingo, às 16 hs. Até 17 de maio. Ingressos gratuitos por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros)

Ela e eu – Vesperal com chuva: com Suely Franco. É o primeiro monólogo da atriz, inspirado em um conto de Lúcia Benedetti e se concentra nas memórias de uma senhora sobre fatos corriqueiros da infância, amores do passado, decepções e sonhos que ficaram para trás. A montagem pode ser vista em qualquer horário até julho, A partir de R$ 20, por meio da plataforma Funarj Em Casa. 45 minutos. Até 22 de julho.

Terra em trânsitoUma solista se encontra enclausurada dentro de um camarim. Ela conversa o tempo todo com um cisne judeu enquanto o alimenta, com a finalidade de fazer foie gras. Está aí o pontapé para o elogiado espetáculo com texto e direção de Gerald Thomas, e interpretado pela atriz Fabiana Gugli. Até 31 de maio, com transmissão gratuita via YouTube.

A melhor versão : Ana Paula Secco, Armando Babaioff e Michel Blois estrelam a peça com texto de Julia Spadaccini. A história retrata uma família carioca representativa de uma tradição e moral que atravessa décadas, desde os anos 50 até 2020. Até 30 de maio disponível gratuitamente no Sympla.

Youtube – Macbeth 2020: um dos textos mais célebres de Shakespeare carrega a fama de maldito, com toda uma mística de acidentes em encenações desde o século XVII. Este é o mote do espetáculo em formato de teatro dirigido por Luis Lobianco, que ficará disponível gratuitamente até 30 de maio no YouTube. Ao lado parceiros da Cia Buraco Show (criada em 2012 e recém fechada no Buraco da Lacraia, na Lapa) como Simone Mazzer, Pedroca Monteiro, Sidnei Oliveira e Letícia Guimarães. Numa estrutura de falso documentário personagens como Rejane Galdán,, diretora de teatro contemporâneo, a diva portuguesa Brigitte Fausta e o performer Su Weismann narram suas experiências com a “peça escocesa”, como o clássico é chamado por quem quer evitar o mau agouro de pronunciar o título.

17hs – Fragmento de um sorriso: texto: livremente inspirado em entrevistas de Elisa Lucinda. Direção: João Artigos. Com Vilma Melo. O monólogo reflete sobre a expressão “quase da família”, utilizada muitas vezes para para se referir às mulheres que prestam serviço doméstico há muitos anos numa casa. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. Até 30 de outubro.

20 hs –  O pior de mim: Texto e atuação: Maitê Proença. Direção: Rodrigo Portella. Em cena, a atriz traz à tona momentos e características pessoais que ela sempre manteve discretos. O espetáculo é transmitido do Teatro Petra Gold. Em entrevista sobre a peça, Maitê Proença diz: “Todos somos inseguros, mesmo os que têm verniz brilhoso, como eu”. R$ 20, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 14 anos. Até 30 de outubro.On line.

20 hs –  Minha amiga John Lennon: na 21ª Conferência de Depoimentos Inúteis, uma palestrante conta um fato inusitado, que transformou sua vida durante o período de isolamento social. Sex e sáb, às 20h. R$ 25, por meio do Sympla. 30 minutos. Até 31 de outubro. On line

20 hsA protagonista:  texto: Carol Barbosa, Juliana Soure e Tatiane Santoro. Direção: Juliana Soure. Com Aliny Ulbricht, Carol Barbosa, Rosa Nogueira e outras. A peça acompanha o dia a dia de quatro funcionárias de uma empresa que atua de maneira remota. Sex a dom, às 20h. Para ter acesso, é preciso se inscrever no Instagram (@coletivoparalelas) ou por e-mail (contato.coletivoparalelas@gmail.com). 60 minutos. 14 anos. Até 11 de outubro.

21 hs – Kamikaze: texto e direção: Oscar Saraiva. Com Ana Julia Hammer, Carolina Alfradique, Eduardo Parreira e outros.Com narrativa fragmentada, a montagem cruza a história de personagens confinados e mostra como eles lidam com questões afetivas e eventos inesperados. Sex e sáb, às 21h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (em bit.ly/33zd1Zo). 56 minutos. Até 31 de outubro.

SÁBADO

18 hs – Novos normais: sobre sexo e outros desejos pandêmicos’Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Alessandra Nassi, Alex de Felix, Alex de Jesus e outros.O espetáculo do grupo Os Satyros aborda os desafios do mundo atual em relação a afetos na pandemia. Dom, às 18h. A partir de R$ 5, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. 18 anos. Até 26 de outubro.

Terra em trânsitode Gerald Thomas. Quando estreou em 2006, a peça escrita e dirigida por Gerald Thomas tecia críticas ao então presidente dos EUA, George W.Bush, cuja política bélica endureceu após os ataques de 11 de setembro de 2001. Passados 15 anos, o texto foi atualizado para a estreia em formato virtual. Nessa npva versão, o dramaturgo e diretor expressa seu desgosto com Donald Trump, Jair Bolsonaro e o atual estado do Brasil e do mundo, o que inclui a pandemia do novo coronavirus. Um solista (Fabiana Gugli) está prestes a entrar no palco para interpretar a ária Liebestod, da ópera Tristao e Isolda, de Richard Wagner. No camarim, ela começa a perder a noção da realidade enquanto dialoga consigo mesma diante do espelho – ou da câmera, na versão gravada. Tudo fica ainda mais alucinante com a entrada do cisne judeu (manipulado por Isabela Carvalho e com a voz do ator Marcos Azevedo) que é alimentado à força para virar fois-gras. O espetáculo conta com a participação de Ney Latorraca, que faz uma falsa chamada de vídeo com Fabiana Gugli. Os dois travam um diálogo metalinguístico sobre a peça e citam o jornalista Paulo Francis, cuja voz abria a versão anterior.A partir daí começam as falas alucinadas que têm relação com a realidade. Sábado e domingo, às 20 hs. Entre 1º e 31 de maio, disponível no YouTubeAcesso pelo link: bit.ly/terraemtransito. Gratuito.

20 hs Fôlego: texto: Gary McNair. Direção: Kiko Rieser. Com Priscila Paes. Jane sofre de epilepsia e, contra todas as expectativas, descobre na corrida um modo de evitar as convulsões. Sáb e dom, às 20h. Gratuito, por meio do site Plataforma Teatro. 50 minutos. Até 16 de maio.

20 hs – A peste: Texto: Albert Camus. Direção: Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia. Com Pedro Osório. O médico Bernard Rieuxse se dirige ao público após lutar, durante um ano, contra o bacilo de uma peste, metáfora da miséria moral provocada pela guerraA partir de R$ 10, por meio do Sympla (/APESTE). 45 minutos. Até 17 de outubroA sessão é seguida de debate com o jornalista e escritor Eduardo Bueno. On line.

20 hs – Parece loucura mas há método: texto de Paulo de Moraes e Jopa Moraes. Direção: Paulo de Moraes. Com Charles Fricks, Luis Lobianco e outros.Nove personalidades shakespearianas se enfrentam numa arena de ideias. O público é convidado a participar de enquetes neste espetáculo que funciona como um jogo.20h  Dom, às 18h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla. 70 minutos. 12 anos. Temporada por período indefinido. On line.

20 hs – Tudo que brilha no escuro:texto: Luiz Felipe Reis e Julia Lund. Direção: Luiz Felipe Reis. Com Julia Lund.<SWO> espetáculo da Cia Polifônica acompanha uma mulher que visita lembranças reais e inventadas. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/polifonicacia). 50 minutos. Até 11 de outubro.

21h – Homem de Lata : com Mouhamed Harfouch. Em busca de respostas para questionamentos surgidos durante o isolamento social, um homem reflete sobre temas como machismo, paternidade e fracasso profissional.A partir de R$ 20, por meio do Sympla (/aladimrioproducoes). 60 minutos. 12 anos. Até 31 de outubro.

DOMINGO

15hs – Eu matei Sherazade– Confissões de uma árabe em fúria: subverte a clássica história de As mil e uma noites para tecer um relato contundente sobr e o que significa ser uma mulher no Oriente Médio. É um monólogo com a atriz Carol Chalita. YouTube (/carolchalita). Uma gravação ficará disponível ao vivo até 15 de maio.

17hs – Paulo Freire, o andarilho da utopia: texto: Junio Santos. Direção: Luiz Antônio Rocha. Com Richard Riguetti. A peça recompõe a trajetória do educador. Dom, às 17h. A partir de R$ 25, por meio do Sympla (/paulo-freire-o-andarilho-da-utopia). 80 minutos. 12 anos. Até 1º de novembro.

18 hs – Novos normais: sobre sexo e outros desejos pandêmicos’Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Alessandra Nassi, Alex de Felix, Alex de Jesus e outros.O espetáculo do grupo Os Satyros aborda os desafios do mundo atual em relação a afetos na pandemia. Dom, às 18h. A partir de R$ 5, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. 18 anos. Até 26 de outubro.

19 hs – O amor é uma conexão interrompida: não há ninguém perto de você: texto: Lola Arias. Direção: Marco Antonio de Oliveira. Com Camila Carreira, Camila Raquel, Gabriela De Melo e Maria Horn. Isoladas em suas casas, quatro pessoas se encontram num jogo virtual. Elas querem ser vistas pela plateia, sobretudo para que não estejam mais sozinhas. A partir de R$ 15, por meio do Sympla (/oamor). 40 minutos. Até 18 de outubro.

20 hs  – A alma imoral – de Nilton Bonder. Adaptação, direção e atuação: Clarice Niskier. O monólogo questiona conceitos milenares da história da civilização, como as definições de corpo e alma, certo e errado, traidor e traído. Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon —8 2529-7700. R$ 50 (vendas apenas pela internet). 80 minutos. 18 anos. Até 28 de novembro

20hs – Todos os sonhos do mundo: texto de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Ivam Cabral.Textos de Drummond, Clarice Lispector e Fernando Pessoa se cruzam para abordar a depressão.Seg, às 21h. Ingressos grátis ou a partir de R$ 10, por meio do Sympla(/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. Livre. Até 15 dezembro.

20 hs – Fronteiras invisíveis em processo: texto –  criação coletiva. Direção: Daniel Herz e Luiz Felipe Sá. Com Charles Fricks, Clarissa Pinheiro, Verônica Reis.Fronteira é o tema da peça da Cia Atores de Laura. O espetáculo é formado por esquetes que apresentam situações em que coletividade e intimidade estão entrelaçadas. Ingressos a partir de R$ 10 (vendas pelo Sympla). 65 minutos. Até 11 de outubro.

TERÇA-FEIRA

19 hs Riobaldo: texto: Guimarães Rosa. Adaptação e atuação: Gilson de Barros. Direção: Amir Haddad. Adaptação do livro “Grande sertão: veredas”, a peça acompanha o ex-jagunço Riobaldo, hoje fazendeiro, em lembranças de sua vida e mulheres que determinaram sua trajetória: Diadorim, Nhorinhá e Otacília. Ter, às 19h. A partir de R$ 20, por meio do Sympla. 70 minutos. Até 25 de maio.

10 hs – Sombras no final da escadaria: Texto: Luiz Carlos Góes. Direção: Amir Haddad. Com Vannessa Gerbelli. Uma atriz realiza um projeto independente num Brasil que não privilegia a cultura. Após o fracasso da estreia, ela se questiona: como seguir? A peça é transmitida do Teatro Petra Gold. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. 16 anos. Até 27 de outubro.

20 hs – Contrações: texto: Mike Bartlett. Tradução: Silvia Gomez. Direção: Grace Passô. Com Débora Falabella e Yara de Novaes.A gerente de uma corporação usa cláusulas para manipular uma funcionária. A montagem online celebra os 15 anos do Grupo 3 de Teatro.A transmissão acontece no Zoom, por meio do site www.itaucultural.org.br. 80 minutos. Até 20 de outubro.

QUARTA-FEIRA

17 hs – Diários do abismo: texto: Maura Lopes Cançado. Adaptação: Pedro Brício. Direção: Sérgio Modena. Com Maria Padilha. A trajetória da escritora mineira Maura Lopes Cançado, que ao longo da vida foi vítima de sessões de eletrochoque em instituições psiquiátricas. A peça é transmitida do Teatro Petra Gold. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. 12 anos. Até 28 de outubro.

QUINTA-FEIRA

17 hs – Coisas de mãe: texto: Adília Belotti, Hilda Lucas, Regina Amaral, Suzete Capobianco e Vera Tarantino. Adaptação, direção e atuação: Clarice Niskier.Baseada no livro “Coisas de mãe para filha”, coletânea que reúne cartas sobre a maternidade, a peça se debruça sobre o  R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. Até 19 de outubro.

20 hs – A lista: texto: Gustavo Pinheiro. Direção: Guilherme Piva. Com Lilia Cabral e Giulia Bertolli.Impossibilitada de sair de casa por causa da pandemia, uma senhora recebe a ajuda da jovem vizinha. A peça é transmitida do Teatro Petra Gold, no Leblon. A peça coloca Lilia Cabral ao lado da filha, Giulia Bertolli, no palco.R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 12 anos. Até 25 de setembro. On line.

20h30 – Ser José Leonilson:texto e atuação: Laerte Késsimos. Direção: Aura Cunha.Com referências à biografia do artista plástico José Leonilson (1957-1993), o monólogo mescla experiências do ator em cena para levantar questões sobre temas como família, sexualidade e trabalho.A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/serjoseleonilsonaudiovisual). 95 minutos. 16 anos. Até 19 de novembro. On line.

Moléstia: texto: Herton Gustavo Gratto. Direção: Marcéu Pierrotti. Com Ciro Sales, Camila Moreira, Deborah Figueiredo e Felipe Dutra. Depois de suspeitar que seu filho foi abusado sexualmente, um casal busca o culpado pelo crime. As acusações apontam para um amigo de longa data. Uma versão previamente gravada do espetáculo é liberada ao público a partir do dia 27 de março. A partir de R$ 10, por meio do Sympla. 50 minutos. Até 27 de junho.

13 de maio, Dia da Abolição–         Luiz Gama – uma voz pela liberdade : Teatro Petra Gold com Déo Garcez. On-line e presencial para um público de, no máximo, 40 pessoas. Pelo Sympla.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012