Centenas se despedem de Paulo Henrique Amorim


11/07/2019


Velório de PHA na ABI (Imagem: Acervo ABI)

Cercado por dezenas de coroas de flores, enviadas por amigos, veículos de comunicação e partidos políticos, o corpo de Paulo Henrique Amorim foi velado na Associação Brasileira de Imprensa (ABI) nesta quinta-feira (11). A cerimônia, aberta ao público, foi realizada no saguão do 9º andar e reuniu centenas de pessoas. O sepultamento será no Cemitério da Penitência, às 17h, no Caju.

Dono de bordões famosos como “E aí, tudo bem?”, PHA, como era tratado pelos companheiros, destacava-se pela educação e bom humor. Ele morreu nessa quarta-feira (10), no Rio de Janeiro, vítima de infarto, aos 76 anos.

Bastante emocionada, a jornalista Geórgia Pinheiro, viúva de PHA, recebeu as condolências dos parentes, amigos e colegas de profissão. O jornalista deixa também uma filha e três netos.

Paulo Henrique Amorim trabalhou até junho deste ano no programa Domingo Espetacular, da Record TV. Também teve passagens pelo Jornal do Brasil, revistas Veja e Exame, TV Globo, TV Bandeirantes e TV Manchete, entre outros veículos. PHA é autor do livro “O Quarto Poder – Uma outra história”, onde fala sobre o que “as notícias nunca deram: o lado de dentro do jornalismo”. Atualmente, mantinha o blog Conversa Afiada.

Presidente eleito da ABI, Paulo Jerônimo de Sousa ressaltou a relação que manteve com ele, sempre amigável e respeitosa:

Pagê fala à imprensa sobre o jornalista (Imagem: Acervo ABI)

“Paulo Henrique se tornou muito conhecido na TV. Mas a trajetória dele nas redações de revistas e jornais é muito grande. Eu, como assessor de imprensa do BNDES, e ele, como chefe de redação, sempre tivemos uma relação muito próxima e amigável, assim como mantinha com os demais jornalistas da assessoria. Que a postura crítica e questionadora deste jornalista sirva de inspiração para os profissionais da imprensa brasileira. Este é um ano de grandes perdas para o nosso jornalismo. Perdemos recentemente, entre outros, Ricardo Boechat, Clóvis Rossi e, agora, Paulo Henrique Amorim”.

Vice-presidente da ABI e presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos, Cid Benjamin destacou a falta que o jornalista fará nos tempos atuais do país:

“Paulo Henrique Amorim tinha todos os atributos de um grande jornalista. Era competente, honesto, criativo e corajoso. Ele vai fazer uma enorme falta, inclusive nesses tempos em que as pressões e ameaças contra jornalistas. Ele era um grande combatente na trincheira pela liberdade de imprensa e direitos humanos. Vá em paz e nós vamos ficar com a tua bandeira. Paulo Henrique, conte conosco”.

A decisão de ceder o espaço da ABI para a família do jornalista confirma a posição da nova diretoria, recém-empossada, de cumprir com o papel de verdadeira Casa do Jornalista, além de reafirmar o compromisso com a liberdade de imprensa e a democracia.

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”