Egito pede desculpas por ataques a jornalistas


08/02/2011


O Ministério das Relações Exteriores do Brasil decidiu nesta terça-feira, dia 8, não encaminhar ao Governo egípcio a nota de protesto contra os atos de censura e violência impostos a jornalistas brasileiros que participam da cobertura dos conflitos no centro da capital Cairo.
 
A medida foi tomada em razão do pedido de desculpas feito nesta segunda-feira, 7, pela Embaixada do Egito no Brasil, que, em nota, lamentou o episódio envolvendo o repórter Corban Costa e o cinegrafista Gilvan Rocha, da EBC, que ficaram detidos na delegacia durante 18 horas em uma sala sem janelas e sem acesso à água, tendo sido liberados somente após serem obrigados a assinar um depoimento manifestando o desejo de retornar imediatamente ao Brasil.
 
Os profissionais de imprensa tiveram os equipamentos apreendidos pela polícia local, que também impediu que um diplomata brasileiro prestasse ajuda aos jornalistas no Hotel Ramsés Hilton, no Cairo.
 
“A Embaixada da República Árabe do Egito lamenta o caos a que os jornalistas brasileiros Corban Costa, da Rádio Nacional, e Gilvan Rocha, da TV Brasil, foram submetidos. O tratamento foi totalmente lamentável e inaceitável e nós gostaríamos de pedir desculpas por quaisquer inconvenientes”, diz a nota.
 
O documento também afirma que “a Embaixada da República Árabe do Egito agradece ao governo e às pessoas da República Federativa do Brasil pelo apoio moral e político para a legitimação das aspirações do povo do Egito”.
 
A declaração foi feita após o Embaixador do Brasil no Cairo, Cesário Melantônio Neto, ter declarado nesta segunda-feira, 7, que o Governo brasileiro preparava uma queixa formal ao Egito pelo tratamento dispensado aos profissionais de imprensa brasileiros no país.
*Com informações da Agência Brasil, O Globo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012