Filho de jornalista pede apoio para que assassinos do pai sejam punidos


Por Igor Waltz

20/02/2014


O advogado Valério Luiz Filho e o presidente da ABI Fichel Davit Chargel. (Crédito: Cláudia Souza)

O advogado Valério Luiz Filho e o presidente da ABI Fichel Davit Chargel. (Crédito: Cláudia Souza)

O advogado e jornalista goiano Valério Luiz Filho, reuniu-se na tarde desta quarta-feira, 19 de fevereiro, com o Presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Fichel Davit Chargel, para pedir ajuda à entidade em relação ao andamento do processo sobre o assassinato de seu pai, o cronista esportivo Valério Luiz, assassinado em 2012.

Valério Luiz Filho solicitou apoio para pressionar a Justiça goiana a levar os a júri popular. Cerca de dois anos após a morte do jornalista, todas as audiências do processo criminal foram encerradas, mas os culpados ainda não foram a julgamento, por meio de medidas protelarias.

Filho do também jornalista Manoel de Oliveira, Valério Luiz foi morto em julho de 2012, quando saia da Rádio 820, filiada da Bandeirantes, onde trabalhava.

O inquérito apontou Maurício Sampaio, tabelião e ex-vice-presidente do Atlético-GO, como o mandante do crime. O crime teria sido motivado por denúncias em relação à diretoria do clube, como compra de resultados e patrocínio a ações de vandalismo da torcida.

Além do dirigente, foram indiciados no processo os policiais militares Ademá Figueredo e Djalma da Silva, o motorista Urbano Malta e o açougueiro Marcus Vinícius Pereira Xavier, o Marquinhos. Os acusados foram detidos em fevereiro de 2013, mas estão em liberdade desde maio do mesmo ano.

Para Valério Luiz Filho, Maurício Sampaio se beneficia de uma “rede de influências” dentro do Judiciário goiano:

—A polícia fez a sua parte e apurou quem foram os culpados pela morte do meu pai. Nossa luta é para pressionar o Judiciário para que cumpra seu papel e leve os responsáveis pelo crime à prisão.

Protestos

Em 2013, Valério Luiz Filho fundou o Instituto Valério Luiz, cuja meta é o combate à impunidade. Entre as diversas ações já promovidas pela entidade, estão manifestações realizadas antes de partidas de futebol e uma passeata que reuniu 500 pessoas em frente à sede do governo estadual. Em outubro de 2013,o instituto organizou o evento “Imprensa por Valério”, com a participação de representantes de sindicatos de jornalistas e de radialistas e da associação de cronistas esportivos na Assembleia Legislativa de Goiás.

—Criamos o Instituto Valério Luiz com o intuito de ajudar juridicamente outras pessoas que passam pela mesma dificuldade e sofrem com os crimes sem solução. Se não continuarmos pressionando, esses processos não vão para frente e os culpados não serão responsabilizados, destaca Valério Filho, que veio ao Rio especialmente visitar a ABI e veículos de comunicação da capital.

Em seguida, Valério Luiz seguirá para Brasília, onde deverá reunir-se com representantes da Comissão de Comunicação Social do Congresso Nacional, da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e da Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Também está planejada uma visita à sede da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo(Abraji), em São Paulo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012