Violênciano Paquistão


20/06/2011


O jornalista paquistanês Waqar Kiani, colaborador do jornal inglês The Guardian, foi espancado na noite do último sábado, dia 18, em Islamabad, capital do Paquistão, por homens com uniformes da polícia, que o obrigaram a sair do carro e o agrediram com socos, bastões de madeira e chicotes.
 
Kiani publicou há cinco dias denúncia sobre um suposto esquema de seqüestros e torturas de militantes islâmicos que envolveria oficiais do serviço de inteligência do Governo paquistanês.
 
Esta não é primeira vez que Kiani sofre com algum tipo de violência: em julho de 2008, o jornalista foi seqüestrado, espancado e torturado.
 
A União Federal de Jornalistas Paquistaneses condenou o ataque, e exigiu que o Governo paquistanês garanta a segurança dos jornalistas. O Ministro do Interior Rehman Malik afirmou que o caso está sendo investigado.
 
Nos últimos 18 meses, 16 jornalistas foram mortos no Paquistão, considerado o lugar mais perigoso do mundo para profissionais da imprensa.
 
 
*Com The Guardian.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012