Coligação PT-PMDB promove ato pró- Dilma no Rio


19/10/2010


Um ato promovido pela coligação PT-PMDB e coordenado pelo Governador do Rio Sérgio Cabral reuniu prefeitos, deputados, senadores e lideranças políticas de todo o Estado, na tarde desta terça-feira, 19 de outubro, no Auditório Oscar Guanabarino da ABI, no Centro do Rio, que foi alugado pelo Diretório Regional do PMDB.  O objetivo do encontro foi reforçar o apoio local à candidata do Partido dos Trabalhadores à Presidência da República, Dilma Roussef. 
 
Além do Governador, estiveram presentes o Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), o Senador eleito Lindberg Farias (PT), o Vice-Governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), o Senador Francisco Dornelles (PP), o ex-Prefeito de Valença, Vicente Guedes (PSC), e vários deputados eleitos.
 
Em seu discurso, o Governador Sérgio Cabral agradeceu a maciça votação que o reelegeu no último dia 3 de outubro, com 66% dos votos. Cabral lembrou a importância da parceria entre o Governo Federal e o Governo Estadual, que, disse, assegurou grandes investimentos e melhorias para o Rio de Janeiro.
       
O Senador Francisco Dornelles, apresentado por Cabral como um ótimo “conselheiro”, cobrou maior empenho dos prefeitos da coligação no segundo turno. Dornelles avisou em tom de brincadeira, que “Prefeito que perder vai procurar emenda em outro lugar”. O Senador pediu o esforço de deputados eleitos, principalmente em áreas onde o desempenho da campanha de Dilma não foi considerado satisfatório, como na Região dos Lagos.
       
O Senador eleito Lindberg Farias dedicou sua vitória ao apoio de Sérgio Cabral e do Presidente Lula. Comentando um encontro entre os três recentemente em Brasília,  em que o assunto eleição fez parte da agenda, Lindberg disse que ouviu de Lula o seguinte: “Eles (a oposição) falam de Minas e São Paulo, mas ninguém tem condições de aumentar os votos como o Rio de Janeiro”. Lindberg exaltou a reeleição do Governador e se dispôs a fazer campanha pelo Estado, onde for preciso.
       
O Prefeito Eduardo Paes reforçou o tom de cobrança às lideranças políticas presentes. Ele pediu maior esforço de cada um em suas respectivas áreas, e falou sobre a polêmica religiosa que envolve os dois candidatos na campanha presidencial no segundo turno: “Tem que acabar essa vergonha do debate entre religião e política, essas duas coisas não têm que se misturar”, afirmou o Prefeito.
 
Por fim, Paes citou com otimismo os resultados das pesquisas recentes, que dão vantagem à Dilma, e a importância política do Rio de Janeiro, e disse que em conversa particular com o Presidente Lula por telefone ouviu uma declaração de entusiasmo, que ressalta a significância do voto fluminense: “O Rio é que vai dar o tom da vitória da Dilma”, teria dito o Presidente da República.
 
O Vice-governador Pezão e o ex-Prefeito de Valença Vicente Guedes também fizeram questão de firmar o compromisso com a continuidade da parceria entre Governos Estadual e Federal, e ressaltaram a necessidade de lutar nas ruas por cada voto e reafirmar a força da coligação conquistada no Estado. Pezão também criticou a chamada “guerra santa” do início do segundo turno, e alertou sobre o trabalho de esclarecimento das pessoas sobre tais assuntos.
 
 
Em seu discurso final, Cabral listou os avanços econômicos e sociais do Governo Lula, e as vantagens da continuidade do Governo para o Rio de Janeiro: “Em time que está ganhando não se mexe”, disse o Governador. Por fim, elogiou a atuação de Dilma como Ministra e destacou a importância de sua eleição como primeira mulher Presidente do Brasil: ”Vamos deixar a mulher brasileira mostrar seu valor. A Dilma já mostrou que sabe ser mãe, avó, Ministra e vai ser Presidente da República.”
 
 
 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012