Brasil é um dos líderes em impunidade para assassinos de jornalista


Por Igor Waltz*

17/04/2014


O Brasil é um dos países do mundo com maior número de casos não solucionados de mortes de jornalistas, de acordo com o  ĺndice Global de Impunidade, divulgado nesta quarta-feira, 16 de abril, pelo Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).

Na 11ª posição, o Brasil aparece com nove assassinatos de profissionais de imprensa cujos responsáveis não foram punidos. Para o CPJ, organização não governamental de defesa da liberdade de imprensa sediada em Nova York, as autoridades brasileiras obtiveram em 2013 apenas três condenações.

Na América do Sul, Brasil e Colômbia são os únicos a integrar a lista. O Brasil ficou atrás do país vizinho, oitavo colocado com seis mortes impunes, porque o Índice calcula o número de assassinatos não resolvidos levando em conta o percentual em relação à população. Apesar de ter matado mais, o Brasil aparece com 0,045 assassinatos por milhão de habitantes contra 0,126 da Colômbia.

Apenas os países com cinco ou mais casos sem solução são incluídos na lista. Este ano, 13 foram enquadrados nesse critério, contra 12 na relação divulgada em 2013, destacou o CPJ. Assim como no ano passado, a lista atual é liderada por Iraque, Somália e Filipinas. Também integram a relação o Sri Lanka, em quarto, seguido por Síria, Afeganistão, México, Colômbia, Paquistão, Rússia, Brasil, Nigéria e Índia.

“Nos últimos anos, a posição do Brasil no índice tem subido e baixado à medida que avanços esporádicos, mas significativos, na abertura de processos judiciais contra criminosos são confrontados com novos casos de assassinatos”, explica a organização em comunicado.

*Com informações da AFP.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012