ABI na Defesa da Soberania Nacional e Popular


05/09/2019


O Seminário em Defesa da Soberania Nacional reuniu lideranças de diversas matizes ideológicas e lotou o auditório Nereu Ramos, da Câmara Federal (Foto: Cleia Viana/Agência Câmara)

Em mensagem encaminhada ao Seminário em Defesa da Soberania Nacional e Popular, promovido na quarta-feira (04/09) pela Comissão de Trabalho, de Administração da Câmara dos Deputados, o presidente da Associação Brasileira de Imprensa – ABI, Paulo Jeronimo, advertiu que a entidade “reafirma sua certeza de que o Brasil é mais forte do que aqueles que tentam fazê-lo voltar a uma situação de colônia”.

O jornalista Moacyr de Oliveira Filho, o Moa, representou a ABI na abertura do Seminário , no auditório Nereu Ramos, da Câmara, em Brasília. O encontro contou com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-ministro Fernando Haddad, e de representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), da União Nacional dos Estudantes (UNE) e de importantes lideranças políticas, partidárias, religiosas e sindicais.

Para o deputado Rogério Correia (PT-MG), organizador do Seminário como presidente da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, o encontro tomou uma dimensão maior ao unir vários atores políticos das oposições para defender a soberania brasileira e criticar o governo Jair Bolsonaro.

“Precisamos unificar não só as oposições, mas toda a consciência democrática do País”, explicou. Segundo ele, o Brasil vive um momento crucial de defesa de sua soberania, seja pelo debate do cuidado com a floresta amazônica, seja com as propostas de privatização de estatais como a Eletrobras e os Correios.

Para a ex-presidente Dilma Rousseff as três maiores ameaças imediatas à soberania nacional são a possibilidade de privatização das estatais, o descuido com a Amazônia e o programa Future-se, para aumentar os recursos privados nas universidades. “Essas três são fundamentais, essas três a gente tem de cuidar. Porque o Future-se é uma questão de soberania. Um povo que não tem educação é um povo submetido”, disse.

Moa leu a mensagem do presidente da ABI, Paulo Jeronimo, endereçada ao evento:

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) soma-se a este ato em defesa da soberania nacional, na defesa das riquezas do país e dos direitos dos trabalhadores, gravemente ameaçados neste momento.

A ABI reafirma sua certeza de que o Brasil é mais forte do que aqueles que tentam fazê-lo voltar a uma situação de colônia.

Estamos seguros de que a sociedade brasileira saberá resistir às tentativas de atropelo à democracia e à justiça social.”

Paulo Jeronimo de Sousa

Presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI)

(*) Com informações da Agência Câmara

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”