8 de dezembro de 2022


Globocop cai na orla do Recife e deixa dois mortos


23/01/2018


Helicóptero da Globo captou estas imagens pouco antes da queda (Reprodução/TV Globo)

Um helicóptero, que prestava serviços para a TV Globo Nordeste, em Pernambuco, caiu na manhã desta terça-feira, 23, no mar da praia do bairro do Pina, na Zona Sul do Recife (PE). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros e da própria empresa, duas mortes foram confirmadas e um homem foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ao Hospital da Restauração, onde passa por procedimentos.

Os ocupantes da aeronave eram funcionários da empresa Heliase, que trabalha com a emissora há mais de 10 anos. Testemunhas que ajudaram no resgate das vítimas afirmaram que havia uma quarta pessoa no helicóptero, por isso as buscas continuam no local.

A informação sobre a existência de um quarto tripulante, no entanto, não foi confirmada pelas autoridades policiais ou pela Rede Globo. O acidente ocorreu por volta de 6h15, momento em que chovia muito na região.

Segundo o relato de moradores do local aos policiais militares e bombeiros que atuam na operação, o helicóptero rodopiou, bateu no mar e submergiu. As vítimas fatais foram identificadas como Daniel Galvão, piloto da aeronave,  e a sargento Lia, supervisora da empresa Heliase.

A mulher chegou a ser retirada com vida do mar pela população, mas não resistiu e faleceu durante as manobras de ressuscitação feitas pelos bombeiros. O operador de câmera Miguel Breno está internado, em estado gravíssimo, e passa por cirurgia.

O helicóptero tinha acabado de fazer imagens sobre a cidade. A aeronave pertence à empresa Helisae Helicópteros do Nordeste, que presta serviços para a Rede Globo há mais de 10 anos.

Segundo a emissora, a aeronave passou por revisão na semana passada e desde então já havia feito vários voos. O clima no local é de muito nervosismo. Moradores e comerciantes ficaram assustados com o barulho provocado pelo acidente e com a descoberta de que havia vítimas dentro do mar.

“Era pouco mais de 6h15 e ouvimos um barulho muito forte. Uma explosão e um clarão e logo em seguida a pancada. Duas pessoas que estavam no calçadão começaram a gritar dizendo que um helicóptero tinha caído”, relatou o comerciante José Flávio, um dos moradores-socorristas. Quando a fumaça diminuiu, ele diz que foi foi possível enxergar melhor. “Ficamos desesperados porque a gente só pensava que tinha que entrar lá para pegar essas pessoas. Conseguimos trazer três, mas disseram que ainda tinha outra. Estamos muito tristes porque gostaríamos que todo mundo estivesse vivo”.

Em seu site, a Helisae informa que trabalha na captação de imagens aéreas, aerofotografia, aerofilmagem e aeroinspeção desde junho de 2005. Diz, ainda, que atende grupos empresariais do ramo de petróleo, gás, energia, construção e órgãos do governo.

A tripulação

Daniel Cavalcanti Figueira Galvão

O comandante era casado e não tinha filhos. Ele era funcionário da Helisae, empresa responsável pela aeronave, há seis anos. Daniel tirou a licença de voo comercial de helicóptero nos Estados Unidos. Ela foi validada no Brasil em 2011. O piloto tinha mais de 1.300 horas de voo.

 

Lia Maria Abreu de Souza

Era 1ª sargento da Aeronáutica e tinha 34 anos. Com 17 anos de atuação, ela já trabalhou em São Paulo e no Acre antes do Recife. Segundo a Aeronáutica, ela fazia parte do efetivo do Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta III).

Por ser controladora de voo, ela foi convidada pela Helisae para participar da transmissão na noite da segunda-feira (22). Ela deixou um filho de 2 anos. A sargento completaria 35 anos na quinta-feira (25).

 

Miguel Breno Pontes 

Internado no HR, Miguel Brendo completou 21 anos no domingo (21). Operador de sistemas, ele era responsável pela captação, gravação e transmissão de imagens. Ele trabalha na Helisae há um ano e meio, empresa onde fez o curso de operador de sistemas.

“Daniel era extremamente experiente, cidadão americano, tinha carteira americana e brasileira, instrutor de voo. Estava no helicóptero também o operador de sistemas Miguel Brendo, meu filho [enteado], inclusive. Ele estava fazendo o controle das câmeras. Tinha também uma convidada, uma controladora de voo”, apontou o comandante Wagner Monteiro, dono da empresa.

O acidente

Segundo informações da Infraero, o Globocop decolou do hangar, localizado ao lado do Aeroporto Internacional do Recife, no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul da capital pernambucana, às 5h50 desta terça com destino ao litoral. Às 6h, sobrevoava a orla, quando foram exibidas as imagens da Praia de Boa Viagem na abertura do Bom Dia Pernambuco, que mostravam o tempo fechado e com chuva.

Às 6h05, o Globocop fez uma curva quando sobrevoava a Praia do Pina porque seguiria para o bairro da Jaqueira, na Zona Norte. Nesse momento, as imagens tremeram. Em seguida, o helicóptero caiu no mar, perto de algumas pedras.

Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi encaminhada ao local do acidente. Imagens dos prédios no entorno devem ser utilizadas para auxiliar no entendimento de como ocorreu a queda da aeronave.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012