ABI entrevista
Molon nessa
terça-feira


Por Edir Lima

26/09/2016


Foto: Divulgação/Facebook

Foto: Divulgação/Facebook

Alessandro Lucciola Molon, 44 anos, será sabatinado pela diretoria da Associação Brasileira de Imprensa, nessa terça-feira (27), na sede da entidade, às 15h. O presidente Domingos Meirelles, Jesus Chediak, diretor de Cultura e Lazer, Ivan Proença, presidente do Conselho Deliberativo, e o advogado Jansen de Oliveira vão entrevistar o candidato da Rede Sustentabilidade.

Molon tem graduação e mestrado em História pela UFF e graduação em Direito pela PUC-Rio, onde leciona. Também já deu aulas em escolas públicas e privadas da capital fluminense. Além de professor e advogado, é radialista, atuando, na década de 90, em programas na rádio Catedral FM, voltada para o público católico.

Em 2000, foi candidato a vereador do Rio de Janeiro pelo PT, não conseguindo se eleger. Em 2002, foi eleito pela primeira vez para um mandato como deputado estadual, com 52.049 votos. Participou das investigações do Escândalo do Propinoduto, e apresentou projeto de lei instituindo no Rio de Janeiro o Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte. Foi reeleito em 2006 , com 85.798 votos.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos, investigou denúncias de arbitrariedades em ações policiais, como a do Complexo do Alemão.

Em 2007, disputou a prefeitura do Rio, ficando em quinto lugar, com 4% dos votos válidos.

Em outubro de 2010 foi eleito deputado federal com 130 mil votos, tornando-se o candidato do PT com a maior votação no Estado do Rio de Janeiro. Seu primeiro mandato na Câmara foi marcado por importantes vitórias, como a aprovação da Lei do Marco Civil da Internet, que se tornou referência no mundo por garantir direitos dos internautas, tendo como pilares a neutralidade da rede, a proteção à privacidade e a liberdade de expressão na web.

Em 2014, Molon foi reeleito deputado federal com 87.003 votos, sento o mais votado de sua coligação (PT, PCdoB, PSB) no Rio de Janeiro.

Em setembro de 2015, saiu do PT e filiou-se à Rede Sustentabilidade.

Apresentando-se com candidato de uma “esquerda moderna, que pensa mais nas pessoas do que na ideologia, Molon fala com entusiasmo de seu plano de governo:

Segurança

O candidato diz que vai chamar para si a responsabilidade da segurança na cidade do Rio de Janeiro. Sobre a Guarda Municipal, ele ressalta que armá-la não é a melhor forma de fazer o município participar da segurança pública. Segundo ele, pensar na prevenção é o melhor caminho.

“Armar guarda é promessa demagógica de quem não entende nada de segurança. A prevenção começa disputando o destino de cada jovem com o tráfico de drogas. Oferecendo educação da primeira infância ao fim do ensino fundamental. Hoje, um em cada quatro jovens no Rio não trabalha. Tem que oferecer cultura, esporte e lazer. Tem que gerar emprego. Isso é segurança pública.”

Saúde

“A atenção básica melhorou, foi um avanço importante. Vamos continuar expandindo até atingir 100% da população. Pretendo substituir as OSs por uma Fundação de Saúde da prefeitura. Para a saúde da família funcionar é preciso ter um histórico do paciente.”

Educação

“Valorizar o professor. Educação é professor motivado, é gente formando gente. E faz toda a diferença como o professor se sente. Vamos discutir novo plano de cargos e salários.”

Mobilidade urbana

“Quero rever o projeto de racionalização das linhas de ônibus com a participação das pessoas, para que elas decidam o que vai ser feito com o dinheiro delas. Além de rever o projeto, é preciso evitar que tanta gente se desloque tanto todos os dias. No Centro tem muito emprego e pouca moradia. Na Zona Oeste, muita moradia e pouco emprego. Tem que criar moradia onde tem emprego e emprego onde tem moradia. O Centro tem que virar um bairro. Tem que ter gente morando.”

Saneamento

Molon promete aumentar os investimentos da prefeitura.

“A prefeitura do Rio é o poder concedente. É ela que concede a possibilidade de se coletar e tratar esgoto. A Cedae é uma das concessionárias. A prefeitura do Rio, na nossa gestão, vai fazer parceria com a Cedae ou com outras empresas para garantir que todo o esgoto seja coletado e tratado.”

Com o jornal O Dia

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012