18 de agosto de 2022


Instituições monitoram ordens judiciais de remoção de conteúdo


Por Kika Santos *

27/08/2014


A ABRAJI, com a ajuda de parceiros como Folha, Estadão, UOL, Zero Hora, Gazeta do Povo, Google, Ibope e Datafolha, está compilando ações judiciais e mapeando quem são os partidos e candidatos que mais fazem ordens de remoção de conteúdo. Os casos de censura judicial aumentam durante o período de eleições, quando candidatos tentam evitar que portais, redes sociais, blogs e publicações on-line noticiem informações que consideram negativas a suas candidaturas.

O projeto, desenvolvido com o apoio do Google, também permitirá ao visitante do site www.eleicaotransparente.com.br filtrar os dados e visualizar os pedidos de censura por candidato, unidade da federação, partido ou, ainda, por empresas que foram alvo das notificações.

O site ELEIÇÃO TRANSPARENTE foi lançado oficialmente na sede do Google Brasil, nesta quarta-feira (27.ago.2014) pelo presidente da Abraji, José Roberto de Toledo.

“Queremos expor as tentativas de impedir o direito do eleitor de ter acesso à informação, e mostrar quais são os partidos e candidatos que mais costumam fazer isso. Isso também é uma informação importante para o cidadão”, afirma Toledo.

A base de dados é alimentada diretamente pelos representantes legais das empresas parceiras, que se cadastram no site e preenchem um formulário com detalhes sobre a notificação judicial.

O projeto defende a liberdade de expressão e expõe, em tempo real, as tentativas de partidos, candidatos e coligações de evitar a publicação de informações.

*Com informações da Abraji

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012