Celso Kelly (1964-1966)

Liberdade de opinião e expressão com a conseqüente responsabilidade dos emissores — no caso, autor e veículo; a informação autêntica, como direito de todos; e a facilitação do acesso dos jornalistas às suas fontes.

Amigo de Herbert Moses, Celso Kelly o sucedeu na Presidência da ABI, onde já havia integrado o júri que escolheu o projeto dos irmãos M.M.M. Roberto para a sua sede social, considerada pioneira da arte moderna na América do Sul. O período político brasileiro era crítico e a Comissão de Defesa de Liberdade de Imprensa teve muito trabalho — a todo instante eram enviados ofícios às autoridades do Governo, pedindo a liberdade de jornalistas presos.Em meio a tudo isso, a ABI ainda conseguiu promover três concursos jornalísticos e realizar um seminário em que foram debatidos os problemas do ensino do Jornalismo, dele resultando a Declaração do Rio de Janeiro, que insistia nos aspectos essenciais da profissão: “Liberdade de opinião e expressão com a conseqüente responsabilidade dos emissores — no caso, autor e veículo; a informação autêntica, como direito de todos; e a facilitação do acesso dos jornalistas às suas fontes.”Nomeado diretor-geral do Departamento Nacional de Ensino do Ministério da Educação, Celso Kelly renunciou ao cargo de Presidente da ABI em 9 de fevereiro de 1966, a três meses de completar seu mandato.

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”