Líbero Osvaldo de Miranda (1975)

Líbero de Miranda era grande apreciador de música clássica e de literatura francesa. Deixou inéditos duas traduções de Beethoven e um documento intitulado “Voz clamantis in deserto”.

Quando Elmano Cruz renunciou ao seu mandato, a 27 de agosto de 1975, o conselheiro Líbero Osvaldo de Miranda foi indicado para substituí-lo. Tinha então 73 anos de idade e não chegou a presidir uma reunião sequer, pois morreu de infarto 10 dias depois de ser empossado, fato que causou muita consternação no meio jornalístico.

Líbero de Miranda era grande apreciador de música clássica e de literatura francesa. Deixou inéditos duas traduções de Beethoven e um documento intitulado “Voz clamantis in deserto”.

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”