ABI e Unesco debatem o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa


Por Cláudia Souza

30/04/2015


 

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) celebrarão o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa nesta segunda-feira, a partir das 14h, no Auditório Oscar Guanabarino, localizado no 9º andar do edifício-sede da ABI (Rua Araújo Porto Alegre, 71 – Centro do Rio). O encontro foi acordado pela Presidente do Conselho Deliberativo da ABI, jornalista Joseti Marques, Ouvidora Geral da Empresa Brasil de Comunicação(EBC), durante uma conferência no México.

Participam do encontro Domingos Meirelles, Presidente da ABI,  Paulo Jerônimo de Souza, vice-presidente da Associação, que preside a Comissão de Liberdade de Expressão e Direitos Humanos da entidade; o ministro Edinho Silva, Secretário de Comunicação Social da Presidência da República; Adauto Soares, coordenador de Comunicação e Informação da Unesco no Brasil; Ana Lúcia Guimarães, coordenadora da Unidade de Comunicação, Informação Pública e Publicações, do mesmo órgão, entre outros convidados.

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa foi criado pela Unesco em 1993, para denunciar crimes e agressões contra jornalistas em todo o mundo, exigir investigação célere e rigorosa sobre os casos e punição para os responsáveis. Inspirada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, a data evidencia a necessidade de independência da mídia como princípio democrático.

Para o ano de 2015, a Unesco elegeu os seguintes temas de trabalho pelo Dia Mundial da Liberdade de Imprensa:

— Esforços para assegurar o “jornalismo de qualidade”, com reportagens precisas e independentes.

— Campanha contra a desigualdade entre gêneros na imprensa, que, mesmo após duas décadas de criação da “Beijing Declaration and Plataform for Change” ainda oferece às profissionais de imprensa poucas oportunidades em posições de chefia e direção.

— Ações para avanços na área de segurança digital objetivando maior proteção para jornalistas e suas fontes, e o lançamento da publicação “Building Digital Safety for Journalism“, que aborda o tema.

Para o Presidente da ABI, Domingos Meirelles, a parceria ABI-Unesco chancela o reconhecimento internacional do papel da Associação Brasileira de Imprensa no cenário sócio-político nacional e internacional.

Paulo Jerônimo de Sousa, vice-presidente da ABI, e líder da Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa e dos Direitos Humanos da entidade, sublinha que a celebração conjunta representará um marco na luta contra a intolerância e a discriminação em nível global.

O coordenador de Comunicação e Informação da Unesco no Brasil, Adauto Soares, destaca a atuação da ABI e da Unesco na defesa da liberdade de imprensa e expressão como um direito fundamental, e chama a atenção para o aumento de crimes contra jornalistas no Brasil.

Prêmio

Comemorado em 3 de maio, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa está impulsionando atividades em todo o mundo com o objetivo de avançar o debate sobre a os meios de comunicaçãoA data é inspirada na Declaração Universal dos Direitos Humanos e tem o objetivo de evidenciar a necessidade de independência da mídia como princípio democrático.

Neste ano de 2015, a Unesco fará na Letônia, às 18h, a entrega do “Prêmio Mundial de Liberdade de Imprensa Unesco-Guillermo Cano 2015” ao jornalista sírio Mazen Darwish , que está preso em seu país. A premiação reconhece e aplaude a trajetória de dez anos na imprensa do jornalista, durante os quais foi submetido a perseguições, tortura e censura.

A láurea será entregue à repórter Yara Bader, mulher de Mazen Darwish, pelo presidente da Letônia, Andris Bērziņš. Yara Bader é diretora do Centro Sírio para a Mídia e a Liberdade, e ganhadora da edição 2012 do Prêmio Ilaria Alpi, que aplaude os jornalistas de TV responsáveis por matérias investigativas que destacam graves situações sociais enfrentadas pela população italiana.

*Fonte: ABI e Unesco

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”