8 de agosto de 2022


Biografia de Lula e Pixinguinha nas telas são Dicas da semana


12/11/2021


Lula, Saramago Pixinguinha e Bip Bip são Dicas

Parabéns a Gilberto Gil que, merecidamente, aos 79 anos, foi eleito para a cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras. Ele e Fernanda Montenegro vão dar o que falar no chá das quintas!

E Dicas avisa: a biografia de Lula por Fernando Morais chega às livrarias dia 16, e foram lançados os livros Meu caro Chico e Viagem a Portugal de Saramago enquanto Mulheres que correm com os lobos volta a causar polêmica após 26 anos nessa mesma linha Dostoiévski  ganha novamente protagonismo na literatura. E ainda tem Poemas de amor e sacanagem de Gregório Duvivier. O filme Pixinguinha está nas telas e Alerta Vermelho nos cinemas também estreia na Netflix com a atriz de Mulher Maravilha. O Bip Bip reabre com roda de samba para homenagear João Nogueira e Paulinho da Viola enquanto sua filha, Eliane, faz show pelo aniversário do pai no Cariocando. Há muitos outros shows presenciais com Gal Costa liderança.No feriado, dia 15, tem apresentação da Orquestra Petrobrás no Jardim Botânico. Chegou nova temporada da série Yellowstone, Ana de Holanda lança CD e fala no Encontros enquanto Ruy Castro indica música da Bossa Nova na Rádio MEC FM. O Cine Macunaíma exibe Castro Alves com Bruno Garcia e o ABI Esportes aborda o racismo no futebol. Ainda há frisas à venda para o desfile do Grupo Especial e das Campeãs do carnaval e começa on line o Festival de Jazz de Capão e o Fest Filmes de Óperas. Além de shows presenciais, há espetáculos de dança e peças teatrais  on line. Continue sem aglomerar e use máscara. Boa semana.

Por Vera Perfeito, diretora de Cultura e Lazer da ABI

NA ABI

Segunda-feira

19h30 – ABI Esportescom apresentação do jornalista Marcos Gomes. Hoje, a pauta é: “O racismo no futebol brasileiro sob o olhar da psicologia”. Nesse estudo, o psicólogo Fábio Alves verificou sucessivos casos de racismo no futebol brasileiro e decidiu pesquisar o fenômeno para saber como ele afeta a subjetividade dos negros. Graduado pela PUC-MG com ênfase em Políticas Públicas, Fábio decidiu estudar o tema, a partir de sua paixão pelo esporte aliada à identificação de pauta racial. O programa tem a participação dos jornalistas Miro Nunes, Angelica Basthi e Camilla Shaw, integrantes do Cojira-Rio – Comissão dos Jornalistas pela Igualdade Racial – órgão de assessoramento do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro. O programa vai ao ar pelo canal da ABI no Youtube – bit.ly/3uZn84f.

Terça-feira

19h30 – O Cineclube Macunaíma inaugura hoje o Festival Silvio Tendler com a exibição semanal de cinco filmes do cineasta. Hoje, será exibido o filme Castro Alves – Retrato falado, a partir das 10h e até segunda-feira. Os outros filmes serão os seguintes: Milton Santos (23/11), Privatizações(30/11), Alma imoral (7/12), Utopia e Barbárie (14/12). Castro Alves -retrato falado é um misto de documentário e ficção, com Bruno Garcia no papel de Castro Alves. Também no elenco estão Dira Paes, Sheila Nascimento e Kalina Moscoso. Assista pelo canal da ABI do YouTube.

Quinta-feira

19h30 Encontros da ABI com a Cultura entrevista a cantora, compositora e ex-Ministra da Cultura Ana de Holanda que está lançando,  após 12 anos , o CD“Vivemos”. Seu último disco foi “Só na canção”. “Vivemos” trata de dores de amores, mas também de alegrias. A carreira musical de Ana parou quando foi atuar como gestora cultural em instituições como a Funarte e Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Como letrista , função que já exerceu em “Só na canção”, está presente em todas as faixas do novo CD, mas uma delas “Jamais decifrei” tem esse nome devido ao esforço em traduzir a melodia de Cristovão Bastos, diretor artístico do álbum. Pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube.

 

CARNAVAL

 

A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) recolocou à venda desde quarta-feira os ingressos de frisas que haviam sido reservadas, mas não foram pagas. Estão disponíveis ingressos para todos os dias  de desfile do Grupo Especial : domingo de carnaval (27/2) e segunda-feira (28/2), além do Sábado das Campeãs (5/3). Os preços variam entre R$1.110 (quatro lugares no setor 13) e R$ 6.100 (seis lugares no setores 8 e 9). No Sábado das Campeãs, os ingressos vão de R$ 800 (quatro lugares ni setor 13) a R$ 4.100 (seis lugares nos setores 8). As vendas são feitas de segunda a sexta, das 9h às 16h, pelo telefone da Central Liesa de Atendimento: (21) 3032 0051. O pagamento deve  ser feito À vista, por meio de boleto bancário enviado por e-mail. O mapa de lugares e outras informações podem ser encontrados no site da Liesa.

 

 

TELEVISÃO

 

GLOBOPLAY

Homenagens a Marília Mendonça. Muito bom rever a reprise de Altas Horas em torno de Marília Mendonça, além do especial “Marília Mendonça; Todos os cantos”, no lugar de “Zig Zag arena”, superando todas as edições já apresentadas do game show.

Roberta Miranda Roberta homenageou Marília Mendonça – que considerava como filha – em seu DVD “Os tempos mudaram”, de 2017. As duas cantaram juntas. Roberta foi a pioneira ao cantar a “sofrência”, mas destacando o empoderamento feminino levado ao extremo por Marília que morreu, aos 26 anos, em acidente aéreo. Roberta Miranda foi a primeira inspiração, depois, amiga de Marília Mendonça. Uma das principais cantoras da história do sertanejo, ela aceitou o convite do Fantástico para uma homenagem, apesar da dor e do sofrimento por essa perda, que é também de todos nós, de todo o Brasil. Assista a entrevista completa no vídeo.

 

Conversa com Bial – a atriz portuguesa Maria de Medeirosesteve no programa e deu uma ótima entrevista remota a Pedro Bial. Ela que está em Verdades Secretas 2 contou como conheceu Quentin Tarantino e que a convidou para participar de “Pulp fiction” (1994).

TV CulturaEncontros Históricos, programa em que recebeu a Jazz Sinfônica do Brasil recebeu Ivan Lins e o MPB4.

HBO Max – a cantora Sandy estreou o programa “Sandy+chef” nesta plataforma. Serão seis episódios em que a cantora aprenderá a cozinhar com a ajuda de grandes profissionais, às quintas-feiras. Dentre as mudanças de paladar mais marcantes, Sandy destaca um peixe de água doce preparado junto com o chefe Thiago Castanho, especialista em culinária amazônica. “Eu não gosto de peixe de água doce normalmente, mas ele fez de um jeito que eu comi babando. Grande parte da minha família também não gosta e eles amaram”. Algumas pessoas da família também vão participar. O programa é inspirado em outro da tevê americana com a atriz Selena Gomez.

MULTISHOW 

23h15 – 2ª feiraLady Night: na nova temporada de Lady night com Tatá Werneck  Marcos Mion será o primeiro entrevistado. A estreia será segunda-feira, às 23h15. A exibição regular será de segunda a sexta-feira, no mesmo horário. A sexta temporada da atração, que é uma das maiores audiências do Multishow atualmente, contará com 15 episódios. Na TV aberta, existe a previsão de exibição de algumas destas entrevistas, com uma edição diferente, no início de 2022.

22h30 – de 2ª à 6ª feira -Vai que cola: o “Vai que Cola” está em sua nova temporada no canal.E teve uma saída perfeita para a falta de atrações inéditas para ocupar a faixa de horário do “Big Brother Brasil” aos sábados, após o fim da 21ª edição do reality. A exibição da 7ª temporada do humorístico na Globo se torna uma bela e divertida homenagem a Paulo Gustavo.

22h30 – 2as feiras no GNTPapo de Segunda: Fabio Porchat, Emicida, Chico Bosco e João Vicente De Castro debatem assuntos atuais e atemporais, trazendo pontos de vista distintos sobre o comportamento humano e a sociedade.

TVComunitária do Rio( canal 6 da Net) e canal de Papo na Laje do YouTube:  todas às quintas-feiras irá ao ar, a partir das 18h, o programa Papo na Laje. Cada semana é um tema. Fora do Rio: www.tvcomunitária.rio.

RÁDIO

20h Domingos na Rádio MEC FM 99,3 e, às 22h, na MEC AM 800 – A noite do meu bem”, programa com Ruy Castro com seis episódios que apresenta músicas após o fim da era de ouro da noite carioca. O programa apresenta as músicas a partir de 1966, ano que marca o fim dessa. Esse domingo será o último episódio. Os anteriores podem ser ouvidos. O programa é uma parceria com a editora Companhia das Letras. O programa é a primeira parte de futuros programas em que o escritor apresentará a versão radiofônica de seus livros.

 

FESTIVAIS DE CINEMA

6ª Mostra do Cinema Chinês em São Paulo do Instituto Confúcio da UNESP

Até o dia 20 de novembro estarão em exibição 10 filmes chineses 100% on-line, gratuito e com legendas em português. Basta você se inscrever e receberá o link de acesso exclusivo em seu email para as exibições. Acompanhe a programação também pelo instagram do InstitutoConfucio.

Com a curadoria de Wang Yao, pesquisador-assistente do Instituto de Cultura Cinematográfica da China da Academia de Cinema de Pequim, os filmes abordam questões sociais ligadas ao zeitgeist atual, com o objetivo de alimentar o intercâmbio cultural entre os dois países e construir uma cultura de positividade.

Os filmes são:

Um porto seguro (disponível até hoje de Li Xiaofeng, indicado ao melhor filme no Festival Internacional de Macau e no Festival Internacional de Cinema de Xangai e Indicado ao Prêmio da Audiência na competição oficial no Glasgow Film Festival). Condenado por um homicídio culposo há 15 anos, um fugitivo retorna para casa, onde é assombrado por seu passado. Ele acaba metido em um esquema que envolve a filha de sua vítima e descobre o que aconteceu de fato naquele dia da sua adolescência.

Yuan Longping (disponível até amanhã ) – de SHI Fenghe– Yuan Longping é o nome de um dos maiores cientistas agrícolas do nosso tempo, um herói que será para sempre lembrado na China e em todo o mundo. Dedicou toda a vida à pesquisa do arroz híbrido e contribuiu de forma significativa para as ações globais de preservação da segurança alimentar e redução da pobreza. Seu falecimento em 22 de maio de 2021 foi uma grande perda para a ciência agrícola da China. O filme conta a turbulenta jornada do “pai do arroz híbrido” ao persistir nas suas pesquisas desde o final dos anos 1950.Prêmios: Ator Extraordinário e Filme Extraordinário do Prêmio Huabiao para Cinema.

 

Quero uma vida com você (disponível até 14/11/ filme de estreia de Sha Mo, que arrecadou mais de US$ 50 milhões em bilheteria na China) – Qinyang é um trabalhador esforçado que está tentando juntar dinheiro para se casar com Yiyao, mas a realidade mantém o casal na pobreza e longe do sonho de um casamento feliz. Esgotado, ele desiste da relação para que ela possa encontrar alguém que lhe dê uma vida melhor. No entanto, depois de um telefonema da amada, ele precisa correr para tê-la de volta antes que seja tarde demais.

O enigma da chegada (disponível até 20/11) – de SONG Wen– Nos anos 1990, quatro amigos se apaixonam por uma mesma menina: Dongdong. Depois de roubarem o combustível de um barco, eles sofrem retaliações e, como resultado, Dongdong desaparece misteriosamente. Anos mais tarde, os quatro se reencontram e são forçados a confrontar o passado e a verdade sobre o desaparecimento da garota.

Turbilhão (disponível até 20 /11) – GAN Jianyu – Desesperado por dinheiro depois de perder no jogo mais uma vez, Liu aceita participar de um esquema que revende um carro não registrado. O golpe, aparentemente simples, se complica quando ele encontra uma menina no porta-malas do veículo.Prêmios: Indicado a Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de Xangai, Indicado ao Melhor Ator Coadjuvante no Festival Internacional de Cinema de Macau, Indicado ao Prêmio do Júri para Melhor Filme no Beijing Student Film Festival, 2020.

 

FILMES

 

Pixinguinha – Um homem carinhoso – lançamento hoje nos cinemas do longa de Denise Sarraceni e Allan Fiterman, com Seu Jorge no  papel-título.Taís Araújo interpreta a mulher de Pixinguinha. Alfredo da Rocha Vianna Junior, o Pixinguinha, foi um precursor da MPB, ao estabelecer as características fundamentais do primeiro ritmo tipicamente brasileiro: o chorinho.  O filme contará a história do músico pioneiro brasileiro de sua infância até a antológica morte, aos 75 anos, na igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, em pleno sábado de carnaval, em 1973, bem no momento em que a Banda de Ipanema iniciava seu desfile. Lázaro Ramos faz participação especial como Alfredo Vianna, pai de Pixinguinha. Ele lutou contra o preconceito para mostrar o seu valor na música, se tornando o mestre do choro ao cantar sucessos como “Carinhoso”, “Um a Zero”, “Lamentos” e “Rosa”. A produção é a realização de um sonho para Seu Jorge, que sempre quis viver um músico no cinema. “Mas não queria fazer um cantor. Queria que fosse um instrumentista”. Com um orçamento de 13 milhões de reais, o filme começou a ser produzido há dez anos e foi rodado em 2017.

 

Deserto Particular, estreia na quinta-feira, 18/11, nos cinemas o filme do cineasta baiano Aly Muritiba que vai disputar uma vaga na 94º cerimônia do Oscar de melhor filme internacional, em março de 2022, como representante do Brasil. “Deserto  Particular” foi indicado pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Visuais, superando 14 concorrentes, entre eles, “7 Prisioneiros”, de Alexandre Moratto; “A última floresta”, de Luiz Bolognesi: e “Medida Provisória”, de Lázaro Ramos. O tema é como o amor pode ser um agente de transformação e conta a história de Daniel (Antonio Saboia, de “Bacurau”), um ex-policial curitibano afastado de suas funções após um erro. Infeliz após a suspensão, ele parte numa jornada em direção ao sertão baiano à procura de Sara (Pedro Fasanaro), uma pessoa não binária (cuja identidade de gênero não é estritamente masculina ou feminina) com quem havia desenvolvido uma relação amorosa , a partir de aplicativos de mensagem. No elenco estão Thomás Aquino, Cynthia Senek e Laila Garin. Em setembro, o filme conquistou o prêmio do público da mostra paralela Venice Days, do Festival de Veneza. O diretor acredita que “Titane”, vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes deste ano é o favorito no Oscar. Ele, que anteriormente foi agente penitenciário por sete anos, deve estrear breve o filme “Jesus Kid”, vencedor de três Kikitos (melhor roteiro, melhor ator coadjuvante e melhor diretor) no Festival de Gramado de 2020. Muritiba também dirigiu “O caso Evandro” do Globoplay, e a série “Carcereiros”.

O jogador – filme baseado no livro de Dostoiévski  com direção do húngaro Karoly Makk. É a história de amor entre o escritor russo e Anna Grigórievna, que ajudou o Dostoiévski, imerso em dívidas e jogatina, a concluir, em poucos dias, o romance que garantiria seu sustento.  A cópia em VHS pode ser comprada pela internet.

Bob Cuspe – nós não gostamos de genteo documentário do cartunista Angeli reflete sobre sua obra, explica influências sobre suas criações e mostra sua relação com personagens como a ninfomaníaca Rê Bordosa. O revoltado Bob Cuspe tenta encontrar seu criador para tirar satisfação sobre sua morte. Dirigido por Cesar Cabral, a animação com bonecos de massa de modelar traz também depoimentos de Angeli e pessoas próximas como a cartunista Laerte – todos com suas vozes nos bonecos do filme. Bob Cuspte (voz de Milhem Cortaz) e os Irmãos Kowalski  (voz de Paulo Miklos) tentam se encontrar com Angeli. No caminho há miniaturas mutantes de Elton John e o guru Rhalah Rhikota (voz de André Ajujamra). O filme venceu a Mostra Contrechamp, no Festival de Annecy, o principal do mundo para animações. Nos cinemas

Festival de Filmes de Ópera será realizado de amanhã a 24 de novembro com projeções ao ar livre no Parque Lage. O evento, que não foi realizado em 2020 por conta da pandemia, fará sua sexta edição contando com a já tradicional estrutura em forma de tenda montada, formando uma espécie de teatro a céu aberto, com direito a cadeiras reclináveis e som e imagem de qualidade. Além de 11 récitas, uma Gala e um balé projetados, o Ópera na Tela terá atrações especiais. Na noite de abertura, amanhã, dia 13às 19h, a cantora-lírica belga Anne-Catherine Gillet estará na tenda para um recital antes da projeção da récita do dia, a Gala do Teatro Alla Scala de Milão, que começa às 20h. Quem comprar ingresso para a Gala, pode assistir as duas atrações. A cantora lírica tem carreira internacional nas principais casas de ópera do mundo.

Em paralelo às récitas e à apresentação de Gillet, o evento realiza também na tenda do Parque Lage um ciclo de três palestras com entrada franca, nos dias 14 (domingo) ,20 e 21 de novembro. Com intuito de democratizar a arte lírica, facilitar sua compreensão e formar novas plateias.  O  festival convida o público a explorar a riqueza e a diversidade da ópera. A professora Laura Rónai irá ministrar as palestras “À Flor da Pele: La Traviata, de Giuseppe Verdi” e “Como expressar sua raiva musicalmente? Mozart responde”, a primeira no domingo (14/11) e a outra em 20 de novembro, ambas às 17h.

Já o maestro Leonardo García Alarcón, através de videoconferência, ministra a palestra “A Redescoberta da Obra-Prima Esquecida de Luigi Rossi: O Palácio Encantado”, no dia 21, às 17h. Alarcón redescobriu a ópera “O Palácio Encantado”, de Luigi Rossi, que estava perdida há 380 anos na biblioteca do Vaticano; este ano, o espetáculo foi reencenado sem público, por causa da pandemia, pela Ópera de Dijon. Com Coro da Ópera de Dijon e Coro de Câmara de Namur, participaram 16 solistas, coros duplo e triplo com seis e 12 vozes e dezenas de bailarinos. Na palestra, ele conta essa trajetória, da descoberta aos palcos. As palestras têm entrada Franca

17 hsDomingoÀ FLOR DA PELE: LA TRAVIATA, DE GIUSEPPE VERDI
Ministrada por Laura Rónai – Um olhar sobre algumas cenas desta ópera mostra de que forma os sentimentos expressos pelo texto são reforçados pela música magistral do mestre italiano que revolucionou a história da música, tornando seu nome sinônimo de ópera.

17h – 20 NOV COMO EXPRESSAR SUA RAIVA MUSICALMENTE? MOZART RESPONDE – Ministrada por Laura Rónai. Nessa palestra serão analisadas as características principais de duas árias (nº4 e nº17) da ópera “Le Nozze di Figaro”; 17h – 21 NOV –  A REDESCOBERTA DA OBRA-PRIMA ESQUECIDA DE LUIGI ROSSI: O PALACIO ENCANTADOVídeoconferência ministrada por Leonardo García Alarcón. O Maestro fala seu trabalho com Fabrice Murgia, e sobre como ressuscitou esta ópera num contexto tão peculiar para poder oferecer ao público esta obra-prima da arte lírica, verdadeira celebração festiva da arte total.  Nesse mesmo dia, 21, às 19h, será projetada a ópera Les Indes Galantes, da Ópera de Paris, cujo maestro é também Alarcon. A récita tem libreto de Luis Fuzelier e foi encenada pela primeira vez no Theâtre du Palais Royal em 1735. O diretor é Clément Cogitore. RÉCITAS – FESTIVAL ÓPERA NA TELA – Ingressos à venda no local ou no site Sympla. Valores: R$28 inteira; R$14 meia-entrada.

Nesse mesmo dia, 21, às 19h, será projetada a ópera Les Indes Galantes, da Ópera de Paris, cujo maestro é também Alarcon. A récita tem libreto de Luis Fuzelier e foi encenada pela primeira vez no Theâtre du Palais Royal em 1735. O diretor é Clément Cogitore.

HBO MaxJúpiter. O filme estreia hoje com o ator Rafael Vitti de protagonista no canal. O enredo é sobre um menino de 17 anos, gênio do xadrez. O jovem se vê obrigado a morar com o pai, Mário (Orã Figueiredo) que ele não conhecia. O jogo é o elo entre os dois, que, num primeiro momento, nada têm em comum. O ator acabou um jogador aplicado.

NETFLIX Alerta vermelho: chega hoje a esta plataforma, o filme que está em cartaz nos cinemas. O longa de ação com toques de comédia conta a história do agente do FBI John Hartley (Dwayne Johnson) que se vê obrigado  a fazer uma aliança com o golpista Nolan Booth (Ryan Reynolds) para captura Bispo (a atriz Gal Gadot), a maior ladra de obras de arte do mundo. Dwayne, segundo o ranking da Forbes, é o ator mais bem pago do mundo e esse personagem marca os 20 anos de estreia do ex-lutador de luta livre, conhecido como The Rock. Ele participou do “Retorno da Múmia”, “Jumanji”, “Jungle Cruise” e participações na franquia “Velozes e furiosos”, cujo quinto longa foi filmado no Rio de onde o ator guarda boas recordações.

SÉRIES

HBOThe White Lotus: em uma das cenas da série, duas adolescentes tentam relaxar com sons suaves e repetitivos. Enquanto uma fecha os olhos, a outra sussurra, acende um isqueiro e sacode um frasco de comprimidos no ouvido da outra. Para quem  já consome vídeos ASMR há tempos, não tem novidade, mas o público que nunca explorou essa febre digital invadiu ass redes para perguntar aonde as meninas queriam chegar. Elas estavam em busca de um gatilho para atingir o que já foi descrito como “orgasmo cerebral”, um estado de relaxamento absoluto provocado por estímulos sonoros, visuais, cognitivos. Um fenômeno pop. Impulsionado pela pandemia e pelas novas gerações que estão no Tik Tok e Twitch. ASMR – Resposta Sensorial Meridiana Autônoma – é o nome dado a uma experiência prazerosa que causa arrepio ou formigamento leve, começando pelo couro cabeludo e se espalhando pelo corpo. O resultado é a sensação de conforto e sonolência. Há diversos vídeos e podcasts para desencadear essa profunda calma ao pé do ouvido ou do microfone, comprova a popularidade do formato.

 

HBO (e Now séries) Succession: a série continua um grande sucesso. Logan (Brian Cox) continua um enigma em relação ao amor aos filhos. Não perca.

 

PARAMOUNT+

 

Yellowstone: a quarta temporada da série mostra os desdobramentos de Beth após a bomba que detonou seu escritório, e també, de Kayce e John que fora baleados em incidentes separados. A produção conta a história dos Duttons, uma família que controla o maior rancho dos EUA e enfrenta ataques daqueles que vivem na fronteira.

 

Dexter: New blood: Criada em 2006, a série “Dexter” cativou o público por oito temporadas com o anti-herói unterpretado por Michael C. Hall, indicado cinco vezes ao Emmy pelo papel. A série foi interrompida em 2013, mas o personagem está de volta nesse série, Ele, de dia, é um perito criminal especializado em sangue. De noite, um serial killer que mata assassinos, criminosos e pessoas “do mal” em geral.  Agora, a trama se passa aproximadamente dez anos depois do desaparecimento de Dexter, no fim da produção anterior. Ele agora está estabelecido na pacata cidade de Iron Lake, no Estado de Nova York, vivendo como um vendedor de armas e usando um nome falso, numa tentativa de deixar o passado para trás. Mas as coisas mudam  quando, de uma vez só, ele se depara com visões de Debra (Jennifer Carpenter) – irmã do assassino  e policial, que morreu na última temporada – em torno de um crime, e com um encontro com Harrison (Jack Alcott), o filho que ele deixou ainda bebê e que foi em busca de respostas sobre a própria origem.

 

GLOBOPLAY The equalizer (O equalizador): ex-agente da CIA resolve ajudar inocentes que não têm a que recorrer em busca de proteção e justiça. A sinopse da série com Queen Latifah lembra a do filme “O protetor” (“The Equalizer no original de 2014, estrelado por Denzel Washington: a produção é da mesma franquia do longa protagonizado pelo ator.

 

NETFLIX

 

Gentefied (Delicada) – é a segunda temporada da comédia dramática que chegou à plataforma. Na trama que envolve a família, comunidade, amor e a sensação de deslocamento, três primos lutam para viver o sonho americano, ainda que isso ameace as coisas que eles mais prezam: o bairro, o avô mexicano e a loja de tacos da família.

 

Arcane: uma guerra civil entre as cidades-estado de Zaun e Piltover sela o destino das irmãs Vi e Jinx. Enquanto precisam lutar para sobreviver em meio à pobreza da periferia sóbria de Zaun, a “Cidade do Progresso”, Piltover avança em descobertas científicas capazes de mudar o futuro da região. Em meio às tensões, as irmãs acabam se separando e traçando caminhos opostos. Os nove episódios de Arcane foram divididos em três atos que serão liberados aos sábados Em uma estratégia transmídia, de Riot Games. A série é inspirada no videogame League of Legends (LOL) que se expandiu para histórias em quadrinhos e para a música com uma banda de K-pop e agora inspira essa série que traz figuras  e cenários já conhecidos dos jogadores, além de adicionar complexidade nas relações entre os Campeões – como são chamados os personagens dos jogos.

 

 

STAR+ DOPESIK: baseada no best-seller “Dopesick: Dealers, doctors, and the drug company that addicted America”, de Beth Macy, a série produzida e protagonizada por Michael Keaton mostra a luta dos EUA contra o vício em opióides, desde reuniões de indústrias farmacêuticas os corredores do DEA, órgão da polícia americana de fiscalização de drogas.

 

CURSOS

 


Oxford Climate Journalism Network
– As inscrições para o primeiro curso oferecido pelo programa de apoio ao jornalismo ambiental lançado pelo Instituto Reuters para Estudos do Jornalismo terminam no dia 15/11.

 

LIVROS

20ª Bienal do Livro já estão à venda os ingressos para a bienal que acontece entre 3 e 12 de dezembro no Riocentro com 70% da capacidade do local para visitação, uso de máscara e comprovante de vacinação. A compra é on line pelo site da Bienal. Este ano a bienal acontece em formado híbrido com transmissão pela plataforma Bienal 360º. Segundo o Secretário Municipal de Educação, Renan Ferreirinha, o público pode esperar um evento diferente de 2019 quando o ex-prefeito Marcelo Crivella perseguiu uma publicação de HQ de dois heróis que se beijavam na boca. A programação, pela primeira vez, será comandada por um coletivo de curadores que trabalharam ao redor do tema entina Mariana Enriquez e a americana Julia Quinn. A programação completa está no site da Bienal. “Que história queremos contar a partir de agora?”. Para responder a essa questão foram convocados Thalita Rebouças, Conceição Evaristo, Itamar Vieira, Aílton Krenak, Pastor Henrique Vieira, Luiz Antonio Simas, Lulu Santos e Antonio Fagundes. Entre os escritores estrangeiros est~~ao confirmados o português Valter Hugo Mãe, a arg

 

Meu caro Chico – Depoimentos (Francisco Alves, R$65 )Augusto Lins Soares. Em novo livro dedicado a Chico Buarque, o designer pernambucano Augusto Lins Soares reúne 60 crônicas, ensaios, poemas e comentários em redes sociais. Há uma carta-poema de Lula (1999) ainda não publicada, textos do pai do artista o historiador Sérgio Buarque de Holanda, do cineasta Cacá Diegues (2017), de Clarice Lispector (1971), Rubem Braga (1966), Caetano Veloso, Luís Fernando Veríssimo, Tom Jobim, Vinicius de Morais, Glauber Rocha, Miúcha (1977), Maria Bethânia. Augusto se dedica a livros de fotografia. Em 2021, lançou “Thereza Eugênia – Portraits 1970-1980”, com o trabalho da fotógrafa que retratou muitos artistas, entre eles, Chico, Caetano e Bethânia. E prepara para 2022 um fotobiografia de Sônia Braga.

O livro da História Negra (Globolivros, R$69,90) – Globolivros. O novo livro da coleção best-seller As grandes ideias de todos os tempos que já vendeu mais de 1,8 milhão de exemplares. Quais foram os impérios africanos mais poderosos? Quais foram as revoltas ocorridas em solo brasileiro? O que motivou a criação do movimento Vidas Negras Importam? Escrito em linguagem simples e ricamente ilustrado,  o livro da história negra responde essas e muitas outras questões, mostra a rica e complexa história dos povos da África e da diáspora africana, além das lutas e vitórias do povo negro ao redor do mundo. A obra traz à luz histórias normalmente ignoradas e está repleto de citações memoráveis de grandes personalidades, como Nelson Mandela, Zumbi dos Palmares, Angela Davis, Martin Luther King, Sueli Carneiro, Barack Obama e Marielle Franco. Além disso, esta edição também traz conteúdo exclusivo sobre eventos da história brasileira, como a revolta dos negros na Bahia durante a escravidão e a resistência negra à ditadura militar e sua importância para a luta pela democracia.

Festa do Livro da USP a Universidade fechou acordo que vale só até o dia 15 próximo para a compra de livros. Qualquer um pode comprar, bastando acessar ao site da festa. Os livros de Carlos Drummond de Andrade estão todos a R$9,90. A lista é imensa.https://festadolivro.edusp.com.br/sites/default/files/2021-10/Compania%20das%20Letras%-%20Feira%20da%20USP%20-%20Helen%20Garcia.pdf

 

 

Lula, biografia, volume 1(R$74,90)  Fernando Morais, em pré-venda na Amazon. A aguardada biografia do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, escrita pelo jornalista e biógrafo Fernando Morais, entrou em pré-venda nesta segunda. O primeiro volume de “Lula” (Companhia das Letras e Penguin), de 416 páginas, será lançado oficialmente no dia 16 de novembro e já aparece em livrarias on-line custando R$ 74,90. Os bastidores da maior perseguição política ao ex-presidente Lula, os momentos históricos da sua vida e o legado em defesa da democracia serão contados na primeira biografia sobre um dos maiores líderes políticos internacionais.

O livro, que conta a trajetória pessoal e política de Lula e será dividido em dois volumes, começou a ser escrito em 2011 pelo jornalista Fernando Morais. Na primeira parte, que tem 416 páginas, o autor fala sobre a infância do ex-presidente, as greves do ABC Paulista quando ele foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, a fundação do Partido dos Trabalhadores (PT),  a primeira campanha eleitoral, o balanço dos seus governos como presidente da República, a prisão em 2019 e as anulações das condenações judiciais. O jornalista acompanhou Lula por uma década para escrever a sua biografia.

“Grudei nele a partir de 2011, logo que ele deixou a Presidência, antes de ele ser diagnosticado com câncer, para poder recuperar determinadas passagens, [saber dos] bastidores de governo. Era uma oportunidade de ouvi-lo dentro de um avião, por exemplo, longe de telefone, secretária, de audiência, isso e aquilo”, conta Fernando Morais.

 

Sonetos de amor e sacanagem (Companhia das Letras, R$39,90) – Gregório Duvivier. Em seu novo livro de poemas, o escritor, ator e roteirista combina o rigor da forma fixa com seu estilo mordaz e hilariante. Ah, o amor — te dirão — é coisa séria!/ mas, depois de brincar de gato e rato,/ quem brincou já não quer pagar o pato/ e do amor só herdamos a bactéria. Os poemas oscilam entre o afeto e o escárnio. Os versos também refletem sobre política e cotidiano.

A história do samba em quadrinhos um projeto de extrema importância para a formação de novos públicos como as crianças e jovens que são o futuro do ritmo que nos representa pelo mundo. A versão digital é https://gibidosamba.gruporjbproducoes.com.br/ .

Andar a pé – Uma obrigação profissionalRogerio Daflon. O livro será lançado no dia 3 de dezembro, a partir de 18hs,e reúne 20 grandes reportagens do jornalista Rogério Daflon, falecido em um acidente, publicadas em diversos veículos de comunicação. A publicação tem quatro páginas centrais destinadas a fotografias da vida desse grande jornalista. Todo o valor extra arrecadado (para além dos custos) será destinado aos filhos do jornalista. Este é o pontapé inicial de uma série de homenagens para Daflon. Dono de um estilo afiado, divertido e sempre contestador, Daflon começou a carreira na antiga TVE. De lá, percorreu grandes redações, como as revistas “Placar”, “Época”, “Veja-Rio” e “Isto é” e os jornais “O Globo”, “O Dia” e “Jornal do Brasil”. Na Blooks Botafogo (Praia de Botafogo 116, loja 2. (Espaço Itaú de Cinema). Ibislibris.loja2.com.br e ibislibris@gmail.com.

As maiores novidades: uma viagem no tempo (mapa lab, R$49) – Marcelo Ferroni. De 2010 até aqui, o autor lançou cinco romances e em todos aparece algum conflito empresaria como um chefe autoritário. Em 2017, ele publicou “Fogo na floresta”, uma carioca que tenta a sorte como empreendedora. Neste livro, Ferroni recorre à ficção científica para retratar o mundo distópicp das grandes corporações. Neste livro, ele escreve sobre a rotina de uma big tech, a Challenger, que vai lançar um celular, o Challenger Tem. O departamento de Marketing  que o aparelho viesse com uma câmera capaz de registrar as imagens um segundo antes que elas acontecessem. Os funcionários do controle de qualidade descobrem que a câmera não apenas fotografa e filma o passado, mas pode alterá-lo. E cada vez que uma pessoa tira uma foto, vê uma imagem do passado, mas pode ser de qualquer passado que de fato ocorreu ou um alternativo, que poderia ter acontecido. Uma vez acontecido esse passado altera o presente. O livro se passa na pandemia: um personagem está sobrecarregado e outro descobre como fazer dinheiro no meio disso tudo. O autor confessa que só consegue escrever sobre o mundo do trabalho, uma das grandes questões de nosso tempo, junto com o colapso ambiental, o racismo e a desigualdade.

Preta de Ébano (Zucca Books, R$26) – Gisela de Castro. Quando vê seu reino ameaçado, a princes Preta de Ébano recorre à orientação de três sábias senhoras e, numa empreitada que une coragem e conhecimento sobre o poder das ervas, empenha-se em salvar seu povo. Jefferson Batista assina as ilustrações do livro de Gisela de Castro a partir de cenáriosque construiu com algodão, arame, isopor, papel, madeira e tecido, com a intenção de estimular a criatividade das crianças.

Açúcar queimado (Dublinense, R$69,90) –  Avni Doshi. A autora é americana, filha de imigrantes indianos e seu romance foi recém -lançado no Brasil. Doshi narra a tempestuosa relação de Antara, que vive em Pune, na Índia, com sua mãe, Tara, que sofre de Alzheimer. Quando ela era criança, a mãe abandonou o marido e a levou para um ashram, uma comunidade mística. Tornou-se amante do carismático líder local e passou a viver em função dele, abandonando a filha aos cuidados de outros membros da comunidade. Antara nunca perdoou a mãe. As duas se tratam com hostilidade. Tara chega a botar fogo no atelier da filha, quando, já debilitada pelo Alzheimer, vai morar com ela e o genro. O romance se passa numa Índia espremida entre as tradições e a modernidade. Shoppings centers e condomínios luxuosos dividem as ruas com miseráveis. Alguns culpam o aquecimento global pela falta de chuvas; outros a falta de fé dos homens.  Quem mais se preocupam em preservar as tradições são Dilip, o marido de Antara, e a mãe dele, que há anos trocaram a Índia pelos EUA. A ambivalência das personagens da autora em relação a terem filhos assustou a família de Doshi que também declarou em entrevista suas dúvidas quanto ao assunto. Mas, ela já tem um casal de filhos.

Isso é prazer + A dificuldade de seguir as regras (Fósforo, R$49,90) – Mary Gaitskill. A reunião dos dois textos destaca uma recusa à superficialidade. A autora refuta dogmas e respostas fáceis e ao mesmo tempo não tolera violência. “Isso é prazer”, conto de 2019, sob impacto do #Me too na cultura americana, evita olhar passional e recupera nuances negligenciadas. No ensaio de 1994, de subtítulo “date rape, cultura da vítima e responsabilidade individual”, o tema parte de experiência pessoal.

Uma coroa de espadas ( Intrínseca, R$99,90) – Robert Jordan. A saga de fantasia de “A roda do tempo” chega ao sétimo volume acompanha por uma produção no Amazon Prime Video, “Rand al’Thor, o Dragão Renascido se prepara para enfrentar o Tenebroso em TArmon Gai’don, a Última Batalha. A série baseada no universos criado por Robert Jordan, pseudônimo de James Oliver Righney Jr., estreia este mês com segunda temporada confirmada

O lobo e outros contos (Todavia, R$109,90) – Herman Hesse. A antologia inédita no Brasil parte do conto “O lobo”, remetendo a obra que depois surgiria como uma das criações emblemáticas do autor alemão vencedor do Nobel de 1946, “O lobo  na estepe”. Os 20 contos da seleção trazem um panorama de sua produção de 1903 a 1948, passando por relatos de juventude, impressões do mundo, paródias e críticas ao totalitarismo e ao nazismo.

Bem-vinda à América (Rua do Sabão, R$49) –  Linda Bostrom Knausgard. O romance da escritora sueca, que foi casada com o prestigiado autor norueguês Karl Ove Knausgard, desenrola-se a partir de uma garota que decide parar de falar. É a deixa poara a autira de “A pequena outubrista”, livro no qual aborda suas experiências com a bipolaridade e o tratamento com eletrochoque, explorar elementos como o silêncio e as tensões de uma família em situações delicadas.

Na pandemia houve uma febre de “eslavismo”, com a leitura de autores russos com Dostoiévski à frente. Por fim, uma reflexão sobre a obra de Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski, que nasceu há 200 anos em Moscou. Seus livros continuam ao alcance dos leitores de uma sociedade como a atual, descrente, longe da transcendência, volátil, analisa José Andrés Rojo. Têm hoje relevância os temas que um dia obcecaram o escritor russo? “Agora o homem não é ainda o que será. Haverá um homem novo, feliz e orgulhoso. Para esse homem, será igual viver ou não viver; esse será o homem novo. Aquele que conquistar a dor e o terror será, por isso mesmo, Deus”, diz um personagem de Os Demônios. Viver ou não viver, ter a coragem suficiente para tirar a própria vida, conquistar a dor: por esse terreno Dostoiévski transitava. Aqui estão alguns dos livros do escritor russo e sobre ele:

Os demônios – Impressionado com o assassinato de um estudante por um grupo niilista, Dostoiévski concebeu este livro como um protesto contra os que queriam transplantar a realidade política e cultural da Europa ocidental para a Rússia. Apesar da intenção inicialmente panfletária, Os demônios é um romance magistral, à altura de Crime e castigo ou Os irmãos Karamázov.

Crime e castigo – é o livro o livro russo mais vendido pela Editora 34, que, publicou toda a ficção de Dostoiévski: 24 volumes e que já teve 24 reimpressões.  Crime e castigo é um daqueles romances universais que, concebidos no decorrer do romântico século XIX, abriram caminhos ao trágico realismo literário dos tempos modernos. Contando nele a soturna história de um assassino em busca de redenção e ressurreição espiritual. Dostoiévski chegou a explorar, como nenhum outro escritor de sua época as mais diversas facetas da psicologia humana sujeita a abalos e distorções e, desse modo, criou uma obra de imenso valor artístico, merecidamente cultuada em todas as partes do mundo. O fascinante efeito que produz a leitura de Crime e castigo ― angústia, revolta e compaixão renovadas a cada página com um desenlace aliviador ― poderia ser comparado à catarse dos monumentais dramas gregos.

O idiota Em O idiota, Dostoiévski constrói um dos personagens mais impressionantes de toda a literatura mundial – o humanista e epiléptico príncipe Míchkin, cuja compaixão sem limites vai se chocar com o desregramento mundano e a beleza enlouquecedora de Nastácia Filíppovna.O Idiota é um de seus principais romances que começou a ser escrito no dia 14 de setembro de 1867 em Genebra e foi concluído em 25 de janeiro de 1869 em Florença.

Os irmãos Karamazov Os irmãos Karamázov é o último romance de Dostoiévski. No fundo, ele resume toda a criatividade do escritor, trazendo à baila as “malditas” questões existenciais que o afligiram a vida inteira, com especial relevo para a flagrante degradação moral da humanidade afastada dos ideais cristãos. Cheia de peripécias, a narrativa põe em foco três protagonistas irmãos, representantes dos mais diversos aspectos da realidade russa – o libertino Dmítri, o niilista Ivan e o sublime Aliocha –, a fim de alumiar as profundezas insondáveis do coração entregue ao pecado, corrompido por dúvidas ou transbordantede amor.

Dostoiévski: um escritor de seu tempo – Joseph Frank. Nesta edição condensada da biografia definitiva de Fiódor Dostoiévski, Joseph Frank usa a história cultural da Rússia como pano de fundo para reconstituir a vida e a obra de um dos grandes escritores do século XIX. A premiada biografia em cinco volumes de Dostoiévski escrita por Joseph Frank é amplamente reconhecida como o estudo definitivo sobre a vida do autor russo e um dos mais renomados livros do gênero. Nesta edição, a colossal pesquisa de 2500 páginas foi minuciosamente condensada em um único volume. Este livro é uma história cultural da Rússia do século XIX, oferecendo tanto um retrato completo do mundo em que viveu Dostoiévski como uma grande interpretação de sua vida e obra.

Dostoiévski na Rua do Ouvidor (Edusp)- Bruno Barreto Nogueira. Esse livro analisa a circulação da literatura russa no Brasil e sua recepção pela crítica literária e por outros setores da cultura brasileira durante a primeira Era Vargas, com destaque para o período do Estado Novo (1937-1945). Explorando as enormes disputas simbólicas em torno dos escritores russos e soviéticos, em especial de Dostoiévski, por parte dos leitores, dos críticos, dos escritores e dos editores, o autor analisa o que significava ler a literatura russa em um período marcado pela disseminação de formas autoritárias de pensamento e ação, questionando sua capacidade de modelar as decisões políticas e influir nos ritmos da história e da cultura. O livro dá continuidade à obra anterior do autor, Da Estepe à Caatinga: O Romance Russo no Brasil (1887-1936), que trata da chegada da literatura russa ao país, de fins do século XIX ao decênio de 1930.

 

Reclames: J.Carlos publicitário (Folha Seca, R$70) – organizador Carlos Loredano.  Um anúncio da Caixa Econômica de 1935 na revista O Cruzeiro e no canto as iniciais J.C. ou José Carlos de Brito, o autor.  O maior caricaturista brasileiro também usava seu talento na propaganda em um tempo em que a fotografia ainda engatinhava na imprensa. E, pela primeira vez, o matérial é recuperado em “Reclames:J.Carlos publicitário”  também por um craque : o desenhista e pesquisador Cássio Loredano. Para a garotada  ele anunciava Biotônico Fontoura, a lata da goiabada peixe. Ele usava a imagem de figuras célebres, antes da invenção do direito de imagem. Para as madames anunciavas tecidos e cosméticos. Anúncios registram a evolução de costumes e da modernização do Rio, ainda capital da República. Carlos Loredano garante que esse é o mais bonito livro que organizou de J.Carlos.

 

Viagem a Portugal (Companhia das Letras) – José Saramago. O livro Viagem a Portugal foi escrito pelo prêmio Nobel de Literatura José Saramago e publicado em 1981 após uma longa viagem de quase um ano feita pelo autor, entre outubro de 1979 e julho de 1980, quando ele percorreu as terras portuguesas de Norte a Sul e de Leste a Oeste a convite da editora Círculo de Leitores. Esse livro foi originalmente publicado com fotos, sendo que o Real Gabinete Português de Leitura possui um exemplar para consulta em sua sede no Rio de Janeiro. No entanto, depois de várias edições com fotos, foi colocada no mercado uma edição de Viagem a Portugal só com o texto, o que de maneira nenhuma atrapalha a compreensão do leitor, já que a refinada escrita literária do seu autor é extremamente rica na descrição dos lugares visitados. Nessa Viagem a Portugal descrita por Saramago, o autor se diz um viajante e não um simples turista. E é ele próprio que explica o que distingue um termo do outro: “Há grande diferença. Viajar é descobrir, o resto é simples encontrar”. E é nessa busca por descobrir Portugal que o viajante Saramago nos apresenta um país muito especial.A paisagem é o personagem principal do livro, mas o autor a transforma através das descrições que faz. A partir de um ponto de vista diferenciado, Saramago nos faz descobrir cidades, vilas, aldeias, castelos, igrejas, monumentos e museus sob uma perspectiva que muito se afasta da tradicional apresentação de lugares nos guias turísticos. Logo na primeira página do livro, podemos observar essa forma saramaguiana de nos mostrar Portugal. O que poderia ser uma mera descrição do Rio Douro – que faz fronteira entre Portugal e Espanha – se transforma, graças à criativa perspectiva crítica de Saramago, numa discussão sobre a questão da nacionalidade.

O humorista Fábio Porchat será o apresentador de um novo projeto para a emissora RTP. Ele vai comandar uma série documental chamada ‘Viagem a Portugal’, baseada no livro de José Saramago com este título.

Mulheres que correm com os lobos (Rocco) de Clarissa Pinkola Estés, lançado em 1995 e é considerado um long seller, ou seja, um livro que nunca sai de moda e sempre vende bem. Foi um fenômeno editorial da escritora americana. Até o fim de outubro foi o livro que mais vendeu no país este ano. A obra é famosa por fazer a apologia da força ancestral feminina resgatando arquétipos e mitos antigos. O livro inspirou a criação do Grupo Lobas um dos muitos projetos de desenvolvimento feminino inspirado no best-seller de não ficção. No Grupo Lobas as participantes aprendem a confiar mais em seus instintos e reconhecer os predadores masculinos e a seguir seus sonhos. As histórias ensinam às mulheres a valorizar mais seus vínculos e a sua natureza. Mas o que vem acontecendo  do segundo semestre de 2019 para cá, segundo a editora Rocco, é fora da curva. Em 2020, foi o 11º ivro mais vendido do ano, com 44 mil exemplares, Em 2021, já vendeu 58 mil, pulando para segundo no ranking anual. O livro se tornou um fenômeno cultural na era digital, gerando grupos de estudos e memes nas redes sociais. Em leituras coletivas, mulheres dicutem meios de aplicar a vida cotidiana algumas ideias de Pinkola como o resgate da natureza instintiva da mulher que teria se perdido na sociedade contemporânea.  No projeto Planejamento Selvagem, também baseado neste livro, as mulheres deixam  o papel que lhes é reservado na cultura patriarcal, e isso é feito por meio de uma jornada de autoconhecimento. Todo mês, na lua nova, reúnem-se em videoconferência para definir objetivos que refletem o que ela “quere, de verdade” e não o que lhes disseram que era possível.  Nos cursos, as alunas prendem a usar os ciclos da natureza para fazer o tempo trabalhar a seu favor e conhecem práticas simples e poderosas para destravar. O grupo também já organizou um retiro de quatro dias de atividades no amto, onde aprofundou sua conexão selvagem. As mulheres estão dizendo não, saindo dos caminhos que foram desenhados para elas, de seus empregos exploratórios e relacionamentos tóxicos. A figura do lobo é recorrente no livro de Pinkola porque o animal tem características parecidas com a feminina, como intuição e faro aguçado.

Vaza Jato: os bastidores das reportagens que sacudiram o BrasilLetícia Duarte. O livro da jornalista, lançado pelo Intercept em parceria com a editora Mórula, é finalista do 63º Prêmio Jabuti, o mais importante prêmio literário do Brasil. É o primeiro livro do Intercept. Apesar de um desejo antigo, até pouco tempo atrás editar e lançar livros não era uma possibilidade para o TIB, mas aconteceu com o crescimento da comunidade de membros apoiadores, que nasceu em 2018 e ganhou vulto a partir de 2019. Hoje, são mais de 12 mil pessoas que acreditam no rabalho do Intercept e todos os meses ajudam o seu jornalismo. Se não tem o livro, que narra os bastidores eletrizantes da série investigativa Vaza Jato e traz algumas das principais reportagens, faça seu pedido agora! Assinantes da news têm 10% de desconto com o cupom SOUTIB.

PODCAST

Talvez seja isso esse podcast desmistifica os segredos do feminino e é baseado no livro Mulheres que correm com os lobos, fenômeno mundial de vendas desde 1995.

MÚSICA

De hoje a domingo–  Festival de Jazz do Capão :Apesar da nova recusa da Secretaria Especial da Cultura para captação de recursos via Lei Rouanet o Festival de Jazz do Capão, na Bahia será realizado em edição on line. Terá apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia e da Paulo Coelho and Christina Oiticica Foundation. O autor do primeiro parecer negativo para a realização do evento, Ronaldo Gomes, ex-assessor  da Funarte, terá de prestar 140 horas de serviços comunitários para não responder a ação penal de acordo com o artigo 39 da Lei Rouanet.

Pela primeira vez em razão do período pandêmico o Festival de Jazz de Capão será realizado virtualmente, mas com o mesmo calor, força e vibração do encontro presencial. Todos os anos o FESTIVAL promove uma grande campanha de conscientização ambiental, através das suas Redes Sociais e durante os 2 dias do evento, com banners e nas locuções do apresentador. O objetivo é reduzir ao máximo os impactos causados pela grande quantidade de público que visita o Vale do Capão. O projeto ainda realiza uma parceria com grupos ambientais locais, como o Recicla Capão e o Grupo Ambientalista de Palmeiras.

Em 7 edições realizadas, o festival trouxe mais de 40 atrações musicais para o Vale do Capão. Alguns dos principais nomes da música brasileira já passaram por nosso palco Hermeto Pascoal, Toninho Horta, Naná Vasconcelos, Jaques Morelenbaum, Ivan Lins, Orkestra Rumpillez, João Bosco, Dori Caymmi, Joyce Moreno, Michaella Harrison, Egberto Gismonti, entre outros. O festival é realizado em um recanto natural e ecológico, localizado no Coração da Chapada Diamantina, no município de Palmeiras-BA, mais precisamente no distrito de Caeté-Açú. É um lugar que atrai visitantes de todo o mundo. O Vale do Capão está a aproximadamente 470km de Salvador (BA).

20h  –HOJE

Ivan Sacerdote & Felipe Guedes; Otmaro Ruiz (Venezuela/EUA); Mostra Capão – Isa Cardona, Luciano Menderete, Leonardo Frodo e Çağıl Çokan Quarteto

 

20hAMANHÃ

Marcelo Galter e Grupo; Quartinas – Léa Freire, Tatiana Parra, Tarita de Souza e Thaís Nicodemo; Mostra UFBA – Angela Velloso Quarteto

 

20h DOMINGO

Wanja Slavin – Lotus Eaters (Alemanha); Salomão Soares & Vanessa Moreno convidam Guegué Medeiros. Local: Canal do Festival no YouTube https://www.youtube.com/user/FestJazzCapao e na TVE

 

Ana de Holanda – a ex- ministra da Cultura, compositora e cantora lança o CD “Vivemos” que trata de dores de amores, mas também de alegrias, após12 anos desde “Só na canção”.  A carreira parou quando atuou também como gestora cultural em instituições como a Funarte e Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Como letrista , função que já exerceu em “Só na canção” , está presente em todas as faixas do novo CD, mas uma delas “Jamais decifrei” tem esse nome devido ao esforço em traduzir a melodia de Cristovão Bastos, diretor artístico do álbum e que tocou acompanhado de João Lyra (violão e guitarra) e Zé Leal (percussão). No CD, estão “Fantasias” (Marcelo Menezes), “Berço vazio” (Leandro Braga).  Fez ainda parcerias também com Nivaldo Ornellas, Lucina, Nilson Chaves e Lula Barbosa, além dela mesmo no papel de melodista. Outras faixas: Primeira Dama, O que deixei cair, Era tão claro, Outono, Sem fim, Botocuxi, Verão que ficou, Fantasias. Já está no Spotify. Pela Biscoito Fino. O lançamento oficial é no dia 12 de novembro.

ABBA – Em 1974, quando foi vencedor do Eurovision com a música “Waterloo”, o grupo iniciou uma jornada de dominação mundial até o inpicio dos anos 80, com oo álbum “The Visitors” – alim o fim dos casamentos de Agnetha Faltskog com Bjorn  Ulvaeus e de Benny Andersson com Anni-Frid Lyngstad que levou ao colapso. Mas quase 40 anos depois o grupo sueco ABBA voltou com o anúncio de uma turnê  com músicos de verdade e avatares digitais dos quatro integrantes, e que se iniciará em 27 de maio, no Queen Elizabeth Olimpic Park, em Londres.  E já está no streaming um disco todo de inéditas, o “Voyage” que surpreende mais por parecer um álbum que eles fariam como se  nada tivesse acontecido desde “Visitors” com o puro e inalterado Abba, no que tem de melhor e de pior. Suas músicas tiveram sucesso inclusive em filmes como “Priscila, rainha do do desert” e, principalmente, em “Mamma mia”. Sua genialidade pop, evidente em sua mui pessoal apropriação de estilos como a disco music, na engenhosidade em que construía suas canções  (e refrãos) e nas encenações dos mais humanos dramas. Tudo isso está em Voyage. Que abre com “I still have faith in you” que é faixa da cápsula no tempo no qual o Abba faz sua viagem hoje. A lembrança de um amor que não dá notícias é o tema de “When you dance with me”, com sabor celta e sim de gaita de fole. Uma das promessas de hit do álbum que deve se concretizar com “Don’t shut me down, a canção – com forte refrão- é sobre a mulher que reaparece para tentar reviver uma velha relação. “Just a notion”, é um rock achado entre obras de estúdio do álbum “Voulez Vous” – e os vocais usados são os gravados em 1978. Tem ainda a balada country “I cam be that woman”,  a tensão tecladística em “Gimme gimme gimme, “Keep an eye on Dan”. Alguns podem não gostar de “Little things, Bumblebee e “Ode to freedom”. Um patrimônio do pop.

DURAN DURANo disco da famosa banda inglesa lança o disco “ Future past” que junta o som do passado e do presente à tecnologia do futuro. Na praça há 40 anos, Duran Duran ( que preserva boa parte de sua formação clássica ( falta apenas o guitarrista Andy Taylor) lançou o New Romantic – estilo pop que casou sintetizadores, ritms, funk e todos os exageros visuais –  e seguiu por décadas sem alterar seu estilo como diz o cantor Simon Le Bom, de 63 anos. Do novo disco participam, entre outros,  a cantora sueca Tove Lo e o grupo japonês Chai. Em maio de 2022, o álbum “Rio” completa 40 anos e foi um dos maiores sucessos da banda.

 

Marília Mendonça – embora fosse também compositora disputada no meio sertanejo porque tinha habilidade para escrever versos como “Me apaixonei pelo que inventei de você” (da letra da música De quem é a culpa?, parceria da artista com Juliano Tchula. lançada em 2017), Marília Mendonça também teve a sábia humildade de gravar músicas alheias de forte apelo popular. Marília Mendonça foi o nome mais importante do universo pop sertanejo nos anos 2010. E capitaneou ogênero historicamente masculino, a partir de 2015, com a poderosa corrente feminina rotulada como feminejo que alavancou as carreiras de seguidoras como Maiara & Maraisa, Naiara Azevedo e Simone & Simaria.Com a dupla Maiara & Maraisa, Marília formou o trio Patroas e lançou em outubro Patroas 35% (2021), álbum que, por força das circunstâncias trágicas, se tornou o último título da discografia iniciada pela cantora em janeiro de 2014 com a edição do EP Marília Mendonça (2014). O sucesso de Marília Mendonça foi tamanho que o nome da cantora e compositora goiana extrapolou o universo sertanejo. Dois expoentes da MPB, Caetano Veloso e Gal Costa, se conectaram nas respectivas discografias com a artista, morta aos 26 anos, No recém-lançado álbum Meu coco (2021), Caetano Veloso cita duas vezes o nome de Marília Mendonça ao longo da letra da composição Sem samba não dá, ele se refere à cantora nos versos do samba como Mar(av)ília Mendonça.

E colocou em rede social que chorava por sua morte e publicou a letra de Sem samba não dá. Em rede social também , Gal Costa expressou a tristeza com a morte da jovem colega goiana. “Estou aqui arrasada com a morte de Marília Mendonça, uma menina genial, brilhante no seu segmento como compositora”. Ao gravar o álbum A pele do futuro  incluiu no repertório uma música de autoria da artista sertaneja – Cuidando de longe (Marília Mendonça, Juliano Tchula, Junior Gomes e Vinicius Poeta, 2015), e convidou Marília para participar da faixa, arranjada em clima de disco music.

 

Priscilla Alcantara ex-apresentadora infantil do SBT (“Bom dia & cia) ela se consagrou como grande nome da música gospel que atrai mais ouvintes a cada ano no país. Desde o dia 19, houve mudanças: fantasiada de unicórnio, ela foi a vencedora do “The masked singer Brasil”, da Globo. E, três dias depois, lançou o seu primeiro álbum de transição para o pop secular “Você aprendeu a amar?”, com canções que compôs e produziu com Lucas Silveira (da banda de rock Fresno) ao longo da pandemia. Ela diz que lançará muitas músicas pop e quer entrar nos grandes festivais de música, elogiada pelo rapper Emicida com quem lançará a música que dá título ao álbum.

 

DANÇA

20h Mostra Dança Agora – a quarta edição da mostra apresentada pelo Itaú Cultural reúne espetáculos de dança, mesas de debate e oficinas com convidados de 12 estados do Brasil, tudo on-line. Neemias Santana apresenta hoje, “Tecitura do Vazio”, criação feita em conjunto com o artista amazonense Odacy Oliveira. De hoje a dom. Apresentações seguidas de bate-papo pela plataforma Zoom, com ingressos gratuitos no Sympla. Programação completa no site www.itaucultural.org.br. Livre.

20h – quarta e quinta-feira Por onde ela vai – formado no início da pandemia, o grupo de dança Mnemoni faz sua estreia nos palcos com um espetáculo que celebra a obra de Maria Bethânia. Em “Por onde ela vai”, Dinis Zanotto, Felipe Domingues, Julia Morais, Nathalia Amata, Tamires Coutinho e Thais Mothé dançam 19 músicas que marcaram a carreira da cantora, além de medleys e declamações de Bethânia. O espetáculo tem direção e coreografia de Tamires Coutinho e Dinis Zanotto.Teatro Candido Mendes. Rua Joana Angélica 63, Ipanema – 96803-1047. Qua e qui, às 20h. Até 25 de novembro. A partir de R$ 25 (pelo Sympla). Livre.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇA EM TRÂNSITO

O festival Internacional Dança em Trânsito pelo Rio de Janeiro está em sua 19ª edição. O evento de dança contemporânea, que percorre 18 cidades brasileiras com programaçao híbrida, apresenta  espetáculos na cidade, até domingo, no Centro Cultural Banco do Brasil e no Museu de Arte do Rio. Há espetáculos gratuitos com companhias brasileiras, espanholas, uruguaias, francesas e de outras nacionalidades, além de apresentações projetadas, filmes e debates. Confira a programação presencial do festival:

HOJE

CCBB

18h30Elo“, com TF Style Cia de Dança (São Paulo, SP); 19h – “Never 21“, com Cie Vivons (Paris, França); 19h40 – “Pausa“, com Christian Moyano (Montevidéu, Uruguai)

SÁBADO

CCBB

18h30 – “Flowerheads“, com Cia Elías Aguirre (Madri, Espanha);  19h – “Paz e amor“, com Márcia Milhazes Dança Contemporânea (Rio de Janeiro, RJ)

DOMINGO

Praça Mauá e streaming

11h – “Sinestesia“, com Iron Skulls Co. (Barcelona, Espanha); 11h30 – “Imprevistos – onde o amor acontece“, com Grupo Tápias (Rio de Janeiro, RJ); 12h – “Elo“, com TF Style Cia de Dança (São Paulo, SP); 12h30, na Praça Mauá e streaming – “Carne quebrada“, com Cia de Dança do Pantanal (Corumbá, MS); 13h, no MAR e streaming – Apresentação da Escola do Olhar.

Ao lado da Casa França-Brasil e streaming

16h30, ao lado da Casa França-Brasil e streaming – “Na contenção – Um outro olhar”, com Cia Híbrida (Rio de Janeiro); 17h, ao lado da Casa França-Brasil e streaming – “Flowerheads”, com Cia Elías Aguirre (Madri, Espanha); 17h30, ao lado da Casa França-Brasil e streaming – Rotas Brasis, com artistas convidados

No CCBB e streaming

18h30 – Residência de Criação com Mário Nascimento; 19h – “Memória de brinquedo”, com Curitiba Cia de Dança. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março 66, Centro – 3808-2020. Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, 5, Centro – 3031-2741. Atédomingo. Informações sobre ingressos e programação completa no site www.dancaemtransito.com.br.

SHOWS E ON LINE

HOJE

19hs BIP BIP: fechado há um ano e oito meses devido à pandemia, o famoso bar do Alfredinho (já falecido), no posto 5 em Copacabana (Rua Almirante Gonçalves), reabre hoje com uma homenagem a Paulinho da Viola e João Nogueira. Nas próximas semanas o bar abrirá de terça a quinta-feira com apresentações de choro, MPB e Bossa Nova. O retorno das atividades do bar aconteceu depois de uma reunião entre Matias Bidart – que administra o local e espécie de filho adotivo de Alfredinho -, o sanitarista e sambista Ary Miranda e o músico Tiago Prata, o Pratinha que estarão na roda de samba.

19h30 –  “Meu nome é Ébano“, com o violonista e compositor Renato Piau que acompanhou  o Negro Gato por quase 40 anos e com quem compôs “Cara a cara”, entre várias canções apresenta este show. Piau vai contar com a participação especial do cantor e compositor Pedro Luís, que, em 2019, lançou o álbum “Vale Quanto Pesa – Pérolas de Luiz Melodia”. E ainda vai ter sessão de autógrafos da biografia “Meu nome é ébano – a vida e a obra de Luiz Melodia”, de Toninho Vaz, com a presença do autor. Show presencial. Teatro Rival Refit – Rua Álvaro Alvim , 33 – Subsolo . Ingressos entre R$ 35,00 e R$ 70,00. Pague em até 12x .O Teatro Rival Refit está autorizado a funcionar com lotação máxima, mas continuará com os processos de higienização e sanitização, feitos por empresa especializada antes de cada show. O uso de máscara ainda é obrigatório, assim como a apresentação do comprovante de vacinação – carteira de vacinação digital do ConecteSUS, a própria caderneta física ou um papel timbrado da Secretaria Municipal de Saúde – para entrar no Teatro Rival Refit. O Teatro Rival Refit começa a receber o público uma hora antes, seguindo todos os protocolos sanitários para proteger público, artistas e funcionários. Na entrada, todos terão temperatura aferida, e haverá dispensers de álcool 70° em gel distribuídos pelas dependências do teatro. Clientes só podem retirar a máscara para o consumo de bebida e comida, sentados em seus devidos lugares. CAMPANHA SALVE PRODUÇÃO Teatro Rival Refit se uniu à campanha Salve Produção para ajudar os profissionais do setor de entretenimento e estão recebendo doações de alimentos não perecíveis para distribuir cestas básicas a esses profissionais da cadeia cultural. Abertura da casa às 18h30.

 

17h Banca do Andrépoint de happy hour na Cinelândia faz hoje seu primeiro show de jazz depois da flexibilização da pandemia. A programação, gratuita, começa às 17h com um DJ, que comanda as carrapetas no intervalo da apresentação. O dono da banca é André Neves. Rua Pedro Lessa, esquina da Av. Rio Branco. Às sextas-feiras. Grátis.

 

19h30Ensemble MPMP – MPMP Património Musical Vivo, formado por Ana Catarina Costa (flauta), Sofia Brito (oboé), Miguel Costa (clarinete), Armando Martins (trompa) e Ricardo Santos (fagote) se apresentam na Sala Cecília Meireles apresenta  dentro da série Música de Câmara. O Ensemble MPMP – MPMP Património Musical Vivo traz ao Brasil repertório de música portuguesa contemporânea. O grupo é de instrumentação flexível e desenvolve, desde 2012, um trabalho de aproximação com musicólogos e compositores, visnado a redescoberta de compositores portugueses do passado e a valorização de repertórios contemporâneos. O espetáculo será presencial, com transmissão pelo YouTube da Sala e pela TV Alerj.Apoio Instituto Camões e Direção Geral das Artes (Portugal). Link para a compra de ingressos: https://bileto.sympla.com.br/event/69752/d/113873(R$40)

Sala Cecília Meireles segue o Protocolo de Segurança Sanitária elaborado pela FUNARJ. São obrigatórios o uso de máscara e a apresentação do certificado de vacinação.

Ensemble MPMP – Movimento Patrimonial Pela Música Portuguesa

Série Música de Câmara

PROGRAMA: Eurico CarrapatosoCinco elegias (1997):iniciou os seus estudos musicais em 1985, e concluiu em 1993 o Curso Superior de Composição no Conservatório Nacional de Lisboa. Lecionou na área da composição em várias instituições, principalmente na Escola Superior de Música de Lisboa, na Academia Nacional Superior de Orquestra e na Academia de Amadores de Música. É professor de Composição no Conservatório Nacional, onde leciona desde 1989, integrando o quadro da instituição. Recebe regularmente encomendas das principais instituições culturais portuguesas e a sua música tem vindo a ser executada, editada e difundida desde 1987, não só na Europa como a nível mundial. Fernando Lopes-Graça((1906-1994. O túmulo de Villa-Lobos (1970). Fernando foi um compositor, musicólogo, pianista, maestro, crítico e militante do Partido Comunista Português. É considerado um dos maiores compositores portugueses do século XX. Maria de Lourdes Martins (1926-2009) – Sonatina para quinteto de sopros (1959): foi vencedora por duas vezes do Prêmio de Composição da Fundação Calouste Gulbenkian, com O Encoberto (1965) e O Litoral (1971). Tem catálogo que ultrapassa 70 composições, destacando-se as óperas Três máscaras (1984) e A donzela guerreira (1995), além de diversos arranjos de melodias tradicionais portuguesas.  Pedagoga musical, diplomou-se em Orff-Schulwerk no Mozarteum de Salzburgo (1965) e introduziu o sistema de aprendizagem musical infantil em Portugal. Radamés Gnatalli (1906-1988)Suíte para quinteto de sopros (1971): maestro é reconhecido, nacional e internacionalmente, como um dos mestres maiores da música brasileira e latino-americana. Sua obra de concerto, com cerca de 300 peças, é para solos para piano, violão, música de câmara e sinfônica. Na música popular, ocupa posição singular, em relação a seus contemporâneos, pelo volume da sua produção, como pelo aspecto presencial de sua atuação junto aos músicos populares.

20h Kleiton & Kledir: celebrando 40 anos de carreira, os irmãos de Pelotas (RS) cantam seus maiores hits pelo projeto popular “Viva o compositor brasileiro”, apresentado pela Funarj. Teatro Arthur Azevedo: Rua Vítor Alves 454, Campo Grande – 2332-7516. R$ 5 (ingressos devem ser retirados no Sympla).

20h Somamos Festival: o festival que promove a nova cena da música independente tem shows nesta semana de Júlia Vargas (sex), e Alulu e Leo Quintella (sáb). Teatro Prudential: Rua do Russel 804, Glória – 3553-3557. Sex e sáb, às 20h. R$ 60. Transmissão ao vivo pelo YouTube (/teatroprudential e /mixriofm).

21h – o compositor e cantor Paulinho da Viola completa 79 anos e  sua filha Eliane Faria faz show interpretando sucessos do seu pai no show

“Caminhando para os 80 anos”. Participação especial do compositor Canário, parceiro do saudoso Agepê. Cariocando, rua Silveira Martins, 139, próximo ao Metrô Catete.

22hs Gal Costa: com direção de Marcus Preto, a cantora de 76 anos faz a estreia do seu novo show “As várias pontas de uma estrela”, no qual se dedica a hits da carreira e músicas de compositores como Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano Veloso, Dorival Caymmi e Tom Jobim, além de canções menos conhecidas da sua discografia. A banda que acompanha Gal no palco é formada por Fábio Sá (baixo elétrico e acústico), André Lima (teclados) e Victor Cabral (bateria e percussão). Vivo Rio: Av. Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo – 2272-2901. Sex, às 22h. A partir de R$ 120. Não recomendado para menores de 18 anos. Presencial.

22hPonto de Equilíbrio– a banda de reggae formada em Vila Isabel volta ao Circo Voador com um repertório marcado por sucessos como “Lágrimas de Jah”, “Ame sua missão” e “Hipócritas”.Circo Voador: Rua dos Arcos s/nº, Lapa – 2533-0354. Sex e sáb, a partir das 22h. R$ 60. Não recomendado para menores de 18 anos.

23h30 Zé Neto e Cristiano. A dupla sertaneja apresentam o EP “Chaaama”, com faixas como “Vamo tomar uma”, “Ela e ela” e “Meia cidade”, cantam outros sucessos da carreira como “Eu ligo pra você”, “Seu polícia”, “Te amo” e “Largado às traças”. Espaço Hall: Av. Ayrton Senna 5850, Barra – 3400-7740. A partir de R$ 60. Não recomendado para menores de 18 anos.

SÁBADO

 

19h30Daniel del Sarto, Dr. Silvana e Avellar Love na Festa Ploc  -em mais uma edição da Festa Ploc no Teatro Rival Refit. O cantor, ator e apresentador Daniel Del Sarto apresenta um show especial com vários sucessos de novela! Além dessa estreia, a noite ainda vai contar com show de duas das maiores atrações da Festa Ploc: Dr. Silvana & Cia e Avellar Love (João Penca). Para curtir hits dançantes – como “Popstar”, “Lágrimas de crocodilo”, “Eh oh eh oh” e “Serão extra” – num grande tributo ao Rock Brasil dos anos 1980. A abertura é com o DJ Dom LV e seu esquenta animadíssimo no melhor clima retrô. Teatro Rival Refit. Ingressos entre R$ 40,00 e R$ 80,00. Pague em até 12x. O Teatro Rival Refit está autorizado a funcionar com lotação máxima, mas continuará com os processos de higienização e sanitização, feitos por empresa especializada antes de cada show. O uso de máscara ainda é obrigatório, assim como a apresentação do comprovante de vacinação – carteira de vacinação digital do ConecteSUS, a própria caderneta física ou um papel timbrado da Secretaria Municipal de Saúde – para entrar no Teatro Rival Refit. O Teatro Rival Refit começa a receber o público uma hora antes, seguindo todos os protocolos sanitários para proteger público, artistas e funcionários. Na entrada, todos terão temperatura aferida, e haverá dispensers de álcool 70° em gel distribuídos pelas dependências do teatro. Clientes só podem retirar a máscara para o consumo de bebida e comida, sentados em seus devidos lugares.

20hs Mylena Jardim: vencedora da quinta temporada do programa “The Voice Brasil”, a cantora apresenta o espetáculo “Uma saudação à Whitney Houston”, em homenagem à artista americana morta em 2012. Teatro Claro Rio: Rua Siqueira Campos 143, 2º piso – 2147-8060. Sáb, às 20h. A partir de R$ 90. Não recomendado para menores de 18 anos. Presencial.

DOMINGO

 

19h Queen Celebration in ConcertO cantor, compositor e instrumentista André Abreu interpreta Freddie Mercury neste show que resgata os maiores sucessos da banda britânica Queen, como “Love of my life”, “We are the champions”, “We will rock you”, “Radio Gaga” e “Crazy little thing called love”.Teatro Claro Rio: Rua Siqueira Campos 143, 2º piso – 2147-8060. Dom e seg, às 19h. A partir de R$ 130. Não recomendado para menores de 18 anos. Presencial.

20hRodrigo Teaser: o compositor, cantor e dançarino celebra a obra de Michael Jackson no show “Tributo ao Rei do Pop”. Vivo Rio: Av. Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo – 2272-2901. A partir de R$ 80. Não recomendado para menores de 18 anos. Presencial.

SEGUNDA-FEIRA /FERIADO

 

15hMúsica no Jardim: Concerto da Orquestra Petrobras Sinfônica é a atração musical do Jardim Botânico do Rio no feriado do Dia 15 de Novembro! A Orquestra traz sua série Sons da Primavera ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro com um concerto ao ar livre para toda a família. Um grupo de câmara (cordas, flauta, trompa e percussão), formado por oito músicos, apresentará um repertório que vai de Mozart a Villa-Lobos, de Mundo Bita a Baby Shark. O concerto é gratuito, e o visitante pagará apenas a entrada para acessar o arboreto do JBRJ, comum aos demais dias de visitação. Aos 49 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica

se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra conta com uma formação de mais de 60 instrumentistas e tem como diretor artístico e regente titular Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um nome consagrado no panorama internacional. O concerto é grátis (o visitante só paga a entrada no Jardim): Jardim Botânico do Rio de Janeiro- Rua Jardim Botânico, 1008 – Tel.: (21) 3874-1808. Local do concerto: Portal das Belas Artes.Ingressos:Visitantes residentes na Área Metropolitana do Rio de Janeiro: R$ 15,00; visitantes residentes no Brasil: R$ 24,00; Visitantes estrangeiros Mercosul (visitantes extranjeros Mercosur): R$ 45,00; visitantes estrangeiros (foreign visitors): R$ 60,00. Necessário trazer um documento que comprove local da residência; tem meia entrada; crianças de até 5 anos não pagam. Ao chegar no Jardim é possível adquirir o ingresso de duas formas:1ª) A bilheteria física aceita pagamento em dinheiro; 2ª) os atendentes ficam à disposição dos visitantes para fazer a compra online através do seu dispositivo móvel, que aceita cartões de crédito e pix.#musicanojardim #orquestrapetrobrassinfonica.

 

20hs –  Arlindinho– o sambista lança seu novo DVD “Meu lugar”, com músicas inéditas, regravações e homenagem ao seu pai, Arlindo Cruz.Vivo Rio: Av. Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo – 2272-2901. A partir de R$ 80. Não recomendado para menores de 18 anos. Presencial.

TERÇA E QUARTA FEIRA

19hs Orquestra Sinfônica Brasileira: a companhia celebra a Região Norte do país, sob regência do maestro convidado Luiz Fernando Malheiro, com participações especiais dos levantadores de toadas Patrick Araújo, David Assayag e Márcia Siqueira. Teatro Riachuelo: Rua do Passeio 38/40, Cinelândia – 3554-2934. Ter e qua, às 19h. A partir de R$ 50. Livre.

TEATRO

Diariamente

G.A.L.A. Texto e direção: Gerald Thomas. Com Fabiana Gugli.Uma mulher num barco à beira do naufrágio, sozinha como a população do mundo em tempo de pandemia, briga com o autor-diretor dizendo que “Beckett não está mais lá” e que “chega de Beckett!”.Diariamente, em qualquer horário. Gratuito, com exibição no YouTube. 45 minutos. 16 anos. Até 22 de setembro de 2022.

HOJE

20h Proto – Henrique IV’- Texto: Luigi Pirandello. Direção: Gabriel Villela. Com Chico Carvalho.A adaptação do texto de Pirandello conta a história de um homem que depois de descobrir que Matilde, a mulher que ele ama, tem um caso com seu melhor amigo Belcredi, cai de um cavalo e bate a cabeça numa pedra. Ele perde os sentidos da realidade e enlouquece, passando a acreditar que é o próprio rei Henrique IV.Sex a dom, às 20h. Grátis, por meio do Sympla. 12 anos. Até 5 de dezembro.

Plataforma SymplaCartas libanesas: Eduardo Mossri faz apresentações gratuitas do monólogo, a partir de hoje até A peça, escrita a partir de cartas trocadas entre os avós de 21 de novembro. Mossri, terá depoimentos de Thelma Guedes e dos atores Bruni Cabrerizo e Guilhermina Libanio sobre histórias de suas famílias.

20h ‘Dogville’Adaptação: Felipe Heráclito Lima. Direção: Zé Henrique de Paula. Com Alexia Dechamps, Eric Lenate, Fernanda Couto, Mel Lisboa e outros. A trama se passa na fictícia cidade de Dogville, um pequeno e obscuro vilarejo situado no topo de uma cadeia montanhosa, ao fim de uma estrada sem saída, onde residem poucas famílias formadas por pessoas aparentemente bondosas e acolhedoras, embora vivam em precárias condições de vida. A pacata rotina dos moradores é abalada pela chegada inesperada de Grace (Mel Lisboa), uma forasteira misteriosa que procura abrigo para se esconder de um bando de gangsteres. Sex a dom, às 20h. R$ 30, por meio do Sympla. 16 anos. Até 28 de novembro. On line.

20h O Dragão : a peça do russo Eugène Schwartz, em montagem da Companhia Ensaio Aberto, e dirigida por Luiz Fernando Lobo, estreia hoje no Armazém da Utopia, declarado patrimônio imaterial cultural do Estado do Rio de Janeiro. O espetáculo é uma espécie de fábula para adultos sobre um povo que, dominado há séculos por um dragão, não conhece a liberdade. Armazém 6, Cais do Porto (2516-4893). Sex a seg, até 6 de dezembro. Grátis (retirada de ingresso pelo Sympla).

SÁBADO

21h De 5 a 10′: o projeto apresenta cenas curtas, com duração máxima de dez minutos, previamente filmadas num palco profissional montado na casa da atriz Ana Beatriz Nogueira, idealizadora e produtora da iniciativa. Participam do trabalho, que homenageia e arrecada donativos para artistas em situação delicada, nomes como Andrea Beltrão, Vanessa Giácomo, Analu Prestes, Eduardo Moscovis, Guida Vianna, Julia Lemmertz, Jackson Antunes, Louise Cardoso, Maria Eduarda de Carvalho, Zélia Duncan, entre outros.  Gratuito ou com ingressos colaborativos a partir de R$ 20, por meio do Sympla. 50 minutos. Até 27 de novembro.

QUINTA-FEIRA

20hsAna e a tal felicidade: a peça estreou ontem inspirada no livro homônimo de Cris Pimentel. O espetáculo propor reflexões sobre a violência contra a mulher e terá debates aos domingos, após as apresentações. De quinta-feira a sábado, 20h.  Aos domingos, 19h.Teatro Sérgio Porto. Ingresso:R$30. Até 28 de novembro.

20h Já não somos doces – Texto: Grupo Brecha. Direção: Patrick Sampaio. Com Carolina Muait, Gabriel Abreu, Júlia Portes, Leona Kalí e Jefferson Melo.Baseada no texto “Quando fomos doces”, de João Ricardo, a peça apresenta uma família desgastada pelas desavenças que chega a um acerto de contas com pitadas de surrealismo e terror.Quinta a domingo, 20h. No Sympla. R$ 35. 70 minutos. 10 anos. Até 21 de novembro.

SEGUNDA-FEIRA

Única apresentação

19h Império Nacionalista – Manifesto descolonializante: Texto: Luzé. Direção: Ana Kfouri. Com Luzé. O texto propõe uma crítica à sociedade imperialista, abordando as estruturas que formam esse império, como raças, gênero e classe social. Realidade, história e ficção compõem o manifesto que fala do mito do mestiço no Brasil, a questão racial e a submissão colonial. Grátis, no YouTube (/CEAKCentrodeEstudosAnaKfouri).

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012