Sindicato contestaprecarização da mídia


02/05/2011


Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Munícipio do Rio de Janeiro(SJPMRJ) e Associação Profissional dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Estado do Rio de Janeiro (Arfoc) contestam a iniciativa da TV Globo, que em fevereiro deste ano começou a exibir reportagens feitas por telespectadores, selecionados no projeto Parceiros do RJTV, que conta com 16 colaboradores das comunidades cariocas. O projeto também se estenderá para telejornais de São Paulo e Brasília.Os parceiros são de diferentes classes sociais e níveis de instrução, o que inclui donas de casa, professores, autônomos e estudantes. Cada dupla recebe uma câmera de vídeo para fazer as reportagens, mas todo o processo é supervisionado por jornalistas da emissora.“Percebemos que está acontecendo exatamente aquilo que o Sindicato e muitos jornalistas temiam: repórteres e repórteres cinematográficos estão sendo substituídos por jovens inexperientes submetidos a um rápido treinamento, e a baixo custo, numa precarização inadmissível do mercado de trabalho”, diz a carta da entidade, enviada nesta sexta-feira, 29, à TV Globo.Em nota, a Central Globo de Comunicação disse que “o projeto “Parceiros do RJ” nada tem a ver com isso, e vem sendo cumprindo rigorosamente como na proposta inicial. Trata-se de dar voz à comunidades para que elas retratem o seu dia a dia, naquilo que consideram importante, com a supervisão de nossos jornalistas. E os jovens contratados não ocuparam vagas existentes na empresa e nem substituíram profissionais. Ao contrário, o projeto gerou novos postos de trabalho”.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012