JornalistasRJ: muito além
das redações


Por Por Claudia Sanches

28/03/2016


reinventar2

Mais de cem pessoas estiveram presentes no primeiro encontro do grupo “Reinventar”, dos JornalistasRJ (Foto: Reprodução)

Mais de cem pessoas estiveram presentes no primeiro encontro de 2016 do grupo “Reinventar”, do JornalistasRJ, realizado no auditório Belisário de Souza, no 7º andar da ABI, no mês de março. Segundo o vice-presidente da entidade Paulo Jerônimo o grupo conta com o apoio oficial da Casa do Jornalista, que a partir de agora passa a abrigar os eventos. “Essa é uma nova fase do projeto. Estamos abrindo as portas da ABI aos colegas com objetivo de, juntos, procurar novos caminhos”, disse Paulo Jerônimo.

A quarta edição do encontro presencial reuniu um time de profissionais de primeira linha, que compartilharam iniciativas independentes no painel “Jornalistas que nos Inspiram – Oportunidades, Desafios e Tendências”. Para a fundadora do JornalistasRJ Rosayne Macedo a palavra de ordem é sempre a reinvenção. Jornalistas como Aydano André Motta, Henrique Koyfman e Sidney Resende participaram e contaram suas próprias histórias, além de discutir alternativas e formas para ajudar a apontar caminhos além da redação.

Reinventar-se: parte da profissão de jornalista

reinventar3O jornalista Henrique Koyfman, especialista em mídia automobilística e atualmente apresentador de TV, inaugurou o painel de debates contando sua trajetória como repórter, que passou por todas as áreas do jornalismo desde o impresso, comunicação empresarial, assessoria de imprensa e TV.

Para ele, a “reinvenção” faz própria profissão na área de comunicação. “Durante vários momentos tive que mudar meu personagem profissional para sobreviver. Descobri, nessas andanças, que prestar serviço para empresas, ao contrário do que pensava, é muito interessante porque todos os dias entramos em contato com realidades diferentes. Ele ainda revelou à plateia de forma muito bem humorada, como venceu a timidez ser apresentador de um programa de televisão.

Aydano André Motta, que também saiu das redações no ano passado, contou como migrou para a autonomia. Com a sócia Cláudia Silva Jacobs, ele descobriu no setor do carnaval um grande lance de negócio. “Produzimos um site com conteúdo inédito, e postamos notícias ligadas ao samba no Rio que as pessoas perguntam ou precisam. Criamos a primeira lista com todos os blocos do Rio”. Driblando a burocracia das leis de quem procura patrocínio e se adaptando a novas rotinas de trabalho, ele descobriu que trabalhar como autônomo é realizar os próprios sonhos. “O tempo é a maior lição da reinvenção. Quando somos nosso patrão temos a exata noção de que tempo é dinheiro. Todos os dias surgem oportunidades no nosso grupo. Existem as possibilidades mas temos que estar com a mente aberta para elas”, garante Aydano, que acredita que o jornalismo digital é um caminho sem volta.

reinventar4

Sidney Resende falou sobre sua experiência como empregado e empreendedor (Foto: Reprodução)

O ex-âncora da Globo News Sidney Resende também falou de como se reinventou o tempo todo ao longo de sua toda sua vida profissional, sobre seus erros e acertos e se confessou um “apaixonado pelos empreendedores”. Fundador da CBN e um dos primeiros jornalistas da TV fechada, ele também partiu para iniciativa própria com o site de notícias SRZD. “Já estive em todas as posições, empregador, empregado, tenho todos os tipos de vínculos empregatícios na minha empresa, desde terceirizados, funcionários e parcerias. Em primeiro lugar precisamos abrir nossos corações e mentes. Inovar não é ter novas ideias mas abandonar as velhas”, afirmou Resende.

Parceria e mente aberta ás novas oportunidades

Rosayne Macedo enfatizou a ideia de que o caminho é o trabalho em cooperação e parceria e lembrou que existem muitas oportunidades no mercado. Para a jornalista, tudo pode começar pela própria rede de relacionamento. “Não podemos nos isolar. A proposta é olhar para o lado, de ser que exista uma possibilidade de trabalho com outro colega aqui no auditório ao nosso lado que faça algo diferente de mim, por exemplo, a quem posso me associar. Eu não gosto da parte burocrática, Por exemplo, preciso de uma pessoa para fazer esse trabalho”, sugeriu.

Os participantes também ressaltaram que existem muitas carências no setor de comunicação na área de conteúdo para vídeo, na própria Internet e existem cursos de qualificação rápidos e em conta, como o de de Ghost Writer. “Há muitos jornalistas ganhando dinheiro escrevendo livros para outros da área médica e jurídica”, recordou Cláudia Silva Jacobs.

Para os próximos encontros o grupo está planejando criar uma “Rodada de Negócios”, fazer um banco de dados com os participantes interessados e investir em eventos temáticos quinzenais, como um painel só de blogueiros. “Vamos trazer para cá profissionais com experiências, exemplos práticos que possam nos inspirar. Nesta fase do “Reinventar”, buscamos apresentar novas formas de trabalho e modelos de negócios que estão dando certo, para inspirar colegas a encontrar o seu próprio caminho, seja de forma independente, seja em parceria com outros profissionais. Após este primeiro encontro do ano, vamos realizar eventos temáticos, atendendo às demandas de público e às novas oportunidades que surgem em 2016, como eleições municipais e Olimpíadas”, explica Rosayne.

Inscrições

Interessados em participar do projeto Reinventar JornalistasRJ devem solicitar participação no grupo JornalistasRJ (https://www.facebook.com/groups/jornalistasRJ/) e entrar em contato pelo email contato.jornalistasrj@gmail.com.

 

Pré-inscrições para o próximo Reinventar, dia 06\04, quarta-feira, das 9 às 12h, na ABI, sobre o tema Redes Sociais, devem enviar um email com o título – QUERO PARTICIPAR DO REINVENTAR DIA 06-04.

O projeto conta com a parceria do Café e pauta e do rock Esperience.

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012