ABI concede Prêmio Cidadania a instituições e personalidades


Por Cláudia Souza*

13/05/2014


 

Vencedores do Prêmio Cidadania 2014 (Foto: Folha Dirigida)

Vencedores do Prêmio Cidadania 2014 (Foto: Folha Dirigida)

Promovido pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Academia Brasileira de Filosofia (ABF) e jornal “Folha Dirigida”, o Prêmio Cidadania 2014 agraciou três entidades e dez figuras de destaque pela contribuição ao desenvolvimento humano e ao avanço da cidadania no País nas áreas de Educação, Trabalho e Promoção Social. A votação foi feita na internet por 4.287 pessoas que integram um colégio eleitoral formado por representantes de diversos segmentos da sociedade.

O prêmio foi entregue na noite da última quinta-feira, na sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro, pelos integrantes do colégio eleitoral às entidades Comissão Nacional da Verdade (CNV), Arquidiocese do Rio de Janeiro, e ao projeto “Mais Leitura – Ler é o Maior Barato”, da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro.

As personalidades agraciadas foram Antônio Albuquerque, advogado, Superintendente Regional do Trabalho no Rio de Janeiro; Aroldo Araújo, publicitário; Átila Roque, historiador, diretor-executivo da Anistia Internacional Brasil; Carlos Alberto Serpa, engenheiro, presidente da Fundação Cesgranrio; Fernanda Montenegro, atriz; Joaquim Barbosa, ministro presidente do Supremo Tribunal Federal; José Mariano Beltrame, delegado da Polícia Federal, secretário de Segurança Pública do RJ; Leila Mariano, desembargadora presidente do Tribunal de Justiça do RJ; Lucélia Santos, atriz; e Dom Mauro Morelli, bispo emérito da Diocese de Duque de Caxias.

Na edição de 2014, duas personalidades foram eleitas pela terceira vez, ingressando na Galeria das Grandes Personalidades. São eles: o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa; e o secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame. A partir de agora, as duas autoridades pertencem a um seleto grupo que já reúne Carlos Lupi, Célio Borja, Dom Eugênio Sales, Dom Orani João Tempesta, Israel Klabin, Sérgio Cabral Filho e Zilda Arns, e não poderão mais ser eleitos.

Com o resultado de 2014, a presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargadora Leila Mariano, e a Arquidiocese do Estado do Rio de Janeiro passam a integrar o grupo de pessoas e entidades eleitas duas vezes.

Leia abaixo o perfil dos homenageados na edição 2014:
Antônio Henrique de Albuquerque Filho:
Advogado e, atualmente, é superintendente regional do Trabalho do Rio de Janeiro. Na sua trajetória, foi empresário no setor de alimentação e já ocupou o cargo de direção no Sindicato das Indústrias de Laticínios do Rio e no Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara (Cadeg). Além disso, foi ouvidor-geral do Procon-RJ e assessor do ministro Carlos Lupi. Atualmente, também faz parte dos conselhos do Sesi, Senai, Sesc e Senac, e é militante do Partido Democrático dos Trabalhadores (PDT).

Aroldo Araújo:
Publicitário, Aroldo Araújo deu uma contribuição singular não apenas para o Rio de Janeiro, mas para todo o Brasil. Foi por meio de sua agência de comunicação homônima que ocorreram as campanhas de votação que elegeram o Cristo Redentor como uma das Sete Maravilhas da Modernidade. Com 50 anos de atuação no mercado da Propaganda, ele foi eleito, em 2002, como a Personalidade Publicitária do ano pelo Sindicato dos Publicitários do Estado do Rio de Janeiro (Sindpubrj).

Atila Roque:
Atila Roque é formado em História e é diretor-executivo da Anistia Internacional Brasil, movimento responsável pela proteção dos Direitos Humanos. Possui experiência com organizações da sociedade civil, tanto no Brasil como no exterior, tendo atuado na Diretoria do Ibase e do Inesc. Foi diretor-executivo da ActionAid-USA, com sede em Washington, nos Estados Unidos. Também foi diretor da Associação Brasileira de Organizações Não-Governamentais (Abong) e um dos fundadores do Fórum Social Mundial.

Carlos Alberto Serpa de Oliveira:
Carlos Alberto Serpa de Oliveira nasceu em 1942 na cidade do Rio de Janeiro. Em 1964, formou-se em engenheiro industrial e metalúrgico, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Desde 1971, é o presidente da Fundação Cesgranrio. Além disso, é diretor da Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, presidente da Associação Cultural da Arquidiocese do Rio de Janeiro e membro do Conselho Diretor das Faculdades Católicas e da Associação Mantenedora da PUC/RJ, entre outros.

Fernanda Montenegro:

Hoje, com 84 anos, a grande Dama do Teatro Brasileiro tem o talento reconhecido também no exterior. Ganhou o Urso de Prata de melhor atriz pela interpretação da professora Dora, no filme Central do Brasil, de Walter Salles, que também lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz, em 1999. Recentemente, venceu na categoria Melhor Performance Feminina o Emmy Internacional com o especial de televisão “Doce Mãe”, transmitido pela Rede Globo de Televisão.

Joaquim Barbosa:
Escolhido pela terceira vez para receber o título de Personalidade Cidadania, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, passa a integrar em 2014 a Galeria das Grandes Personalidades (foi eleito também em 2008 e 2012). Joaquim Barbosa ganhou notoriedade nacional por seu protagonismo no julgamento do caso conhecido como Mensalão, em que mais de 20 foram condenados, entre eles o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. Foi aclamado por muitos como uma espécie de herói do povo brasileiro, sendo, inclusive, cogitado para a Presidência da República. Recentemente, no entanto, descartou entrar na disputa pelo cargo.

José Mariano Beltrame:

Há sete anos à frente da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, é uma referência quando o assunto é relacionado à segurança e ao combate ao crime organizado, principalmente por ser um dos responsáveis pela implantação do programa de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Na Polícia Federal, onde ingressou em 1981, Beltrame atuou na área de repressão a entorpecentes e exerceu funções no setor de Inteligência. Como delegado, foi coordenador da Missão Suporte, chefe do Serviço de Inteligência e da Interpol.

Leila Mariano:

A desembargadora Leila Mariano foi a primeira mulher a ocupar, em fevereiro de 2013, a presidência do Tribunal de Justiça do Rio, onde completará seu biênio como nome forte da Justiça fluminense, em 2015. Formada em 1972 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Leila Maria Carrilo Cavalcante Ribeiro Mariano ingressou na magistratura em 1979, passando a desembargadora em 1998. Seu nome é um dos indicados para receber o Prêmio Personalidade Cidadania 2014 pelo intenso trabalho feito em prol dos que buscam na justiça a sua cidadania.

Lucélia Santos:

Ficou internacionalmente famosa pela sua atuação na telenovela Escrava Isaura, exibida em 79 países. Recentemente, teve muita repercussão o fato de ter sido fotografada, no Rio, dentro de um ônibus lotado. Ela ficou indignada com a surpresa das pessoas e disse que “o Brasil é o único país que conheço em que andar de ônibus é considerado politicamente incorreto. As pessoas deveriam dar prioridade ao transporte coletivo para proteger o meio ambiente”.

Mauro Morelli:

Em sua atuação à frente da Diocese de Duque de Caxias, lutou por uma igreja aberta aos problemas do mundo e defendeu a dignidade e os direitos humanos. Destacou-se pelo combate à miséria e à fome e na luta pela ética e cidadania. Foi um dos fundadores do Movimento pela Ética na Política. Junto com Betinho, fortaleceu a Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida. Tem atuação destacada em vários programas de combate à fome e à desnutrição.

Arquidiocese do Rio de Janeiro:
A Arquidiocese do Rio de Janeiro é uma das homenageadas em 2014 pelo prêmio Personalidade Cidadania, concedido às instituições que se destacaram durante o ano. A instituição é comandada desde 2009 pelo cardeal arcebispo Dom Orani Tempesta, recém-nomeado cardeal pelo Papa Francisco, e que teve o ápice de sua trajetória em julho de 2013 ao receber fiéis católicos de todo o mundo, além do próprio Papa, em visita oficial ao Rio de Janeiro, para a Jornada Mundial da Juventude. A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro está ligada à cidade por todos os caminhos em que nela trilha a busca da solidariedade aos cidadãos fluminenses.

Comissão Nacional da Verdade:
A Comissão Nacional da Verdade (CNV) apura, de maio de 2012 até dezembro deste ano, as violações de Direitos Humanos ocorridas entre setembro de 1946 e outubro de 1988. Em tempo de 50 anos do Golpe Militar de 1964, a CNV tem chamado atenção por conta de projetos importantes, como a elaboração de relatórios parciais sobre a Casa da Morte de Petrópolis (centro clandestino de tortura durante a ditadura) e o caso Rubens Paiva (deputado preso, torturado, morto e desaparecido em janeiro de 1971). Atualmente, a comissão é formada por sete membros, tendo como coordenador o advogado Pedro Dallari.

Projeto Mais Leitura:
O projeto “Mais Leitura – Ler é o Maior Barato” é uma das grandes realizações da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro. Levando acessibilidade e inclusão por meio da leitura, a ação já atingiu a marca de mais de 2 milhões de livros disponibilizados para a população do estado. O projeto consiste na venda de livros a preços acessíveis, entre R$2 e R$3, e possui quatro unidades fixas, em São Gonçalo, São João de Meriti, Bangu e na sede da Imprensa Oficial, em Niterói. Desde dezembro de 2013, uma unidade itinerante do projeto circula por todos os municípios do estado e em comunidades pacificadas, como Rocinha, Complexo do Alemão e Manguinhos.

Liberdade

A solenidade de premiação teve início com a leitura da ata da eleição pelo jornalista Paulo Adolfo Aizen, que representou a ABI na comissão apuradora. Em seguida, o presidente da ACRJ, Antenor Barros Leal, fez a saudação de abertura aos convidados e afirmou tratar-se de uma “grande honra” para ‘a Casa de Mauá’, como é conhecida a ACRJ, sediar a solenidade: “Dezenas de pessoas e instituições já foram reconhecidas pela sociedade do Rio de Janeiro como partícipes do  progresso brasileiro e do desenvolvimento social do País.”
Na sequência, o presidente da Academia Brasileira de Filosofia, professor João Ricardo Moderno, sublinhou em seu discurso a liberdade com princípio fundamental para o exercício da cidadania: “O elogio da cidadania no Brasil de hoje assume uma singularíssima importância em virtude da crescente intolerância transformada em violência arbitrária, em justiça irracional pelas próprias mãos. Inocentes ou culpados perdem o direito de cidadania por atos de barbárie de membros da sociedade civil e do Estado.”

O Presidente do Grupo Folha Dirigida, jornalista Adolfo Martins agradeceu o apoio da ABI, da Associação Comercial e da Academia Brasileira de Filosofia para a realização do prêmio: “A importância desta solenidade está focada nesses ilustres representantes da nossa cidadania.”
Em sua saudação à plateia, o jornalista Orpheu Santos Salles, um dos diretores da ABI, salientou a relevante promoção da cidadania. “Estamos vivendo momentos difíceis no Brasil. Principalmente quando vemos multidões que não conhecem o sentido da cidadania e aventuram-se pelas ruas a praticarem atos que vão contra a cidadania”. destacou o diretor da ABI.

Ao final da cerimônia, os premiados destacaram a necessidade de ações, nos mais diversos campos, que tenham como foco o fortalecimento da cidadania e da promoção social no Brasil.

*Com informações da Follha Dirigida

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012