28 de novembro de 2022


Jornalista acusado de vazar segredos de Estado é liberto na China


Por Igor Waltz*

10/09/2013


Shi-Tao-photo

A China libertou antecipadamente o jornalista e ativista pró-democracia Shi Tao que havia sido condenado em abril 2005 por vazar segredos de Estado para o exterior. No último sábado, 7 de setembro, o grupo pró-liberdade de expressão PEN International declarou que ele foi libertado quinze meses antes do fim da sua sentença. O dissidente foi condenado a dez anos de prisão.

“Celebramos a notícia da libertação antecipada de Shi Tao, num momento em que parece que há sombras cada vez maiores sobre a liberdade de expressão na China”, disse a organização em comunicado. “A prisão de Shi Tao, por causa das ações do Yahoo! da China, sinalizou há uma década os desafios à liberdade de expressão, da vigilância na internet, com os quais estamos lidando agora.”

Na época em que o jornalista foi preso, o Yahoo! foi acusado de ajudar as autoridades a identificá-lo. Shi foi preso pelas autoridades de Pequim em 2004 depois de enviar arquivos para um site de Nova York, por meio de uma conta de e-mail do Yahoo!, a respeito da censura imposta à cobertura de veículos chineses sobre o 15º aniversário do Massacre da Praça da Paz Celestial, ocorrido em 1989. O conglomerado de internet, no entanto, se defendeu da acusação dizendo que tinha que se submeter às leis locais.

O Yahoo! recebeu de forma positiva a libertação antecipada do jornalista chinês. “Nós nos congratulamos com a notícia”, disse a empresa em comunicado por email. “Reiteramos a nossa convicção de que ninguém, em qualquer lugar do mundo, deveria ser preso por exercer pacificamente o direito universal da liberdade de expressão. Enviamos nossos melhores pensamentos e desejos a Shi Tao e sua família.”

Um ativista chinês, em contato com Shi, confirmou que ele foi solto há uma semana. O ativista, que pediu para não ser identificado, afirmou que Shi não daria entrevistas neste momento. Ainda não está claro, entretanto, por que Shi foi solto antes do fim de sua pena. Na China, essas libertações antecipadas podem ocorrer pelo bom comportamento do preso.

O grupo PEN declarou que Shi “foi tratado relativamente bem na prisão nos últimos anos, que ele escreveu muitos poemas, incluindo um escrito depois que soube que Liu Xiaobo havia recebido o [prêmio] Nobel”.

A ONG internacional Repórteres Sem Fronteiras – RSF, em nota, também celebrou a liberdade do jornalista “A RSF reconhece com grande satisfação a liberdade de Shi Tao e pede às autoridades que o permitam levar uma vida normal, longe de vigilância e intimidações cometidas contra grande parte dos dissidentes que saem da prisão na China.

* Com informações da Reuters, da revista Exame e jornal The New York Times. 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012