ABI homenageia o Jornal
O Dia
pelos 65 anos


03/06/2016


           Rio de Janeiro, 03 de junho de 2016.

 

Nota Oficial

A Associação Brasileira de Imprensa celebra os 65 anos de fundação de O DIA pelo relevante papel que exerce em defesa dos legítimos interesses da população do Rio de Janeiro. Ao longo da sua existência, O DIA sempre esteve presente nos momentos mais importantes da vida da Cidade como um dos principais jornais fluminenses. Ao completar 65 anos, O DIA mantém o mesmo frescor e a jovialidade que tanto marcam o irreverente espírito carioca.

Domingos Meirelles

Presidente da ABI

História

O jornal O Dia foi fundado em 5 de junho de 1951 pelo então deputado Chagas Freitas, que seria governador dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro. Chagas utilizava o equipamento gráfico do vespertino A Notícia (de propriedade do ex-governador paulista Ademar de Barros) para rodar o jornal.

Nessa época, o jornal explorava o perfil voltado às classes mais populares, consideradas de baixa renda, com reportagens policiais, recheadas de mortes violentas.

Após a sua aquisição pelo jornalista Ary Carvalho em 1983, o jornal O Dia iniciou uma transformação para se desvincular da sua imagem de jornal populista e sanguinário, através de uma primeira reforma gráfica e editorial. As dificuldades advindas de uma herança administrativa antiquada, levaram Ary Carvalho a perceber que sem uma profunda reforma empresarial e cultural, os objetivos almejados dificilmente seriam alcançados.

Com a intenção de competir por leitores com os mais tradicionais Jornal do Brasil e O Globo, a reforma gráfica e editorial aconteceu.

Em 1992, com a inauguração do novo parque gráfico de O Dia, a empresa começou a colher os primeiros frutos da sua nova estratégia. Conclui-se a reforma gráfica que fez com que o jornal, agora colorido, se afastasse de vez da sua velha imagem, transformando-o num dos jornais de apresentação mais moderna do país. Ao mesmo tempo, a tiragem do jornal aos domingos cresceu de 300 mil para 480 mil exemplares.

Com o falecimento de Ary Carvalho, em 2003, a propriedade da empresa foi divida entre suas três filhas: Ariane, Gigi e Eliane de Carvalho.

Em 2005, Ariane deixou a sociedade para fundar o jornal Q!, levando junto a rádio MPB FM.

Nesta altura, a Editora O Dia incluia ainda o jornal Meia Hora, o portal O Dia Online, a TV O Dia e a rádio FM O Dia, além de uma agência de notícias e do Instituto Ary Carvalho.

Em abril de 2010, a Editora O Dia vendeu parte do seu capital para a EJESA/Ongoing, Empresa Jornalística Econômico SA, que publicava o Brasil Econômico, por US$ 75 milhões.

Recentemente, o empresário Mário Cuesta, dono do Diário de S.Paulo, negocia a aquisição das publicações da Ejesa, que inclui os jornais O Dia e Meia Hora como principais veículos.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012