Três profissionais são detidos em serviço em Caracas


28/06/2016


venezuelanos

Román Camacho, Josselyn Torres e Darvinson Rojas são investigados por assistir vídeo de assaltante do banco

Três jornalistas foram detidos na Venezuela após fazerem uma cobertura de um roubo numa filial do Banco Central do país em Caracas. Entre os dias 23 e 25, os repórteres Román Camacho (do site “La Patilla”), Josselyn Torres e Darvinson Rojas (do “El Pitazo”) foram detidos e interrogados sem notificação.

Os três profissionais cobriam um tiroteio no Banco Central, em Caracas, que terminou com o assaltante morto. Eles tiveram acesso a um vídeo de câmeras de segurança que mostram o invasor culpando a fome no país durante o roubo, que acabou resultando numa troca de tiros com forças de segurança e sua morte.

“O interrogatório arbitrário é o mais recente exemplo da intensa intimidação e táticas de pressão contra jornalistas na Venezuela. A confidencialidade de fontes e o direito de investigar e cobrir o que acontece são valores-chave para a liberdade de informação. O governo tem a obrigação de garantir a segurança dos jornalistas, em vez de ser seu maior violador”, criticou em nota o diretor da ONG Freedom House para a América Latina, Carlos Ponce.

O governo não deu explicações sobre o caso.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012