8 de dezembro de 2022


Índia: WhatsApp precisa brecar mensagens sinistras


22/08/2018


Imagem: Reprodução

A Índia disse que o WhatsApp, do Facebook, prometeu na terça-feira (21) desenvolver ferramentas para combater mensagens falsas, para ajudar o país a reprimir as pessoas que levantam a ira pública por meio de mensagens em massa nas redes sociais.

O presidente-executivo do WhatsApp, Chris Daniels, fez a promessa durante reunião em Nova Délhi com o ministro de Tecnologia da Informação da Índia, segundo a agência Reuters.

O ministro indiano de TI, Ravi Shankar Prasad, pediu à companhia que busque formas de rastrear a origem das mensagens “sinistras” e boatos, como os que levaram a uma série de espancamentos em todo o país este ano.

“Não é preciso ciência de foguetes para localizar uma mensagem”, disse Prasad após a reunião, acrescentando que a gigante de tecnologia dos EUA concordou em nomear um executivo para lidar com questões na Índia.

Segundo a agência Reuters, uma porta-voz do Facebook na Índia não respondeu a um pedido de comentário.

A Índia é o maior mercado do WhatsApp, com mais de 200 milhões de usuários, e onde as pessoas encaminham mais mensagens, fotografias e vídeos do que qualquer outro país.

Há também preocupações de que os defensores dos partidos políticos possam usar as plataformas de mídia social, como o WhatsApp, para espalhar falsas mensagens no período que antecede as eleições nacionais da Índia em 2019.

O ministro de TI, Prasad, também disse que o WhatsApp está trabalhando com as agências policiais para lidar com o problema e estava planejando uma grande campanha para educar os consumidores sobre mensagens falsas.

Em julho, o WhatsApp anunciou que o encaminhamento de mensagens será limitado na Índia a 5 pessoas ou grupos, e disse que removerá o botão de encaminhamento rápido ao lado das mensagens da mídia. No resto do mundo, o limite ficará em 20 mensagens.

Depois dos incidentes na China, o Whatsapp também anunciou que todos os usuários do aplicativo terão acesso ao recurso que avisa quando uma mensagem recebida foi encaminhada de outra conversa. A ferramenta já está sendo testada.

Segundo o Whatsapp, a nova funcionalidade “ajudará a determinar se um amigo ou familiar realmente escreveu a mensagem que enviou ou se a mesma veio originalmente de outra pessoa”.

Brasil

No Brasil, o Whatsapp já foi alvo de vários bloqueios determinados pela Justiça, por descumprir determinações de fornecer informações solicitadas por investigações. Na maioria das ocasiões, o argumento do aplicativo foi de não possuir os dados pedidos.

Em 2016, o vice-presidente do Facebook na América Latina chegou a ser preso após a rede social descumprir decisão judicial de compartilhar informações trocadas no WhatsApp por suspeitos de tráfico de droga. O Facebook é dono do WhatsApp desde o começo de 2014.

Fonte: Portal G1

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012