18 de agosto de 2022


Corpo do comentarista Osmar de Oliveira é sepultado em São Paulo


Por Igor Waltz*

14/07/2014


Dr. Osmar foi o único jornalista a ter passagem por todos os canais abertos de SP

Dr. Osmar foi o único jornalista a ter passagem por todos os canais abertos de SP

Foi sepultado no fim da tarde do último sábado, 12 de junho, no Cemitério São Paulo, no bairro de Pinheiros, o corpo do médico e comentarista esportivo Osmar de Oliveira, de 71 anos. O profissional faria parte da equipe da Band para a cobertura da Copa do Mundo, mas teve de se ausentar por conta do seu estado de saúde. Ele morreu na noite de sexta-feira, dia 12, no Hospital AC Camargo, local em que se recuperava de uma cirurgia para a retirada de um tumor na próstata. Osmar enfrentava ainda problemas pulmonares.

O enterro de Osmar aconteceu durante a vitória holandesa sobre Brasil por 3 a 0, na disputa pelo terceiro lugar do Mundial. Durante o velório, ocorrido na Assembleia Legislativa de São Paulo, alguns amigos que ele fez durante a carreira esportiva não puderam comparecer por estarem escalados para trabalhar durante o jogo. A cerimônia foi restrita aos familiares e amigos.

De acordo com o irmão de Osmar, César de Oliveira, que também é médico, a morte do comentarista aconteceu às 18h15 em decorrência de uma parada cardíaca. O infarto teria ocorrido após a complicação de uma hemorragia que aconteceu em um acidente no qual, há um mês, a sonda que ele usava se prendeu e afetou a bexiga.

Dr. Osmar, como era conhecido, sofreu um infarto em julho de 2013. Na ocasião, ele brincou ao atribuir o ataque ao árbitro paraguaio Carlos Amarilla, que teve atuação polêmica em jogo do Corinthians contra o Boca Juniors na Libertadores.

Carreira

Osmar de Oliveira era corintiano fanático e vivia exaltando o time em seus comentários. Formado pela PUC de Sorocaba, Dr. Osmar especializou-se em medicina esportiva e foi médico do Alvinegro, do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e da seleção brasileira de basquete.

Começou sua carreira como jornalista em 1978 na TV Gazeta. Em 1981, foi contratado pela TV Globo. Três anos depois passou para a TV Bandeirantes. Em 1986, foi contratado pelo SBT, onde permaneceu até 1989, quando se transferiu para a TV Manchete. Em 1992 retornou ao SBT, passando pelo extinto canal PSN em 2000. Sua última empresa foi a Rede Bandeirantes.

Um dos destaques de sua carreira foi a divulgação do doping de Ben Johnson durante os Jogos Olímpicos de Seul, em 1988. Foi dele também a narração do histórico título pan-americano com a seleção brasileira masculina de basquete.

*Com informações de O Estado de S. Paulo e portal UOL.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012