Festa do Jornal da ABI lota Travessa


30/06/2008


Maurício Azêdo, Presidente da ABI

Foi muito concorrido o lançamento do Jornal da ABI — Edição Especial do Centenário — Volume 1, que a Associação Brasileira de Imprensa promoveu nesta sexta-feira, 27, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, no Rio. O evento atraiu dezenas de intelectuais, acadêmicos e associados, que fizeram elogios à publicação. Entre os que prestigiaram o evento estavam os jornalistas José Gomes Talarico, Villas-Bôas Corrêa, Hélio Fernandes, Rubem Mauro Machado, Pedro do Coutto e Arthur José Poerner, o professor Hélio Alonso e o Presidente da LBV, José de Paiva Netto.

Para a maioria dos convidados, o conteúdo historiográfico do jornal marca com fidelidade a trajetória da ABI, Casa de Barbosa Lima Sobrinho, fundada por Gustavo de Lacerda, há cem anos, no dia 7 de abril, sempre atuando, com base nos princípios democráticos, na vanguarda da defesa da classe jornalística, em todos os níveis, dos direitos públicos e dos interesses estratégicos para o desenvolvimento da sociedade brasileira como um todo.

O trânsito no interior da Livraria da Travessa ficou literalmente congestionado de pessoas interessadas em adquirir um exemplar do Jornal da ABI. A situação deixou felizes os membros da Diretoria da ABI presentes à solenidade, como Benício Medeiros, Diretor de Jornalismo; Jesus Chediak, de Cultura e Lazer; e Paulo Jerônimo de Souza (Pagê), de Assistência Social. Demonstrando entusiasmo especial estava o Presidente Maurício Azêdo, que, juntamente com o Conselheiro Francisco de Paula Freitas, responsável pelo Departamento de Marketing da Casa, foi um dos principais articuladores para que a edição especial se tornasse realidade.

Maurício e Villas-Bôas Corrêa

Villas-Bôas Corrêa, que é membro do Conselho Deliberativo da ABI, chegou à Livraria da Travessa logo no início da festa. Depois de cumprimentar Maurício Azêdo e pegar seu autógrafo, sentou-se para ler a edição. Em seguida, fez elogios a ela e se referiu a alguns períodos distintos da história da ABI nesses cem anos:

— Tivemos a fase histórica da fundação e a administração do Herbert Moses, cuja grande vantagem era ser amigo do Getúlio, e por isso se dava bem com o Governo. O Moses foi uma pessoa muito dedicada à instituição, mas no seu tempo a ABI funcionava mais como um clube para os jornalistas veteranos. Depois veio a grande fase da resistência à ditadura, à censura, à tortura e às prisões de jornalistas, na época de Prudente de Moraes, neto e de Barbosa Lima Sobrinho, que não puderam fazer grandes realizações administrativas. Agora estamos na administração do Maurício, que conseguiu reerguer a ABI. Vemos atualmente uma entidade arrumada, e pela primeira vez sentimos que a categoria está freqüentando a instituição pelo prazer de participar das atividades que vêm sendo propostas, como palestras, cursos e conferências, entre outras.

Marca histórica

Com Hélio Fernandes, da Tribuna

Muito festejado pelo Presidente da ABI na sua chegada à livraria, o jornalista Hélio Fernandes, dono da Tribuna de Imprensa, falou sobre o grande momento vivido pela Associação:

— Fazer cem anos combatendo pela liberdade é um dos melhores momentos de um órgão que tem como prioridade garantir a liberdade. E isto é o que a ABI tem feito ao longo do seu centenário, tanto que durante esse longo período os presidentes da entidade foram sempre grandes expoentes do jornalismo e da liberdade

Para o escritor e jornalista Rubem Mauro Machado, colunista do ABI Online, a Edição do Centenário celebra uma história importante do jornalismo brasileiro:
— Acho que hoje é uma data realmente significativa, apesar de ser suspeito de falar da ABI, porque faço parte dela há muitos anos, com muito orgulho. Sobre o jornal, está muito bonito e com um conteúdo precioso. Acho que essa edição vai marcar, porque é realmente um documento da história da imprensa brasileira. E o fato de ela estar completando cem anos com todo esse prestígio prova que a ABI mantém sua atuação, sobretudo na defesa das liberdades públicas, e que por isso é uma entidade que orgulha a classe dos jornalistas. Na época da ditadura, sobretudo, sabemos o papel que a ABI desempenhou, abrigando inclusive perseguidos. E a gente tem que lutar para que ela se conserve nesse rumo, desempenhando esse papel tão importante na história brasileira.

O programa “Boa Vontade acontece” vai mostrar no dia 1° de julho, terça-feira, às 20h, a cobertura completa do lançamento da Edição Especial do Centenário, no canal 27 da SKY.

 

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012