Conselho Deliberativo da ABI convoca eleições para 30 de maio


27/03/2014


prédio ABI

Diretores e Conselheiros da ABI participaram nesta terça-feira, dia 25 de março, da Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da entidade, convocada pelo presidente em exercício da ABI, por decisão judicial, Tarcísio Holanda. Na ocasião, foi aprovada por unanimidade a realização da Assembleia Geral Ordinária no dia 29 de maio, e as eleições gerais no dia 30 de maio.

Neste pleito, os associados elegerão 60 conselheiros efetivos e suplentes, sendo 30 para complementar o mandato 2013/2016, e outros 30 para a renovação de 1/3 do Conselho do triênio 2014/2017. Também serão eleitos os membros da Diretoria e dos Conselhos Consultivo e Fiscal, que complementarão o período 2013/2016.

Durante o encontro, foram nomeados os membros da Mesa para a direção do Conselho Deliberativo. Por 27 votos a 12, o jornalista Mário Augusto Jakobskind foi eleito Presidente e Daniel Mazola e Dulce Tupy, respectivamente, Primeiro e Segundo Secretários.

O Conselho aprovou ainda os nomes de Orpheo Santos Salles, Marcus Miranda e Maria Ignez Duque Estrada para a Comissão Eleitoral, cuja primeira reunião será no dia 4 de abril.

Leia abaixo a íntegra da Ata da Reunião:

 

ATA DO CONSELHO DELIBERATIVO DA ABI

Reunião de 25 de março de 2014

“Convocado pelo presidente em exercício da ABI por decisão judicial, Tarcísio Holanda, o Conselho Deliberativo reuniu-se na terça-feira, 25 de março. Segundo a pauta enviada para os conselheiros, os temas do encontro seriam a escolha do Presidente e dos Primeiro e Segundo Secretários; a indicação dos membros da Comissão Eleitoral, e apresentação de Relatório da Diretoria.

Após a abertura do encontro, feita por Tarcísio Holanda, e antes do início da discussão dos pontos da pauta, o conselheiro Domingos Meirelles apresentou uma proposta para que o advogado da Chapa Vladimir Herzog, que entrou com ação judicial para a anulação das eleições de abril de 2013, fizesse um relato sobre o processo. Tal medida foi questionada pelo conselheiro Marcus Miranda, que argumentou quanto ao fato de que nas reuniões do Conselho Deliberativo da Casa somente poderiam falar conselheiros e associados, além do fato de se criar uma situação de desigualdade, pois, não havia representante jurídico da Chapa Prudente de Moraes, neto na sala de sessões.

Por decisão da maioria dos conselheiros, não foi dada autorização para a intervenção do advogado, que continuou apenas como assistente da reunião.

A seguir, de acordo com a pauta, foi feita a eleição da nova Mesa do Conselho Deliberativo da ABI. Duas chapas concorreram: a de número 1, tendo como candidato a presidente o Conselheiro Paulo Jerônimo, e primeiro secretário Arcírio Gouvêa e, para segundo secretário, Pinheiro Júnior; a de número 2, encabeçada pelo Conselheiro Mário Augusto Jakobskind, tendo como primeiro e segundo secretários, respectivamente, Daniel Mazola e Dulce Tupy.

A votação nominal dos conselheiros teve como resultado a vitória da Chapa 2, com 27 votos, contra 12 votos da Chapa 1.

Após a posse da nova Mesa, o Conselheiro Fichel Davit apresentou uma proposta, apoiada com a assinatura de vários conselheiros, no sentido de se aprovar uma anistia para os associados com o adendo de que a partir das próximas eleições, no ano que vem, não fosse mais concedido esse procedimento, que vem se tornando rotineiro em eleições da ABI, em prejuízo da Entidade. A proposta foi aprovada por unanimidade e, a seguir, Jakobskind colocou para discussão o tema da próxima eleição na ABI.

Inicialmente, foi proposta a realização do pleito na última semana de abril, conforme estabelece o estatuto da ABI. No entanto, o Conselheiro Pery Cotta, depois de anunciar que pretende lançar chapa para o pleito, sugeriu que a eleição fosse realizada no final do mês de julho. O argumento apresentado foi de que não haveria tempo hábil para a realização da eleição em abril. Como solução alternativa, o conselheiro Vitor Iorio sugeriu os dias 29 maio, para a assembleia geral, e 30 de maio para o pleito. Esta proposta foi aprovada, por unanimidade, pelo Conselho Deliberativo.

A seguir, o Conselheiro Marcus Miranda levantou a questão com relação a novos associados, que haviam sido aprovados na Comissão de Sindicância e no Conselho Deliberativo, no mês de fevereiro, e que, por conta da decisão judicial, não foram informados dessa decisão pela Casa. O Conselheiro Domingos Meirelles ponderou, então, que estes associados não poderiam ser prejudicados por causa das questões internas da ABI e suas fichas deveriam ser aceitas. Tal posição foi aprovada por unanimidade pelos conselheiros, cabendo à diretoria provisória providenciar a notificação dos aprovados.

A seguir, o conselheiro Fichel Davit chamou a atenção para o fato de que o presidente em exercício da ABI por decisão judicial, nos últimos 30 dias veio ao Rio de Janeiro, procedente de Brasília, onde reside e trabalha, por três vezes. Tal situação representa um alto custo para a Casa, pois, o preço das passagens variam de R$ 2.300,00 a R$ 2.700,00.

Em continuação à pauta, os conselheiros confirmaram os nomes de Orpheu Santos Salles, Marcus Miranda e da Conselheira Maria Ignês Duque Estrada para integrarem a Comissão Eleitoral. Orpheu Santos sugeriu, e foi aprovado pelos outros integrantes, que a primeira reunião da Comissão seja no dia 4 de abril.

Como parte final da reunião do Conselho Deliberativo, em vez do presidente em exercício por decisão judicial, Tarcísio Holanda, apresentar o Relatório da Diretoria, tal encargo ficou por conta do Conselheiro Domingos Meirelles, que fez um relato baseado em questões passadas, responsabilizando o presidente falecido Maurício Azêdo por todos os problemas que a ABI enfrenta. Em nenhum ponto do Relatório, o Conselheiro Domingos Meirelles tratou do que está sendo feito pela diretoria empossada por decisão judicial, para o enfrentamento das questões. Os conselheiros Marcus Miranda e Fichel Davit criticaram a postura de Meirelles ao acusar quem não pode mais se defender. Fichel Davit lembrou, inclusive, o fato de Domingos Meirelles ter ocupado durante 9 anos a diretoria da ABI e nada ter feito para denunciar ou sanar as irregularidades. Davit disse, ainda, que foi pego de surpresa, pois, imaginava que Meirelles apresentaria um relatório sobre o que fez e está fazendo a diretoria provisória.

A mais concorrida reunião do Conselho Deliberativo dos últimos tempos foi encerrada às 18h30. Participaram da reunião os seguintes Conselheiros: Alcyr Cavalcanti, André Louzeiro, Antonio Carlos Athayde, Arcirio Gouvea Neto, Argemiro Lopes, Bernardo Cabral, Carlos Alberto Marques Rodrigues, Cecília Costa, Continentino Porto, Daniel Mazola, Domingos Meirelles, Dulce Tupy, Fichel Davit Chargel, Francisco Paula Freitas, Germando Oliveira, Gloria Alvarez, Henrique Miranda, Itamar Guerreiro, Jarbas Domingues Vaz, Jesus Chediak,  José Pereira da Silva, Marcus Miranda, Maria Ignez Duque Estrada, Mário Augusto Jakobskind, Maurílio Candido, Milton Coelho da Graça, Modesto da Silveira, Nacif Elias, Orpheu Santos Salles, Paulo Jerônimo, Pery Cotta, Pinheiro Júnior, Ponce de Leon, Sergio Caldieri, Tarcísio Holanda, Vitor Iório e Wilson de Carvalho.

 

Mário Augusto Jakobskind

Presidente

Daniel Mazola

Secretário”

 

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012